11/11/2009

Educação financeira dos nossos filhos

Sempre tive vontade de passar conceitos financeiros aos meus filhos, mas sempre me vi impossibilitada. Como eu poderia ensinar meus filhos a lidar com dinheiro, quando nem mesmo eu sabia?? Nunca fui gastadeira, mas nunca vi dinheiro parar na minha mão, afinal, existe sempre uma prioridade aqui outra ali, e quando nos damos conta, já acabou o mês  e o dinheiro  e a possibilidade de economizar foi pro beleléu. Além disso, quando você tem um marido que pensa muito diferente de você sobre a educação de filhos, é muito  mais difícil  aplicar seus próprios conceitos no casamento. Se eu posso te dar uma dica que nem é sobre dinheiro, eu vou dar: Case-se com alguém que além de você amar muito, tem os mesmos valores de vida que os seus, não case com alguém que pensa muito diferente de você, porque isso vai te causar problemas futuros!!  Quer um exemplo, agora falando de gastos? Meu ex marido sempre que voltava da rua, de viagem ou algo assim, trazia um pequeno presentinho para os filhos. TODA vez! Sim, era um mimo agradável, sim,  as crianças adoravam, é bem verdade, mas eu não. Quantas vezes eu reclamei disso!! Quando crianças são acostumadas a ter tudo, não dão real valor ao que possuem, pelo menos é isso o que vejo. Cansei de ver brinquedos abandonados já no primeiro dia que foram ganhos, porque sempre havia a certeza de que outro em breve viria. Quando o pai não puder trazer presentinhos um dia, eles vão  fazer falta, e se os filhos não tiverem maturidade pra entender essa falta?? E isso é só um exemplo.

Porque to falando disso?


É que houve uma blogagem coletiva organizada pela Cybele que eu me comprometi a participar, mas com o curso e todas as coisas que andam acontecendo por aqui, acabei esquecendo, mas como o tema muito me agrada, resolvi escrever mesmo estando atrasadíssima!

Foi só ao passar a morar aqui, que pude finalmente aprender a economizar e passar meus conhecimentos aos meus filhos.

Não que eu agora, seja uma expert, mas com a ajuda do meu marido, que primeiro é alemão e automaticamente, sabe economizar, nos saímos relativamente bem.  Morar aqui é muito caro e se não traçarmos metas, a gente se ferra no fim do mês. Aluguel e todos os custos que estão inseridos nisso, despesas com carro e suas milhões de revisões que o país "exige! Viagens de férias,  alimentação, serviço de saúde, impostos mil, roupas e outras coisinhas fazem parte do dia a dia desse país.

Aqui não pagamos escola e o material escolar é tão pouco e barato que  se eu falo aqui que quando morava no Brasil,  precisava pagar nas escolas das crianças, só com material escolar, mais que 300 reais por cada criança, o povo não acredita. "Puxa, um país tão pobre e tão caro???? Como pode?"  Se você tiver uma resposta pra isso, fique à vontade...

Aqui eu não pago nada na escola! (já falei sobre o tema aqui) E se pago ao todo,  50 reais de material no começo do ano, é muito.

Em compensação, os outros gastos são exorbitantes!

Alemão que não sabe lidar com dinheiro, tá completamente ferrado.
Como sabemos disso, e queremos muito que Laura e João aprendam a lidar com o famigerado,  temos nossos conceitos formados e tentamos passar a eles. Por exemplo, as crianças precisam saber o quão caras são as coisas. Normalmente vamos ao supermercado com elas. Fazemos as compras uma vez por semana ou em pequenas comprinhas durante a semana, sempre observando os preços mais em conta e as promoções da semana. Roupas, só compro nas trocas de estações, por que ficam bem baratas! Água e luz TEM que ser economizados, não dá pra ficar horas no banho, nem pelo bolso e nem pelo meio ambiente, comida aqui em casa, nunca vai pro lixo! Empregada, é claro, aqui NINGUÉM tem. Presentes, os meninos só ganham em datas especiais, que são "somente" no natal e no aniversário. Nessas duas datas, eles fazem uma lista do que gostariam de ganhar, e da lista, eles ganham quase tudo, afinal somente duas vezes por ano eles tem esse direito. Ali eles aproveitam pra pedir o que quiserem, mas como eles já tem noção do valor das coisas, aprenderam também que não precisam de coisas tão caras.
Eles recebem mensalmente sua mesada, que é baseada em o que o país e seus economistas  recomendam. O valor da mesada depende da idade da criança, que é por sua vez, baseada no ano escolar ela está, ou seja, estudiosos observam quais são mais os menos os gastos que uma menina da sexta série tem, e em cima disso sugerem o valor da mesada que vai sendo adaptada conforme ela vai mudando de idade e de classe.  Com esse dinheiro, eles podem fazer mais ou menos o que desejarem, mas tendo noção de que precisam economizar também. Gastos necessários, nós pagamos, mas coisas como por exemplo, cinema com amigos, são eles que pagam com sua mesada. Roupas, coisas pra escola, lanches, nós pagamos e se eles querem uma coisa que é muito cara, são eles que devem ser resposáveis pela compra, por exemplo, outro dia meu filho notou  que comprar coisas muito caras pode ser um problema pra sua mesada. Ele queria um PSP, um jogo eletrônico portátil que é bem caro. Juntou dinheiro e comprou. O que sobrou de toda a sua mesada de quase um ano, foram apenas dez euros! Mas isso o ajudou a ver que economizando, ele pode ter resultados positivos,  mas também ele veio a saber que toda uma economia pode acabar num minuto!!

Filho aqui em casa, trabalha. São eles que arrumam os seus quartos, passam sua roupas, cozinham no fim de semana (ela tem 15 e ele 12 anos), colocam a comida na casinha dos passarinhos, lavam os banheiros, e são encarregados de jogar o lixo (aqui cidadão tem a obrigacão de separ o lixo, já falei sobre isso aqui) e se eles esquecem de jogar o lixo, eles perdem metade da mesada.

Sim, eu sei, parecemos duros, mas é assim que eles vão aprendendo que as coisas não caem do céu, que mãe não é empregada de filho e que tudo tem um custo.

É claro que nada é perfeito, o quarto é uma bagunça generalizada, o lixo, eu precisei colocar uma plaquinha pendurada na porta de seus quartos pra lembrá-los, de vez em quando, aparece um cofrinho arrebentado,  a mesada pode acabar rapidinho com compras de doces, mas acho que estamos no caminho certo. Pelo menos, eu acho...


E você, tem alguma dica pra ensinar as crianças a lidar bem com dinheiro?

16 comentários:

  1. Não tenho dica.. até pq eu só fui aprender a conviver melhor com o dinheiro qnd eu me vi endividada. hahahahahaha
    adorei o blog, to seguindo!

    ResponderExcluir
  2. Nina, belo o seu texto dividindo conosco suas experiências. Mas olha, as criancas de hoje em dia nao conhecem valor. O mundo tornou-se fácil demais. Culpados somos nós que nao deixamos mais os nossos filhos desejarem; na priemiera vontade já estamos satisfazendo os seus desejos.

    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  3. Nina
    to fazendo um sorteio lá no blog. Se der, me dá uma mãozinha na divulgação :)

    beijoo

    ResponderExcluir
  4. Nina, eu não tenho muitos problemas, só sou muito preocupada em pagar minhas contas em dia, coisa que meus pais me ensinaram, mesmo estando em um momento díficil eu tento sempre manter a linha. Muito bacana essa forma de mostrar aos seus filhos que as coisas tem valores.
    bjus

    ResponderExcluir
  5. Nossa Nina, eu adorei esse post. Sou louca por educação, acho que tenho vontade de ter filho só por isso...Acho que com medidas simples de responsabilidade o mundo seria mil vezes melhor.

    Amei essas das crianças fazerem os trabalhos domésticos e serem punidos caso não façam- minha mãe deveria de ter ensinado isso a mim e o Bruno.

    Amei mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Nina,
    Vim conhecer seu blog e gostei muito desse texto. Realmente é muito importante passar para as crianças os valores das coisas, e mostrar que é difícil ganhar dinheiro. Importante, também, contar com elas nos trabalhos domésticos. Agir assim, é preparar bem os filhos para o futuro.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Nininha!
    Me dá você de presente?
    Eu achando que abalava as estruturas de tão metódica e organizada, fiquei de boca aberta com algumas dicas que você passou,algumas eu aplico aqui, outras eu nem havia pensado.
    Caio tem uma relação boa com dinheiro, é um poupador e guarda bem direitinho até poder comprar o que deseja, o Pedro, ahhhhhh o Pedro, esse acha que dinheiro vem do banco e só, acha que é facinho facinho... Mas está melhorando, ao invés de cair no biquinho e no olhinho de cachorro sem dono que o danadinho faz, resolvi dar 5 reais por semana para que ele sentisse o quanto custa guardar, sei que é bastante dinheiro, porque no final do mês dá vintão, mas eu queria que ele juntasse uma grana que desse para comprar algo realmente bom e que ele quisesse, tem feito bons resultados, no começo do mês teve a feira do livro, e ele já tinha guardado 10,00 então para comprar o livro(o mesmo que gerou o milagre da minha visão), eu só tive que inteirar mais 10,00, o Caio por outro lado ganhou mais 10(pq não acho justo dar somente para um), e comprou um livro maravilhoso que devorou em 3 dias e comprou mais um pequeno que andava me pedindo a dias, mas não acontecia de irmos a livraria...

    Vou pensar em algo legal que você ainda não faça e eu aplico aqui para te dar a dica:D

    Beijins:*

    ResponderExcluir
  8. Nina querida!

    Pensamos de forma semelhante. E como no seu caso, tenho divergências com o pai da minha filha. Por incrível que pareça, era mais fácil quando morávamos juntos, porque eu tomava as decisões no tocante a ela. Agora ele manda para ela presentes caros a toda hora. Resultado, os brinquedos que ela sempre manteve cuidados e organizados, agora se perdem, estragam, na expectativa do "já já meu pai dá outro". Estou tentando colocar regras nisso, mas não está fácil!

    Quanto à educação financeira, acho que existe uma regra de ouro: sempre gastar menos do que se ganha.

    beijos!
    Parabéns pelo texto, adorei!

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina querida,
    Educação financeira para os pequenos é essencial, eu vendi limão na infância pra ganhar meus troquinhos e comecei a trabalhar com 17 pra fazer uma viagem sonhada... Concordo plenamente que precisamos ensinar o valor das coisas, das conquistas, ate mesmo dos trabalhos de casa. Mãe não é empregada (isso a gente vê com clareza pelas bandas de cá) e criança precisa de disciplina financeira!
    Adorei o texto, o assunto é sensível e importantíssimo!
    Super beijo
    Márcia

    ResponderExcluir
  10. Adoro quando você posta sobre essas diferenças culturais, sabia?? Eu já até "te usei" (claro, sem falar nome, nem nada) como exemplo nas minhas aulas de Direito Constitucional...Educação, direito de todos e dever do Estado e da FAMÍLIA...

    Quantas famílias esquecem que também são responsáveis pela educação de seus filhos, né??

    Adorei as dicas...

    Aqui em casa a coisa funciona com a mesada, mas só para a Laura, por enquanto...

    BEijo!

    Rê.

    ResponderExcluir
  11. Oi Nina...

    Cheguei aqui através da Beth Lilás. Fiquei encantada com seu blog e estas dicas de economia para crianças, não so de economia né - de comportamento, educação.
    Se todos agissem assim com seus filhos...ah, as coisas poderiam ser tão diferentes! Ok, não sou autoridade para falar nesse assunto pois nem filhos tenho ainda, mas o seu texto retrata bem o que penso e a maneira como eu gostaria de agir quando tiver os meus.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá!! adooorei...sou mamy de prim. viagem e aprendi pacas aqui com vc....és tuod de bom!! EXPERIÊNCIA é tudo na vida....adorei..obrigado pelas dicas e pelo ensinamento....quero conhecê-la!!!moro em Münster...ainda não li e nem vi por aqui onde moras...achei seu blogg e vou lê-lo todo...adorei...beijos e continue assim aberta...teem muita gente como Euzinha pela net e pela vida que dicas e palavras como as suas ensinam e acalentam bastante....valeu, NINA!! Bjkas e bye Ana Chrystina :))

    ResponderExcluir
  13. Oi Ninoca!!! Acho que vou salvar esse seu post para a posteridade, hahahaha...ainda não tenho filhos, você sabe né? Mas já penso muito sobre que tipo de educação quero que eles tenham, o problema é que eu e meu marido somos um desastre quando o assunto é economia e planejamento financeiro. Nós dois temos que aprender antes de ter um baby, com certeza.
    E falando em filhos, essa noite eu sonhei que tinha uma filha, ela era um bebê lindo. Acordei tão feliz, me sentindo tão bem. Será que foi um pressentimento? um revelação? Quem sabe...
    Um beijo grande pra você e um ótimo fim de semana!!!

    ResponderExcluir
  14. Nao tenho nenhuma dica, mas gostei muito do seu texto. Tenho duvidas de como lidar ou ensinar minha familia a respeito de financas. bj

    ResponderExcluir
  15. Nina, pra mim , a maneira como lidamos com o o dinheiro é inata, assim como a cor da pele e dos cabelos. Valon consegue juntar sua mesada até conseguir alcançar seu obejtivo, custe ele o que custar.Já Jujuba é tal e qual a mãe dele, gasta tudinho na primeira esquina, é generoso e perdulário, nunca tem um trocado.

    ResponderExcluir
  16. Olá querida Nina,

    Que maravilha a sua postagem. Adorei porque você focou não só o comprar, mas também o ter a preocupação em não deixar a luz acesa, pois isto além de ser uma atitude sustentável custa dinheiro e é uma forma inteligente de lidar com ele.
    Também achei super interessante quando você compartilha que seu filho juntou durante um ano o dinheiro para comprar um jogo e de um minuto para o outro não havia mais. Super enriquecedor estes conceitos.
    Adorei Nina!
    Maravilhosa contribuição!
    Obrigada por participar e por acrescentar tanto na nossa blogagem.
    beijinhos com carinho

    ResponderExcluir