A beleza dos filhos

Faz alguns dias, estava ouvindo música, coisa que minha bebezinha de sete meses gosta muito, e ela parou numa em especial, Espatódea, do Nando Reis. Ela ficou sorrindo, e eu chorei. "Não sei se esse mundo é bom, mas ele ficou melhor desde que você chegou e explicou o mundo pra mim"... É bem assim mesmo! Poesia real e cantada!
Ana Flora chegou de surpresa, não foi programada, veio numa gravidez meio difícil, através de uma mãe de 46 anos que se sentia bem com seus três filhos. Mas desde que ela chegou, é bem assim que eu sinto o mundo a minha volta. Bem mais lindo com ela. 
A casa tem um maravilhoso encanto com essa pequena por perto. Tem uma aura de alegria e tanta doçura no ambiente: tem cheirinho de bebê, que mesmo quando fede, cheira ;-) Cheiro de roupinha delicada, de cabelos macios, de boquinha cheirosa de baba, de pele macia. 
Minha Florinha tem esses olhos bondosos e curiosos, que me encantam! Ela é tão cheia de alegria. Quando sorri, os olhos sorriem mais que a boca. Nunca vi um sorriso tão concentrado nos olhos de alguém! Quando ela acorda de manhã, levemente chorosa, e eu me aproximo da sua caminha, e ela sorri de um jeito tão, mas tão maravilhoso, que mesmo que eu esteja caindo de sono, e aquele momento pudesse ser cansativo e chato pra mim (afinal, posso estar esgotada pelas no mínimo, duas vezes que acordei de madrugada para amamentá-la) torna-se uma alegria ver aquele rostinho que fica tão feliz em ver a mamãezinha. Me sinto tão importante pra ela. E ela nem sabe o quanto é ela  quem é tao importante pra mim!
E o dia corre com ela, sabe?! Passa voando! E o tempo está passando tão rápido que me dá vontade de dizer pra que ele ande mais lentamente, só pra eu curtir ainda mais essa menininha de meu Deus. Outro dia notei como ela está grandinha, comprida! Nasceu com 52 centímetros e já está com 70cm!! 

Interessante essa sensação de ser mãe mais uma vez. Quando eu soube da gravidez, fiquei tao chateada, assim como escrevi aqui. Mas depois, e principalmente, quando ela nasceu, todo receio desapareceu. Ela tinha vindo pra mim, e a recebi como um presente de Deus, assim como foi com todos os meus três filhos, antes dela. E como aconteceu com todos eles, me pergunto como posso ter vivido, esse tempo, todo sem ela. Como pode um amor tao grande nascer assim? Brotar do coração da gente de forma tao avassaladora? Eu não sabia que precisava tanto dela! Nem sabia que queria tanto a Laura, minha primeira filha, que nasceu há quase 24 anos, nem o João, nem o Pedro quando os tive nos braços...  que benção é ter esses meninos na minha vida!
É até difícil lembrar de mim antes deles. 
Deixa eu pensar um pouco como eu era...
...
Uma boba! Metidinha a intelectual, falsamente politizada, egoísta, orgulhosa, esnobe e sozinha. Desde que eles nasceram, continuo a mesma, porém, mais lutadora, completa, menos arrogante, mãe enfim. Eles me trouxeram uma completude que me faltava, trouxeram pra mim, a alegria no cuidado com o outro. Deixei de ser uma, de ser eu mesma, pra ser eu mais eles. Somos cinco! 
Louvado seja o Senhor, que me proporcionou ser mãe desses meninos.

Desenho da Laura


"Como é feliz quem teme o Senhor,
quem anda em seus caminhos! Você comerá do fruto do seu trabalho
e será feliz e próspero. Sua mulher será como videira frutífera
em sua casa;
seus filhos serão como brotos de oliveira
ao redor da sua mesa".
Salmos 128:1-3





 

Comentários

Postar um comentário