08/04/2016

Nao faz nada...

Mais um dia totalmente normal comeca. O primeiro som do despertador toca às seis. Levanta. Coloca o lanche do filho na porta do seu quarto e verifica se ele de fato, já levantou. Prepara o café, acorda o filho pequeno. Serve seu cereal com iogurte. Leva o pequeno a escolinha, na volta, compra alguma coisa que falta para o almoco. Quando tem vontade vai ao Pilates, mas quando o almoco é trabalhoso, prefere faltar a tortura da academia. Une o útil ao agradável já que detesta se exercitar. Faz uma oracao, lê um pouco sua Bíblia e comeca as tarefas da casa. Liga o computador, tenta recomecar as transcricoes e revisoes de textos, mas tem que parar constantemente, para colocar a roupa na máquina, ou arrumar o quarto. Volta aos textos, mas para de novo, porque já é hora de comecar a fazer o almoco, já que uma hora da tarde tem que estar pronto, quando a sobrinha e o filho chegam. Termina o almoco, lava toda a louca que usou pra cozinhar. Passa o aspirador na casa toda. Duas horas antes, comeca a tentar acordar a filha, que só dorme tarde, de madrugada, toda noite. Volta aos textos, para de novo, porque alguém toca a campainha, aproveita que está lá e passa um pano no amarelado da porta. Volta pra cozinha, mas para no meio do caminho, porque  o vidro da janela está muito sujo,  a máquina apita que a lavagem acabou. Tira a roupa da máquina, olha para o relógio, tem que pegar o filho na escolinha, e nota que ainda nao almocou. Come rápido, e vai correndo pegar o filho. Mais de uma  hora depois estao em casa, porque antes, pararam pra ele brincar um pouco no parquinho e depois de aulas de biologia, conversas sobre Deus e brincadeiras na rua, chegam em casa, nao antes de passarem no supermercado no meio do caminho pra comprar café, ou um queijo pra mais tarde. Coloca o almoco do pequeno, e volta aos textos. Ele termina de comer, e a cada quinze minutos,  pergunta se pode comer alguma coisa. Levanta, dá um biscoito, uma fruta cortadinha, diminui o áudio da TV onde dinossauros falam alto, responde uma pergunta ou outra dos filhos, tira o pó dos móveis da sala, arruma de novo a cozinha, bate as almofadas do sofá, arrumas as cortinas. Atende o telefone, e aproveita pra ligar e marcar uma consulta pro filho. Volta aos textos, o menino pede pra brincar de futebol. Lá vai ela, brincar de ser goleira. Acha pouco brincar disso e vao tentar derrubar cabecas de borracha sobre colunas de um tal angrybirds. Param de brincar, comeca a fazer o chá às 18 horas para o jantar, prepara tudo, tira pela segunda vez, roupas da máquina, estende-as, guarda a  louca, coloca a suja que se acumula na pia, na máquina novamente, prepara a mesa, chama a gurizada pra jantar, comem, riem, conversam. Olha pela janela, admira o por do sol. Respira... Agora é hora de dar banho no pequeno, vesti-lo, escovar seus dentes, limpar um pouco o boxe do banheiro. Passa um pano no espelho que sempre tem poeira, poe menino pra fazer xixi, veste o pijaminha no menino, e o coloca na cama. Lê pra ele sua Bíblia infantil e o livro dos dinossauros, oram juntos, ele bebe água, pede pra ela ficar no quarto, ela diz que nao, ele pede por favor, ela diz que nao, mas o lembra que sexta feira ele pode dormir com a mamae, até domingo! Ele pergunta quantas vezes tem que dormir pra chegar sexta, ela responde e diz boa noite, sai do quarto. Já pediu que os filhos maiores guardem as coisas do jantar. Dá um beijo no marido que fica vendo TV, coisa que ela detesta, e vai finalmente tomar seu banho, escovar os dentes, e ler suas coisas na cama. Hora taaaaaao boa!
Liga o computador pra tentar dar continuidade aos textos, até que um filho venha  perguntar se tem um docinho guardado no armário, ou onde estao os lencois pra cama, o marido vir contar como foi seu dia, cobrando a lista de compras pro dia seguinte, ou levanta para limpar o bumbum do filhinho que foi ao banheiro e nunca adormece rápido. Neste momento,  olha de relance o cesto de roupa suja lotado de novo, solta um suspiro. Volta para o quarto. Verifica se o despertador está certinho pro dia seginte, onde tudo se repetirá, liga o celular pra ler as últimas notícias e encontra um  comentário de um homem falando que dona de casa nao faz nada... fecha os olhos e vai dormir.

10 comentários:

  1. Misericórdia,
    Me dá o endereço desse senhor que eu vou lá dar uma nova nele.
    Todos os dias são assim mesmo.
    Outro dia escutei que eu tenho vida boa pq não trabalho.
    Eu disse:
    Tu acha isso mesmo?
    Contrata uma cozinheira, passadeira, organizadora, alguém para limpar as casa. Depois disso você pode dizer que tenhovida boa.
    Falou mais nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "vida boa porque nao trabalha" ja perdi as contas de quantas vezes ouvi isso, dani.

      Excluir
  2. Ai que raiva que da desse povo! Aposto que esses caras so devem cocar o saco. humf

    ResponderExcluir
  3. Adoro os programas de TV que "trocam" a vida das pessoas por um dia... A mãe ou dona de casa vai cuidar de si enquanto o marido quase pira em casa com as crianças, ou mesmo da casa.
    Quando a mulher volta, o homem é fiapo de gente, mal se aguenta.
    Algumas poucas pessoas tem a oportunidade de se colocar nos sapatos dos outros. A empatia espontânea é mais rara ainda...
    Todas enfrentamos desafios nas escolhas que fazemos... E acho penoso alguém que desmerece a rotina do outro só porque não se parece com a própria rotina.
    Nina eu admiro tanto mulheres como você que escolhem ficar em casa e oferecer essa casa, esse lar seguro, aos seus.
    Não é só a roupa limpa... É o acolhimento, o pertencimento.
    Bjocks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcinha, meu marido e amigos dizem que sou altamente corajosa, em ir contra o que todo mundo acha certo ;-)

      Excluir
  4. Vim matar a saudade , que bom que te achei. Beijo, Nina.
    Berê

    ResponderExcluir
  5. Berê, Berê, que saudade docê!!!!

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. Tem certeza Camy? Ooooolhaaaa, tem que ser mt "macho"! ;-)

      Excluir