14/06/2015

E quando for a sua vez de ir?

Outro dia vi uma notícia de que um homem que eu nunca tinha ouvido falar, morrera. O caso me era indiferente até entao, até que eu soube logo depois, que ele havia composto cancoes muito famosas, que já foram interpretadas por grandes nomes da música brasileira. Me veio à mente que, se ao invés do compositor, tivesse sido o intérprete a morrer, aí sim, teria sido um choque pra mim. Talvez tal notícia causasse tanta comocao ao país, que os jornais no Brasil falariam disso por semanas, bandeiras seriam hasteadas até metade e quem sabe, um feriado novo fosse criado, na cidadezinha natal da celebridade.
Que estranho pensar  na banalidade da morte e na vida das pessoas simples contrastando com as das famosas. Nao é esquisito fazermos tanta diferenca entre ambas? 

É como quando eu, há muitos anos, assistindo o programa do Faustao, ficava vendo aquela secao do... como é mesmo o nome? Algo como, "esta é a sua vida"! Que é aquela parte tolinha, mas tao humana do programa, em que um artista qualquer fica na frente das câmaras, assistindo amigos e familiares num telao. Programa esse que fazia com que, o personagem malvado da novela, virasse bonzinho. Eu sempre pensava como seria bacana se no lugar de um artista, houvesse uma pessoa comum. Que bonito seria ver alguém simples, que ganha a vida a custo de muita luta, ter uma homenagem daquelas. A chance de rever pessoas, receber carinho, flores, aplausos... 
Quem nunca se imaginou em tal cena?

Mas vida cotidiana e gente normal, nao dao ibope.

Perda de tempo imaginar ter uma vida tao interessante que uma hora dessas seria  entrevistado pela Marília Gabriela. Ridículo ficar criando diálogos, caras e bocas, e frases de efeito, numa conversa franca e cara a cara com paredes, a fim de se sentir preparado quando ficasse famoso e ter algo pra falar pra aquela mulher tao agressivamente inteligente. 
Quem nunca?

O fato, voltando agora, ao tema inicial, é que o nao tao famoso, morreu, escafedeu-se, bateu as botas. O famoso? Está vivo. Mas, até quando? E nós, gente normal, que talvez nunca receba aplausos, nem nunca estaremos cara a cara com Marília Gabriela ou com o Jô, e que tampouco, compusemos lindas cancoes? Até quando a gente vai ficar por aqui? 
Você pensa nisso? Pra onde você vai depois...?

Acho legal, acima de tudo, pensar que mesmo que nao facamos nunca, nada de tao interessante, a ponto de ficarmos famosos, somos muito importante para ALGUÉM.
Certo dia, vi um texto que fala que Deus é um mistério e que é algo muito estranho quando "religiosos" tentam diminui-Lo e prendE-lo em palavras de um livro. O texto estava tao bem elaborado e era poeticamente tao bonito, que fiquei pensando como aquilo pode ser pernicioso e perfeito para afastar pessoas do Deus verdadeiro que cremos.

Seria eu, tao feliz por amar um Deus assim, que nem mesmo O conheco? Que tola eu seria!
O escritor estava errado, porque na verdade, Ele é um "Deus que se revela", como já dizia Agar, a escrava de Sara, mulher de Abraao. E só nao O conhece quem nao quer. 
E Ele te conhece, sabia? 

Deus te conhece e se preocupa contigo. Te deu as pessoas que você ama, te faz levantar toda manha, te dá o sol e a chuva. O ar que você respira, o arco iris, o mar, o tempo... É Ele quem cuida de tudo na sua vida, mesmo que você nao acredite nisso e até pense que pode se colocar contra a Sua atividade. Para Ele você é famoso! Ele aplaude quando você acerta, sorri quando você está feliz e se entristece, quando você chora. Ele é o público ativo, sentado na platéia, olhando tudo o que você faz e torcendo por você. É Ele quem te dá a mao quando você cai, e sussurra no teu ouvido coisas que você nem imagina, só porque você ainda pensa como o poeta, que ele é um Deus misterioso e que se esconde. 

A Bíblia nao é um livrinho de faz de conta. Ela é a palavra de Deus. E é ali que Ele se apresenta. Para você conhecer esse Deus que Agar viu no deserto, basta abri-la. Entao, você vai ver como Ele é bondoso, o contrário do que esse mundo, disfarcado de poetinhas amorosos, louca e perversamente, fala todo dia pra você.

***

Eu espero sinceramente, e com todo o amor do meu coracao, que quando você partir, você tenha a maravilhosa chance de encontrar, amorosamente, com o seu criador. Porque, sim, é bem verdade, Ele é amor, mas também é justica. E a única pessoa famosa que você realmente precisa conhecer...

SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Salmos 139:
SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Sa
SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Salmos

4 comentários:

  1. Nina! Como sempre belas palavras!

    O nome do quadro do Faustão é "Arquivo Confidencial". Sabe por que eu sei? Quando eu era mais nova e assistia esse quadro achava tudo uma falsidade tremenda! Pensava comigo que "se eu fosse famosa" qualquer um ali na minha família diria coisas semelhantes ao que diziam às "celebridades" no quadro, mas não que isso fosse verdade. Era engraçado, mas eu queria ser famosa por um único dia, direto para o Arquivo Confidencial do Faustão só para ouvir palavras carinhosas.

    Realmente receber aplausos do mundo não nos serve de nada. Era muita carência de minha parte. E agora que a morte está assando rasteira na minha família, já me dei conta de tantas coisas. Graças a Deus não temo o meu dia, mas dos meus queridos familiares. Não ligo mais para o que eles dizem ou diriam de mim, só quero que eles sejam salvos para estarmos juntos com o Senhor no Seu grandioso Dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm nao temo o meu dia, Camila, esse medo já se dissipou totalmente, mas como vc, temo pelo meus :-(

      Excluir
  2. Nina,

    Quantos entre nós passam incólumes, mesmo diante dos seus grandes feitos... E quantos entre nós são aplaudidos e reverenciados, mesmo diante de nada terem feito.
    O que me veio a mente quando li seu texto é que o legado maior que fica da nossa própria existência é o quanto de nós permanece entre as pessoas.
    Vou te dar um exemplo bem singelo. Dias atrás encontrei minha ex sogra, e ela disse que ela se lembrou de mim quando viu as flores que plantei no jardim dela florescendo (eram de flores semelhantes as tulipas, ou seja, no período de hibernação só fica o bulbo debaixo da terra. Depois a planta cresce e floresce rapidamente, dando aquele belo susto a quem achou que nada havia no jardim).
    Eu fiquei tão satisfeita de ser lembrada por aquela mulher quando ela viu uma flor (meu legado...) no jardim dela.
    E de flor em flor eu construo o que "vai ficar" quando eu for.
    E lá encima, deve haver um jardim cheio de afetos que já foram e flores.
    Beijos
    Márcia

    ResponderExcluir
  3. Lindo e profundo texto. Um abraço. Heloisa Matias

    ResponderExcluir