24/02/2015

A brilhante Dubai

Hotel burj Al Arab
Nao há muito o que se falar de Dubai. Pelo menos pra mim, que costumo gostar mais de lugares que contam histórias e possuem personalidade antiga. Eu gosto de pedras e ervas que crescem em meio a estas, de castelos medievais, de pontes românticas, de flores nas sacadas, de feiras com velhinhas arrastando seus chinelos e andando entre barracas de flores e legumes. Eu sou antiquada e tenho alma velha e simples. Nao gosto de excessos, de frescurices e sofisticacao. Minha alma confesso, é simples, pobre, burra. 
 
Nao sei lidar com servicais, nao adianta, nao sei ser tratada como princesa. Ali nos Emirados Árabes, tudo é feito pra você, por alguém. Do sentar no restaurante, ao abrir de portas, ao ensacolar compras no supermercado, ao esperar que a moca do carrao abra a porta lentamente, enquanto o motorista humilde do ônibus na rua movimentada a aguarda calado. Nao me agrada os carroes brilhantes, rápidos, esnobes e enormes, que mais parecem monstros prontos a engolir alguém. Nem os prédios tao altos e reluzentes. Tudo ali reluz, as fachadas dos prédios sao quase sempre espelhadas, prontas para nos cegar,  num país em que o sol nunca dá trégua. 
 
 
 A constante e fina poeira senta e em poucos segundos, estará sendo limpa pelos servicais, que nunca sao o povo do país. Eles sao muito ricos pra isso. Todas as babás (coisa raríssima na europa e que só vejo no Brasil) estao por toda a parte com seus olhos puxados ou sua pele negra. Todos os garcons falam num inglês quase que incompreensível. Pensei que a cidade toda estivesse de férias, e que nao houvesse populacao local. Pensei que todo aquele povo de lenco na cabeca, meio esnobe, que nao olha pra ninguém na rua, e que anda como se estivesse em nuvens, fosse estrangeiro, mas nao. É que descobri que os funcionários de restaurantes, hotéis, motoristas de táxis, vendedores, enfim, todos que trabalham, sao asiáticos (há muitos indianos no país) ou africanos, que  nao falam o árabe. 
 
àguas dancantes
 
A populacao entediada na sua riqueza, vai passear e comer fora todos os dias e falam outra que nao seja, a sua língua materna com os funcionários. As criancas aprendem inglês provavelmente errado, com suas babás estrangeiras, antes de ingressarem nas ricas escolas inglesas, comuns no país, onde as criancas ainda vao lindamente uniformizadas. 
 
Foto Radicke
 
É interessante sim, é outro mundo, sim, mas sinto falta de coisas antigas. Sei que o país foi construído sobre areia do deserto e os admiro por isso, mas é assustador pensar que debaixo daquilo tudo há areia. Lembro tanto do versículo que fala quao tolo é o homem que constrói sua casa nao na rocha...
 
Aquário gigante com direito a entrada, dentro do shopping
 
Tudo reluz, tudo brilha, tudo! Tudo é feito pra ostentar, tudo impressiona. Dubai e seus arredores conseguem nos deixar boquiabertos sim. Parecem estar em constante ansiedade para serem os maiores em tudo. Andar procurando coisa do passado num lugar que ofusca tudo com seu brilho extremo em diracao ao futuro, é estranho. Aqui na europa, esbarro com ele, o passado, a cada esquina, lá sou obrigada a  olhar pro futuro em cada prédio que se orgulha de ser mais alto que o outro, por causa de uma agulha na ponta, como bem lembrou minha irma, futura arquiteta e que discute na faculdade as construcoes de Dubai.  Mas é estranho olhar para o futuro, já que sei que o tempo de Deus é hoje.  É estranho ser cristao naquele país. Nao sei deles, mas devem ser pouquíssimos e com certeza, se incomodam com o chamamento estridente em todos os microfones de TODOS os lugares, para oracao, cinco vezes ao dia. Assim como os sinos das igrejas devem incomodar os mulcumanos no ocidente.
 
Ouro pra todo lado
 
A riqueza aparente te cutuca, chega a incomodar. Você fica se achando meio que um lixo em meio a  luxúria árabe. Se sente feia perto dos rostos com turbantes carregadíssimos de maquiagem, das mulheres sempre em preto, totalmente cobertas. Às vezes, até com luvas, às vezes, somente com os olhos a mostra. Sente que está fedendo quando anda pelas enormes e extremamente perfumadas passarelas dos maiores shoppings do mundo, que de tao grandes, tem táxis internos. Tudo cheira a perfume, excessivamente. Tenho a impressao de que eles usam perfumes caros nos baldes misturados a água para esfregar o chao. Se estivesse na minha época ruim, teria vomitado várias vezes e viveria tendo enxaqueca. É muito perfume! 

Fotos: Radicke

Em compensacao, tem a seguranca de saber que ningém vai te roubar. Tem a limpeza dos lugares, os servicos perfeitos de metrô, onde você pode ter certeza, nao encontrará quase nenhum nativo, além do mais limpo e bonito metrô que você já viu. Tem a maravilhosa comida! A quantidade enorme de povo vindo dos paises próximos para trabalhar. Tem os indianos coloridos e sua comida deliciosa em toda a parte. Tem o mar. Um por do sol de cair o queixo. Paras as mulheres que gostam de compras, tem ouro por toda a parte, tem os shopping centers enormes e caros. Tem os souks, construcoes onde sao expostas, à venda, todo tipo de buginganga brilhosa, mas nao sem o nojento barganhar. Tem as mulheres cobertas e esnobes. Tem os homens lindos, que eu adorava ficar olhando de rabo de olho, sempre, enquanto eles passeavam soberbos, com suas barbas muito bem feitas, com seus longos vestidos brancos e turbantes balancando ao pouco vento...

Fotos encontradas na Wikipedia. 


Dubai é assim. Se você gosta de ostentacao e brilho, é uma ótima pedida.

7 comentários:

  1. Santo Dio, de tudo que li fiquei paralisada na cara linda deste árabe branco e de barbas negras! Como são bonitos esses danados, mas não quero nem conhecer, tenho o maior medo desse povo ultimamente. kkk É muito radicalismo pra minha cabeça ocidental, mas como você, admirar pode né?
    Ninoca, que que tú foi fazer em Dubai, menina?!
    É o tipo do lugar incrível, mas que eu só quero conhecer em imagens, gosto mesmo é do velho, da história e da beleza simples de um cipreste bem alto na Toscana. rsss
    Mas, gostei do seu relato, incrível, um país futurista onde a riqueza é que domina a sociedade.
    Muito bom seu texto, Nina, já estava com saudade!
    um super abraço carioca



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bethinha! entao, nunca esteve nos meus planos, mas meu marido veio com essa ideia. Como estamos no inverno, tirar curtas férias num país quente, nunca é uma má ideia, ne? Ele, que é eng. civil, amou tudo!!! sua maquina fotográfica nao parava de clicar aqui e ali, a minha eu quase nao cheguei a usar :-)
      Mas os homens sao lindos mesmo. Eu os achei maravilhosos com suas roupas tipicas brancas, e sao extramamente respeitadores, o contrario de alguns mulcumanos que ja encontrei em outros paises...

      Excluir
  2. Ainda bem que encontrei você, Nina que fez um relato espetacular saído de sua alma e coração! Ainda bem que li isso, verdades essas que ninguém fala!. Eu também tenho a alma velha. Agora, lembrarme-ei sempre de ti quando eu topar com alguma imagem dai ou escutar alguém dizer das maravilhas desse lugar! Foi muito bom estar aqui! Beijos e grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Luiza, obrigada. Mas olha, hmm, nao sei,ha quem goste, ne? Conheci um senhor brasileiro lá que me disse ir todo ano, ele comentou que há um voo, acho que de Sao Paulo, direto pra Dubai,ne? nao sei...bom, é como eu disse, pra quem gosta de cidade grande, cheia de arranhao ceu, luxo, mts shoppings e perfume, é o lugar adequado ;-)

      Um beijo querida!

      Excluir
  3. Nina, nunca li algo sobre Dubai que me fizesse estar la, foi essa a sensacao que tive com sua descricao do lugar. Tenho vontade de ir la, pela experiencia, por ser um lugar que com certeza nao existe em outro lugar do mundo (como todos os outros! HAHAHA), mas voce me entende... em nenhum lugar vai se ter tanto luxo e modernidade, la e a referencia para isso tudo, e o que penso. Vontade de morar la nao tenho, prefiro mais a Europa. =) Ah, as fotos ficaram lindas!
    Beijo grande maninha

    ResponderExcluir
  4. Eita Ninoca linduca, tá andando mais que notícia boa... que maravilha!
    Sua postagem me dá o sentimento que você realmente se encontrou na Alemanha. Aliás, disso nós já sabemos há tempos... Mas sua escrita revela que, no seu olhar - e coração, há tanto daquele velho continente que as discrepâncias (ou seriam anomalias?) do mundo árabe soam... Bem... Elas devem soar bem bregas pra você.
    Foi bacana passear por Dubai contigo... Não conheço essas bandas... Mas tenho curiosidade... Eles levam arquitetos do mundo inteiro para imprimir marcas nos céus... deve ser interessante.
    Mas voltando ao velho continente... Ele será o destino da nossa lua de Mel. Eu escrevi numa postagem sua sobre Roma que aquela cidade eu estava guardando para conhecer ao lado do meu esposo... E assim será :)
    Beijos amiga!
    Márcia

    ResponderExcluir
  5. Ninoooocaaaa...
    Olha eu aqui matando a saudade de voceee!
    Sabe que hoje eu assisti um vídeo onde o pai da moca dizia que faltava algo. Na mesma hora eu pude descrever os sentimentos dele. É o mesmo que eu sinto e você. Para ir a um lugar esse lugar deve me contar algo. Ele tem que me fazer sentir saudade de coisas que eu nunca vi na vida.
    Mesmo assim, também adorei viajar contigo.
    Te adooooroooooo!

    ResponderExcluir