10/10/2014

Encontro em Paris

O apartamento era tao pequeno que mal podíamos nos movimentar. Vira a mala pra lá, abre a outra mala pra cá. Os dinossauros de brinquedo do menino e os sapatos naquele canto. Na mala algumas pecas que nem foram tocadas. - Pra que tudo isso? perguntou ele quando viu a mala aberta. - Ahh caríssimo, estamos em Paris! respondi. - E você precisa mesmo de três cachecóis pra tao poucos dias? - Claro menino! Um pra cada dois looks! Respondo pensando que talvez tenha trazido pouco. - Ah, mas posso comprar um ou dois no caminho pra cidade, mas pensando bem, estou precisando de sapatos**.Vou comprar em Paris, porque aqui a numeracao é menor que na Alemanha das agigantadas. No dia seguinte, o despertador toca, mas já estou acordada a mais de meia hora. No banheiro pequeno, passo uma camada de maquiagem, repasso, apago tudo, passo de novo. Arrumo o cabelo como posso. Nao posso! Sorrio pro espelho nervosa. Está quase na hora.  Tomo café aos pulos no saguao do hotel que nao é tao pequeno assim aqui fora. Marido volta ao quarto, menino brinca no hall. Na porta, silhuetas. Reconheco-os. Eles chegaram! Cadê marido que resolve ir ao banheiro a essa hora? Era eu quem deveria estar lá! Passo pela porta tipo giratória que travou por fora. O vento levemente frio me acorda. Abraco os dois. Um deles***, bem apertado e demorado, exatamente como o havia avisado. Pra ele nao se assustar. Abraco todo mundo! Como é bom abracar quem a gente tem carinho!  Recebo minha Bíblia que pedi que ele trouxesse pra mim. E ainda cobro uma dedicatória. Bichinha abusada, deve ter pensado ele e logo depois  me pergunta como posso viver num país frio como a Alemanha sendo eu tao esfusiante assim. Coitados dos alemaes, ainda nao havia pensado nisso.

Vamos ao encontro de outras duas irmas em Cristo. *Irmaos em Cristo, somos todos nós que temos como Deus nosso Pai. Ou seja, todo aquele que confessa que Jesus é seu Senhor e Salvador. Antes eu achava o cúmulo da breguice ouvir alguém chamar outro alguém de irmao, hoje, é uma das palavras mais ternas que pronuncio :-)   

Elas já estavam irritadas com nossa demora. É que chegamos quase quarenta minutos atrasados. Pegamos o metrô errado. Erramos de trem, de direcao, saimos da zona permitida por nossos tickets e fomos achados por uma gentil funcionária que nos mostrou o caminho correto e ainda nos fez passar por uma porta nao autorizada, gratuitamente. Só assim conseguiríamos pegar o próximo que já estava vindo. 

As meninas logo foram vistas, nao antes da torre, claro. Logo reconhecida por meu menino no carrinho de bebê. Elas atravessavam a rua com sua camiseta vermelha e pernas verdes. Lá estavam elas, sorrindo pela primeira vez, na minha frente. Já as conhecia "de internet". Uma delas, amiga-irma querida de facebook, que mora em Berlim, a outra, linda de Curitiba. Ambas abracadas pela "pequena-monstra-agarradora-de-irmaos como se fossem, amigas de infância. Fomos tomar um  café. Fotografamos, rimos. Ele nao parava de fazer gracinhas, nos fazendo rir a cada palavra. Seu menino, já um homem, ria antecipadamente daquilo que sabia ser uma piada mais que conhecida que o pai deve contar a cada encontro, mas que com sua discricao e respeito, me deixou emocionada. Como seria bom se todos os filhos tivessem um pouco desse bonito menino...
Fomos encontrar o outro bocado de irmaos. Duas jovens famílias com duas criancas alegres, que moram na Itália e Paris. Outro encontro bonito de gente que na verdade, nao tem muito a ver, mas que tem em Deus a comunhao necessária. Deus que une pessoas extremamente diferentes e que as fazem entender a palavra irmao de um modo tao sublime. É algo como, vermos através de... Esperamos outras duas queridas que congregam no Brasil e estávamos finalmente, em nosso grupo completo.  

E assim comecou nossa pequena história em Paris. Nosso abencoado encontro. Lemos juntos a Palavra de Deus. Ouvimos e falamos sobre algumas de nossas dúvidas. Rimos e nos emocionamos juntos. Vimos o brilho no olho de cada um ali presente. Vimos e quase apalpamos a alegria de cada um por ter esse privilégio, nao de estar em Paris, mas por poder sentir-se filho de Deus e irmaos uns dos outros. Vendo o poder que tem essa Palavra Viva que parece a cada leitura, ter uma nova conotacao. Porque a cada leitura, parece Deus falando de forma diferente e pessoal com cada um de nós. Pedro, meu filhinho, entrou na esfera crista, foi batizado num batismo de família, já que nao vemos criancas sendo batizadas na Bíblia. Eu parti o pao no domingo, pela primeira vez à Mesa do Senhor e senti nesse dia, no Dia do Senhor, umas das maiores emocoes da minha vida. Lembrar da morte do Senhor, assim como Ele pediu que fizéssemos, numa cerimônia singela, sem ricos aparatos, sem bandas, sem púlpito, sem "pastores", somente com o Senhor no centro, enfim, é algo maravilhoso e indescritível.

Mais dois dias se passaram. Queríamos todos ficar juntos o tempo inteiro. Ninguém queria largar ninguém. Nós principalmente, que moramos aqui, tao longe dos irmaos no Brasil, com tao pouco contato com aqueles que congregam somente ao Nome do Senhor. Rara e muito rica a experiência que vivemos.
Por isso Paris ficará por muito tempo ainda gravada na memória.

"Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união". Salmo 133

* * *

"A minha irma em Cristo Nina, com carinho e alegria por ver o que o Senhor tem feito em sua vida". Dedicatória na minha Bíblia. É isso. Que lindo! Ele acertou.
*** Ele é o Mario Persona. Palestrante, escritor e o cara do "O Evangelho em 3 minutos".

** Primeira viagem que faco na vida em que nao comprei absolutamente NADA.Nem cachecol, nem sapatos, nadinha!

6 comentários:

  1. o engracado é que apesar do numero de cachecol na mala, nao usei nenhum! e ainda acabei usando emprestado e no fim, ganhando, um da Bel, que nao é nada friorenta.. ahahaha, que maluca!

    ResponderExcluir
  2. Sempre maravilhoso ler suas experiencias! Um verdadeiro deleite. Um abraco bem forte, minha maninha!

    ResponderExcluir
  3. Querida Nina, pelo visto encontrou de vez a felicidade, a paz que você sempre falava buscar.
    Um encontro pra lá de bacana na cidade luz e que uniu os corações daqueles que, na distância de seus países de origem, sentem esta necessidade premente de se unirem como irmãos. Eu entendo tudo isso e lhe desejo sorte e muitas alegrias neste novo caminho que tomastes.
    umbeijinho carioca


    ResponderExcluir
  4. Seus textos são lindos!
    Que o Soberano Senhor continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada queridas Rubia e Sandra.

    Sempre amo te ver aqui maninha Chris!

    Encontrei Beth, fui encontrada aliás, pela *Alegria. Minha busca terminou!

    Aliás vcs conhecem uma frase que diz assim: "Os cristaos nao tem alegria, é a *Alegria que tem os cristaos" :-)

    ResponderExcluir