21/01/2014

Como Deus mudou a minha relacao com meu filho

Nao gosto de testemunhos em igrejas. Eles parecem ser como um novo produto no mercado onde se vende o que Deus pode oferecer. E aquele que testemunha, aumenta seu orgulho próprio.  Vangloriando-se a si  mesmo e nao a quem merece todo o louvor e mérito.
Mas se um pequeno testemunho fizer  nem que seja uma alma confiar um pouco mais no Senhor, estou disposta a contar uma historinha hoje:

* * *
Quem me conhece aqui do blog sabe que sempre tive muitos problemas com meu filho adolescente. Se  nao sabe, basta olhar alguns posts anteriores pra ver a confusao que meu menino me tem feito viver. Ele é uma boa pessoa, de coracao bom, mas desde que entrou na puberdade, isso há uns seis anos, tem sido o responsável pela incrivelmente rápida evolucao dos meus cabelos brancos. Ele nunca fez realmente nada de grave, gracas a Deus, mas cometeu sim,  pequenos delitos como má educacao, enorme falta de respeito, gritos, muitas mentiras, faltas na escola, notas baixíssimas, desrespeito aos professores, impontualidade, enfim, coisas bastante normais, mas que deixam qualquer mae despreparada para a adolescência, pirada - apesar de que acredito que ninguém pode se dizer, realmente preparado para a adolescência de um filho. 
Pois bem. 

Essas coisas que ele vinha fazendo, sempre me tiraram extremamente do sério. 
Houve muitos momentos, em que eu gritava feito louca, voava pra cima do menino, atirando nele o que tivesse por perto, batendo com punhos cerrados nos seus ombros, porque as coisas que vinham dele  me alcancavam sobremaneira! Eu sou uma mae muito preocupada, devo falar pra ti. Como faco quase tudo de forma muito correta, me dói muito ver que um filho meu, faz tudo ao contrário do que eu, tao esforcada em ser boa mae e bom exemplo, ensino. Eu sei, nao precisa me olhar com essa cara feia. Tenho consciência de que isso nao é certo! Mas pensa comigo, cabecao: dá pra ouvir tranquilamente da professora, que menino tirou zero numa prova porque resolveu sair da escola mais cedo ou faltou um dia inteiro pra fazer compras ou simplesmente perambular em outra cidade?! E isso é só uma parte do que já me fez voar pra cima dele como uma galinha soltando penas e cacarejando feito uma doida pra toda a vizinhanca ouvir. 

Mas eis que Jesus entrou em mim. E gracas a essa bencao de menino!

Sim, foi ele quem me fez procurar Deus! Será que você se lembra que foi ele quem me deixou super preocupada quando me acordou uma madrugada de maio, do ano passado, falando que estava pensando muito na morte?  E que eu corri pra uma amiga que me ofereceu um livro espírita? E foi aí, lendo esse livro,  que notei que nao era isso o que EU  queria acreditar. E foi um dia após ter escrito sobre isso aqui, neste blog, que pedi pra Deus vir morar em mim. E Ele veio!

Minha vida continuava a mesma, com uma leve mudanca interna. Devagar eu ia me dando conta desse Deus em mim. Muito quieta, ia descobrindo cada dia um pouquinho desse Senhor maravilhoso. Entao, viajei ao Brasil. Meu filho ficou aqui. Ficava sabendo de lá, pela irma dele, que algumas coisas continuavam na mesma. Mas como estava longe, me permitia, viver uns momentos de paz e despreocupacao. 
Foi entao que as férias acabaram e voltei pra casa. Ao chegar, caiu tudo em dobro, sobre minha cabeca. O menino tinha aprontado todas na escola e terminou o ano letivo que aqui termina em julho, com as piores notas de toda  a sua vida escolar. E por pouco, nao foi expulso da escola!

E aí? Você acha que a depenada aqui voou pra cima dele e deu umas boas bicadas?
Nao amiguinho, eu me ajoelhei onde estava, e pedi clamando a Deus, usando essas palavras:

Meu Deus e meu Pai, eu nao posso mais! Nao aguento, nao tenho mais forca. Cansei de ser eu, o centro de mim mesma. Nada que faco com relacao ao meu filho, tem dado certo. Nao quero mais mandar em mim, por favor Senhor, venha, faca morada definitiva e seja o centro da minha vida!


Ou seja, meu filho, pela segunda vez, me aproximou de Deus!

Passados alguns dias, menininho me deixou de novo nervosa. Me estressei porque ainda sou, infelizmente, carne. À noite, na hora da oracao, pensei falar com Deus: Meu Pai, é que esse menino me estressa tanto... pensei, mas nao falei. Na verdade, o que saiu da minha boca foi: meu Pai, é que esse menino me estressava tanto! 

No mesmo instante senti que Deus mudou as palavras que proferi.

Esse fato  ocorreu em fins de agosto.

E entao, estamos aqui hoje. Minha filha quase mulher, meu filho pequeno, meu adolescente, meu marido. Nossa casinha e nossas coisas. Nao temos bichos. Nao posso falar, cachorros, piriquitos e papagaios... Mas estamos aqui, minha família amada, Deus e eu, uma pessoa mais calma, pelo menos, com meu ex-adolescente rebelde ;-)   

Sabe quando foi a última vez que me estressei como meu menino?  No fim de agosto!
Foi ele quem mudou? Talvez. Mas, Deus mudou a mim!

Passei a ser a mae tranquila que meu menino sempre quis ter. Aprendi a ouvir mais meu filho, antes, só eu falava! O abraco cada vez mais. Já fazíamos isso antes, mas hoje em dia, vivemos grudadinhos um no outro. Ele nunca mais aumentou a voz comigo. Pede desculpa quando erra e eu faco o mesmo. Mostro claramente que estou com ele para o que der e vier. Antes, dizia isso mas ele nao acreditava em mim, porque o outro dia, eu estaria lá aos gritos, com ele. Hoje em dia, ele sabe que estou sendo sincera. E ele me procura de vez em quando pra orarmos juntos de maos dadas, como fazíamos como quando ele era pequenininho.  

Entao? Vale ou nao vale a pena, entregar a vida a um Deus assim?

12 comentários:

  1. Nina me tornei mãe há 8 meses.
    antes disso já cultivava um relacionamento com Deus.Mas passei e entender melhor a dinâmica de Deus-Nosso-Pai depois que me tornei mãe, que pude perceber o grande amor que temos por um filho,e o grande amor de Deus por nós.
    Ler suas experiencias com os filhos me ajuda a preparar para o que virá, e com a certeza de quem com Deus as coisas se tornam mais suaves, o fardo fica mais leve e a vida mais serena.
    É o que tenho buscado também.
    Beijos.Um dia cheio de Deus pra vc!

    ResponderExcluir
  2. Ei Nina! Isso é bem coisa de mãe! A gente é que tem que ir até eles. Sempre foi assim. Essa idade é mesmo trabalhosa, mas com o teu apoio, passa. São os hormônios, bem-nhê. Fazem uma confusão dentro deles que nos atinge cá fora.

    beijos de mãe pitangueira

    ResponderExcluir
  3. Nina, ando "emocionável", mais do que o normal, e seus posts sempre me levam a refletir. Como já lhe disse, eu sempre fui muito de Deus, tive-O sempre a meu lado, para mim foi natural. Frequentava igreja (sou católica), jamais pensei em faltar à missa, o que se complicou quando tive os filhos pois levar criança à missa é meio inviável. Fui me afastando, os domingos passaram a ser "apenas" o dia da família e minha vida continuou boa, com Ele sempre presente. Aos poucos fui entendendo que não precisava de cultos nem de lugar especial para estar com Ele. Tive um novo olhar para a religião, isto já chegada quase nos 40 anos de idade.
    Nunca tive problemas com meus filhos, em estudos, nem com namoros, etc. Passaram pela adolescência incólumes, agora sei que pela graça de Deus mesmo. Claro que eu e o pai deles ficamos atentos o tempo todo, sempre fui muito rígida, mais do que o pai, e sempre falei muito, mesmo que não dialogando, mas fazendo meus "sermões" pra eles... (Sermões no sentido de falar demais, recomendar demais, não propriamente os sermões bíblicos).
    O fato é que tudo correu bem e sempre falo que fui abençoada pelos filhos que tenho, pois ainda que com meus esforços, em primeiro lugar tenho consciência de que Deus os deu a mim já preparadinhos para serem pessoas do bem.
    Seu menino ainda lhe dará muitas alegrias, acredite. E, nada melhor do que uma mãe que "enxerga" seus filhos.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Que lindo Nina!
    Até me emocionei!

    E que os dias sejam sempre mais calmos!

    Um beijo grande!

    ResponderExcluir
  5. Nina, que saudade de você e de sua sabedoria simples e forte. Lara não é adolescente ainda, mas já tem me dado alguns problemas na escola. O que me faz temer mais ainda a adolescência. Já conversei com a diretora, professora, coordenadora, psicóloga e todas me disseram a mesma coisa: Ela é muito inteligente, líder e pró-ativa, suas notas são excelentes e ela se destaca em tudo que lhe é proposto, mas não aceita ordens sem uma explicação, ela não é massa de manobra (Graças a Deus!), o que me aconselharam foi a ensiná-la a respeitar também a opinião dos outros e aceitar que ela não manda em todo mundo (aliás, nem nela mesma.rs, quem manda sou eu!). Agora converso horas com ela, assistimos a documentários sobre o assunto juntas, a coloquei na aula de violão, sem contar que ela lê muito (um livrinho por dia) e escreve também em seu diário. Ela esta mais amorosa, escreve bilhetinhos pra todo mundo, inclusive bilhetinhos de desculpas quando apronta alguma. Enfim, já estou começando agora a me preparar para a adolescência dela e conquistando cada vez mais a confiança e o respeito dela. Bom saber que você esta superando a fase do seu filho, é difícil, mas é possível, afinal de contas somos mães que amam demais seus filhos e queremos que eles sejam as melhores pessoas do mundo! Bom te ler de novo, Nina! Muuuuuita saudade de você!

    ResponderExcluir
  6. Com Deus Kalita, agora eu sei, tudo fica nao mais fácil, mas mt mais bem "suportável". E vc é uma mae super querida que soube bem esperar o tempo de Deus pra ter essa dádiva linda nas maos.

    Sim, Pitanguinha, é coisa de adolescentes, e eu sempre soube disso e me preparei mt pra encarar o que viria, mas todas as leituras, programacoes, cursos e ate "terapias" que fiz, nao me ajudaram a lidar com meu filho. Só Deus foi capaz de fazer essa mudanca em mim.

    Lucia, o teu comentario me emocionou. É uma bencao ter bons filhos.
    Nao quero dar a impressao de que tinha um filho complicado demais, porque ele nao era ou é. sei o qt ele é um ótimo ser humano, a complicada e dificil de aceitar as coisas como elas estavam, era eu. nao ele. Ele cometeu falhas, mas estava tao despreparado qt eu. Qt a igreja,eu nao frequento nenhuma. Penso como vc, nao precisamos delas. Precisamos ter é um encontro real e verdadeiro com O Senhor.

    Dani, ler isso vindo de vc, me deixa feliz ;-)

    Marcia querida, sua pequena princesa é mt inteligente mesmo e Laura, minha filha era assim qd pequena. Ela nem era capaz de decorar textos na escola, que tinha que falar em voz alta se nao entendessse tintim por tintim o que o texto queria dizer. E nao aceitava castigo se nao fosse explicado direitinho as razoes de lhe estarem sendo impostos. Mas Laura, como vc bem sabe, se tornou uma maravilhosa adolescente. Entao, nao bata tanto a cabeca. Eu se fosse vc, já pedia ajuda de Deus desde agora ;-)

    Bjs no coracao de cada um!

    ResponderExcluir
  7. Que b om Nina que encontrou o seu eixo e pode ter paz para superar este momento delicado que é a adolescência dos filhos. Que a paz de Deus permaneça e lhe permita encontrar o melhor de cada um deles.
    bjs Saudades

    ResponderExcluir
  8. Oi Nina, a adolescência é uma fase difícil e que bom que você encontrou a calma e o caminho de se aproximar do seu filho.
    Amei o seu depoimento e a forma como você se permitiu que Deus entrasse em você.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ninoca, que relato lindo este que nos conta!
    Realmente, vale a pena falar com Deus, dizer diretamente a Ele o que nos atormenta e ter fé, esperar como você fez e a resposta vem assim, na paz da alma e no entendimento sobre as coisas.
    Filhos adolescentes, em geral, dão trabalho, precisam de atenção, precisam de oração da mãe todas as noites. E eu faço isso até hoje pelo meu filho, sei que sou a única a fazer isso por ele, talvez a avó também, mas sua memória cada dia é mais escassa, porém eu faço sempre, ergo meus pensamentos a Deus e peço, aliás só peço isso, que proteja e ilumine meu filho, o resto entrego nas mãos de Deus e Ele sempre fará o melhor.
    Adorei!
    beijinhos cariocas


    ResponderExcluir
  10. Fico feliz por voce Nina, e por ele tambem! Com certeza e uma fase, e passageiro, mas o tempo da fase trouxeram boas mudancas. Deus age de maneiras que nao entendemos, mas tudo e para um progresso.
    E oia: E normal ser doida! :)

    Um beijo bem carinhoso para ti

    ResponderExcluir
  11. Nina
    Que maravilha!
    Voce tem razão!
    A gente precisa de pedir oraçoes pra nós também.
    Muitas vezes quem precisa de mudar somos nós.
    Seu filho estava as vezes chamando a atençao para que voce reagisse.
    Fico muito feliz com esta harmonia. Entre vopce e seu filho
    entre voce e Deus
    Eu também quero pra minm
    vou começar a rezar por mim!
    comc arinho Monica

    ResponderExcluir
  12. Andei fazendo tanta coisa que me esqueci de vir aqui ;(
    Massssss, hoje me lembrei de ti e foi lindo ;) ao ler o post sobre Deus era a mesma coisa que ler a minha vida ;)
    Incrível que demos tantas voltas pra voltar ao começo: Cristo Jesus!!!
    Estou correndinho agora mas o que me ajudou muito a conquistar as filhas foi o pastor Lucinho Barreto. Ele fala muito bem para os jovens. Eu escutava mais alto um pouco e elas acabavam ouvindo e gostando.
    Pra mim, encontrei um maravilhoso Eber Rodrigues! Tem o site Ouvir e Crer e lá tem audios e o Eber. Você vai amar!!!!!!
    Bj grande!!
    Olivia

    ResponderExcluir