09/04/2013

Medo de mudanca? Eu nao!

Ontem tava lendo algumas coisas no facebook e parei num texto da Martha Medeiros que fala de aceitacao de mudancas e desapego de coisas, que sao coisas. Sabe? Coisas apenas. Ela fala sobre a época que morou no Chile, eu acho, e teve que vender tudo o que tinha pra voltar ao Brasil. Pra ela aquilo foi ótimo, pra outras pessoas, ela dizia, se desapegar de coisas que sao só coisas, dói mais. Nao tem como a gente nao fazer um paralelo sobre nós mesmas nao é? Como é com você? Tem medo de mudancas?  Sabe se dasapegar daquilo que nao é assim, tao importante?

Nossa, eu sou o ser mais desapegado de coisas que conheco até agora e adoro mudancas. Adoro viajar pra lugares desconhecidos, adoro mudar de casa (amo mesmo!!!), quando menina, gostava de mudar de classe na escola e de escola - como morávamos em casas alugadas, mudávamos praticamente de dois em dois anos  porque as casas acompanhavam o salário do marido da minha mae, e nisso, mudávamos também de escola. Adorava  ver novos ambientes, novos caminhos no ônibus, novos professores, novos colegas de classe, novas leis e ordens... adoro mudar de cidade, de emprego. Incrível! Pra certas mudancas nao tenho medo algum. Sou um coracao vagabundo, como dizem os alemaes. Ou meio cigana. Mudo tudo em casa, p ex. Nao consigo ficar do mesmo jeito por muito tempo. Engracado pensar nisso porque eu apesar de gostar muito de cuidar da casa, arrumar, comprar coisas, enfim, nao tenho receio de perder, ou de dar, de trocar, de sujar, de quebrar... Se tiver que mudar de casa, de cidade, de país, consigo me desfazer de tudo e partir pra uma nova fase sem derramar uma lagriminha sequer. Porque, poxa, afinal sao só coisas, nao é mesmo?

Enquanto lia o texto da Martha, pensava em algumas pessoas que conheço. Essas pessoas tem coisas bem antigas, móveis que duram anos e anos (bota aí uns 40 anos, no mínimo), roupas de cama e  mesa que tem a mesma cara que 30 anos atrás, louças de 50 anos. Sabe? Eu acho isso incrível, admiro as pessoas que conseguem manter suas coisas assim e tal, mas você nao acha que tem gente que esquece que essas sao apenas "coisas"? Outro dia soube que meu marido quando pequeno, tinha que ficar sentado à mesa com as maos levantadas pro alto, porque nao podia manchar a toalha da mesa enquanto esperava o próximo prato chegar. Seus pais eram meio paranóicos com limpeza. A avó do meu marido falou triste que se arrepende muito por nao ter dito algo naquela época, contra a tirania de limpeza na casa....

Sei lá. Olha. Nessas horas só penso na minha mae: ela sempre nos ensinou a usar tudo o que temos. Mamae dizia que as coisas ficam e a gente vai. Acho minha mae a pessoa mais inteligente emocionalmente que conheco. É ela uma das minhas maiores inspiracoes de forca e coragem.  

A foto no meio do texto, mostra minha última mudanca. Olha a parede cinza... to amando!


E nesta foto acima, outro exemplo de mudanca constante aqui em casa: 
cozinho todo dia uma coisinha nova.
Afinal, pra que ter tanto livro de receita se nao usamos?
To falando que minha mae é sábia...


13 comentários:

  1. Nina também adoro mudança e não tenho medo delas. Mas vou te confessar que queria ser um tiquinho mais apegada. Até hoje me arrependo de um relógio cuco que deixei voar sem nenhum apego, hoje me arrependo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina
    Sabe que é verdade, nunca guardo nada, coloco tudo no uso. Acho que foi trauma por causa da minha mãe, que guardava as coisas novas e só usava velharia, não consigo entender...
    Lindo post e bem interessante também...
    Vim te convidar para participar do Clube da Carta Blogueiro, garanto que será divertido, sem contar que vamos fazer muitas amizades na blogosfera...
    Um grande bjo
    Blog Pesquei na Net

    ResponderExcluir
  3. Comigo, nem tanto ao mar nem tanto à terra, Nina.Não tenho muito apego às coisas, mas sim, às pessoas, aos lugares, às vivências boas.Demoro um pouco pra digerir uma mudança, mas não entro em sofrimento profundo, não.Levanto a poeira e sigo em frente.Tenho até uma história de vida sobre isto: quando viemos de BSB pra cá, eu estava tão envolvida nas arrumações da vida de todos da casa( colégios e faculdades dos filhos, etc)que levei uns três meses nesta roda viva achando que a saudade estava abrandando dia-a-dia, até que fui a um show musical do Oswaldo Montenegro, cantor brasiliense,quando ele começou a cantar a música que fala das ruas de Brasília, comecei a chorar copiosamente dentro do teatro, sem conseguir parar.Saí de lá com a cara inchada, rsrsrsrs
    Gostei do papo.Valeu!
    Bjkas e ótima semana.
    Calu

    ResponderExcluir
  4. Hahaha... Minha mãe guarda calcinhas e camisolas novas para o hospital e a louça bonita para as visitas. Eu ao contrario, uso meu faqueiro novo e minha louça mais chic porque eu mereço.
    Também adoro conhecer lugares distantes, provar sabores exoticos, ousar nas roupas, passear na chuva.
    Queria mudar de casa, de estado, de pais.Acho que por isso estou no 3° casamento, hein?

    ResponderExcluir
  5. O comentario acima foi feito por mim, K e não pela Valon, ta Nina?

    ResponderExcluir

  6. Oi querida,

    Às vezes as mudanças são necessárias, mas nem sempre estamos preparados para encará-las.

    Bjs, fique com Deus!

    ResponderExcluir
  7. Oi Nina! Você é mesmo incrível!!
    A princípio também admiro pessoas que guardam coisas antigas a sete chaves e só as usam em ocasiões especiais. Só que quando visito essas pessoas fico morrendo de medo de estragar algo tao antigo e importante. E aí simplesmente nao dá pra relaxar e se divertir.
    Tento nao ter medo de mudancas, pois acho que devemos ser flexíveis e abertos às coisas novas nas nossas vidas. Também vivo tendo novas ideias e mudando coisas. Além disto também já mudamos de casa várias vezes. É sempre um novo desafio e uma nova "Lebensabschnitt".
    As boas memórias e lembrancas ficam no coracao e na cabeca; nao preciso necessariamente ter as lembrancas de forma material.
    Já faz algum tempo que tento ficar mais "leve" em relacao às minhas coisas, pois a verdade pura é o que você escreveu; um dia a gente vai e as coisas ficam.
    Também acho bem legal comprar coisas em "Flohmarkt" e "Second Hand". Assim como levar coisas que nao preciso mais prum lugar desses.
    Acho que antes de se comprar algo a gente deve dar algo que nao precise mais. Pra que ficar guardando tudo? É só poeira...
    Também acho muito legal se trocar coisas com as pessoas ou simplesmente dividi-las com outros.
    Assim várias pessoas podem tirar proveito de algo.
    Beijocas,
    Claudinha

    ResponderExcluir
  8. Eu sou uma pessoa de grandes mudanças. E tu já pode imaginar pelo que me conhece. Várias vezes na minha vida eu tive que começar do zero. Mas não sei definir se gosto de mudanças ou apenas não tenho medo delas quando preciso mudar. Acho que a segunda opção me defini mais, porque não sou daquelas que vive procurando mudanças, mas sempre que uma situação tá desconfortável, ou algo me enjoa e preciso mudar, faço sem dó... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  9. Hey Ana, pois é, isso de se arrepender tbm faz parte do excesso de desapego que temos, eu tbm sou assim, claro, mas nao costumo dar mt bola pra esse sentimento. Uma coisa se foi, outra coisa boa certamente virá!

    Oi Carmen, a gente tbm tem a tendencia de ser diferente de como nossos pais foram, em certas coisas, eu tbm sou mt diferente da mamae :-) Ah vou participar sim!

    Calu, eu falo mais das "coisas" mesmo, com pessoas e alguns lugares o negocio é bem mais complicado. P ex, eu ficaria trsite se tivesse que mudar de onde moro, Eu amo minha cidadezinha. E até hoje sinto falta de umas amigas que ficaram no Brasil, mas nao posso fazer nada, sabe? tenho que aceitar a distancia que eu impus a nós, mesmo que doa. Mas certo é que o amor e apego ao lugar de onde viemos, existirá sempre em nós, é como uma chama que de vez em qd, alguém vai fazer reacender. Comigo assim como foi contigo, voltar a esse lugar das nossas origens, é mt fácil qd ouco musica. E aí eu tbm choro :-(

    Ai K, ahaha, que horror...
    terceiro casamento ne? caramba!! entao homens tbm entram na lista do que nós nao nos apegamos demais :-)

    Eu acho, Juli que cada pessoa é claro, vai reagir de uma maneira, cada qual no seu cada qual ne amiga? Eu conheco uma menina que tem mais de 30 anos e nunca mudou de casa (ela vive na mesma desde que nasceu). Eu acho super legal! sempre quis saber onde eu vivi qd bebe, mas nada mais existe, e isso, esse desapego as tradicoes no AM me deixa triste p ex.. Mas voltando a moca, ela morre de medo de mudancas. Nao viaja p ex, porque acha que nao vai conseguir dar um passo num lugar diferente. Ou conheco uma outra que nunca usa as loucas bonitas que tem em casa, guardadas, porque diz que é pra ocasioes especiais, ocasioes essas que só acontecem uma vez ao ano e olha la, as vezes nem isso.. é isso que me angustia em algumas pessoas, ela parecem viver ou do passado ou esperando o futuro que parece, nunca vai chegar.. eu heim!

    Claudinha, vc sim é o maximo! tu sabe que sou tu fä. Ahhhhh amo Flohmarkt!! amoooo!!! a gente tem que ir naquele que a Bela sempre vai. Vamos?

    Dama, tu és a super-rainha-corajosa-das-mudancas. Tu és um exemplo digno de forca e coragem. Ah pois é, eu tbm acho que as vezes, é mais aceitar que tem que mudar, do que gostar da ideia. Pra mt gente é assim. Bom, eu sou as duas coisas :-)

    Bjs gente querida! Qd arrumar um tempinho vou visitar os blogs docês, ta?

    ResponderExcluir

  10. Entendo amiga, estava me referindo as mudanças de fato... as viagens, ahh as viagens é impossível não gostarmos, amarmos, olha pra mim está em primeiro lugar das melhores coisas dessa vida...

    p.s.: estou no corre corre de ver as coisas para a nova casa, rs.

    Bjs querida, desejo um ótimo dia, fique com Deus!

    ResponderExcluir
  11. Nina, eu fui criada assim como você, feito cigana, não passávamos muito tempo em um canto, estávamos sempre nos mudando e isso me ajudou muito a aceitar as mudanças em minha vida. Eu particularmente, valorizo muito as coisas que eu tenho (mesmo as materiais), cuido como se nunca pudesse existir outra igual, mas isso não me impede de abrir mão quando necessário (só gosto das coisas bem cuidadas e consequentemente elas duram mais). Mas, tem gente que esse cuidado está mesmo ligado ao medo de perder, a minha avó, por exemplo, tem flores de tecido que foram do casamento dela (ela tem 75 anos e casou com 15 - imagina!) e muitas outras coisas que ela não consegue de maneira alguma se desfazer. Coisas demais e que não fluem na nossa vida acabam acumulando aquela energia entulhando também a vida da gente. Mas o desapego é algo para ser exercitado, só assim não teremos medo do novo.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Desapego não é fácil tendo em vista quee somos seres de hábitos. Contudo, já passei por experiências que me ajudaram neste sentido.
    Ainda não a encontrei no face.
    bjs

    ResponderExcluir
  13. Nina sabe qual é meu sonho?
    É você abrir um página no youtube com videos seus ensinando a gente fazer essas coisas boas que você faz. Já pode imaginar vc cantando, provando, colocando um bucadinho de sal ali e etc....
    Ai ai...rs!

    ResponderExcluir