22/02/2013

Da dificuldade de fazer amigos na Alemanha

Nao posso falar sobre como andam as relacoes no Brasil hoje em dia, já nao vivo no país há quase sete anos, mas aqui, nao é muito fácil fazer novas amizades. Também nao saberia dizer se isso tem muito a ver com a idade da gente - parece que ficamos mais seletivos ao ficarmos mais velhos, nao é? Mas o buraco aqui é mais embaixo. 

Claro que a cultura alema é diferente dos países do lado quente do planeta. Acho que o frio que vivemos por aqui faz com que as pessoas sejam menos temperamentais, menos emocionais e mais contidas.  E isso influencia obviamente na formacao de novas amizades. Os alemaes costumam falar que devemos cultivar as velhas amizades, aquelas que fizemos quando mais novos e que permanecem até hoje, porque novas serao muito difíceis de serem feitas. Nao concordava muito com eles inicialmente, mas só depois desses quase sete anos por aqui comeco a notar que eles  tem razao. Pelo menos em partes. Ou pelo menos, em se tratando de alemaes.

Vamos a alguns exemplos. Meu marido tem poucos amigos, a maioria feita no tempo da escola. Alguns novos, por causa do trabalho, mas nao muito íntimos. Ele nao sente a menor falta de ter amigos novos. Mas a gente sabe que com homem a coisa é diferente. Eles parecem se reunir somente pra assistir futebol, tomar cerveja e falar piadas que só eles conseguem rir. E tudo bem por isso.  Já nós, mulheres, essas preciosidades maravilhosas que somos,  precisamos de uma amiga pra cada situacao, e parece que cada amiga "serve" pra alguma coisa nao é? Tem a amiga festeira, a ouvinte, a conselheira, a que coloca  a gente pra cima, a que coloca a gente pra baixo, a que inspira, a que chora com a gente, a indecente, a imoral, a divertida,  a religiosa, e assim por diante. 

Mas entao. Outro exemplo. Eu nao sinto falta de pessoas ao redor, porque sempre fui muito quieta, desde menina, sempre fui de poucos amigos. E pessoas nunca me fizeram muita falta, porque me acostumei a isso desde cedo, sempre fui introspectiva. Nao era tímida (com excessao de uma fase da vida), era apenas, introvertida e gostava disso. Entao me mantenho assim até hoje. Tenho minhas poucas amadas amigas no Brasil. Na Alemanha eu tenho minhas amigas brasileiras: eu amo a Maria, a Adriane, a Susana, a Claudinha, a Hilda, a Ellen, e a Angie que mora longe, que conheco só de blog, mas que gosto muito. E tenhos apenas duas amigas alemaes que vivem mais ou menos, perto de mim. Tenho outras duas que vivem aqui há mais de vinte anos e vieram da Romenia. 

E só. E quer saber? Pra mim tá mais do que bom. 
Acho até tenho mais amigos do que normalmente sempre tive. 

Mas acho estranho como as alemaes sao. Elas estao sempre reclamando da falta de amigos. Mas nao parecem fazer muita coisa pra mudar esse quadro. Cara, acho isso tao esquisito! Todo alemao reclama do próprio povo. Eles mesmos falam que sao frios e distantes e que sentem falta de amigos. Quando você anda nas ruas, pelos menos na regiao em que vivo, as pessoas sao extremamente simpáticas, tem sempre um sorriso no rosto. Todo mundo sempre te trata muitíssimo bem, mas parece que há uma barreira nessas mesmas pessoas que impede que elas deem um passo a mais em direcao a você. Exemplo: elas te acham maravilhosa, adoram te encontrar, conversar com você. Aí você ou ela sugere um café, e vocês se encontram e corre tudo beleza. Mas para o próximo encontro acontecer, vai demorar muito tempo, porque parece que a pessoa tem sempre algo muito importante pra fazer o tempo todo. E você sabe o quanto é querida por ela, mas algo a impede. E você sabe que a vida dela nao é assim, taaao corrida como ela diz. Mas sabe? Ela nao está mentindo, é apenas a defesa que ela encontra, mantendo assim a fama de frios e distantes. 

E é isso que eu nao entendo: como se faz uma amizade, que normalmente se requer tempo, disposicao e boa vontade,  se a pessoa nao te vê nos próximos três ou quatro meses? E porque essa mesma bendita pessoa adora reclamar que nao tem amigos?

Juro como nao entendo.

E depois reclamam de solidao...vai entender... povo complicado, sô!
* * *

E sabe o que é mais difícil de se compreender? É ver que os estrangeiros vao se adaptando ao país. Tem muita gente agindo igualzinho. E é  muito comum por aqui, os estrangeiros reclamarem das pessoas que só fazem contatos com seus conterrâneos, mas o que fazer se a pessoa tenta e tenta e tenta mais contatos com os alemaes e esses simplesmente, se mantém distantes, mesmo nao querendo?

Ui, dificílimo pra minha cabecinha.

16 comentários:

  1. Eh dificil mesmo e esse tema é complexo. Vejo muitas brasileiras que reclamam da falta de amizades na França, mas serah que se elas mudassem de cidade (ou de Estado!) no Brasil teriam a mesma facilidade para aceitar e serem aceitas? Ainda mais se não trabalhassem nem tivessem outras atividades, como é geralmente o caso dessas que reclamam? Entao onde elas vão encontrar essas tais amizades?
    Eu nao sou de fazer amizade facilmente, sou muito fechada. Sempre conheci muita gente tive muitos contatos, mas amigas intimas, era raro. Tenho um defeito, nao sou de ligar (detesto telefone) e nao procuro muito, sempre acho que vou incomodar. Mas assim que me abro um pouco, vejo que as pessoas me procuram, me ligam, me convidam para sair... Soh que a minha vida eh corrida sim (algumas pessoas pensam que é exagero), mas geralmente tudo jah estah agenado para os proximos 3 ou 4 meses, e brasileiro adora combinar algo de ultima hora, entao acabo nao podendo ir e fico de fora da panelinha. Jah com os franceses, as vezes eles convidam para alguma coisa com 3 meses de antecedência!!! JUntando isso com as minhas viagens, o trabalho, as exposições e os filmes e espetaculos que quero ver, sobra mesmo pouco tempo para os amigos...

    ResponderExcluir
  2. Epa, epa, epa, eeeepaaaa
    Vai me colocando nessa lista de amizades porque Suíça é do lado e estamos a duas horas de distância e só tá esperando a primeira chance para visitar e ponto final.
    Gata eu me lembrei de não sei quem (marido)... RS!
    Não é só você que acha tudo isso esquisito – EU TAMBÉM e isso não entra na minha cabeça.
    O digníssimo aqui reclama que não tem amigos e os amigos do México e do Brasil escreve muito pouco. Mas ele tem esse jeito alemão de ser, se eu penso o seguinte: eu vou escrevo pra pessoa e a pessoa responde a hora que ela acha que tem tempo ( tempo de espera: Um mês), eu vou é mais deixar de escrever, porque a gente sempre encontra um tempo. É o que ele faz e depois as pessoas também escrevem quando acham que deve.
    Tem um casal que veio morar na Alemanha e o cara é da mesma empresa que o marido, quando nós morávamos em Piracicaba eles sempre convidaram a gente pra ir a casa deles e eu sempre fui franca e dizia que não convidava ninguém pra ir à minha casa, porque aquele aperrrtamento era provisório, mas que quando a nossa casa estivesse pronta com certeza iríamos fazer churrasco e ficar tomando sol e blabla...
    Só que agora eu acho o seguinte: Eles estão sozinhos aqui e sempre que vamos para a Alemanha ele nunca reserva um tempo pra eles... E isso me deixa louca da vida! E para ele tá normal, não acha que tá errado.
    Bom, o que eu quero dizer é que o alemão reclama que não tem amigos, porem só quer receber e não quer dar...
    Minhas outras amigas que são casadas com alemães falam o mesmo e isso inclui família. Tipo, eles esquecem que quando estão na casa de familiares são bem tratados, mas quando a família fala em visitar faz um bico bem grande e diz que só vem pra esvaziar a geladeira e tirar a privacidade (meu marido nunca falou, mas teve o marido de uma amiga que falou).
    Lá no México em Irapuato tinha uma turma muito boa de brasileiras, nunca rolou fofoca e sempre, sempre tinha festa, carnaval com marchinha... bem legal mesmo!
    Em toluca o lance era mais em baixo, acho que o México inteiro sabia que lá moravam as brasileiras mais fofoqueiras, então nem fiz questão!
    Fiz ótimas amizades mexicanas que estão até hoje e como sinto saudades dessas danadas...
    Aqui eu conheci duas brasileiras, saímos um dia pra tomar um café e depois nunca mais... Eu liguei umas três vezes e sem sucesso, mas é aquela coisa: Aqui tem identificador de chamada e se não retorna é porque não tem interesse, então não ligo mais...
    Então acredite se quiser to só eu e meu mundo virtual... RS! Mas eu conheci uma peruana bem legal, ela é esposa de um colega de trabalho do marido... Conhecemos-nos em uma festa na casa do chefe do marido e foi amor à primeira vista, rs! E já combinamos que assim que ela vier morar aqui perto vamos nos visitar, fazer alguma coisa... Ela também se sente muito sozinha aqui...
    Bjos, bjos...

    ResponderExcluir
  3. Em relação a fazer minhas próprias coisas eu acho que mais ou menos, acho que sou mais em viajar sozinha do que em grupo, odeio ficar esperando e tal...
    Mas uma coisa eu te digo, se eu morasse ai perto ia todos os dias tomar um café na sua casa....hahaha
    Brincadeira! Mas sempre iriamos fazer alguma coisa, eu te puxaria a força...rs!

    ResponderExcluir
  4. Ai Nina, esse é um assunto muito difícil pra mim, pois eu sinto falta de ter amigos aqui. O meu namorado tem vários amigos e os melhores amigos tem namoradas. A gente sai juntos, vai pra uma festinha, conversa um pouco, mas não passa disso. As meninas são muito fechadas e como eu ainda não sei falar alemão fluente complica, pois quase ninguém aqui gosta de perder o tempo falando em inglês...eu vivo praticamente com o meu namorado aqui. Por isso tive a ideia de fazer o blog. Eu já sou o contrário, gosto de ter gente por perto e sinto muita falta dos amigos no brasil, mesmo dos que me colocaram pra escanteio. Gostei muito do seu comentário em um post que fiz: você disse que ficar sozinha é bom pra gente viajar pra dentro da gente. É muito verdade isso! Estou aprendendo a fazer isso!
    Adoro seus posts! São sempre muito verdadeiros!
    Beijinhos e bom final de semana!
    Ana

    ResponderExcluir

  5. Oi amiga,

    Então, hoje penso que fazer novas amizades não está muito fácil mesmo, claro que aí deve ser mais difícil por questões culturais... porém percebo que isso tmb ocorre em todo (ou muitos) lugares... por exemplo, moro em uma cidade há 4 anos, não tenho muitas amigas aqui, apesar de que estou satisfeita com as que tenho... parece que as pessoas estão sempre ocupadas e "sem tempo" para encontrar com uma amiga, tomar um café, jogar conversa fora, enfim, cultivar as amizades.

    Um beijo querida, bom final de semana, fique com Deus!

    Juli

    ResponderExcluir
  6. Que fofaaaaa, adorei estar na lista de amigas - tu é uma queridONA!!!! :-D
    Eu vivo o mesmo dilema que o teu: difícil fazer novas amizades por aqui. Mas eu acho que eu tinha o mesmo problema no Brasil, cada vez que eu mudava de cidade :-(
    Beijo grande, amiga querida, e bom final de semana :-D

    ResponderExcluir
  7. é galera, papo brabo esse...

    é isso aí, Milena, em qq lugar a pessoa que fica em casa parada, nao consegue criar ou manter relacoes, e ficar reclamando nao vai ajudar em nada.

    No exterior acho que a principal coisa que alguem deve fazer é procurar falar o idioma, nos cursos vai encontrar mts pessoas legais e ali podem surgir boas amizades. E depois se nao rolar um trampo, acho que fazer outros cursos, agora nao mais de lingua, mas de qq outra coisa que se goste, onde ha possibilidades de encontrar pessoas legais (do país ou nao,) ainda acho a melhor opcao. Esse seria o caso de vc, Ana Paulaner minha docinho.

    Juli, tu sabe que eu tive uma fase bem complicada la em Ita, inicialmente, tava desesperada para arrumar amizade, mas qd relaxei, surgiram as pessoas mais legais que ja conheci por lá e que sao minhas amigas de fé até hoje.

    Dani, só nao te coloquei na listinha pequenininha de malvada, tem que vir aqui :-)
    mas eu tava falando de quem mora por perto, tolinha, tu ja virou amiga tbm, de verdade.

    Angie, tu é que é a mó querida! e sabe que a Maria tbm é gaucha? E a Adriane, Juli, é da nossa terra. Acredita?

    Gente, como última dica, acho que é paciência mesmo e nao se desesperar, as pessoas vao chegando aos poucos, aqui elas precisam de tempo pra confiar, nao se chama de amigo aquela pessoa que vc encontrou duas vezes na balada, sabe?
    E permanecer fiel ao que se é. Nao dá pra aceitar ser amigo de alguém que nao tem absolutamente nada a ver com vc, só porque vc tá carente de amiguinhos, certo?

    Outro dia uma amiga aqui (uma das romenas) me ouvindo dizer que eu nao sabia mt bem como lidar com algumas coisas, me disse que eu deveria fazer exatamente o que eu faria no Brasil (claro que era um caso específico) e que ela sabia que eu era uma pessoa de atos mt corretos e gentil e que isso me bastaria, pra continuar agindo como sou.
    Acho que essa é a melhor opcao quem temos, sermos nós mesmos.

    Bjs e bom findi!

    ResponderExcluir
  8. Nina, acho que é assim em todo lugar.Acho que realmente é mais facil quando se estuda na mesma escola, trabalha na mesma empresa...
    Talvez seja a idade, como você disse.Não imagina como sofro com isso.Ao contrario de você, sempre vivi rodeada de amigos, sou adepta daquele ditado que diz 100 amigos é pouco, 1 inimigo é muito.Mas eu me sinto cada dia mais so.
    Ninguém tem tempo, ninguém quer saber, ninguém se incomoda.
    Outro dia li num blog, a blogueira dizendo que defende amigo até quando ele ta errado.Eu sou esse tipo de amigo mas nunca tive reciprocidade...rsrs
    Gosto de pensar em você uma grande amiga ;)

    ResponderExcluir
  9. Nina, na Suíça é "gleich". As amizades daqui são aquelas feitas na infância e que permanecem. Antes eu pensava que a dificuldade era porque eu ainda não trabalho e fica difícil conhecer os locais para amizade, mas tenho amigas que trabalham e elas dizem que tem COLEGAS de trabalho, mas amigas suíças nenhuma. Ô povo difícil viu :-(. Tb vejo que eles colocam uma barreira, conversam, batem papo, mas não vão muito além. Uma pessoa próxima da família do meu marido não tem UM amigo sequer, já pensou viver assim? Ela, que é suíça, reclama da dificuldade de amizades, mas ELA mesma é super fechada e não dá um passo adiante. Eu tô bem feliz com as amigas sulamericanas que conheci aqui :-). Bjs

    ResponderExcluir
  10. Estranho mesmooO... eu não me adaptaria, tenho certeza. Adoooooooro ter e fazer amigos, estou sempre disponível (ou quase sempre), não gosto de ficar sozinha, preciso compartilhar. Tenho amigos da infância, amigos da escola, amigos da faculdade, amigos do mestrado e apesar de não conviver com todos por separações naturais da vida, sempre poderei contar com eles (comprovadamente, tá) e sempre poderão contar comigo.

    A amizade é algo que flui naturalmente e as pessoas precisam estar de coração aberto para aceitar uma nova pessoa em sua vida, do contrário acontece como os alemães. triste.

    Beijinhos e bom fim de semana!!!

    ResponderExcluir
  11. Ninoca,
    Ah seus posts me fazem viajar de volta a Alemanha...
    Você acredita que meu ex falava que eu tinha que fazer amizades na minha faixa etária? Como se ter amigos mais novos ou mais velhos fosse estranho/errado...
    E o comentário dele vem a calhar com o que você escreveu... Afinal de contas, os amigos de infância tem a mesma idade que a gente... Eu acho que isso não tem NADA a ver.
    Eu sou muito expansiva e confesso: senti a maior falta de ter amigos na Alemanha, daqueles que a gente aperta no braço, curte com a cara, ri fácil, chora no ombro, se apoia... Consegui isso com poucas pessoas. E nenhuma era alemã...
    Tinha sempre um murinho, uma paredinha, uma coisinha no meio do caminho. Que podia ser inclusive, da minha parte...
    Agora, é fato que a gente vai ficando mais fechada para novas amizades... Que besteira.
    Beijo minha amiga ;)
    Márcia

    ResponderExcluir
  12. Tambem moro na Alemanha e ate hoje vivo so com meu marido e filhos. Amigos so na internet mas isso nao me incomoda muito. Tenho sorte de ter filhos que tomam todo meu tempo

    Gosto muito do seu blog parabens

    ResponderExcluir
  13. Minha filha tem as mesmas queixas que vc, Nina.Em Lux, as posturas são bem parecidas.Nestes 11 anos ela tem apenas duas amigas francesas, as demais são de outras nacionalidades.
    Acho também que a culpa é do frio que entranha nos ossos e n'alma.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  14. Guria, estamos na mesma.
    Acho que a sua maneira de colocar as coisas é justa, é exatamente assim que acontece: está tudo bem encontrar alguém de vez em quando se esse de vez em quando for uma coisa em torno de duas vezes por ano.
    Sueco são muito gentis, sérios e gentis. Eles não são de brincadeiras e paparico-bico-de-pato, mas eles são simpáticos o suficiente para você esperar que chegue o algo mais... que não chega. Eles tem os melhores amigos de todo o sempre - como você disse, normalmente gente com a qual eles frequentaram a pré escola - e isso basta. Você pode conquistar um lugar no círculo dos "conhecidos" e a relação nunca será íntima.
    Eu sinto falta disso, dessa coisa mais íntima. Em dois anos, fiz duas amizades, uma brasileira e uma nicaraguenha. Encontro algumas suecas com frequência apenas para falar do tempo, do vento e de política, preparativos para o casório.
    Será que romantizamos as nossas antigas amizades? Exigimos demais?
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. ai como chamo seu bloguito....é uma caixinha de surpresa...cada vez q abro e leio um post descubro uma coisa mais linda e verdadeira q a outra....adorei ver meu nominho como umas das suas amigas....saiba q o sentimento é recíproco....vc é uma querida amiga tb...beijokas apertadas...to esperando vc e todas as "outras" amigas tb... ;=)

    ResponderExcluir
  16. Olá gentem! estou descobrindo este mundo de blogs faz pouco e este tema é tal e qual minha cara haha. Alguém ai vive na Espanha? Vivo em La Coruña-ES e o povo aqui é muito fechado, frio e desconfiado. Só conheço mesmo a família do meu marido que são poucos e algumas meninas do curso que estou fazendo mas, mesmo assim se resume em nossos encontros diários ali em classe e não passou disso até agora. olha que sou muito desenvolta, faço amizade com facilidade, porém.... Alguém ai vive na Espanha, ou perto de mim? hahahaha...beijinhos meninas

    ResponderExcluir