16/11/2012

Sou uma mae ausente?

 Recebi o email de uma mae que está com muitas dúvidas a respeito de sua relacao com a filha. 
Perguntei se podia colocar aqui seus questionamentos.
Ela diz estar precisando de algumas dicas. 
Vamos ajudá-la com palavras sinceras e incentivadoras?


"Fui mãe aos 18 anos de um namorado que me deixou assim que soube da gravidez. Quando minha filha tinha 2 anos vivi um relacionamento de 7 anos onde eu era a mãe dela e "mãe" do meu então namorado.
Quando ela fez 10 anos conheci meu marido, em seguida ele foi morar na minha casa, casamos, compramos uma casa juntos, tivemos um bebê e hoje tenho dois filhos: Um menino de 10 meses e ela com 12 anos. O bebê suga quase todo meu tempo, trabalho fora e cuido da casa tb. Minha rotina começa as 5:30 da manhã, levo ela para a escola o bebe para a escolinha e vou trabalhar. A busco na escola e o bebe e vou para casa. Almoçamos juntos e depois ela vai para o quarto e eu fico com os afazeres domésticos e cuidados com o bebê. Quando eu me dou conta o dia terminou, eu pouco conversei com ela, apenas escutei as histórias que ela me conta no trajeto para casa e falei muito pouco a respeito, pois faço um caminho "rural" e presto mais atenção na estrada do que nela. Muitas vezes eu só grito do meu quarto coisas do tipo "vai tomar banho e dormir", ou "estende a roupa que está na máquina!". Me sinto culpada, tenho medo dela se sentir excluída da minha vida, dela se sentir um peixinho fora do aquário neste novo contexto de família onde ela enxerga a mãe dela com o marido e o filho deles e ela. Eu gostaria de dar mais atenção à ela, mais carinho... mas não consigo priorizar isto!
Quando meu marido está em casa é pior ainda, pois ele quer atenção e o bebê está sempre no meu colo. Outro dia escutei de uma pessoa que a minha filha é uma criança sem carinho. Me senti tão ofendida que fiquei furiosa, mas sei que o que ofende é apenas o que é verdade...
Alguém pode me dizer o que é ser uma mãe "carinhosa"?
Obrigada pelo espaço!
"

16 comentários:


  1. Mostre pra ela que ninguém é perfeitos e que com todas as suas imperfeições vc Ama Ela e que estará com ela pra sempre e sempre...Ela precisa ter a certeza que a mãe dela está presente!

    Vc perguntou o que é ser carinhosa, posso dizer como eu gostaria que a minha mãe tivesse sido e como eu vou ser com meus filhos...

    Abraçe....
    Beije....
    Diga que a ama....
    Brinque com ela...
    Seja amiga...
    Leia com ela....

    Talvez ela está se sentindo abandonada mesmo e não é sua culpa, às vezes não estamos preparados para coisas que passam na nossa vida....

    Esteja presente na vida dela, vc consegue, você pode!!!

    É isso, acredito que muitas aqui te darão um caminho muito melhor que eu, que não sou mãe...!!!


    ResponderExcluir
  2. minha filha passou um final de semana na casa da amiguinha que é filha única. Voltou falando as maravilhas que a mãe da menina faz! eu não trabalho fora, mas a rotina, a correria, muitas vezes nos ëngole"e ficamos mesmo no já tomou banho? Tira essa culpa de situação familiar porque acontece em muitas casas.
    Pequenos detalhes podem ajudar: coloque um bilhete no livro da escola, no meio do lanche, em cima do travesseiro,faça uma surpresa com um livro que ela goste. Leia junto porque a gente, à medida em que eles crescem, vai deixando de compartilhar leituras. E deixa o maridão com o bebê por umas horinhas e pega um cineminha com a moça.
    Ah! Resgatar a história dela quando bebê através de fotos para ela sentir como foi bem cuidada e que bebês dão muito trabalho!
    Boa sorte!
    Beijo Nina.

    ResponderExcluir

  3. Oi Nina!

    Então, eu não sou mãe, mas de vez em quando assisto Super Nani, e ela dá muita dica legal... no caso dessa mãe, percebi que realmente ela estar distante da filha, não fisicamente, apesar de amá-la, então minha sugestão que que ela demonstre esse amor, de queforma? dando mais atenção, aproveitando o trajeto da escola até a casa para conversar, saber como foi o seu dia, em casa, procurar dividir o tempo com o bb, os afares de cada a sua filha, fazer atividades juntas como ler, cozinhar, brincar, enfim, coisas que os pais fazem com os filhos, isso cria um elo mais forte entre eles, enfim, acho que é isso.

    Um grande beijo e boa sorte para esta mãe. Ah, o importante é perceber que algo não estar certo e procurar corrigir e isto ela já fez...

    ResponderExcluir
  4. Nina, o mostrar preocupação para com a filha já é muito bom. Estar presente na vida dela não é só estar junto o dia todo. Todos os comentários estão corretos (na minha opinião), todavia enfatizo o da Ana Paula. Ela mostra que dá para participar com "bilhetinhos surpresa", um cineminha colocando o pai "de castigo" com o bebê,..., enfim, o mais importante é sua filha se sentir amada. A vida continua e de certas obrigações não podemos abrir mão (trabalhar, por exemplo). Você demonstrando, sua filha entenderá o seu carinho e se sentirá muito amada.

    Beijos, Nina.

    ResponderExcluir
  5. Também sou como a Dani, nem filho tenho, mas sei o queria que minha mãe tivesse me dado: carinho afeto, sua atenção. Tive tão pouco dela. Você tem a chance de mudar isso ainda moça, aproveite porquê o tempo passa e logo sua filha será uma moça que talvez tenha raiva e rancor da mãe que teve.
    Cuide dela
    Boa sorte

    ResponderExcluir
  6. Não se sinta tão culpada, muitas mães passam por isso, talvez você esteja muito stressada com a nova relacão,com o bebê,com o trabalho, mas é bom que você se preocupe como sua filha está atualmente, você recebeu muitas dicas boas eu recomendo também fazer alguma coisa com ela para ela se sentir amada especial alguma coisa que você faz somente com ela. Hoje quando ela chegar abrace sua filha, diga que a ama e que sente muito por está distante, explique sua vida um pouco pra ela e diga que precisa de ajuda. Os filhos pequenos não são burros e ficam felizes quando ajudam os pais com alguma coisa importante pra eles. É o que eu acho.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, dificil isso hem... pois um bebê realmente acaba que ocupando muito do nosso tempo.
    Mas, acho que você poderia sempre quando puder estar com ela fazr coisas simples, como tomar banho juntas e conversar... parece bobagem, mas eu fazia tanto isso com minhas amigas e agora faço com a Valentina...
    Onde tiver uma brechinha dizer algo bem carinhoso e que valorize ela, que demonstre o tanto que ela é importante pra vocês, pra você...
    Bom, é isso...
    beijinhosssss

    ResponderExcluir
  8. Sou mãe e avó. E já passei por isso. "Toda mãe é culpada de tudo"!
    E a gente acredita .........
    Mas não é nada disso.
    Converse com sua filha, diga que a ama tanto quanto ao bebê, mas que ele precisa mais de cuidados porque ainda não sabe fazer nada sózinho, e ela é uma mocinha e já aprendeu muita coisa. Que ela já foi bebê que nem ele. Peça que ela ajude a cuidar do bebê, trocando fralda, ajudando a dar banho, sempre fazendo brincadeiras, procurando rir com ela ..... não é fácil, mas a gente se ajeita. E peça a compreensão do marido, explicando a mesma coisa. Você sobreviverá! Com certeza, com todos alegres e felizes.
    E não fique "na culpa" pois piora tudo e daqui a pouco as crianças já estarão prontas para a vida e você não curtiu nada. E passeie mais com as crianças e marido, num shopping que tenha parquinho por exemplo, todos brincando juntos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Somos mães reais, e não ideais. Toda mãe apresenta remorsos em relação aos filhos em algum momento.
    Todo filho se queixa ou se queixará dos pais em outros momentos.
    É tudo normal e natural, seus antepassados também foram assim.

    ResponderExcluir
  10. Bem... eu ainda, não sou mãe, mas sou filha. E, como filha posso lhe dizer com certeza, não importa a quantidade de tempo que as duas passam juntas e, sim a qualidade. É isso que faz a diferença.... Minha mãe teve 04 filhos e, sinceramente não sei como ela conseguiu, já que muita gente vive reclamando com apenas 01 filhinho. As minhas melhores lembranças é da minha mãe cantando com um lenço, na cabeça fazendo imitações, enquanto lavava roupa em uma bacia/ não tinha máquina de lavar..... Em um tempo bem frio, quase no pé da serra de Petropólis. Lembro dela fazendo biscoitos, levando um copo de água na minha cama, já que eu tinha medo de escuro, me chamando para beber coca-cola de madrugada, para batermos um papo bem baixinho..... Me chamando para almoçar até mesmo, depois de mulher feita. Lembro do carinho que ela tinha com cada um dos filhos IGUALMENTE. Minha mãe nunca foi de ficar abraçando a gente,apesar de me chamar Moniquinha, mas na hora de comprar qualquer coisa era sempre a gente... tenho certeza que, muitas vezes ela deixou de viver uma vida melhor para dar o melhor para a sua família, seus filhos e seu marido.... Até que, ela acertou na medida do amor e da atenção. Atualmente, seus filhos dois homens e duas mulheres trabalham, produzem, vivem de forma digna.... resultado dos seus exemplos e ensinamentos... A minha Lau deixou muitas saudades, mas um orgulho danado do privilégio de ser um de seus filhos.... Qualidade de amor.... Abraços....

    ResponderExcluir
  11. Sou mãe e avó e sei que cometi muitas faltas pela vida de meus quatro filhos.Apesar de fazermos malabarismos, por vezes, deixamos cair alguns malabares, porém , nada que uma nova tentativa não alivie a ranhura do tombo.
    Aproveite os momentos possíveis de convívio, mesmo que seja os da divisão das tarefas domésticas.Tudo o que vcs fizerem juntas ganhará mais importância até que acabará sendo encorporado aos hábitos do dia-a-dia.
    Nós, mães, sempre carregamos o peso de acertarmos plenamente em tudo o que diz respeito à vida dos nossos filhos.Na maturidade compreendemos que não temos nem tivemos superpoderes e que fizemos o nosso melhor.
    Que vcs vivam alegrias diárias.

    Foi uma ótima iniciativa a tua, Nina em convidar-nos a esta conversa de mães.Adorei!
    Bjinhos e bom fina de semana.
    Calu

    ResponderExcluir
  12. Olha, realmente pelo seu depoimento, falta ânimo para dar mais atenção a sua filha. Ela está entrando em uma fase difícil, a adolescência, e se você não se aproximar dela agora poderá ficar pior. Pense que ela foi a única em sua vida por muito tempo e esse seu afastamento por conta do bebê pode deixá-la muito triste, então aproveite todos os momentos, seja no trajeto da escola, priorize sua filha, peça que ela te ajude com o caminho, pergunte como foi a aula, leve uma surpresinha de vez em quando para surpreende-la. Deixe a culpa de lado e haja. Peça a ajuda dela para cuidar do bebê com você, façam umas comidinhas juntas, essas coisas. Espero que dê tudo certo. Beijos

    ResponderExcluir
  13. Concordo com as meninas no tocante a você não se culpar mas também a não deixar tudo como está. Compartilhe com sua filha a vida nova que você está vivendo agora. Insira ela no seu dia-a-dia e se insira no dela também. Conheça sua filha e deixe-se conhecer por ela. Ela está muito próxima de uma fase muito complicada e se sentir amada é fundamental. Mas me chama a atenção que penso que você também não está muito feliz com os teus papéis. Não me parece que vc está curtindo a vida e por tabela, qualquer um que te exija atenção e deveres não é algo fácil de lidar. Te convido a achar meios de curtir sua vida e encontrar um jeito de juntar todos os uatro para que a família não seja só um lugar onde todos te exijam algo mas um lugar onde todos possam dar e receber apoio, atenção, força e amor. Fique mais relaxada com seus afazeres e obrigações. É melhor um pouco de roupa acumulada pra passar mas um bom papo sentada na cama da sua filha, deixa-la deitar no seu colo e passar as mãos pelo cabelo dela e guardar isso na memória do que dar conta de tudo e de todos sem se dar ao outro de verdade. Dirija mais devagar, chegue mais tarde mas preste atenção no que sua filha diz. Você tem muito o que aprender com ela e ela contigo. Você não sabe se no fim, quem vc realmente poderá contar será com ela...enfim, viva sua vida mais devagar com seus filhos porque tudo passa muito rápido.
    Desenvolva uma atividade semanal só sua e de sua filha. Algo do interesse das duas. Pode ser qualquer coisa mas que ela veja que vc fez com ela e por vocês duas. Lembre-se: daqui a 5 anos vc colherá a amizade que plantar com ela e na sua velhice vc tb verá os frutos...
    Olivia

    ResponderExcluir
  14. Oi gente!
    Poxa, mt obrigada mesmo pelos comentários tao carinhosos, tao bem escritos, tao bem elaborados, sensatos, cheios de ótimas dicas. Tenho certeza que vcs ajudaram nao somente a Ca, mas mts outras maes que se sentem inseguras com esse tema.

    Ca, querida, espero que vc esteja se sentindo melhor, tente nao sentir culpa, mas tente aproveitar mesmo ,cada momento que puder com sua menina. Eu acho que ela está mt aberta pra vc, aproveite! E nao tenha medo de errar, amor nao se mede e nunca é demais. Faca o que as meninas disseram, deixe o bebê de vez em qd com o pai e faca alguma atividade que agrade vc e sua filha. E converse com seu marido. O fato de haver um novo homem na vida de vcs e claro, um novo bebe, filho dele, pode estar sim, mexendo com a cabeca de sua filha, e como pude notar nao só com ela, com vc tbm. Mas vc vencerá essa batalha, com ternura, essa deve ser sua arma ;-)

    Um abraco grande e mt sorte sempre.

    ResponderExcluir
  15. Olá! Eu sou a mãe em questão e agradeço muito todos os comentários, cheios de atenção e carinho.
    Lendo-os repensei algumas atitudes e hoje mesmo começarei a dirigir mais devagar e prestar mais atenção nas histórias dela. Vou almoçar num restaurante perto da escola da minha filha, com ela e depois buscaremos o bebê na escolinha juntas, assim, teremos mais tempo para nós e não terei pressa em chegar em casa.
    Nina: Muito obrigada mesmo pelo espaço! Li cada comentário com muito carinho e acredito que vou sobreviver!
    Muito obrigada mesmo, de coração!

    ResponderExcluir
  16. Querida, a casa é sua!!!

    E seus receios sao de mts de nós, nao se preocupe.

    Achei ÓTIMA a ideia de ficar esse tempo com ela, otima ideia, viu?
    E claro que vc vai sobreviver :-) Vc é mulher, mae, corajosa, forte, e cheia de amor.

    Sorte pequena, com sua pequena.

    ResponderExcluir