16/09/2012

Como uma prisioneira

Quem mora aqui vai entender, mas se você vive no Brasil, precisa dessa explicacao antes de ler o post:

Estas sao fotos de uma das portas aqui de casa, que dá pra varandinha. Nao tem chave. 99,9% das portas alemaes sao assim. Moramos no terceiro andar de um prédio de 5 andares. Pra abrir ou fechar, você so precisar girar a macaneta e pronto. 

* * *

Semana passada tinha um encontro com o grupo de tênis do meu marido e fiquei de levar uma salada. Ele estaria me esperando numa outra cidade e eu iria de trem com Pedrinho. Dez minutos depois de preparar a salada de macarrao, peguei o cesto de roupas pra estender no varalzinho na varandinha e logo depois iria dar um banho no Pedro pra sairmos. Assim que botei o pé na varanda, Pedro fechou a porta. Coisa que ele comecou a alcancar  há poucos dias. Do lado de fora, nao há macaneta e Pedro nao conseguia abrir a porta, porque nao alcancava, uma vez que para abrir, precisa girar pra cima.

Estávamos sozinhos em casa. Eu falava, gritava, chorava, fazia movimentos pra mostrar pra ele como ele deveria fazer pra abrir a porta e ele nada... às vezes, ele ria de gargalhar, achando que eu estava brincando com ele, outra vezes, chorava desesperado porque nao sabia o que a mae fazia do outro lado e nao entrava pra trocar sua fralda que já estava cheia, algumas vezes via tv fascinado com as cores do desenho animado, na maior parte do tempo ficava levando seus carrinhos de lá pra cá pela sala. O telefone tocava (marido desesperado e super preocupado porque nao chegamos no horário combinado) e Pedro gritava, querendo dizer que o telefone estava tocando, mas ele parava de repente porque sabia que nao poderia fazer nada e algumas vezes, ele se cocava agoniado, tentando abrir a porta, sem sucesso...

Presa do lado de fora da casa, numa temperatura de 16 graus e um ventinho bem frio, refém de um bebezinho. Poderia ser cômico se nao fosse quase trágico.

Duas horas e quarenta minutos depois minha filha apareceu carregando Pedro nos bracos. Encontrou a mae com a cara grudada na porta de vidro, molhada de lágrimas. Só aí foi entender a razao do irmaozinho ter  agarrado na sua mao quando chegou na porta da entrada, puxando-a pra dentro de casa até a sala.

Nessa noite, Pedro demorou muito tempo pra dormir. 
Eu também.
Na minha cama, acordei de madrugada deixei marido lá e fui dormir com o bebê no seu quartinho.
Nao queria ficar só nem deixá-lo sozinho. 
No dia seguinte, mudei a decoracao da varanda e as plantas de lugar. 
Aquele lugar me traumatizou...

* * *

fiquei horas pensando em como deve ser simplesmente horrível ser prisioneira em algum lugar, em qualquer lugar, por quem quer que seja, meu Deus, que sensacao horrível!

26 comentários:

  1. PUxa, que susto e é traumático sentir-se presa...Um horror de sensação! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Deve ter sido uma agonia mesmo. Deus me livre!
    Ainda bem que foi só um susto. Sei bem como é. Os minutos parecem horas e horas.


    Bjos Luzia

    ResponderExcluir
  3. Ai que horror Nina...imagino a situacao....nem fala destas portas e janelas já passei tb por maus perrengues....bjks e bom domingo...

    ResponderExcluir
  4. Que loucura! Fico pensando no seu desespero por conta do absurdo da situação. Bem acho que agora vale a pena colocar uma maneira de abrir a porta por fora...

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Que angustiante deve ter sido, Nina. Mas como dizem: "tudo vai bem, quando acaba bem". Graças a Deus!!!
    Bjs grandes em vc e no bebê.

    ResponderExcluir
  6. Poxa Nina, não foi nada fácil. Esse é um dos desafios da vida. Bom domingo!

    ResponderExcluir
  7. Nossa Nina, fiquei agoniada só de ler!! Que bom que já está tudo em ordem outra vez!! beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Que aflição, Nina.Puro desespero esta situação inesperada.Aconteceu comigo quando as meninas eram pequenas.Estava amamentando o bebê quando minha filha de 3 anos me avisou que a irmã de 2 anos tinha se trancado no quarto delas.Ela chorava de dentro eu de fora, o bebê todo atrapalhado querendo mamar,a irmã tentando consolá-la, enfim, um desespero só.Liguei pro trabalho do marido e ele chegou, quebrou o vidro da janela do quarto e resgatou nossa menininha.A sorte é que morávamos numa casa baixa.Mas, foi um sufoco.Sei bem o que vc passou.

    Te conto o porque da minha saudade.Moramos em Niterói/RJ.Há 11 anos minha filha Tatiana casou-se com meu genro que é francês e moram em Metz na Lorraine desde então.Minha outra filha casou-se com meu genro gaúcho e mora há 5 anos em POA.Os filhos homens moram aqui na cidade com suas famílias.Tenho três netinhos lindos.
    Bjkas p/ti e as crianças.
    Calu

    ResponderExcluir
  9. Nina
    Que situação! E eu que tranquei a porta de meu quarto com 4 anos e nao conseguia abrir. Meus pais me pediram pra jogar a chave fora e eu fiquei pendurada na janela. Mamae disse que quase desmaiou de susto pensando que eu ia cair.
    A chave caiu no andar de baixo e foi recolhida e eu sai toda risonha achando que nem era comigo enquanto mamae passava o maior sufoco.
    Eu nao sei bem o que é isto, mas sinto arrepio so de mamae contar este caso.
    Um abraço carinhoso de Monica
    Estou trabalhando novamente por isso nao tenho tido tempo de aparecer
    Venha conhecer Brasilia, e nao deixe de fazer as visitas guiadas. Seu marido ira adorar.

    ResponderExcluir
  10. Você pensou em quebrar o vidro? Fiz isso quando acidentalmente deixei minha filha trancada no carro, não pensei duas vezes, escolhi a janela mais longe dela e meti um tijolo.
    A sensação o susto e do desespero é realmente horrível.
    Boa Semana
    abs
    Jussara

    ResponderExcluir
  11. Traumatizante mesmo Nina.
    Angustia, desespero, frio.
    Que bom que mudou a decoração da varanda, vai dar uma outra sensação.
    e uma noite abraçadinha com o filhote também abranda o coração.
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Oi Nina!

    Nossa, que agonia, hein? Só lendo fiquei agoniada...

    Amei seu blog e ja estou seguindo.
    Olha, sobre as dicas do Piauí, eu vou te enviar por e-mail, pode ser?

    Acho que vc iria gostar muito de fazer a Rota das Emoções que liga os estados do Piauí, Ceará e Maranhão através do litoral.
    Vou te passar tudinho por e-mail. Lá no meu blog, eu falo um pouco de Teresina.

    Beijos

    Selma.

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Menina... que desespero! fiquei angustiada só de ler o post. ainda bem que td terminou sem ninguém machucado fisicamente! ah, meu blog mudou de endereço, agora é www.eudonadecasa.com.br
    bko

    ResponderExcluir
  14. Nosaa! que situação, fiquei imaginando as cenas e fiquei atônita. Não poder sair de onde se encontrava e nem atender ao filhote angustiado e sem compreender nada.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  15. Fui lendo e me arrepiando, principalmente quando entendi o que aconteceu e o trauma que isso pode ter lhe causado, pois eu também ficaria do mesmo modo.
    Tadinho do Pedrinho também, mesmo sem falar ainda direito ele estava entendendo tudo, mas não sabia como fazer para tirá-la dali. Que situação braba vocês viveram.
    E agora, o que vai fazer com esta porta?
    Espero que vocês se recuperem disso e agora só têm que ficar juntinhos, dando força um pro outro e aos poucos irem esquecendo este dia tão terrível. Força aí, amiguinha!

    Sobre teu comentário lá no blog, desde que mudei aquele template tenho encontrado dificuldade para rolar minha barra também, mas pelo IPad rola normalmente, lá em Petrópolis também, e agora, depois que tirei alguns gadgets melhorou. Talvez você tenha que usar um outro browser, já experimentou?
    bjs cariocas


    ResponderExcluir
  16. É meninas, foi uma situacao louca demais. Mas nao há o que fazer com a porta, elas todas sao assim, no país inteiro. O que ja estou comecando a fazer, é ficar mt mais atenta agora, e deixo uma outra porta encostada, caso isso volte a acontecer ele nao vai mexer na outra, que é meio escondida. Alem disso uma amiga aqui me recomendou um dispositivo de plastico que impede da porta bater qd alguem estiver na varanda.

    A Jussara (palavras vagabundas) perguntou se pensei em quebrar o vidro, essa possibilidade nem passou pela minha cabeca, os vidros parecem até blindados, eu conseguiria no máximo me machucar e machucar o Pedro, alem disso seria tao caro o conserto, acho que marido teria um treco... soube que mts pessoas aqui passam situacoes parecidas, com as criancas fechando a porta.

    O ap tbm é alugado, nao se pode mexer na construcao, como sugeriu a Dama ao falar que poderiamos colocar macaneta por fora. Acho que isso nem é possivel...

    Mas enfim, gracas a Deus que tudo terminou bem. E o bom é que nao era no inverno, ja pensou? eu sairia de lá um picolé...

    Um beijao gente

    ResponderExcluir
  17. As portas aqui de casa são assim também e eu morro de medo de ficar presa do lado de fora! Que bom que tudo terminou bem. Bjs

    ResponderExcluir
  18. Ai que desespero, Nina! E que bom que o fogao nao estava ligado :-O
    Beijo grande, e que bom que tudo ficou bem!
    Angie

    ResponderExcluir
  19. NINA!!!!!!! que situação???? meu Deus... tadinho dele e de você...
    eu tenho pavor disso aqui na Alemanha...
    cara essas duas horas devem ter parecido 10!!!!
    e como disse Angie que bom o fogao estar desligado...
    beijosssss

    ResponderExcluir
  20. Era uma das milhoes de coisas que passavam pela minha cabeca, meninas, o fogao! gracas a Deus eu ja tinha desligado havia pelo menos uns 45 minutos. Ufa!

    ResponderExcluir
  21. Oi Nina! Li essa postagem há alguns dias mas não consegui comentar porque estava no celular... Mas fiquei um tempão me lembrando do seu texto, que desespero amiga! Que desespero!
    Final feliz, graças a Deus e a Laurinha!
    Beijos
    Márcia

    ResponderExcluir
  22. Nina, hoje liguei para minha mae e logo ela veio me falando do seu post... ela perguntou, voce leu o post da Nina? Eu falei: Ainda nao, mas vou la... era sobre esse post. Ela disse, no comeco que lia achou engracado e depois foi ver a intensidade que tomou... e ela foi ficando preocupada de la. rsrs Mas eealmente 2 horas e 40 minutos e muita coisa! Conheco essas portas, e realmente para abrir requer mais forca, e o movimento para cima e menos "natural".
    Historia para contar mais tarde, mas por agora, eu imagino a situacao, que aflicao sua! E tadinho do Pedro, ficar la sozinho, fazendo varias coisas...
    Que bom que a Laura chegou relativamente "logo".

    Beijos Chris

    ResponderExcluir
  23. Chris!!!!!!!!! eu nao acredito que tua mae linda ainda lê o blog, ai meu Deus, que coisa mais fofa de se ler.

    Dona mamae da Chris (essa menina que amo mt) mt obrigada pela preocupacao, viu querida?? Ficou tudo bem no fim :-)

    Tudo bem mesmo.
    Um beijao bem grande pra vcs duas.
    ***

    Ahh Marcinha tbm :-)

    ResponderExcluir
  24. hehehehe Que legal, ela vai ver seu comentario!! rsrs
    bjks

    ResponderExcluir
  25. Quando minha mae tem tempo ela vem aqui le tudo e disse que ainda navega nos blogs amigos seus que tem aqui do lado...rsrs De vez em quando ela fala: Nossa achei um bom, fulana postou isso, achei interessante, sincrano deu a dica tal...vai la! Ela diz... hahahaha

    ResponderExcluir
  26. ahahaha, que doce é a tua mae Chris. Um dia ainda a conheco. E tu tbm ne gracinha??

    ResponderExcluir