12/07/2012

Pense bem antes de dar um padrasto ao seu filho

Pense mesmo! 

Pense duas vezes. Pense dez, cem, pense mil vezes. Esteja 100% certa de que é isso que você quer realmente. Saiba que você terá muitos, muitos problemas. Que você se verá constantemente como se estivesse no meio de um tiroteio, tendo que se defender a si mesma e ao mesmo tempo que terá que defender os atiradores. Que terá que se dividir entre os dois grupos nos momentos de conflito e terá obrigatoriamente, que  ser o mais justa possível. Pense bem principalmente se você é daquelas super maezonas, que colocam seus filhos acima de qualquer coisa, porque maes assim costumam ser muito sensíveis e se recusam a ouvir críticas sobre suas crias. E esteja certa, você ouvirá muitas críticas! 

Eu te garanto que nao é fácil. Principalmente se o novo companheiro nunca teve filhos. Geralmente esses homens nao tem muito conhecimento de como se educa, ou de como a gente deve ser flexível na educacao em certos pontos. Quando o homem é muito cabeca dura, fique atenta. Ele pode ser pouco flexível. Fique atenta se ele é um bom filho ou nao: dizem as más línguas que homem que nao é bom filho, nao é bom marido e marido ruim, nao é necessariamente, um bom pai, eu acho...
Fique atenta a cada detalhe, a cada conversa, a cada olhar. Tente conhecer muito bem seu futuro companheiro. Existirao muitas situacoes em que você pensará em se arrepender por ter se juntado a outro homem. E ainda existe, é claro, o GRANDE RISCO: o de você está levando pra dentro da sua casa, um abusador de menores. Com isso, menina, pelo amor de Deus, todo cuidado é pouco!

Eu vou falar uma coisa que pode parecer bem desagradável no primeiro momento,  mas pense bem antes de se separar do seu primeiro marido e pai de seu filho. (Se ele nao for um monstro e estiver te ameacando a vida, é claro!). Será se nao há mesmo, uma possibilidade, mesmo que mínima, de reconciliacao? Pense sobre isso. Se vocês nao conseguem resolver essa situacao que se instalou entre vocês, sozinhos, quem sabe procurar uma terapia de casal nao seria uma bela solucao? Às vezes, é só uma questao de conversar, de falar e de ouvir de verdade, sem armas e sem escudos, de ter boa vontade pra descobrir onde estavam errando. Uma ajuda externa pode fazer como que vocês voltem a se entender, redescobrir o caminho de volta ao que você já foram um dia. Nao sou profissional, logicamente,  mas nunca  recomendaria uma separacao antes de tentarem uma reconciliacao... e entenda que se há problemas numa relacao, haverá sempre em outra, e que se há problemas em você ainda nao resolvidos, você os carregará sempre consigo. Uma nova relacao nao te trará a paz que você precisa. Só um bom tratamento de autoconhecimento ajudará em algumas situacoes.
E se você estiver sozinha, mae solteira, pense bem se você está mesmo disposta a dar um padrasto ao seu filho. Algumas vezes é melhor estar só que mal acompanhada.

Obs.: eu sei que há milhares de pessoas que tem boas relacoes com seus padrastos. Sei que há milhares de mulheres felizes com suas segundas escolhas. Mas sei também  que existem situacoes muito difíceis nesse segundo casamento. Grandes conflitos. Eu mesma vivo situacoes parecidas e conheco muitas mulheres que sofrem muito no segundo casamento, quando já tinham  filhos do primeiro. Portanto, esteja certa de que isso é o que você deseja e se prepare pscicologicamente pra enfrentar todas as suas feras que estavam guardadas no mais profundo canto dos seus armários internos, quando elas surgirem de volta nessa nova relacao. 

Muita forca na peruca, querida! Muita forca, pé no chao, fé em Deus e pé na tábua...



"tudo é uma questao de manter, a mente quieta, a espinha ereta e o coracao tranquilo"

11 comentários:

  1. Ola querida,

    muito legal isso que voce escreveu!
    Tenho certeza que pode ajudar muitas mamaes em dúvida...
    infelizmente esse problema é real. No primeiro casamento, pensa-se apenas na sua própria felicidade, mas no segundo, ja tem mais gente incluida no processo... nao é tao simples...
    Muita sabedoria ai para voce! Que Deus te abencoe!
    bjsss

    ResponderExcluir
  2. Nina
    So Hoje vi o seu recadinho.
    Eu estava com a mamae aqui mas ela estava com crise de asma e eu nao podia dar uma olhadinha no blog das amigas.
    Mas agora ela esta boa e foi pra casa. E eu fiquei mais um pouquinho aqui em BH.
    Eu estou brincando mas justamente agora que nao esqueço a Laura nem um dia , a minha mais nova sobrinha,porque nasceu sexta feira uma nova priminha e se chama Laura, mas é prematura e a mae esta sofrendo muito, ficando no hospital o dia inteiro vendo a filha no CTI , mas ela esta bem, só que esua alimentando com sonda.
    Mas vai ficar boazinha, tenho fe e certeza. Me ajude a rezar quando lembrar tá?
    Eles perderam o primeiro filho de forma muito triste nasceu morto e era um menininho.
    Mas ja esta tao grande o meu comentario que vou silenciar senao voce nao vai querer aparecer lá no meu.
    com carinho vou terminar força na peruca nao é assim que estao dizendo agora? mas na verdade nao sei o que significa

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina...
    Vou comentar da perspectiva da filha. Minha Mãe se casou pela segunda vez quando eu tinha 12 anos. Meu padrasto acolheu a mim e minha irmã (com 13 anos na época) como filhas. Ele não tinha filhos do casamento anterior, então ele literalmente nos adotou no seu coração. O mesmo aconteceu conosco. Tanto eu quanto minha irmã somos muito felizes por tê-lo em nossas vidas e conversamos com ele muitos assuntos que não partilhamos com nosso pai biológico. É um laço muito especial, o amor brotou muito naturalmente entre nós.
    Ele nunca opinou em nada, literalmente nada, e só falava sobre determinados assuntos familiares quando pediamos sua opinião. Quando ele notava um comportamento que não gostava ele não falava diretamente conosco, e sim com minha Mãe que chamava nossa atenção. Ele é uma pessoa muito sensata e sensível, imagino que não haja muitos homens assim.
    Enfins, quis comentar querida porque pro lado da Mãe é uma decisão extremamente difícil de ser tomada... Há tantos riscos de convivência... Mas o meu caso foi muito feliz e amo meu paidrasto!
    O mais legal é quando as pessoas que não sabem que ele não é meu pai biológico dizem que nos parecemos :)
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  4. Oi Anna, é isso, antes a gente so deve mesmo, pensar na gente,mas depois, qd os meninos ja estao aí,sao eles nossa prioridade.

    Ai Monica, a Laurinha vai ficar bem, acredite, elas desse nome, sao fortes pra caramba! Vai dar td certo, vc vai ver. Ahh, forca na peruca significa isso: forca na peruca pros paizinhos da Laurinha, é nao sair do salto, é bola pra frente, é encarar os problemas de peito aberto e fé no senhor! Forca na peruca Moniquinha :-)

    Marcinha, qd eu mencionei das pessoas que sao felizes qd ha padrastos na historia, foi exatamente em vc que eu pensei(acabei nao colocando teu nome porque esqueci mesmo) porque sei bem da linda historia que vcs tem com ele. Mas saiba que vcs , infelizmente ou felizmente pra vcs, fazem parte de uma excecao. Claro que ha mts outras historias bonitas, mas tem as bem complicadas... e quem sofre nisso tudo, é a mae que tem que se dividir. Acho tbm que teu padrasto agiu MUITO corretamente, viu? Deixando a responsabilidade principal com tua mae, mas apoiando sempre que ela precisou. Isso é mt bacana.

    Bjs, gente

    ResponderExcluir
  5. Nina,
    Vejo este tipo de conflito para a mãe principalmente, como uma malabarista rodando pratinhos na vara, pra lá e pra cá, tentando ouvir um e o outro.
    Acaba que a gente pende mais pro filhote, dá peninha deles, entretanto procure ser imparcial, senão o bicho pega. Vejo estas relações de padrasto ou até mesmo de pai pra filho, parecidas com cachorros que tentam marcar seus espaços na casa. Pode ser uma metáfora meio grosseira, mas é a que mais combina neste sentido, sei bem como é aqui em casa, por isso imagino aí.
    Força na peruca, minha filha, todas nós, mães, mulheres, precisamos móóóóito!
    beijnhos cariocas

    ResponderExcluir
  6. Ja é dificil educar convivendo com o proprio pai, imagina com alguém que não tem nada a ver.
    Eu e Fabien vivemos batendo de frente em relação aos bebês. Ele pode se estressar, gritar , o escambau.Eu nunca.

    ResponderExcluir
  7. AS relações entre pais e filhos muitas vezes se torna dificil quando a mulher se coloca como a intermediária dos filhos com os pais( biológico), as relações entre pais e filhos (biológicos ou não)necessitam ser construidas diretamente, o que signiica que tomar partido dificulta a construção da afetividade e da convivência.

    ResponderExcluir
  8. Hum...Nina, gosto mt dos seus textos, mas dessa vez não concordo com a ideia central. Lógico que quando se tem filhos, sobretudo crianças, temos que resguarda-los sempre, porém nem todas as situações são tão ruins ou complicadas. E acredito que as crias querem, acima de tudo, que os pais sejam felizes. Por isso, sobre o tema, gosto mais da visão de mundo da Leonor que da sua: http://eneaotil.wordpress.com/2012/06/12/maes-tambem-podem-namorar-special-edition-de-dia-dos-namorados/
    Beijocas divergentes, mas respeitosas

    ResponderExcluir
  9. Nina,entendo perfeitamente o seu texto.
    Cada um tem suas questões,né? Eu não tenho essas questões,mas tenho outras também,doloridas...
    Acho que o que a gente tem que passar ninguém passa pela gente...
    Deus dê sabedoria a você e a todas as outras mães que precisam viver esta situação...

    E não demore muito a voltar a escrever,seus textos são terapêuticos...

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Nina.saudades de vc.Meu blog teve uns peripaques,mas já arrumei.....tb fico sem motivação e sem inspiração,fora o trabalho que esta me consumindo...mas estou adorando ser consumida.Vim dar uma olhada em vc e em outros amigos tb queridos para matar a saudade.Encontrei um assunto muito importante.Concordo em muito com vc,já passei por isso,e me fiz as mesmas perguntas....pai e mãe não tem como serem comparados....o pai naturalmente é mais desligado(salvo alguns)quando não se é o pai então....fica a quele duelo pela atenção,educação e o que era para ser bom se torna uma armadilha pondo em risco a elicidades e segurança dos filhos...É muito triste mesmo,mas mulher apaixonada tb não é facil...parece qe fica cega....a cabeça em cima dos ombros é o lugar em que deve ficar nossas escolhas....um grande beijão para vc e um abração....

    ResponderExcluir