04/06/2012

De retalho em retalho

Peguei o pedaco de pano que estava há mais de três anos embalado numa caixa que veio do Brasil. O ex- marido tinha enviado. Ele tem essas manias de guardar coisas e de enviar tudo pra cá. Certa vez fez a alfândega alema abrir um pacote supeito: a caixa tinha um cheiro estranho. Os bonecos monstrinhos do filho ganhos lá pelos seus 4 anos, que fediam a pum foram carinhosamente enviados pelo pai saudoso! Corrigindo: um fedia a pum, o outro a ovo podre! Posso com isso? E os bonecos tem essa cara de nojo que eu to fazendo também agora. Outra vez, comemos arroz por mais de mês, com gosto de incenso, porque ele embalou o arroz - que ele acha que isso é coisa que nao temos aqui -  junto com os incensos que a filha adora... por sorte se salvaram do cheiro adocicado o feijao, a folha de louro, a farinha... quando as criancas vao ao Brasil ele pede poucas coisas: queijo suico, talvez uma garrafa de vinho e jornais, todos que as criancas puderem carregar... esse é o pai dos meus dois filhos mais velhos.  Figuuura!!

Quando peguei o paninho, fiquei um tempo com ele nas maos e foi como se voltasse tudo à minha mente. Lembrei das horas passadas bordando, tinha descoberto o ponto cruz e estava simplesmente apaixonada! Passava horas com aquelas linhas de várias cores, bordando coisas lindas. Fiz muitas coisas com ponto cruz, panos de prato, toalhinhas para as criancas levarem pra escolinha, barra dos seus lencois de cama, cartoes de natal e principalmente quadrinhos. Adorava pendurar nos seus quartinhos os quadrinhos em ponto cruz. Lembrei também das dificudades que pareciam que nunca iam acabar. As casas caindo aos pedacos que morávamos, as tentativas quase enlouquecidas de arrumar um bico que pudesse ajudar financeiramente em casa, as brigas constantes com o ex, as criancas tao pequenas e tao felizes, o choro meu de todo dia, a quase falta de esperanca. Era dose! Mas era doce. Algo te adocica a vida quando você só pensa que há amargura, algo que você nao sabe bem de onde vem, adoca o teu caminho. Às vezes é uma pessoa legal, é um jardim, é a feira alegre do teu bairro, é o mar, é uma costura, é a chuva, é o sol, é um bordado. O ponto cruz me tirava da situacao que me encontrava, me fazia acreditar que algo ia sim, melhorar.  O ponto cruz me acompanhou nas horas tristes, quando eu  me sentia sozinha e ouvia os discos franceses que havia comprado há pouco tempo. Ouvia francês, bordava nuns paninho e sonhava.
Esse paninho de hoje é um pedaco dos meus vários pedacos, juntados a muito esforco. Eu era um ponto marcado com x, sabe? Alguém me marcou em algum ponto nesse mundo, esse pequeno ponto que sou eu. "Essa aqui veio pra sofrer um bocadinho, marca aí um x nela, mas marca um x com linhas coloridas pra ficar mais bonitinha, essa feinha..."
Do paninho velho, bordado há mais de 10 anos, fiz uma almofadinha de coracoes e coloquei na sala. Pra lembrar que tudo, tudo, tudo mesmo, valeu a pena.
Minha maravilhosa e inseparável companheira dessa época, Edith.


16 comentários:

  1. Maravilhoso! Ainda mais ao som de Edith.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa linda e garanto, cada pedacinho, uma lembrança ainda hoje! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Nina, adorei seu texto. Dei umas risadas. Ser marcada com x foi demais. Amei. Vou copiar, rs.


    bjos Luzia

    ResponderExcluir
  4. Ô Ninoca e olha vc se tornou um lindo ponto, ponto de amor, energia positiva, inteligencia, e carinho que se espalha por onde vc passa.
    Essa musica lembra muiiito, epoca em que na minha casa nao tinha tv, fim de tarde estavamos tomado banhos ao pé do radio, escutando mucicas que nao sabiamos quem cantava nem o que as letras diziam, mas mesmo assim gostavamos rsss,
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. oi Nina!
    e não é que "çolheu mesmo seus frutos"... Perfeito!
    beijos pontinho...

    ResponderExcluir
  6. Nina, minha amiga, "é por isso é por outros" que te admiro de montão... mesmo tendo passado por momentos tão difícies você sempre procurava ver um tal lado bom, e sonhava... no final, tudo deu certo, o sonho virou realidade!
    Um grande beijo amiga, fique com Deus. Tenha uma semana maravilhosa!

    ResponderExcluir
  7. o que? ninguem elogiou minha almofadinha???

    kkkkkkkkkkk

    oh gente querida, obrigada viu? escrevo porque quero que alguém que precise, leia e que entre no coracao a minha principal mensagem: TUDO VAI MELHORAR. é só "uma questao de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coracao tranquilo".

    Bjs no coracao.

    ResponderExcluir
  8. Nina, a almofadinha é linda!!! (rs).
    Sim, amiga, entendemos a sua mensagem. Tenho certeza que sua história servirá de exemplo para todas nós. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Amei a almofada e o texto pra cima.
    beijossssssss
    Thais

    ResponderExcluir
  10. É por isso que amo o seu blog! Saiba que seus relatos são "lindos retalhos" que já fazem parte da minha vida nesse mundo virtual.
    Penso assim mesmo Nina, nos momentos em que estamos cansadas, tristes ou coisa assim, sempre há algo que nos motiva a seguir adiante. Que bom que vc teve o ponto cruz pra te acalantar naqueles momentos e que vc teve força e coragem para chegar até aqui "Para a nossa alegria"!hahahaha (já visse o vídeo? Tá bombando por aqui.)
    Bjs mil

    ResponderExcluir
  11. é por esta msgs e outras mil q adoro o seu blog....tenho esperancas tb....
    ADOREI a almofada...isto vc nao contou q faz e como faz bem....vai me ensinar um dia...kkk..bjks

    ps vc era muito chique ouvindo a Piaf....

    ResponderExcluir
  12. Que lindinho seu texto que mais pareceu uma historinha....a menina com um x na testa.....rsrsrs....Tb tenho algo que eleva e me dá alegria....é sentar à mesa da minha casa e tomar uma caneca de café com leite.Nos vários dias de "X" que tive que passar na minha vida....eram esses momentos de calma que meu coração pedia.Vc fez das lembranças uma outra maior.....ficou com uma linda almofada que mostra que vc venceu ..ela é seu troféu.Nina....gosto muito de vc...beijokas e dias lindos para todos

    ResponderExcluir
  13. Oi Pingo ou pinguinho...........li sua história e ouvi sua música......me tocou muito.....amei...que maravilhoso poder ter essas lembranças pra nos acalentar....tb tive uma nonna assim e considero uma benção...beijokas Niona e boa sorte.

    ResponderExcluir
  14. Nina do céu!
    Que texto mais lindo e verdadeiro!
    Quando você conta suas estórias que foram histórias mesmo, eu fico até emocionada do lado de cá da telinha.
    Mas, você deu a volta por cima minha linda! Eu digo linda sem demagogia, porque você é realmente linda por dentro e por fora também, essa coisinha pequenina e tão forte.
    A almofada é uma delicadeza, não sabia que bordava tão bem ponto de cruz que para mim é dificílimo, pois requer uma ótima visão. O paninho bordado lembra qualquer cena européia, assim eu acho que você tinha mesmo, lá dentro da alma, ou sabia sem querer, que o seu lugar era aí, neste outro lado do mundo.
    um grande abraço, carioca

    ResponderExcluir
  15. Agora tô aqui me deliciando com madame Edith. delícia!

    ResponderExcluir
  16. Lindo, Nina. Entendi perfeitamente o bordado na sua vida. Estou bordando muito atualmente, viajando e elaborando sonhos também. beijo, Nina menina,
    Berê

    ResponderExcluir