28/05/2012

Uma tarde no parque

Convidamos as criancas... adolescentes. "Ahh mae seria ótimo, mas ir com os pais ao parque é meio peinlich (dá muuuuuita vergonha!!!)....
Nao pensamos duas vezes. Pegamos Pedrinho, que ainda fica feliz em sair com papai e mamae e lá fomos nós. Passear no parque de diversoes.



Hoje é feriado aqui.
Olhei a montanha russa e entre macas do amor, morangos cobertos de chocolate, algodoes doces, cervejinha e muito sol bonito brilhando numa temperatura linda de 25 graus, olhei pra cima e quase me emocionei. Era uma espécie de montanha russa. Voltei. Lá num tempo em que era bem menina, quando meu pai estava mais presente do que quando vivia com minha mae na mesma casa. Voltei num fim de tarde, com sol se pondo, num parquinho velho e enferrujado, numa Manaus antiga. Ele olhava a gente na montanha russa. A gente olhava ele lá de cima. As luzes piscavam perto do papai, músicas tocavam, pessoas passavam em volta. E ele sorria nos vendo felizes. Sorrindo. As suas três meninas, num trenzinho velho, numa montanhinha russinha velhinha. Vestidos parecidos, cores diferentes, cabelos presos. Olhinhos espertos. Sorrisos orgulhosos colados no rosto.

Lembro do meu pai nos nossos poucos momentos felizes. Na minha infância. Nos parques aos sábados. O cheiro de pipoca. O moco da banquinha. O nosso pai herói... ele nao sabia disso...


E hoje teve também, os baloes.
Chegamos em casa e fiquei olhando o balao do meu filho pairando no ar. O teto o segurando. Ele pulando querendo pegar. E o teto lá... e eu voltando no tempo. Numa varandinha, numa casa de madeira muito velha, brincando com minhas duas irmas. Tinha 6 anos. Só lembro do meu balao indo embora devagar, enquanto eu caia no chao, como em câmara lenta. Minhas irmas rindo da tonta que eu era. O balao subindo pro céu azul, sem teto pra segurar, no chao vermelho da varandinha,  dois dentinhos perdidos, manchados de sangue. Na cozinha, mais tarde, o teto segurava os dois baloes das minhas irmas, e eu lá, olhando pra eles. Com inveja. Sem balao e sem meus dois dentes da frente. Fui pra casa da minha avó. Bati na porta e ela nao reconheceu minha voz. Sou eu vó, a Pingo, abre a porta que a senhora vai ver porque minha voz tá diferente. Vovó riu e eu chorei. Sem balao, sem dentes, mas com abraco de vó...







Tem dia que á assim pra mim. 
Dia de sentir saudade.
Dia bom.

12 comentários:

  1. Nina querida, você sempre nos presenteando com seus textos cheios de emoção e lembranças...

    Um grande beijo, tenha uma semana linda!

    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  2. Que bom passeios assim, E as lembranças sempre chegam,não é? beijos,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  3. Nina, esses parques sao uma delicia, nao é mesmo?

    Eu nem tenho vindo aqui com estes dias de sol.

    Só tô pegando um bronze, rs.

    :)

    ResponderExcluir
  4. oi Nina!
    esses são meus passeios ultimamente... Valentina ama...
    e ela iria adorar este! muito legal...
    não sei se aqui em Dresden tem este tipo de parque, vou pesquisar... se sua amiga souber me diga...rsrsr
    beijossssssss

    ResponderExcluir
  5. Que lembrancas lindas, Nina! Emocionante!! Um paaseio no parque com muitas memorias...eu tbm tenho :)
    Ahh aqui tbm e feriado, de pentecostes.
    Uma otima semana!
    bjks

    ResponderExcluir
  6. Que delicia de passeio e que lembranças deliciosas!

    ResponderExcluir
  7. Linda sua história hoje. Também me deu saudades da infância. Um dia eu também conto rsrsr.
    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Hum... delícia... dia de alegria e nostalgia no parque...
    Imagino que ser mãe é rememorar a própria infância, as proprias descobertas e viver novamente, atraves das experiencias dos filhos, a simplicidade que a felicidade assume.
    Adoro estes biscoitos com forma de coração...
    E também perdi vários balões Nina, os meus geralmente tinham forma de chupeta kkk. Acho que os anjos adoravam pegar minhas chupetas lá no céu.
    Bjs
    Márcia

    ResponderExcluir
  9. Nina
    Sabado nós fizemos um programa parecido. Levamos a filha de meu primo primeiro no zoologico. A mae gostou tanto ou mais do quue a filha, Ela é de Uberlandia e disse que nunca tinha visto um elefante. Adorou. Nós sempre levavamos nossos sobrinhos, mas agora, todos estao crescidos de 16 a 23 anos. Estou aguardando os sobrinhos netos.
    Quanto ao parque tenho excelentes recordaçoes de parques porque papi nos levava no Riod e Janeiro e iamos no tivolo parque sempre. Eu adorava apesar de ter medo de tudo. Mas o papai sempre foi um otimo paizinho. Nos ofertou os melhores passeios do mundo. E mamae sempre junto.
    com carin ho Monica

    ResponderExcluir
  10. Oi Nina!

    Também tenho ótimas lembranças de parque com meu pai!

    Ohhh...tempo bom...rs!

    Beijo!

    Thaís
    t.thaismarques@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Hummmmm, delícia ler suas lembranças!
    Tudo direto do túnel do tempo.
    E que beleza este parquinho daí heim!
    Você e o maridex estão curtindo à beça o Pedrinho e seus brinquedos, legal!
    bjs cariocas

    ResponderExcluir