16/01/2012

Falar a verdade é sempre uma boa ideia?

Fui uma menina muito mentirosa. Pra atrair a atencao da minha mae que eu achava que nao me amava, eu inventava mil dores pra tê-la perto (acabei adquirindo de verdade, algumas dores, que até hoje me perseguem); por terror de uma professora de matemática, inventava na hora ir a lousa, dor de barriga e só saia de lá quando a campainha tocava; quando chupava uma lata de leite condensado inteirinha pelo furo, inventava que nao tinha sido eu a tomar aquela decisao mas o bicho papao em pessoa. E muitas outras mentirinhas "quase" inofensivas. 

Parei de mentir quando tinha 14 anos. Descobrimos que uma amiga nossa, uma das meninas mais bonitas da nossa turma, mentia aos seus namoradinhos que era rica. Como ela era bem pobre, e morava numa casa de madeira caindo aos pedacos no igapó do bairro da Glória em Manaus (na beira do rio) a gente ficou pensando: e se um dia um dos seus paqueras descobrisse que ela mentia? Que vergonha! Ele seria pega na mentira, igual as mocas das novelas que assistíamos. Desde entao, só por imaginar ser pega na mentira desse jeito, decidi nao mentir mais.
Todos que me conhecem sabem que nao sei mentir. Às vezes, até tento pegar alguém, fazer uma brincadeira, mas sou sempre descoberta logo no início. Nina, para, que tu nao sabe mentir. Meus filhos morrem de rir da minha cara de trouxa, quando penso estar enganando alguém, eles riem de mim e falam pra eu desistir de mentir porque aquilo já tá ficando peinlich (vergonhoso) Mas ao ser sincera, sou porém muito cuidadosa com o que falo. Ou pelo menos, era.
Morando aqui, aprendi a ser menos atenciosa com as minhas verdades, porque alemao é assim, eles falam  na cara mesmo, o que querem dizer, e sao bem menos sensíveis a crítica. Ainda estranho esse jeito duro deles de ser, mas é um fato que o povo aqui é muito sincero. Eles nao tem meia medida, nao tem papas na língua, falam o que pensam e estao dispostos SEMPRE a dialogar pra chegarem a um acordo. 

Uma palavra  muito usada aqui é tolerância,  e outra, aceitacao. Eles dizem que aceitar o que a outra pessoa pensa, ou como ela é, é indispensável pra uma melhor convivência e isso, mesmo quando as opinioes sejam totalmente diferentes. Mas se você pensa que no outro dia o alemao vai estar chateado com você porque sua opiniao é outra que a dele (como algumas vezes eu  ainda faco) você está enganado. Esse povo sabe exatamente como se portar com opinioes diferentes das suas.  É como se eles ativassem um dispositivo na cabeca: Ok, esta é sua opiniao.Ok! E pronto. Acabou.
Aqui eu aprendo todo dia.
Eu acho que nós brasileiros somos muito cuidadosos com o que dizemos. Isso pode ser bom ou ruim. Há por trás disso muitos fatores. Que podem variar entre sermos de fato mais atenciosos com o sentimento do outro, mas também, hipócritas. 
Essa linha é extremamente tênue e saber até que ponto pode-se ir com "nossas" verdades, pode ser um exercício de aprendizagem. 

Quando estive no Brasil ano passado, notei o quanto somos sensíveis a críticas e ficamos com raiva quando nao conseguimos mudar a versao do outro. Tive problemas com alguns familiares. Parece que às vezes, o melhor é esconder o que pensamos, mesmo que o que pensamos seja a verdade.
Mas aí a pergunta é: o que é a verdade afinal?



O que entendi ano passado é que cada um  tem sua verdade. E que no Brasil realmente, as pessoas nao estao acostumadas a ouvir o que outro pensa a seu respeito, a nao ser que essa opiniao seja exatamente o que a pessoa deseja ouvir. Se for contrária, você vai conseguir sempre alguém de cara feia pro teu lado. 

Entendi que no Brasil vou precisar sempre ser uma hipócrita, se quiser manter a harmonia entre  mim e as pessoas que me sao importantes. Enquanto aqui, posso ser quem eu sou, sem problemas.
Acho isso muito triste...


obs. neste blog você nunca vai ler artigos inventados, ou contos. Nao sei escrever nada que nao tenha acontecido comigo. Acredito que nunca seria uma escritora de romance, p ex., porque simplesmente, sou travada pra mentir, inventar ou criar mentirinhas como se fossem verdade.

14 comentários:

  1. Bem... sobre me mentir, tenho a dizer que sou uma atriz, minto com uma facilidade assustadora e minto tão bem que até eu mesma acredito que aquilo está acontecendo. Sempre que alguém quer pegar alguém contando uma mentira, me chamam, porque faço um teatro difícil de alguém perceber que aquilo é mentira.

    Mas tem um porém nessa história, só sei mentir assim para me defender ou numa brincadeira. Mentir sobre a minha essência, sobre minhas opiniões mais sérias é algo que me faz mal, faz eu me sentir uma hipócrita. Então quando o assunto é sério, prefiro seguir a linha da verdade, ou me calar. Nunca dizer que faço algo que não faço, ou penso algo que não penso.

    Quanto aos brasileiros, vc tem total razão, e isso piorou muito depois do politicamente correto. Agora se instituiu que é feio dar o nome certo das coisas, então todo mudo fala as coisas de forma maquiada. Um horror.

    Que bom que aí é diferente!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Nina minha linda, eu acho os brasileiros melindrosos demais, quando estou na Italia vejo cada situação que penso se fossem brasileiros a controvérsia acabaria em morte, mas depois de cinco min todo mundo está normal se falando, rindo etc..
    Acho que faz parte de um povo maduro emocionalmente, dialogar sem se ofender e quer saber? Eu só emito opiniões quando o assunto e a pessoa são realmente relevantes, senão escuto a abobrinha e deixo passar como se não fizesse parte de mim nem diferença na minha vida e não faz mesmo.
    bejim

    ResponderExcluir
  3. O tempo não passa mais rápido do que antes, é a mente humana que deseja mais do que consegue realizar, resultando na sensação de que o tempo não é suficiente. Porém, como nossa humanidade é sofisticada, em vez de tirar conclusões simples prefere elaborar teorias complexas sobre movimentos cósmicos, as quais não estão erradas, mas são apenas meias verdades. Nada mais perigoso do que pouco conhecimento e muita soberba, essa combinação é letal. Prefira sempre resolver seus dilemas com simplicidade e, também, levar uma vida simples. Você não precisa satisfazer todos os seus desejos para conquistar bem-estar, poucos e bons relacionamentos e objetos são suficientes. Essa atitude brindaria com a sensação de que sobra tempo para tudo.

    ResponderExcluir
  4. Nina,
    Não mentir é uma escolha sábia, porque administrar uma mentira é coisa pra profissionais, leva tempo e consome energia. Já a verdade é sempre libertadora...
    Quando ao modus alemão de falar verdades, te confesso que fiquei chocada no começo. A verdade vem tão dura que machuca. Sou da opinião que precisamos sim falar o que pensamos, mas com uma certa diplomacia... Não com hipocrisia, mas sim, com diplomacia.
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  5. Oiiiiiiiiiii nossa faz tanto tempo que nao entro por aqui...

    Vc tem toda a razao,percebo isso todos os dias,muitas pessoas so aceitam a verdade se a verdade for algo que ela gostam..
    Confesso que no inico,no meu trabalho eu ficava as vezes espantada com a facilidade dos alemaes dizerem o que pensam,pois eu,prefiria calar do que dizer realmente o que sinto..So que isso nao me fazia bem e comecei a dizer claro, com cuidado ,pelo menos com os alemaes que eu convivo diariamente,dizer o que eu realmente penso...Agora com os brasileiros,se vc faz isso, rapidamente vc e´ mal entendida,vira fofoca,ah sei la,..Entao o que fazer?? As vezes calar e´ a melhor solucao,mas somente as vezes...Beijocas e logo logo volto por aqui!!!

    ResponderExcluir
  6. Nina, mentir é complicado.

    Tenho a mesma impressao qdo estou no Brasil. Elas nao estao preparadas para ouvir uma opiniao, preferem os floreios. É meio complicado essas coisas em família. Concordo contigo. O alemao encara mais de frente os problemas do dia a dia e procuram uma boa saída para os problemas que se apresentam.

    Abracos

    ResponderExcluir
  7. eu tenho sangue alemao, entao sou mais parecida com eles do que com os brasileiros... só que isso sempre me trouxe problemas... as pessoas sempre diziam/dizem que eu sou muito direta nas coisas... E até hoje poucas pessoas compreendem que eu falo as coisas nao pra atingí-las ou machucar, mas simplesmente porque eu nao sei fingir ser quem eu nao sou!!
    Tb acho que falta um pouco ao brasileiro entender que as pessoas sao diferentes entre si e que tudo bem ser assim ou assado... se todos fossem iguais e agissem da mesma forma a vida ia ser muito monótona!

    ResponderExcluir
  8. Nina, se vc entendeu o que o Anônimo quis dizer, me explica por favor.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Nina
    O pior que a gente ser sincera demais, no Brasil as pessoas dizem que somos sem educação.
    Eu já levei muito sabao por dizer a verdade. Eu também nao sei mentir, mas aprendi a omitir. Fico calada, assim ninguem se machuca muito pois ambos os casos como catolica é motivo de piada e de pecado.

    com amizade e carinho de Monica
    Ha a mamae adorou o texto de sua filha.Ficou ate mostrando pras visitas, no hospital e eu ate envergonhada pois eles perguntavam? Mas como voce tem uma amiga na Alemanha?
    E eu expliquei pra varias primas e algumas acham internet perigosissimo.

    .

    ResponderExcluir
  10. Adorei seu blog...muito bom mesmo.
    O meu é www.blogalineneves.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Ai Ninoca tenho tão poucos amigos, advinha por quê? Falo o que penso sempre e é tão cansativo você as vezes ter que ficar calada, mas enfim...

    ResponderExcluir
  12. Nina, falar a verdade é sempre uma boa idéia desde que necessário. E não é só porque é uma verdade, que é necessário. Tem que avaliar a situação! E também acredito que gentileza faz diferença ao falar uma verdade necessária.

    Quanto aos brasileiros, fico cansada pela maneira que a grande maioria leva tudo para o lado pessoal. Por isso tanta hipocrisia. A sua análise foi muito pertinente! Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá. Bem, cheguei ao seu blog por meio da postagem mais recente de Dama de Cinzas, mas só soube que você mora no país que mais tenho vontade de conhecer após ler o seu texto.
    Por partes:
    Com relação ao post, tenho uma professora de alemão que é nascida aí e vive no Brasil há seis anos. Ela estranha o fato de muitas vezes haver essa mesma enganação ou falta de sinceridade que é peculiar aos habitantes daqui. Por ela fiquei sabendo que os alemães são metódicos e seguidores das regras de boa conduta e educação. Acho que é mais ou menos como você relatou aqui. A falta de sinceridade é realmente um problema para os brasileiros. E quando ela existe, é repudiada e considerada falta de educação.
    Com relação ao país no qual você habita, sou graduando em Letras e faço alemão como língua estrangeira. Pretendo ir para aí no próximo ano. E, para chegar mais preparado, acabei de eleger o seu blog como guia. Não li todos os seus textos, mas por esse já dá para saber que aqui encontrarei escritas com qualidade.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  14. Por causa dessa mania , da maioria de nos,de so falar a verdade pelas costas , Fabien acha que nos brasileiros somos hipocritas.Não posso deixar de concordar.
    Um exemplo: meu filho de 9 anos detesta sair de casa. Para convence-lo a ir a casa de uma tia prometi um picolé no caminho. Ao chegar, minha tia toda feliz de vê-lo em sua casa foi cumprimenta-lo e o que ele disse ?- So estou aqui por causa do picolé.Fiquei muito brava com sua falta de educação mas Fabien não achou nada demais ele ter dito somente a verdade.

    ResponderExcluir