17/10/2011

Sobrenome na Alemanha

Sabia que aqui os pais nao podem escolher como será o sobrenome de seu filho? A crianca é obrigada  a levar consigo somente um nome no sobrenome. Que em 99% dos casos, é o do pai. Eu acho isso chato, pra nao dizer, machista. O meu nome depois de casada, pude manter um dos dois  que já estava presente e  adicionei o do meu marido, mas só porque eles verificaram com a embaixada brasileira se era possível no meu país de origem, a mulher ter dois nomes. Ahhhnnn???  Minha filha, no meu país QUASE TUDO É POSSÍVEL, tá queridinha??? Você sabe com quem está falando, amoreco?? Com uma brasileira!!

Quando meu filhinho nasceu, a atendente disse que ele nao poderia ter dois nomes. Quase que a gente fez barraco na frente da pobre. Nao queria que meu filho tivesse só o nome do pai... e a mae na história, po? Ah eu ficaria me sentindo um zerinho à esquerda... nao ia gostar mesmo! Meu marido também nao queria só um nome, pra ele é muito mais romântico como fazemos no Brasil, ou seja, que o filho tenha o sobrenome dos pais, afinal, ele foi feito dos dois, e nao somente de um.  Apesar né minha gente, de que no fundo, o nome que fica sempre é o dos machos, já notou?  O teu primeiro sobrenome é da tua mae, que ela pegou do pai, e o teu último, que é do teu pai, é aquele que tu vai deixar que fique pro teu filho, que é adicionado ao do pai dele, e por aí vai... uma história complicada, que dá muito pano pra manga. Mas voltando a atendente aqui. Ela explicou que isso, de o filho ter somente um nome, ajuda a  manter a ordem e é mais prático pra crianca.  Aí eu lembro de como sao anunciadas as mortes nos jornais aqui "morreu Fulana Beltrana, nascida Sicrana". O pobre do nome de solteira só é lembrado quando a Fulana morre, acho isso triste. E voltando de novo a atendente, como a gente insistiu, ela procurou informacoes na embaixada (ahh meu pai, alemao pode ser chato, viu?) e verificou que sim, podíamos colocar nossos dois nomes no bebezinho, porque no Brasil é possível. Só porque eu sou estrangeira, e só pra mim, sendo estrangeira isso é possível, pra todos os alemaes, os nomes só podem ser um. Ou seja, se a mae resolveu manter seu nome de solteira depois de casada, geralmente, vai ver somente o sobrenome do marido no filho, a nao ser que ela queira colocar o seu, só que isso raramente acontece. Isso nao é ridículo?? Ah eu acho... tudo bem, entendo que sobrenome muito grande dificulta, mas que isso soa desagradável e autoritário pra mim, ah soa.  Ahh se a mulher quiser os dois nomes no dela, o país ainda inventa outra normas, como p. ex. o sobrenome tem que obrigatoriamente, ter um tracinho no meio. O mesmo serve pra os prenomes compostos, p.ex, o meu teria que ter ficado Nina-Rosa,  pelamordedeus, quase tive um troco quando isso me foi sugerido, deixem meu nome em paz, alemaozada!

Ordem demais pode ser um saco! 

Mas acho que podem existir casos ainda mais confusos,  uma amiga africana me disse que em seu país (nao me pergunte qual) as famílias costumam fazer assim: se o bebê nasce e  os pais gostam muito p. e.x, de um amigo qualquer, eles colocam o sobrenome dessa pessoa no filho. Já pensou a confusao pra provar paternidade? Até que chegue o teste do DNA, rola confusao nao rola?! Gente,  e quando a amizade acaba, como fica?? 
Eu hein, cada doido com sua mania, como diria minha sábia mae...
 

23 comentários:

  1. Cada coisa estranha, né? Filho tem que ter sobrenome de mãe e pai sim !!!!
    Minha neta nasceu na Austrália e tem os dois sobrenomes da: da mãe e do pai. Certíssimo e lindo!
    Cada qual com seu cada qual rsrsr
    Na Noruega a aliança de casada se usa na mão direita !!!!!
    Na Inglaterra homem não usa aliança !!!
    Culturas ............
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Meio esquisito isso para nosoutros que nascemos e acostumamos a uma cultura tão diferente.
    Mas, aqui mesmo, no Brasilveronil, vejo muitas mulheres que não se importam em colocar seus sobrenomes nos filhos e só ficaram com o nome do marido. Ainda bem que o meu maridex fez questão de colocar o meu também junto ao dele.
    E que legal o seu também ter esta sensibilidade.
    beijos cariocas

    (Te mandei um email veja lá no hotmail)

    ResponderExcluir
  3. Nina, a alemaozada quase arranca os cabelos por causa dos meus 3 sobrenomes. hahahahahaha Ai eu tenho que explicar que é um da mamae, um do papai e um do marido. Pra eles é o fim da picada e acabam nao entendendo nadica e questionando se eu sou a frau b..., s... ou r...? hahahahahaha
    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  4. Hehehe - é complicado mesmo :-D Cada país, uma regra diferente :-D Na Espanha, o último sobrenome da criança é sempre da mae, e a mulher, quando casa, nao troca de nome nem ganha adicionalmente o nome do marido :-)
    Beijos, Angie

    ResponderExcluir
  5. Nina eu tbm odeio isso! Quero ter o direito de por meu sobrenome no meu filho. Mais do que justo! Aqui tbm e um so sobrenome. E como voce citou ali da mulher que nao mudou o nome... pois eu continuo com meu nome de solteira, escolhi ficar assim. Por essa razao tbm que quero com certeza que meu filho tenha meu sobrenome. ainnn que situacao!!

    Bjkss

    ResponderExcluir
  6. Oi querida...
    É isso mesmo, cada lugar, uma cultura... mesmo aqui no Brasil, onde vc mencionou que tudo pode, quando casei tive apenas duas opções: permanecer com o nome de solteira ou acrescentar o sobrenome do marido; optei pela segunda, meu nome ficou com três sobrenomes: nome + sobrenome de minha querida mãezinha + sobrenome do meu querido paizinho + sobrenome do meu querido marido... gigante, não?!?
    Boa semana para todas!
    Bjs e fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  7. óia o Brasil mudando menina... Mas Ju, isso tá soando estranho pra mim, isso é bem coisa de baiano, oxenti :-)

    ResponderExcluir
  8. Que absurdo! Afinal de contas carregamos nossos filhos por 9 meses, enjoamos, e não temos o direito de colocar o nosso sobrenome? E você tem razão. Imagina colocar o nome do seu melhor amigo?????
    Pois é, como amo o meu país!

    ResponderExcluir
  9. Nina, acbabei de te descobrir no blog da Lola.
    O post era sobre roupas apertadas, mulheres barasileira, mulher banana...uma coisa assim. Lola postou, pessoal criticou e vc matou a pau com seu comentario e assim terminou a fanfarra, pois ninguem mais se manifestou.
    Te adorei, por isso vim aqui te seguir.
    Um abraco.

    ResponderExcluir
  10. Nina, respondi suas perguntas la no blog. Ia responder aqui mas achei que ficaria confuso.
    Amei sua visita e vou ler TODOS os seus posts...com calma...agora estou no trabalho he he he....
    bjs!!

    ResponderExcluir
  11. Oi Nina, que estranho hem amiga. Ainda bem que aqui houve mudanças na legislação dos registros civeis, agora temos varias opções, quando o Felipe nasceu optei por colocar o sobrenome da minha mãe, com o sobrenome dos pais do Patrick.

    Bjos querida.

    ResponderExcluir
  12. Graças a Deus no Brasil não é assim. No sobrenome da Larinha, "reneguei" o do meu pai, coloquei só o sobrenome da minha mãe e o sobrenome do papai da Larinha. Soou muito mais agradável. Se tivesse feito o usual teria ficado ridículo. rs.

    Beijos, beijos!

    ResponderExcluir
  13. Ah, eu faria um auê. Como assim, não poder compartilhar a praga de ser Juvenil e ouvir eternas piadas sobre ser eternamente jovem? Direito de deixar bullying como herança já!

    ResponderExcluir
  14. Nina, sabe que já rolou uma discussão aqui em casa com este tema?
    Acho muuuuito machista este lance de manter só o sobrenome do pai. Neste esquema, parece que as mães são menos importantes, cruzes, eu não quero isto não!
    Por falar em esquema machista, meu sobrenome paterno vem antes do materno, porque o Papaizão Macho-Man queria assim. E ai se a Dona Maria falasse algo...
    Aff, quanto machismo no mundo inteiro.
    Beijos querida, cheguei ontem e recebi meu livro lindoooooooooo :)
    Márcia

    ResponderExcluir
  15. Oi NIna... cada coisa de doido mesmo viu! E um absurdo as crianças só levarem o nome do pai... tbem achei machismo puro! bjo

    ResponderExcluir
  16. Nina
    Aqui em casa teve uma coisa engraçada e estranha com relação a sobrenome
    Minha irmã Elisa casou se e colocou o nome do marido, mas não todo. Colocou o nome da familia da sogra porque ela vivia dizendo que era viuva e que tinha criado os filhos sem ajuda da familia do marido.
    Mamãe discordou na época mas Elisa fincou o pé e fez assim.
    Elisa Paiva ( sobrenome do meu pai) e Lamonier sobre nome da mãe do Gabriel( marido de Elisa)
    E os filhos chamam Lucas Paiva Lamonier Vieira.
    E eles trabalham como dentistas. E muitos perguntam se são irmãos.
    Hoje ela diz pra mamae porque deixou ela fazer assim . Mamae responde que disse pra ela que estava errado mas ela não escutou.

    Quando mamae era professora de adultos era ensinava aos senhores e senhoras como deveria colocar nome e sobrenome nas crianças.
    Hoje acho que pode fazer do jeito que quiserem aqui no Brasil
    Em Santo Antonio do Amparo existia um homem no cartorio que bebia. Existe um monte de pessoas com sobrenome de outro e até com pais diferentes por causa desta bebedeira dele.
    E até gozado mas triste e embaraçoso para alguns. Ser filho de outro? Todos tiveram oportunidade de trocar quando casaram. Mas e as solteiras?
    Continuaram filhas de pais que não eram os delas, pois fica caro trocar a certidão depois.

    com carinho e amizade!sua amiga Monica
    viva os nosso nomes pois eles perpetuarão por bastante tempo

    ResponderExcluir
  17. Nina flor, na Italia a mulher não leva o sobrenome do marido e quando tem filho com ele o sobrenome do filho é só o do pai.
    Na Itália sou Diacuy Mesquita e meus filhos são Pietro Piccione e Francesco Piccione ou seja nada a ver comigo.
    No Brasil a gente pode ter até trezentos sobrenomes se quiser.
    bj

    ResponderExcluir
  18. Bom, meu marido e eu casamos no Brasil, eu adicionei o nome dele, ele queria pôr o meu também pra nós dois termos o mesmo sobrenome, e depois tambem nossos filhos, mas vc acha que deixaram??!! Não, só a mulher pode colocar o nome do marido, o contrário não pode!!! absurdo!!
    Agora vamos ver como vai ser com o filhos que provavelmente vao nascer aqui na Alemanha... vão ter o sobrenome da mãe também, nem que a gente tenha que ir primeiro registrar ele no Brasil!!! hehhehe

    ResponderExcluir
  19. AQUI, TBM
    EU MESMA SO TENHO NOME DO MEU MARIDO.
    BJS E DIAS FELIZES

    ResponderExcluir
  20. Nina, o pior que eu acho é na hora do documento da crianca. Por exemplo meu filho tem a identidade dele, pois na identidade nao conta nome de pai algum. Nem mesmo no Kinderpass que ele tinha. Tb armei maior barraco na prefeitura da cidade alegando que qqr um com o nosso sobrenome pode dizer que é pai do meu filho. Na certidao de nascimento do meu filho fiz constar que a mae deles se chama Georgia Q. Aegerter. Existe essa opcao. Na Rathaus eles a inserem no final da certidao. Na minha época eles nao permitiram colocar o meu sobrenome na crianca mesmo eu sendo brasileira. Isso tb é de lugar para lugar aqui na Alemanha.

    Mas concordo contigo é coisa muito estranha essa maneira dos alemaes pensarem.

    Bjao

    ResponderExcluir
  21. Aqui é parecido com aí! Americano só tem um sobrenome e geralmente é o do pai. A mulher quando casa, perde o sobrenome do pai e adiciona o do marido. Os futuros filhos só terão um sobrenome - o do marido. Essa prática a princípio me parecia machista, mas euzinha brasileira tenho o sobrenome da minha mãe nos documentos e NUNCA usei. Só assinava com um sobrenome - o do pai. Hoje eu encaro mais como praticidade. No dia a dia, dois ou três sobrenomes é uma confusão dos infernos (paises de cultura espanhola usam o sobrenome da mãe no final e não no meio). No trabalho isso era sempre motivo de estresse! Eu fiz as pazes com o hifen (odiava antes) e hoje carrego felizinha os meus sobrenomes agarradinhos como se fosse um só! =)

    ResponderExcluir
  22. Meu marido, quando Jujuba nasceu ,queria colocar Marc-Adrien.Vetei o hifen mas hoje me arrependo. Acho que teria ficado , no minimo, exotico.
    Não coloquei meu sobrenome no Jujuba, somente na Valon. Teria ficado estranho num menino , eu acho , um Gloria no meio de tanto nome francês. O nome do meu filho é Marc Adrien Daniel Robert Pinel .Pode acreditar !

    ResponderExcluir
  23. Bom, eu nao tenho filhos Nina, mas como sou casada com alemao fiz toda a mudanca de nomes, só que duas vezes. A primeira quando casei, aí escolhi ficar como Eloise (nome do meio que eu odeio) Kaluzny-Menhard, longo e sempre arrumava problema na hora do povo escrever, aí quando me tornei alema, mudei de novo, eles me sugeriram que eu mudasse o meu nome do meio, porque todo mundo escreve errado por aqui, aceitei e tirei o nome do meu pai também, só que apenas por uma questao de praticidade, já que sempre eu tinha problemas quando o povo ia escrever, embora eu quisesse mesmo era tirar meu nome do meio. Entao fiquei Eloise (nome do meio corrigido para grafia alema) Menhard.

    ResponderExcluir