14/09/2011

Pobres e ricos, no Brasil e na Alemanha

Meus filhos estavam no Brasil até domingo retrasado, ficaram  5 semanas com o pai, que mora em frente ao mar, no nordeste. Alguns dias eles foram passar em Belo Horizonte, terra natal do pai, e meu filho, depois de andar pela capital mineira, voltou falando que no Brasil, só tem gente rica. Disse que as pessoas pensam que ele por morar na Alemanha é rico, mas que ricos, na verdade, são eles, os brasileiros. Ele nunca havia pensado nisso. " Mae, os brasileiros são muito ricos, né?"
Você tem que perdoar a inocência do meu filho, ele tem 14 anos e ainda pensa que o Brasil é o melhor lugar do mundo pra se viver, "eu ainda vou morar no Rio de Janeiro, mãe, você vai ver!"  Ele, por ter visto as meninas todas arrumadinhas, os carrões pra lá e pra cá, as grifes que as pessoas exibem na Savassi (um bairro de BH), os cabelos alisados, as maquiagens, os sapatos caros, pensa que aquilo é riqueza. Que eu estou enganada com relação a situação financeira dos brasileiros.
Laura, sua irmã, ri da ingenuidade do irmaozinho. Mal sabe ele sobre as dificuldade de se manter aquela bela aparência, não é? Salão de três em três dias, pedidos constantes pra fazer cirurgias plásticas, pais endividados (aliás, todo mundo endividado) e a eterna insatisfacao consigo mesmo, afinal, tem sempre alguém mais belo e bem vestido que você, não é mesmo?!
Nao, meu filho nao andou como eu, observando o aumento das favelas e invasoes nas cidades grandes e nem pelas cidadezinhas do sertao nordestino, vendo uma pobreza de doer na alma, escondida dentro daquelas casinhas de barro, cheias de poeira, sol ardente e  Barbeiros, loucos pra transmitir a doenca de chagas aos seus moradores...  

Tem gente que pensa que somos ricos aqui. Tem gente que vem pra Alemanha pensando que vai virar rico de um dia pro outro. Grande engano! Alemanha é uma país muito correto e justo. Aqui o que você recebe, você paga em impostos. Se você quer montar uma barraquinha na rua, você não pode, se você quer vender bombom na escola, você não pode, porque se você vai ganhar dinheiro de algum modo, o governo tem que saber. Pra qualquer empreguinho você tem que ter estudado pra ele. Qualquer um! Se você quer ajudar financeiramente em casa, você tem que ter bastante nocao de qual emprego você vai pegar, porque se você não ganhar suficientemente bem, não adianta pegar o emprego, porque às vezes você precisa pagar mais impostos do que você vai receber de salário, é claro que estou exagerando, mas é mais ou menos isso. Vamos dar um exemplo: se teu marido trabalha e recebe bem, os impostos que a família tem que pagar serão menores do que se os dois tiverem salários, ou seja, se o teu salário no novo emprego não compensa, esqueça! Prefira ficar em casa sendo sustentada pelo maridao. Se você quer fazer qualquer trabalho em casa, por ex., sei lá, ser manicure das pessoas do seu prédio - e esqueça prédios altos, arranha-céus, aqui não existe isso, no máximo você vai morar num prédio de 5 andares, com 10 ou 15 famílias -   isso tem que virar uma empresa, porque assim você vai pagar os impostos cabíveis. Se você não fizer isso, alguém vai te dedurar ao governo! Porque não é correto você ganhar dinheiro sem pagar o que precisa ao governo.
Então, falando superficialmente, é mais ou menos por isso que neste país não tem essas grandes diferenças entre ricos e pobres. Meu filho não percebe essas pequenas sutilezas e não sabe o que tem por trás da exuberância exibicionista dos brasileiros, nem da simplicidade dos alemães. Ele ainda fica impressionado que um coleguinha da escola, que parece tão simples, que leva seu pãozinho com queijo e presunto e uma  maça pra hora do recreio na escola, que se veste todo simplezinho, e vai pra escola a pé ou de bicicleta meio velha, pode ter em casa um quarto cheio de jogos, computadores de última geração, celulares incríveis e viaja todas as férias pra lugares lindíssimos! E isso vai ser uma constante com quase todos os colegas.
É claro que há pobres, mas logicamente, nunca é uma pobreza tão escancarada como a que vemos num país de terceiro mundo (ainda se usa esse termo?) como o Brasil, p. ex. Aqui os pobres são geralmente aqueles que estão desempregados, e que são mantidos pelo governo. É por isso também que eles são pobres, porque de alguma forma, estão sendo mal acostumados com a ajuda governamental e não veem saída pra sua situação. Acomodaram-se.
De qualquer forma, rico, pobre ou classe média, alemão não sai por aí se exibindo. Lógico, existem excecoes à regra, mas elas são infinitamente menores que a grande maioria de gente normal que vemos pelas ruas. E acredite em mim quando digo isso, mas a maioria dos exibicionistas que você vê aqui, são estrangeiros, normalmente vindos de países pobres... interessante, nao?!

Nao, aqui você nao ficar rico. Se bem que rico pra mim tem significado bem diferente do que tem na cabecinha ingênua do meu filho. O que você ganha, certamente,  morando aqui é qualidadade de vida. Isso pra mim é a maior riqueza dos alemaes. E o que de melhor o país tem a oferecer...
E o Brasil? O que você acha que tem a oferecer ao seu povo?
Quando é que isso aqui embaixo, vai ser resolvido????


17 comentários:

  1. É uma boa análise! Sempre bom ler sua opinião sobre essas diferenças culturais.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Olha Nina, eu e o meu namorado alemão temos visões de mundo em relação a pobreza completamente diferentes. Mas quando apresentei pra ele aqui no Brasil a nossa pobreza, não só de brancos, mas também dos índios que nem direito a terra tem, ele conseguiu pensar de maneira mais aberta sobre o assunto e entender alguns dos meus valores (pq no Brasil vc precisa pensar muito antes de comprar no mercado, é outro exemplo, pois os produtos são muito mais caros!), como também a questão do conforto, que é bem diferente. Vivo no sul e aqui faz muito frio, e nao temos heizung nem janelas de vidro duplo! Ele sentiu um pouco na pele como é aguentar o frio dentro de casa e ter que se encher de casados o tempo todo no inverno. Hehehehe Um dia escrevo um post sobre isso. Assim como também acho que um dia seu filho verá com outros olhos a riqueza de fachada do Brasil! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. A parte do todo mundo endividado é que me deixa perplexa. Dá pra contar nos dedos famílias que vivem sem ter que recorrer a cartão de crédito como apoio de renda por aqui. Não importa a faixa de renda. Qto aos impostos, Nina, a carga tributária do Brasil é a maior do mundo que estão devidamente embutidos em tudo o que se faz, exceto o ar e o azul do céu. O problema é a má divisão da cobrança desses impostos que acabam pesando na classe média, já que ricos dão um jeito de driblar e pobres são isentos e a falta de retorno dos impostos em serviços. Ou seja, vai demorar pra resolver o problema.

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Complexas. Complexas as perguntas. E a percepção do seu filho também é relativamente complexa. É fato que o Brasil está dividindo melhor a renda, basta acompanhar o coeficiente de Gini. A diferença "monetária" entre o mais rico e o mais pobre está diminuindo. É o que os números mostram.
    Quando visito nossa terra vejo mais pessoas com padrão de vida mais elevado, tendo acesso a faculdades, comprando bens, inclusive moradia. Mas você bem mencionou que o endividamento cresceu absurdamente, ou seja, não sabemos dimensionar até que ponto uma determinada pessoa pagou pelo que comprou. Isto é preocupante, mas os bancos estão se precavendo. Não acredito que vamos chegar aos patamares de endividamento americanos. E não acho que tá todo mundo se endividando. No geral, vejo a situação melhorar como um todo no país.
    Mas a pobreza crônica é um outro problema. Este documentário mostra uma face tão miserável do Brasil que parece que não é no Brasil.
    Bem, eu disse que suas perguntas eram complexas Nina... E acho super lindo o colega do seu filho levar o pão de casa, e a maçã. A simplicidade sempre me encantou. E em muitos casos, ela é a maior riqueza.
    Bjs
    Márcia

    ResponderExcluir
  5. Amei o seu post!!!
    Acho que a nossa sociedade vive hoje de um jeito equivocado e egoísta. Infelizmente virou um círculo vicioso... Se você não se veste bem, não se maquia e alisa o cabelo, você não consegue emprego!!! Ou é rejeitado em lojas, etc... tipo o filme "Uma linda mulher"! Uma vez fui barrada em uma loja porque estava com o uniforme da escola em que eu trabalhava!!!
    Um horror!!!
    Eu hoje, tenho a possibilidade de ficar em casa, mas muitas mulheres precisam trabalhar fora para ajudar a sustentar a casa. Ainda mais porque como você pôde ver quando esteve por aqui, os preços são absurdos... Eu não consigo encontrar sapatos por menos de R$180,00, se for mais barato quebra em menos de três usos (quebra o salto, ou a alça da sandália...).
    Infelizmente aqui no Brasil é assim!!! Uma pena!!!

    Precisamos lutar por um mundo melhor, mais justo!!!

    Beijos!!!

    Lívia.

    ResponderExcluir
  6. Complicadíssimo, gente, complicadíssimo mesmo. Sem dúvida, mt coisa melhorou, as diferencas ainda sao extremamente gritantes, mas é fato que diminuiu. De qq maneira aida há mt gente como essa,do filme, nao é?

    Mas eu tbm sinto que algo como o que acontece no Brasil nao pode piorar... vai ter que sair coisa melhor daí. É a única saida, melhorar. A esperanca tem que existir sempre!

    Mas vejo uma preocupacao enorme essa que mencionei, a do endividamento. Sao pouquíssimas as famílias que nao estejam endividadas ou que nao estejam com nome sujo na praca,como dizia antigamente a minha mae, isso me deixa preocupada.

    Só uma colocacao, Marcinha, aqui todas as criancas levam lanchinhos de casa pra escola, inclusive meus filhos :-)

    Um bj em todas e olha Cá, eu te entendo perfeitamente, meu marido antes de conhecer o Brasil pelos meus olhos, achava a Alemanha uma merda,e o Brasil MARAVILHOSO, hj ele entendeu mt coisa,que antes, passava despercebido... acho uma pena, claro, mas nossa realidade no Brasil vai mais além do que bundas gostosas desfilando nas praias do país e caipirinhas geladas...

    ResponderExcluir
  7. Ô Nina, tu tá enganada fia! Esse video aí não pode ter sido feito no Brasil! No Brasil de Lula e Dilma e Dirceu? Que é isso? A propaganda do Governo é sobre como erradicaram a pobreza, a miseria, que não há crianças mais fora das escolas, nem exploração infantil e os hospitais com medicos de familia, marcando consultas nas casas dos pacientes, nem gente passando fome e sede no sertão por conta do Bolsa Familia. Ficou tudo "líndio" de uma hora pra outra. Tem mais isso não, filha. Garapa? Não. É leitinho quente todo dia!

    ResponderExcluir
  8. É bem interessante ver os diferentes olhares,não é?

    Uns olham apenas com os olhos, se encantam e voam.

    Outros enxergam a realidade! beijos,chica

    ResponderExcluir
  9. Nina
    Voce sabe que eu a admiro muito?
    Hoje eu li tudo inclusive os comentarios porque voce não é politica, não está no Brasil e percebeu tudo.
    E deu uma aula sobre sociedade que gera polemica com muita leveza( palavra da moda brasileira)
    O Lula entregou para cada familia uma renda , a bolsa familia e a Dilma continua.
    Eu trabalhei na roça, como professora, as casas pobres, caindo pois os fazendeiros não são como eram.A mnaioria hoje tem tres empregados e trabalham junto com eles, ou então vendem para uma firma estrangeira.
    Mas nas casas que eu ia tinha de tudo, eletro domestico, computador Tv enorme e comidas.
    Tudo graças a bolsa familia. Mas os alunos não querem trabalhar porque so podem depois dos 16 anos.
    E não estudam como deveriam.Nm os cadernos eles compram pois o governo dá.
    E tanta coisa pra dizer que... só pessoalmente.
    Todos estão certos. A divida da classe media que tem que pagar um plano de saude para quando adoecer e muitas coisas para pagar. Mas o pobre só é pobre se ele quiser, pois existe um monte de coisas gratuitas para eles.
    Só que mesmo assim o jovem todos eles tem roupas de marcas. Não sei como os pais sobrevivem.
    Eu preciso de contar, recontar meu dinheirinho todo dia.
    Eu amo o Brasil mas gostaria que não houvesse esta disparidade, pois tenho certeza que em alguma parte esta acontecendo o que o filme nos mostrou.
    Com muito carinho tenho certeza que este assunto vai render
    com amizade Monica

    OBS: Meus pais frequentavam um grupo chamado escola de pais em Varginha MG.Eles não foram perfeitos em sua criação para conosco , mas fizeram o possivel para sermos pessoas melhores. E sei que é assim também com você e sua familia.
    Por isso eu tive a coragem de lhe dizer como fomos criados.

    ResponderExcluir
  10. Nina, fantástico teu post!
    Você conseguiu dizer tudo nesta comparação entre os dois países e da nossa 'pseudo-riqueza'.
    Como você sabe, é uma questão de valores, já que nosso país nunca passou por guerras, não sabe o que é lutar verdadeiramente. É um problema cultural de séculos, onde todo o sistema prefere ter uma população inculta e hoje é muito mais fácil manter uma população com um pequeno aumento econômico de renda que nos últimos 10 anos tiveram, do que ter um povo nutrido de educação e aí ficam felizes com a roupa de marca que conseguem para desfilar, carros, bens de consumo.
    O que prolifera agora é ver, por exemplo, um carro fantástico de 300 mil reais estacionado sobre faixas de pedestres sem nenhum pudor e poucos reclamam e o pior de tudo é a população aceitar passivamente a tudo isso e muitas outras atitudes.
    Precisamos de um choque cultural de décadas, mas os ruralistas endinheirados e os coronéis do Norte/Nordeste não querem isto, haja vista um Sarney e sua prole que já foi por dois mandatos presidente do país, sua família governando de forma contínua o Maranhão e o estado é, talvez, o mais pobre da federação.
    Teu filho irá entender isso rapidamente, ele ainda é um adolescente com óculos ainda embaçados.
    Quem sabe daqui a algumas gerações algo mude, temos tudo para que se conserte isso, pode ser que os astros se aliem e conspirem a nosso favor, né mesmo?
    beijo grande, carioca

    ResponderExcluir
  11. Nina, deixei uma resposta ao seu comentario no blog.
    Olha esse assunto dá pano pra manga, saia, calça etc.
    Seu post não poderia terminar melhor: Vídeo oportuníssimo.
    Ano passado estive na índia e vi uma pobreza que jamais vi em São Paulo, olha que aqui tem favelas hein!
    Mas é uma pobreza diferente. Uma pobreza que não é cobiçosa, invejosa, violenta. Credito a esse comportamento a crença da maioria das pessoas no carma. Ninguém aparenta nada, as pessoas são o que são e basta. Por isso se pode andar na rua de madrugada, tirar dinheiro em caixas eletronicos sem neuras, fobias etc.
    No Brasil é mais importante aparentar que ter. Pessoas andam em carros que valem um apartamento que em alguns casos a pessoa nem tem, e pagam em 48 vezes, compram roupas em 10 vezes, os ricos sonegam, os pobres pagam mas encontram uma forma de enganar lá adiante.
    Caráter aqui não é importante, mas uma bolsa cafonérrima é importantíssima.
    como sempre adoro seus posts.
    bjs
    Lola

    ResponderExcluir
  12. quando viajamos temos a tendência de só olhar o lado bonito das coisas. chegamos as nos encantar com cidades, mas viver e passear realmente mudam muito o olhar. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  13. Sim Nina meu nome é Diacuy significa Flores do Campo.
    Bom dividir nossas mazelas com vc.
    Beijo
    Lola

    ResponderExcluir
  14. Oi Nina, obrigada pelo comentário lá no blog... foi bem esclarecedor, hehehe! Quanto ao seu post, cada país tem sua peculiaridade né... acho que se o Brasil fosse mais rigoroso, o país não seria essa lambança que é hoje! Seu filho pode ter uma ideia do que é riqueza hoje, mas ele é novinho e tem muito o que aprender.... logo ele vai sacar que riqueza não é ter tênis ou roupa da moda, mas sim uma família legal como a de vcs e outras coisas que o dinheiro nenhum pode comprar! bjoks

    ResponderExcluir
  15. Nina voce e uma jornalista, comentarista e deveria enviar seu "curriculo" para escrever artigos em algum jornal online! hehe Seus posts sao sempre otimos e eu me identifico muito por voce expor de maneira clara tantos assuntos bacanas.

    Bem, acho que boa parte da Europa funciona assim. Pelo menos na BE e em NL e assim mesmo, do jeitinho que voce falou. E uma formula que funciona bem aqui. Boa parte do salario vai para os impostos, mas o retorno vem na educacao, nas estradas, para o bem comum.
    No Brasil ha o contraste gritante, da pessoa que tem mais condicao com os que nao tem. Boa parte do salario do brasileiro vai para os prazeres (a gente nao ganha a fama de festeiro de graca nao), qualquer predio no Brasil tem salao de festas, e comum gastar horrores em saloes de beleza, em festas de casamento, em festas de crianca... tudo para uma "recordacao"
    (/recompensao?/ para ficar quites com o vizinho?), mas isso e mesmo necessario? A s criancas hoje em dia crescem pensando que os bons momentos da vida esta em um festao. Essa simplicidade aqui e realmente uma riqueza.
    Acho que a forma com que se gasta o dinheiro aqui e uma forma mais "madura", mais consciente...e nao quer dizer que nao se celebre, que nao se gaste com roupa ou que a pessoa nao queira ficar mais bonita. Acho que o brasiliro e todo o sistema brasileiro tem uma forma de adiministrar o dinheiro bem semelhante. Ou seja o povo tem o pais que merece. E dificil mudar uma sociedade, uma forma de pensar e viver, entao acho que para melhorar o Brasil e necessario aprimorar o nosso jeito, pegar o que temos de bom e tentar conscientizar os defeitos (fazer campanhas quem sabe). Entao acho que o Brasil de uns anos para ca tem ficado mais consumista. Bem, esse e um assunto que se liga a varios outros. E uma teia bem extensa. Talvez eu ate tenha fugido do foco.. ><
    Mas a Alemanha e um exemplo de economia muito forte, e incrivel como eles sabem administrar bem, (tanto o governo quanto as pessoas, como vc disse...na parte domestica mesmo) acho que a boa mao de obra interna tambem ajuda a economia forte. Ontem eu estava lendo sobre a primeira guerra mundial e sobre a economia Alema, e incrivel que mesmo que eles passem por perrenges, eles se reconstreem rapidamente. Os paises em crise na UE, como Portugal, Irlanda, Italia, Grecia e Espanha estao em risco ne? Principalmente Portugal e Grecia.
    E a Alemanha esta la, sempre uma fortaleza. Nao sei muito bem a receita, mas e um pais adimiravel.

    bjkss

    ResponderExcluir
  16. nossa, parece que fui eu quem escrevi esse post! é exatamente isso que penso e disso que eu tenho medo quando tiver um filho aqui! espero de coracao que seu filho acorde a tempo, ainda bem que pelo menos a irma ja tah salva :D
    a maior parte dos estrangeiros pensam que viver aqui é um paraíso e qs todo brasileiro acha que viver no exterior é glamouroso, vc leva uma vida de realeza... triste pros dois lados rs

    deixa ele passar uns meses no rio que rapidinho ele acorda :D ainda bem que ele tem a facilidade de deixar o rj e voltar pra alemanha, pq eu custei pra conseguir me livrar do rj! tanto documento, tanto imposto, tantas obrigacoes e imposicoes... quem dera a cabeca de colonizado dos brasileiros mudasse, gosto do jeito dos alemaes: nao quer ser alemao? nao quer mais viver aqui? entao tchau hahaha

    ResponderExcluir
  17. Meu nome é Edmar Rodrigues da silva sou motorista profissional categoria D e estou desempregado a 4 anos, não sei mais o que fazer , no Brasil a pessoa passou dos 40 anos é considerado inútil, eu estou entrando em depressão e estou a beira de me suicidar , eu estou sofrendo muito porque os meu filhos gostam muito de mim e dependem também, por favor me ajude , eu só estou querendo um emprego para que eu possa criar os meus filhos antes que eu possa dar um fim na minha vida, eu passo as noites chorando escondido dos meus filhos , pois eu sei se eu me suicidar eles vão sofrer muito, em nome de Deus se alguém que ler este meu comentário por favor me ajude, eu não estou pedindo dinheiro e sim alguém que possa me ajudar a criar os meus filhos com apenas um emprego. Meu telefone é (31)92056809 ou edmarodrigues1@gmail.com.

    ResponderExcluir