02/11/2010

Sentindo falta de alguém

Ontem ao falar com minha mae ao telefone lembrei de que hoje era dia dos finados. Ela estava falando que iria participar hoje bem cedinho de uma missa, onde leria algo na celebracao que seria realizada no cemitério perto da casa dela. Falou que tinha ido semana passada limpar a sepultura da minha vó, pintar e colocar flores como faz sempre. Na hora tive que segurar as lágrimas pra minha mae nao pensar que eu estava triste, nao tenho a menor vontade de deixar minha mae pensar que estou triste tendo um oceano de distância entre nós e ela nao poder fazer nada. Mas o fato é que eu fiquei triste e fiz esforco grande pra nao chorar.
Como nao chorar lembrando que aquele cemitério guarda os restos da pessoa mais importante na minha vida, na minha rica infância?????? Quem mais coloriu, recheou de amor e ternura a minha vida de menina??? Quem mais me caprichou e  me embelezou sendo eu a mais feia da família??? Quem mais me acarinhou, me preencheu, me alegrou, me animou, me vestiu, me fez rir?? Quem costurou pra mim, quem me deu bruxinhas de pano feitas por ela e milhoes de babydolls de jersey macio e colorido????? Que tinha o quintal mais cheio de gato que já vi, que curava qualquer dor da gente com oracoes e folhas desse mesmo quintal?? Que me abracava sendo eu simplesmente mais um entre tantos netos e mesmo assim, me sentindo sempre como se fosse a única, a preferida, a mais querida????!!!

Como nao chorar???

10 comentários:

  1. Sabe, Nina, uma coisa que eu quero é que quando eu for alguém sinta falta de mim assim como você descreveu.
    Beijo grande, fica bem e ó eu adoro a Fernanda Takai
    Berê

    ResponderExcluir
  2. Ah, Nina, eu lembro de seus posts sobre sua vózinha...
    Entendo a sua saudade... Hoje, também meu coração se encheu deste sentimento, daquela que me fez sentir verdadeiramente amada nesta vida: minha tia Stela!
    Que estes seres de luz possam olhar por nós, Nina, de onde quer que elas estejam. Sei que estão cuidando da gente!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nina!
    Faço idéia como era esta sua querida e linda vózinha! Eu também tive uma, gordona até, mas muito doce e querida. Na verdade, hoje, lembrei mesmo foi de meu pai e sogro, botei até lá no blog.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  4. Não pq é hj dia de finados, mas eu sempre sinto falta....todos os dias é assim quando um amor vai embora.

    beijo grande e fica triste não, olha bem no olho do pedrinho e ver esse amor como um espelho em ti...

    ResponderExcluir
  5. E, e triste mesmo. Nostalgico e silencioso, uma imensidao de um tempo incalculavel, um passado com uma cor sepia mesmo... as vezes ficamos fortes outras vezes os sentimentos se fragmentam e tudo isso tambem me faz chorar. Ao menos o presente que temos nos acolhe para seguirmos em frente continuando a ser feliz e tambem dar felicidade aos outros assim como fez sua vozinha. =)

    Um beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  6. Vó é mesmo mãe com açúcar!
    Beijos, muitos!

    ResponderExcluir
  7. poxa, a saudade e as lembranças das pessoas que se foram marcam bastante né... é por isso que temos que aproveitar cada minuto perto das pessoas que amamos, justamente para termos somente coisas boas para lembrar... bjo

    ResponderExcluir
  8. Eu estava pensando esses dias sobre sua avó...Sei que ela é tão especial quanto a minha é pra mim e só o medo de perdê-la me assombra todos os dias da minha vida. Fico ensaiando o dia que ela se for,como vou viver após isso e você me dá forças para continuar porque sei que a saudade fica,mas a vida continua.

    ResponderExcluir
  9. Nina, saudade é uma coisa que dói de verdade e muitas vezes é difícil não chorar...

    Chorar alivia a alma, querida.

    Beijos, beijos!

    ResponderExcluir
  10. Parece que vi os babydolls de jersey, Nina. Que lindas, suas lembranças.
    E parece que vi, também, de um lado sua mãe se segurando para não chorar, e você do outro, fazendo a mesma coisa.
    Beijos para você. Muitos.
    Silmara
    (tks pelo link do meu texto...)

    ResponderExcluir