14/09/2009

Sobre amores e blogs

Hoje em dia quando penso sobre o amor, o que me vem à cabeça é algo como este blog. As pessoas costumam falar que amor é igual a uma plantinha, que precisa ser regada continuamente. Concordo.

Mas agora que tenho este blog posso dizer que amor é igual as relações que tenho com ele. Todo dia venho aqui, olho com carinho, leio e releio, olho tudo um pouquinho, vejo comentários, choro, me alegro e me emociono, escrevo. E o amor não pára por aqui. Ele se distribui quando eu visito outras casas.
E há uma correspondência ou não entre nós. Porque eu tenho que ir mais de 20 vezes comentar num blog fora do meu, se esse blog não vem uma vez sequer olhar o que é meu? Eu vou, leio e releio, visito posts passados, comento, dou meu amor, me doo e não tenho o amor correspondido. Então canso e não me dou mais. Simples assim, como deveria ser alguém que na vida, não recebe o que dá. „Ahh, você não me quer? Então, sorte minha, vou sair de fininho de você. Tchau!"

Mas quando há a troca, o outro vem e retribui o que recebeu. Eu por minha vez, vou e volto. E assim o amor é transportado, é reciclado a cada comentário, a cada post, o amor é renovado. E às vezes esse amor ultrapassa barreiras, vira um email, uma carta, um telefonema, um pensamento em algum lugar sobre alguém que já conheço „bem“, apesar de ser apenas por aqui, num click, e me lembro assim, meio sem querer, no dia a dia.
Torço por essa pessoa, peço a Deus por essa pessoa, me alegro por essa pessoa. E o amor está ali de novo.
Muita coisa se vê em blogs, coisas boas e ruins, coisas bobas e importantes. Mas tenho notado que tudo que permanece de fato, pelo menos para mim e devido as minhas prioridades, é o amor.
Eu posso gostar de amenidades, posso gostar de moda, de beleza e maquiagem, mas quem permanece é o que mais me interessa e o que mais me interessa não é maquiagem, não é celebridade. Mas em vários blogs visitados, vejo que leio, leio e não absorvo nada. Porque o fútil passa por mim sem deixar marcas.
Já o amor fica, permanece e essa marca é indelével. Pessoas que não amam niguém, pessoas que brincam com o amor dos outros, essas passam.
Não gosto de um blog que perde seu carinho por quem vai lá.
Tem blogs que recebem tanto amor e não correspondem.
Tudo fica impessoal demais.
E esses me fazem lembrar pessoas que são amadas mas que não enxergam o amor que recebem, não pensam no outro.
Mas aqueles que recebem muito amor, mas não dão nada em troca, não correspondem, aahh esses me são estranhos... e evito, porque gente que não se doa, é geralmente, vista por maus olhos por mim. Ou pior ainda, há aqueles que vão todos os dias religiosamente, que se dão por inteiro (?) e de repente, param de ir. É como aquelas pessoas que se apaixonam perdidamente por alguém, só esperando troca que não vem, porque elas aprenderam que insistindo e depois desistindo, alcançarão o desejado, pensam que assim, o outro vai correr atrás, mas essas, aaahhh, elas querem a tudo e a todos, não selecionam, querem apenas receber, aparecer, pensam estar se doando, mas na verdade, se entregam muito facilmente, juram amor sincero e eterno, mas são baratos demais e muito volúveis. Pra que eu os quero?
Ao mesmo tempo leio blogs sérios, leio principalmente os que me falam ao coração e existem alguns que não precisam retornar a visita por que o amor é muito grande, a gente percebe, e ele é dividido com muitos. Assim, um amor puro, amor que não cabe de tão grande, amor distribuído.

E é assim que me encontro no amor sincero dos pequenos e simples. Nos pequenos blogs onde por trás deles existem grandes pessoas, que entendem o quanto o amor precisa ser regado como uma planta, ou alimentado diariamente com um novo post, com um comentário de reciprocidade, com um "muito obrigado por sua visita".

E que entende principalmente que às vezes é melhor sair um pouco do blog e olhar em volta, porque os que amamos estão também aqui do nosso lado, só esperando ser clicados, com receio de serem deletados. Desejando no fundo, apenas serem regados.
* * *
Pra você curtir, minha Emiliana, porque amo muito :)


O post escrevi faz um tempão, no antigo blog que tínhamos. Mas fica até como desculpa, pelas minhas ausências em tantos blogs queridos. Semana que vem começo um novo curso do alemão e provavelmente, meu tempo na net diminuirá...

22 comentários:

  1. Adorei o post, nossa me sinto exatamente igual...
    com detalhe que as vezes sei que eu escrevo coisas sem importãncia,mas, que preciso externar rs...Agora sobre carinho, busco sempre dar!

    Como vc disse o tempo as vezes fica apertado, estounum momento que meu filho exige muito tempo de mim, estamos numa sintonia que não quero mnunca quebrar, por isso meu tempo é prioridade à ele...

    Mas, então deixo aqui um beijo e um desejod eboa semana!

    ResponderExcluir
  2. Lindo post!

    (mas falar sobre amor, no momento, tá doendo muito...)

    beijo!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Nina!
    Você disse tudo neste teu lindo post.
    Eu penso e sinto exatamente o mesmo, pois gosto de interagir e trocar palavras com pessoas que escrevem coisa que vão ao coração, mesmo sendo suas viagens, suas experiências de vida.
    Muitas vezes escrevo coisas bem interessantes, de alto conteúdo e aí a pessoa não comparece ou se assim o faz, não deixa uma palavrinha. Daí, escrevo uma baboseira, poucas linhas e a pessoa aparece e deixa algo do tipo: Adorei! Seu blog está tão leve hoje.
    Oras, nem sempre escrevemos coisas que o outro quer ler ou está na mesma sintonia, mas já que não escrevo sobre política, sobre desgraças e sim sobre minha realidade do dia a dia, acho isso um tremendo desrespeito e prefiro então que não mais se pronuncie.
    Seu blog é prazeiroso de ler por causa justamente disso, você capta na sua vivência as coisas belas e divide conosco, também faço assim na maioria das vezes e é por isso que fiz daqui minha paradinha diária.
    O vídeo é alegre e eu não conhecia esta moça, gostei muitcho!
    beijos grandes cariocas

    ResponderExcluir
  4. Nina,
    Para variar me identifiquei muito com tudo o que você disse.
    E acrescento que a gente, nos blogs, tem a chance de fazer algo que nem sempre é possível na vida: realmente estar com quem se deseja estar. Se eu gosto, eu fico e se gostam de mim ficam comigo.
    Por isso é que eu não entendo blogueiros que ficam cobrando link, seguindo centenas de blogs sendo que não de dão a nenhum, seguem só de nome...
    No meu blog mesmo tem "seguidor" que nunca disse nem oi...
    Aliás detesto esse termo seguidor, parece coisa de seita...
    E quanto a você passar a ter menos tempo na net, esquenta não que eu te espero... Beijos.Muitos.

    ResponderExcluir
  5. e que posso te dizer é que você linda! as palavras derramam gentiliza. Concordo com você: o blog é um intenso território afetivo! bj

    ResponderExcluir
  6. Nina,
    Somos seres de reciprocidade, e não há quem sobreviva somente de dar amor... Adorei o texto! E Gloria resumiu o que se passa entre os blogs de uma forma muito especial: é um intenso território afetivo!
    Um beijo, excelente semana e ótimo curso de alemão!!! Vai ganhar a aposta com a Laurinha, hahaha!
    Márcia

    ResponderExcluir
  7. Olá querida!
    Perdoo todas as suas ausências se você perdoar as minhas.
    Pode sumir um pouquinho, mas não desapareça, ok?
    Logo, logo te mando um email com notícias e a procura de notícias.

    bjux Menininha!

    ResponderExcluir
  8. E cá estou eu de volta da minha Barcelona, para lhe dizer que as qualidades que você aponta num blog-amor, são todas as que o seu possui, assim como as suas visitas sentidas e verdadeiras.
    Um beijinho Nina; é um prazer andar sempre por aqui.

    ResponderExcluir
  9. Tenho usado a lei da reciprocidade: geralmente comento nos blogs que comentam no meu... e são poucos ainda bem porque eu não sou mesmo do tipo '...eu quero ter um milhão de amigos...' :-)
    Beijos muitos e bom curso... oh!Good!Alemão deve ser tãoooooo difícil :-)
    Beijão!

    ResponderExcluir
  10. Lindas as suas palavras. Não por que voce as escolheu corretamente. mas por serem a mais pura verdade. Espero jamais cair na mediocridade que tanto vejo em alguns blogs. eu sou um pouco insistente. Quando a pessoa demora demasiadamente pra postar ( tipo um mês) começo a ter reações. com uns de preocupação se ainda estão vivos ja outros nem tanto, mas sempre reajo pois realmente os blogs são como plantas, e eu não gosto de ver plantas morrendo. Enquanto puder , farei minha parte.
    um abração ! :)

    ResponderExcluir
  11. SAUDADONA SUA , viu ?
    Saudades da sua doçura e do seu acolhimento.....

    ResponderExcluir
  12. Nina, adorei o texto, e me emocionei. Me emocionei porque eu trouxe você e mais algumas para minha vida. Meu noivo e minha mãe conhecem por nome, e isso é muito bom. Venho aqui por que me sinto bem, por que sinto muita coisa boa no seu blog.
    Ah, tô saindo do emprego, então, pretendo enviar todas as cartas prometidas, rsrsrs.
    Bjus,
    que Deus te abençõe cada dia mais.

    ResponderExcluir
  13. Falou bonito,Nina. Concordo com você em gênero, número e grau, como se dizia antigamente (no meu tempo, não no seu).
    O amor é uma coisa linda.
    "assim como viver sem ter amor é não viver..." se não me engano é um pedaço de uma música de Tom Jobim, que falou do amor como ninguém. Que pena que moras tão longe de mim, adoraria ter uma prosa de perto com você.
    beijo, querida
    Berê

    ResponderExcluir
  14. Adorei o Blog...
    Está entre meus favoritos!!!
    Adorei o texto tb...
    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  15. Nina, perfeito.
    Nossos relacionamentos virtuais, na verdade são um retrato de nós mesmos e de como administramos nossos relacionamentos diários, do lado de cá da tela... Não dá pra disfarçar a nossa essência, e mesmo não podendo olhar nos olhos, sentimos o que compõe a pessoa que escreve... Existe de fato uma "conexão" de acasos (?) inexplicáveis nesta blogosfera...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  16. Eu gostaria que na vida fosse facil assim também: nao me quer? tem quem queira... e nunca mais ser preciso voltar lá! Se for pensar bem, muito bem, acho que preferiria viver só aqui... nos blogs. E ter amigos somente vindos daqui... mana, tem muitas vantagens!!!!

    ResponderExcluir
  17. Oi, Nina!
    Gostaria de ver você respondendo umas "coisinhas" que deixei lá no blog. Veja lá.
    beijos

    ResponderExcluir
  18. Nina,saudades...
    Nao sabia que estava viajando e adorei ver as fotos e ler as historias de sua viagem ao Egito.
    Amo ler os blogs que me faz pensar,que mexe com minhas emocoes e conviccoes, mas adoro ler tambem os de mulherzinha, que falam de maquiagem, de receitinhas porque dao um descanso pra mente e pra essa vida as vezes tao dura de levar.Sao futeis e uteis.
    Quanto ao amor, concordo.lembra da musica ~Ah, e como a flor, que se abrira com esse calor.O amor precisa para viver, de emocao e de alegria, e pra viver tem que regar todo dia! ~

    ( Desculpe a falta de acentos e ceddilha.Meu teclado esta completamente maluco)

    ResponderExcluir
  19. Saudades de voçê!!!
    Sorte no curso de alemão...
    beijo e boa semana

    ResponderExcluir
  20. Oi, Nina. Já vim aqui e vc me visitou. Ficou nisso. Será que meu blog não lhe agradou? Rsrsrrs
    Moça, você falou letra por letra (escreveu) o que eu queria falar no meu blog e ainda vou fazê-lo. Por isso, peço licença pra tirar algumas frases desse texto seu , mas lhe dando o crédito, ok? Penso exatamente como você e acho que ninguém tem que gostar do que escrevemos, talvez por isso não voltem. Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Bom curso de alemao! Agora eu sei por onde você anda :-) Eu também tô entupida de trabalhos escolares pra fazer, nao tá fácil! Mas passar por aqui recarrega as energias :-)))
    Beijo grande, e sucesso com o Deutsch :-)
    Angie

    ResponderExcluir
  22. O amor só existe em relação ao outro.



    PS: Amei a música!

    ResponderExcluir