11/09/2009

Na Terra dos Faraós, entre águas e danças

Já falei demais do Egito a semana toda, então hoje teremos a última parte dessa minha viagem incrível, que marcou muito fortemente meus sentidos. Foram duas semanas de vários tipos de sensações, das mais desagradáveis às mais belas e emocionantes. País de grandes extremos, é o Egito.

De um extremo quente, seco e árido dos desertos, à paz e tranquilidade do verde de algumas partes do país, das águas calmas do rio Nilo, esse enorme e grandioso rio do nordeste da África, que nasce na linha do Equador e deságua no Mar Mediterrâneo. Carregando histórias por milhares e milhares de anos, até hoje.



Foi pelo rio Nilo que passeamos por uma semana, já que é através dele que se torna mais fácil e agradável a chegada aos templos construídos há mais de cinco mil anos, pelos antigos egípcios.
Este "pequeno" templo, por exemplo, que foi construído em um lugar e foi todo trazido à beira do Nilo, depois, pedra por pedra, é encantador, porque os outros templos estão um pouco mais distantes do rio ou do verde e dão a impressão de mais calor ainda, mas esse é encostadinho no rio, então nos sentimos muito bem dentro dele, com a vista do rio Nilo que conforta dando uma sensação de frescor.




Interessante observar como a história do rio Nilo está envolvida com a do Egito, no seu transbordamento durante as cheias, fertilizando o solo, além de trazer grandes quantidades de peixes, oferecendo navegação fácil por suas águas tranquilas, por essas razões o egípcio antigo acreditava que ter o rio por perto era uma grande benção. O rio Nilo é diferente do Amazonas, porque suas águas são escuras, como a do rio Negro, também no Amazonas, e de tão escuras, refletem um azul tão bonito... Dá vontade de se jogar no rio o tempo todo, como fazem as crianças às suas margens, que nos acenam ao passar por elas. Mas os chatos do guias não deixam a gente pular, dizem que há micróbios na água... que pena, a indizianha aqui ficou triste. Principalmente vendo a beleza do deserto de um lado e o rio do outro.

Olha a beleza do início do deserto do Saara no Egito... ali, naquele deserto, estava mais de 50 graus centígrados próximo a água, mas, mais pra dentro, 64 graus, quentinho né??



País de extremos, que nos leva de um canto a outro, assim, apaixonada, como eu fiquei pelo incrível Mar Vermelho!!! Que de vermelho não tem nada, é de um azul pouco visto em outros lugares. Lugar escolhido por muitos para prática do mergulho. Suas águas são tão claras, calmas e quentinhas, que você entrando no mar, não tem vontade de sair.
Os vários tons do mar é um calmante aos olhos e a alma...

E ao contrário do que se pode esperar, na praia não é tão quente, apesar de o céu continuar sempre azul, sem uma nuvem, o vento sopra constantemente, levemente, e a brisa do mar, é tão gostosa... acho que nunca curti tanto uma praia.
E foi também a primeira vez que fiz mergulho. Afinal, numa água tão límpida como essa, não tem como evitar. Claro que foi o de superfície, sem o balão de oxigênio. Você fica na superfície da água e pensa que está há poucos metros do fundo do mar, já que pode ver tudo, mas o fundo está há mais de 15 metros de você... a água é tão clara!! Onde estávamos, havia uma barreira de corais, que ia do fundo do mar, até quase a superfície, vi tantos peixes, coloridíssimos, grandes, pequenos, em cardumes, sozinhos, arraias e todo tipo de peixe que estavam próximo a barreira, que só vendo pra acreditar.

Ali era outro extremo do Egito, um outro mundo, agora tranquilo, calmo e silencioso, dentro do mar.

Extremos exuberantes mesmo. Onde mais podemos encontrar camelos na praia??



Às vezes eu ficava olhando o mar e ficava pensando que foram essas águas que Deus separou pra o povo de Moisés atravessar. Ahhh meu Deus, que loucura pensar nisso. O Mar Vermelho de Moisés que eu lia no Antigo Testamento.

E falando em religião, o país é de extremos também em termos religiosos.
Cairo é conhecida como a Cidade das Minaretas, ou seja, as torres das mesquitas, que estão por toda a parte. O país é 90% mulçumano, o resto disso é católico ortodoxo e outros. Estivemos em uma das muitas mesquitas. Confesso que como cristã, não me senti completamente à vontade dentro delas.
Não podemos entrar com os ombros de fora, nem com roupas curtas, mas sim com saias longas até os pés ou calça comprida. Os mulçumanos ao entrar na mesquita, tiram os sapatos e lavam-se antes de fazerem suas orações. Todo mulçumano tem uma marca no meio da testa, na têmpora, porque oram com a testa no tapete, como já sabemos.


Eles oram em direção à Meca, e dentro das mesquitas, não há bancos, é claro, uma vez que eles oram no chão, meio que ajoelhados e os tapetes já mostram a direção a se ajoelhar. Mulheres nunca vão orar nas mesquitas, pelo menos foi o que o guia nos falou. A razão?? Elas tem muitas coisas pra fazer em casa! Cuidar dos filhos, da casa e da comida do marido :( Além disso, existe uma razão importante pra isso. Devido a posição da oração (de bumbum pro alto), recomenda-se que mulheres não orem lá, uma vez que a mulher causaria a desconcentração da oração dos homens, levando-os a pensar em outras coisas, se é que você me entende...
No mínimo, estranho pra mim... pra você também?




Coisa rara é ver igrejas.
Nesta, católica ortodoxa, ficamos apenas 10 minutos, enquanto na mesquita, precisamos ficar pouco mais de uma hora, ouvindo as explicações "propaganda" do guia mulçumano.



Ao sair da igreja, passou um carro com um mulçumano dentro, que apesar de estar num trânsito completamente tranquilo, buzinou ferozmente ao passar em frente a igreja. Eu não sei como são tratados os cristãos num país mulçumano, mas tenho a impressão de que não tão bem quanto deveriam...
Mas isso, bem, é assunto pra quem é conhecedor, eu sou leiga e prefiro não comentar nada além das minhas próprias e pobres impressões.

* * *
Então, vamos falar de festas!! Iuupiiii!

Por onde andamos, tem música folclórica. Não ouvi em nenhum lugar outro tipo de música que não fosse, árabe. Ainda bem que eu adoro, senão ficaria enjoada!!
Tanto no navio como nos hotéis, sempre havia programações com dançarinos típicos. Vimos muita coisa bonita e interessante e até nova pra mim. Como a dança giratória dos dervishes. A dança sufi, do sufismo, que é uma corrente mística e contemplativa. Os praticantes do sufismo, procuram uma relação direta com Deus através de cânticos, música e danças.
A dança é é giratória e os braços são mantidos à altura dos ombros, com a palma da mão direita virada para cima e a da mão esquerda para baixo.
Aqui um dervish rodopiante como são chamados no ocidente, muito parecido com o que vimos. A dança simboliza a história de um pai que se perde do seu filho, e roda o mundo todo atrás da criança, e só para de girar quando o reencontra.
Mas eu apesar de fascinada, dei graças a Deus quando acabou, porque fiquei meio enjoada e tonta vendo tudo girar ao redor.

* * *

TODOS os dançarinos que assistimos, me chamavam pra dançar com eles, dos grupos normais de folclore, aos muitos engraçados Núbios (que são os habitantes da Núbia, região situada no vale do rio Nilo, que segundo historiadores é o povo negro mais antigo da África), às dançarinas incríveis de dança do ventre. Acho que tenho cara de quem gosta de festa...



No último dia no navio, houve uma festa de despedida, e todos os presentes se vestiram com roupas típicas do Egito.

Entre muitas brincadeiras, houve a dança do ventre entre as mulheres. Claro que eu fui chamada, e dancei. Morrendo de vergonha, afinal, aprendi alguns passos na escola, quando tinha 14 anos. Mas acho que agradei bastante, porque no meio da dança fui supreendida com um dos guias egípcios, o querido Hatan, que foi dançar junto comigo. E o chefe dos guias, Ahmed, foi perguntar ao meu marido de onde eu vinha, querendo saber se tenho origens árabes, pois dancei muitíssimo bem a seu ver...


* * *
E como última coisa no post, pra quem vai ao Egito, fique esperto no aeroporto. Nos aconteceu algo tão absurdo na volta pra Alemanha, que eu não poderia deixar de comentar. Na esteira de raio X, depois de passarmos pelo check in, meu marido foi barrado por estar levando líquido na bagagem de mão. Até aí, tudo bem, acontece que viajamos pra cima e pra baixo com os mesmos líquidos, todos embalados num plástico especial e cada um com menos de 100 ml, com diz a lei, e nunca tivemos problema algum em passar pelo raio x. No Cairo, os homens que vigiavam a esteira falaram que meu marido não poderia viajar com aquilo. E mesmo explicando que nunca houve problema com isso, eles pegaram o saquinho e colocaram no lixo. O problema é que eu tinha água na minha bolsa, e isso não foi problema pra eles, todos os outros passageiros tinham algo líquido nas bolsas, e nada aconteceu a eles. Comecamos então a reclamar, que aquilo não era correto, ficou claro pra nós, que o que os funcionários queriam era o perfume e o desodorante que meu marido tinha na bolsa. Então, meu marido e eu continuamos a reclamar, apesar de eles dizerem alto e em tom violento: "Aqui é um país árabe e isso não pode passar! Acabou! Ponto final!" Mas meu marido e eu não nos calamos, um deles se aproximou de nós e pediu dinheiro pra liberar, meu marido falou que não daria nada!! E que queria falar com seu chefe. Passados alguns minutos, os pertences do meu marido foram devolvidos a ele.
IMPRESSIONANTE não?? Isso eu nunca tinha visto...

24 comentários:

  1. Oi Nina, estive, xeretando este seu blog por mais de hora,rs. Adorei saber que na Alemanha os "meninos" usam o sanitário sentados, poderiamos doutriná-los aqui para que seguissem o exemplo. Bom, adorei olhar suas histórias. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nininha queridaaaaaaaaaa!
    Mais um carimbo para o meu passaporte virtual!
    Que linda sua viagem pelo Egito, cada coisinha linda, e sem falar é claro, que sua maneira de contar me dá realmente a sensação de ter embarcado com vocês.
    E realmente Nininha eu achei você a cara da Cleopatra da Liz Taylor heheheheheh, ficou lindinha demais, tá explicado o motivo do assédio:)
    Eu nunca na minha vida tive problema em Aeroporto, maridones já, o que eu acho que deve ser algum problema ligado aos homens. Será????
    O Caio também fica entediado fácil, quando fazemos passeios longos no meio do nada como o menininho do Bob Esponja, e para isso criei uma técnica, antes de sairmos visito o lugar virtualmente mostrando curiosidades que procuramos identificar ao longo do passeio, têm funcionado que é uma beleza!
    Achei tudo lindo e mais uma vez obrigada por me levar junto nessa viagem heheheheeh

    Beijins:*

    ResponderExcluir
  3. Ah! Nina... amei ver voce dançando... que máximo!
    Beijos muitos!

    ResponderExcluir
  4. Nina, arrasou na descrição da viagem que deve ter sido mesmo maravilhosa! Viajar é tudo de bom mesmo, quando dá certo, é perfeito!

    Arrá, quer dizer que foi aí que a senhora praticou snorkel? Eu amo assim, na superfície. Não gosto daqueles que a tem que se equipar e sofrer. Quero sombra e água fresca, e com um ventinho então ... melhor ainda!

    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Menina danada! Arrasando no Egito. Caraca meu quantos anos você tem? Aprendeu isso aí tudo com 14?

    ResponderExcluir
  6. Uau Nina!!!

    A-rra-sou!!!

    Dança muito bem mesmo!!

    Que sonho de viagem!!

    Lindo!!

    Beijinhos!
    Thaís

    ResponderExcluir
  7. rsrsrs, ai ai gente, se vcs pudessem ver a minha cara vermelha de vergonha na hora, morreriam de rir :)

    Bjs em todos e ótimo fim de semana!!!

    ResponderExcluir
  8. Nina que legal!!
    primeiro a deve ter sido uma emoção muito grande observar aquelas mesmas aguas que como vc diz Deus fez abrir para moises,o mar azul e o céu é impressionante.
    Nina vc mandou muito bem na dança menina eu jurava que era uma verdadeira dançarina arabe, como disse soninha, o jeito que vc conta suas historias nos convida a ficar e ir junto com vc.
    E que absurdo aconteceu no aeroporto né Nina? Pra vc ver como em qualquer parte do planeta que vc vá tem sempre alguém com más intençoes.
    beijo minha linda, a viajem acabou? já?
    Quando vc viaja de novo ? kkkkkk

    ResponderExcluir
  9. Imagino como vc deve ter ficado com vergonha, eu apresentando trabalho na faculdade já fico em pânico mas vc arrasou. Achei bonita as roupas. Com relação ao "conhecedor", eu sou um e acredite tem muita coisa por traz de atitudes como as que vc viu. Quem sabe um dia eu faça um post a respeito.
    Achei muita pilantragen do povo do aeroporto mas acontece mesmo, é sempre bom realmente estar alerta pra isso.
    PS: Não sei como tu aguenta aquele calor aff 50 graus, Deus me Livre. Comigo é daqui pra Antártica.
    Um abração !!!! :)

    ResponderExcluir
  10. Oi, Nina!
    Muito bom este seu final alegre, dançante e completamente integrada à cultura local.
    Parabéns! Eu não teria jeito para esta dança e nem aguentaria muito este calorão todo, realmente fujo de lugares quentes, já basta este Brasil nas épocas do verão.
    Muita linda sua viagem.
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  11. Ahhh Nina são tantas informações sobre o Egito que eu nem sei o que comentar. Mesquitas, praias, templos, quanta coisa interessante! Amei o Mar Vermelho e o camelo na praia foi um MUST! Qto ao incidente do aeroporto, que coisa hein? Vcs foram muito espertos em topar esta moçada, é isto aí!
    Bjim e ótimo finds!

    ResponderExcluir
  12. Nina, minha querida, minha vida está uma LOUCURA!
    Comecei a fazer um curso e retornei ao trabalho, saio cedo e volto de madrugada quase e por isso não dá pra entrar na net.
    mudei de cargo na empresa e não tenho mais um PC só pra mim e por isso não dá pra ficar postando e nem lendo muito,mas vou imprimir suas aventuras no Egito e ler no ônibus.
    Amo você e me escreva! Sempre que puder te responderei.

    ResponderExcluir
  13. Nina, que graciosa que ficastes dançando! Agora fala sério, lá pelo meio da dança, quando segurastes a saia, assim do ladinho, tu pensastes no carimbó! Não foi? Qué vê repara lá!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  14. Tudo o que escreveu eu adorei!
    Vou contar para as professoras de história, minhas amigas. Elas vão amar!
    Os jovens querem ler sobre história verdadeiras.

    Ainda bem que no final seu marido conseguiu tudo!
    Em todo lugar há trapaças. Que horror!
    Com carinho
    Monica

    ResponderExcluir
  15. Voltei para ver o video, ontem não consegui de jeito algum...

    Menina, em outra vida você foi egipicia! Amei ver sua dança:), você falou que tava vermelha de vergonha, nem parece porque mandou bem demais.

    Beijins:*

    ResponderExcluir
  16. Nina, obrigada por me levar com vc, rsrsrsr.
    Adorei as fotos, adorei tudinho...
    Mil bjus

    ResponderExcluir
  17. Voltei: muito linda vc dançando, hein???

    ResponderExcluir
  18. Nina, li todos os seus posts sobre esta viagem incrivel ao Egito.. desde que vi o filme A MUMIA 1 e 2, fiquei fascinada pelas coisas do Egito, os costumes, muitas coisas totalmente diferente das nossas lógico.. Uma amiga minha tb foi de ferias pro Egito ha uns dois anos, e voltou fascinada de lá.. muito legal mesmo suas aventuras, e outros relatos contados só por quem vai mesmo, relatos esses que os livros e os filmes nao nos mostram..

    muito bons seus posts, adoro suas aventuras pelo mundo sabia?? bjao daqui de sua saudosa Manaus.

    ResponderExcluir
  19. Nossa Nina, q viagem maravilhosa!!! Nada como morar na Europa, pois tudo fica mais perto e fácil de conhecer.Difícil dizer qual o post q mais gostei (claro vc dançando é tudo!!!!) Fiz História na universidade e sempre amei a história do Egito e sonhava um dia ir lá,(conheci mta coisa no museu Metropolitan em NY) mas agora é quase impossível, porém através de vc me senti por lá. Como diz Soninha vc leva a gente p um passeio virtual c seu jeito de contar, adorei mesmo. Imagino qta emoção aquele país pode nos causar, afinal antiguidade é posto, não? Olha estou feliz de ver e ler tudo q vc escreveu. Tânia que me disse da sua viagem, pois não tenho quase visitado blogs, ando só fazendo minhas coisas e não tenho tido mto tempo, além das minhas idosas queridas. Foi bom demais passar por aqui. Bjks

    ResponderExcluir
  20. Só pssei para dizer bom dia!
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  21. Estou passando para dizer que tenha uma boa semana.
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  22. Ainda não contei a história. Mame vai ter que fazer implante segunda feira e vou acompanha-la. Serão tres dias que só alimentara de liquidos.
    E não vou ajudar a Ivani. Mas semana que vem vou só para contar a historia
    Com carinho Monica
    Ficaram lindas coloridas.
    Plastifiquei e colei papel duro para conservar.
    Muito obrigada sempre

    ResponderExcluir
  23. Que show o Mar Vermelho! Agora, mais show que o Mar Vermelho é a sua dança: que poder, Nina, uau!!! Amei, tá de mega parabéns!!!
    Ai, Nina, tanta foto linda, que viagem maravilhosa! Adorei viajar com você através dos seus relatos e das suas imagens :-)
    Beijos, Angie
    P.S. Tbm acho estranho as mulheres nunca irem orar nas mesquitas. Mas, por outro lado, na religiao católica só existem padres, e nao padras, certo? :-)
    P.S.2 Que absurdo a história do aeroporto! Ai que raiva!

    ResponderExcluir
  24. Voce ainda passeia muito?
    Esta desenhando?
    Sua antiga amiga que lhe quer bem
    Monica
    com carinho

    ResponderExcluir