14/08/2009

"Hi, my name is Nina, I'm a Berliner!"

Era o ano de 1985 e começava o primeiro Rock in Rio. Eu tinha 14 anos. Nessa época, guardava uma certa rebeldia escondida dentro de mim e tinha muita vontade de colocar pra fora, mas não era definitivamente o meu estilo sair por aí me comportando de maneira muito estranha. Por isso, me atraí tanto pela coragem e ousadia dela.
Cabelos desgrenhados, coloridos, voz forte, roupas malucas, dona do palco e rainha do rock, aquela alemã ganhou a mídia no Brasil. Quem era ela? Que língua estranha ela falava?? Nina Hagen!!
Fiquei por meses encantada por ela e pelo fato de ter encontrado finalmente alguém com o mesmo nome que eu. Até então nunca tinha visto, eu me sentia um ET com meu nome... Depois do furacão Nina Hagen, todo mundo me chamava como ela. Nina Rosa, virou Nina Hagen, onde quer que eu fosse, as pessoas me chamavam assim. Apesar de não termos absolutamente nada em comum :)


Numa escola que frequentei à noite, alguns anos mais tarde, quando pude colocar um pouco mais pra fora a rebeldia que tinha através somente do meu modo de vestir, mas totalmente diferente ainda da Nina cantora, todos me chamavam de Nina Rasga, uma confusa mistura entre Rosa e Hagen. E fiquei assim, dois anos, nessa escola sendo chamada de Nina Rasga, nome claro, que eu detestava, mas que me fazia sentir mais próxima da maluquinha que eu aprendi a admirar lá pelos meus 14 anos.

21 anos depois de conhecer essa Nina, casei com um alemão e tive meu nome mudado. Hoje tenho outro sobrenome, que é pronunciado mais ou menos, rádique. Ano retrasado, num encontro com amigos, em Itacoatiara, minha amiga Josi perguntou qual meu nome de casada, ao falar ela disse rindo: Menina, agora tu se chama, Nina Rasga?? Ela que claro, não sabia do meu apelido na escola, caia na gargalhada, enquanto eu fiquei pasma com algo que havia esquecido, e ri também, mas agora apenas com as coincidências da vida.

Mas enfim, como sou prolixa mesmo (ou seria uma contadora de histórias?) contei tudo isso só pra falar que finalmente, vi a Nina num show. Louquinha, bem mais velha claro, que em 85, mas o mesmo estilo amalucado de ser. Dona ainda do palco, fazendo uma mistura doida de estilos, cantando de Ave Maria, a Frank Sinatra, The Doors e claro, algumas músicas dela.
E foi com frase do título da postagem, que ela começou uma das músicas: "Hello, my name is Nina, I'm a Berliner" (quem nasceu em Berlim).

Depois da euforia da Nina Hagen, pausa pra dançar e ouvir as baladas do charmosíssimo Simply Red, eita do show bacana! Lindo, lindo, lindo, o charme indefectível do Mick Hacknall! Nossa, ele é maravilhoso, canta ao vivo e você tem a impressão de que tá ouvindo o cd na sua frente.

E apesar de coroa, parece um menininho no palco, com seus cabelinhos encaracolados. Maravilhoso e mais que recomendado, será se alguém aí no Brasil assistiu o último show deles por aí e teve a mesma impressão que eu?




13 comentários:

  1. MeNina gosto muito do seu jeito de escrever, você faz um mix do que viveu com as atualidades de maneira gostosa. Nina Hagen está todo dia na televisão alemã, mas eu olho pra ela sempre doida e lembro do Rock'n Rio também.
    Bons tempos!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Nina, ouvindo a matéria sobre sua xará eu me dei conta de que a Globo era ainda mais preconceituosa naquela época. A reportagem é muito tendenciosa e cheia de frases politicamente incorretas... Engraçado como na época a gente nem se deva conta. Imagino que daqui a alguns anos sentirei isso sobre matérias que vejo agora.
    Quanto ao Simply Red eu gosto muito, as baladas são uma delícia, né?
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Sou uma pessoa que não acredita em coincidências, Nina, nascida no Brasil hehe.
    Ah! Adoro Simply Red pena que ainda pude assistir a um de seus shows.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nina,

    Sua vida é tão interessante,tõ cheia de magia...!!
    E acrdite ou nõ..agor, neste exato momento está tocando A música do post....estou arrepiada!Aliás: Adoro!!!!
    Não acredito em coincidências!!!Tudo tem um porque, e dia entendemos!!!
    Mágico!!!!

    Beijinhos!!!

    Thaís M M

    ResponderExcluir
  5. É mesmo, Angela, ela é louquinha na tv, né?? de vez em qd dou uma olhada e só lembro dela no Rio :)

    Bem observado Elaine, estranho mesmo nao??

    Na verdade, Ro, nem eu :)

    Thaís e vc é a maior gracinha que conheco! E o lance da música, uau! Eu tbm me arrepiei aqui...

    Bjs meninas!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nina, eu já assisti dois shows do Simply Red, em duas edições diferentes do Hollywood Rock (lembra deste festival? kkk) Amei os dois!!! A voz e a simpatia do Mick Hucknall são maravilhosos!!! Que bom que ele continua assim!!! Beijins

    ResponderExcluir
  7. Apesar de lembrar na Nina Hagen, nao fui muito de ouvir, já simple red eu gosto muito mas ainda não tive a oportunidade de ver um show deles.
    beijo grande !!!!

    ResponderExcluir
  8. Coincidencias da vida!! A minha avó se chamava Nina Rosa :) Beijus

    ResponderExcluir
  9. Nina, então vc tb é fã de Simply Red?
    Eu adoooro! :)
    E Nina Hagen é o máximo! Loucura, loucura.
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Nina!
    Que coisa, você falar de Nina Hagen, depois emendar dizendo que esteve aqui ao meu ladinho, em Itacoatiara, no ano retrasado!!! Moro em Icaraí que é um bairro bem próximo dessa maravilha de praia.
    Quanto ao Mick Hacknall o "Red", sou simplesmente apaixonada por ele e ouvimos e vemos sempre seu DVD. Quem me dera vê-lo ao vivo!
    Se bem que, ele também adora o Brasil e já esteve por aqui várias vezes, uma delas, inclusive, em Itacoatiara, passando uns dias de relax e uma moça que eu conheço, aproveitou para namorá-lo um bocadinho e dizer que ele é um gentleman.
    Adorei teu post!
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  11. Lembro Tania, mas so de tv, morava looooonge...
    Clarina, se puder um dia, vai, vale à pena!
    Qt meiguice Luma, eu e sua vozinha termos os mesmo nome, aiiii que fofo :)

    Será Cacá que existe quem nao gosta dessa fofura de homem? gente,ele é uma gracinha, como disse a Beth aqui em cima, um verdadeira gentlemen, a gente percebe só de olhar a delicadeza dos movimentos.

    Beth amor, não é Itacoatiara em Niterói, é no Amazonas :) Mas sua cidade eu amo de paixão...

    Um beijo em todas vcs!

    ResponderExcluir
  12. Ô Nina (que não é Hagen nem Rasga) eu não consigo ouvir o Simply Red aqui, mulher! Já apertei tudo e não rolou!

    Deixa eu te contar. No domingo retrasado foi no programa do Faustão( ihc!) O Information Society e eu e o meu filho mais velho ficamos esperando até aos 5 minutos do final do programa (é sempre asim) e foi uma decepção! O cantor desafinou e estava sem voz nenhuma e eu e o meu filho ficamos com cara de "sinhá mariquinhas cadê o frade"! Foi um vexame! E essa banda também era demais!!!

    ResponderExcluir
  13. Poderosa Nina Hagen! E mais poderosa ainda a Nina Rádique, hehehe :-)
    Beijos, Angie

    ResponderExcluir