06/07/09

À minha filha amada

As dores começaram ontem, mas era outro ano, o de 1994. 11 horas da manhã ela já estava dando os primeiros sinais de impaciência dentro da barriga da mamãe de primeira viagem que eu era. Estava na casa da minha mãe, fazendo alguns trabalhos artesanais, ao primeiro sinal, já havia avisado mamãe, que muito pacientemente falou que eram os avisos da pequena sim, mas que a mim, só restava esperar.
A respiração já estava ofegante, desde a última semana, o peso da barriga já não me deixava dormir bem, as pernas estavam pesadas. E eu estava louca pra ver aquele rostinho finalmente.
Mas tive que esperar ainda todo o resto do dia. À tardinha, quando as dores começaram a aumentar em intensidade e diminuir os intervalos, mamãe decidiu me levar a uma maternidade próxima de casa. O carro era uma kombi, a do vizinho, foi só eu aparecer na rua, que toda a vizinhança surgiu junto, desejando bom parto. As crianças mais próximas, em alvoroço, queriam tudo ir junto. Na kombi fomos eu, a sacola da nenén, a minha própria, minha mãe, uma tia, minha irmã mais nova, e mais umas 3 crianças que apareceram. Todo mundo nervoso... e eu tentando ritmar minha respiração com as contrações. Naquele tempo não tínhamos celular e o papai da Laura ainda não sabia da nossas maluquices., pois estava em provas na Universidade. Ao chegar na maternidade, o médico de plantão havia saido (!!) e após uma boa espera na recepção, ele apareceu, fez o toque e me certificou de que não seria a hora. Que talvez no outro dia.
Todo mundo de volta pra kombi, e eu, angustiada, louca pra ter logo minha filhinha nos braços.
Voltamos pra casa, o papai da Laura já estava lá. Anoiteceu. Fomos dormir na casinha que morávamos perto da minha mãe, com a recomendação de que qualquer coisa acontecendo, deveria correr pra lá.
3 horas da madrugada fui acordada com forte vontade de ir ao banheiro, e no meio do caminho, as pernas já estavam ensopadas do rompimento da placenta.
- Ruy, a Laura tá vindo!

Acordei o pobre do marido num desespero, e saimos prontos pra ir a minha mãe. Rapidamente uma ambulância nos pegou. Eu, minha mãe e o pai da Laura.
Ao chegar na maternidade, dessa vez, uma outra, o médico constatou que eu não teria passagem, apenas 2 centímetros desde as primeiras contrações não seriam suficientes para um parto normal.
Mamãe e Ruy esperavam nervosos na sala de espera, passei lá só pra avisar que seria uma cesárea e fui me preparar para a cirurgia.
Outra grávidas gritavam na sala enquanto eu, segurava as dores comigo.
Cedinho, de manhã ouvi o chorinho da minha filha. Uma carinha nova, mas já, de alguma maneira, tão conhecida por mim, surgiu na minha frente. Lágrimas corriam pelo meu rosto, por finalmente, ter minha pequena tão pertinho de mim. O médico falou: "É mulé!" e eu apaguei.
Fui acordar horas depois. Não podia falar porque as enfermeiras diziam que eu sentiria muita dor pela entrada de gases. O pai da Laura e minha mãe, que recebia sua primeira netinha ao mundo, estavam lá e diziam que ela era o bebê mais lindo da maternidade que havia nascido aquele dia. Eu escrevia num papel que sentia dores, mas que estava muito feliz e que queria muito vê-la.

Minha menina me foi entregue, agora já limpinha, arrumadinha. Tão pequeninha, compridinha, braquinha. Com os olhinhos vivos, com uma voz aguda num choro danado de alto. Dois pais babões olhavam pra ela. Finalmente nossa pequena estava ali, ao nosso alcance.

Dois dias depois, voltamos pra casa, com toda a vizinhança contente e louca pra ver a netinha da dona Flora. De tardinha, o pai dela soltou fogos de artifício no campinho de futebol em frente a casa enquanto gritava deixando os vizinhos olhando curiosos: "Esse é pras duas mulheres da minha vida!!!"

Nossa pequena havia nascido!
As dores horríveis da cesária, o cansaço por não dormir, a dor no peito ao amamentar tudo era esquecido, porque nada se compara ao ato de ter um filho. Não há amor maior do que você ver seu filho, que você criou dentro de você, agora, fora de você, nos seus bracos, tão dependente de você e do seu amor.-
A parte mais difícil era amamentar, porque não tinha saída pro leite, tive, como diz o povo no Amazonas, leite empedrado, ou seja, o peito endurece, e cria rachaduras. Minha filha passava horas sugando algo que quase não saía, ela chorava de fome e eu de dor ao amamentá-la, ela sugava leite misturado com sangue das rachaduras, minha mãe sofria com aquilo e pedia quase em desepero, pra eu dar leite na mamadeira, mas eu sabia que se eu desse, não poderia mais amamentá-la por que seria muito mais fácil para o bebê e me recusei, durante dias, era um sofrimento alimentar minha filha, tive febre, e fiquei com hematomas no peito, mas não abri mão do aleitamento materno. Com toda sua luta pra sugar, Laura acabou sendo uma vencedora, em alguns dias o leite jorrava na sua carinha, e ela começou rapidamente a ganhar mais quilinhos e mamava quase que sorrindo. Vitoriosa minha filha.

E assim ela chegou pra nós, minha Laura. Minha filha maravilhosa, que desde os primeiros dias de sua vida, só me tem dado alegrias e que amo tanto, tanto. Minha menina. Minha princesa-guerreira, desde seus primeiros dias.

Hoje ela faz quinze anos!
Vai ter um bolinho, vai ter presentinhos mais tarde quando ela chegar da escola...

Falando em presentinhos, eu lembro quando as pessoas me perguntavam o que daríamos a Laura, na época, ainda muito pequena, de presente de 15 anos. Nosso sonho era dar uma viagem a europa, pra ela fazer algum curso, aprender, ficar mais independente.
Pois é, os sonhos se realizam.
Graças a Deus!


Filha, meu amor, minha querida. Meu presente caído do céu. Feliz Aniversário meu bem, que Deus te abençoe sempre, te mantendo essa menina linda e querida que você é. Minha pequena Peter Pan, você cresceu, tá crescendo, mas sua alma, sua linda alma, permanece a de uma linda menina. Que seja sempre assim, filha.
Mamãe Nina te ama muito.
Obrigada por existir pra mim, pra nós.

21 comentários:

SGi/Sonia disse...

Nina, tenho uma amor tão grande por essa sua filha que você nem tem idéia.
Parabéns a você, pelos 15 anos de maternidade, pelos sonhos que você realiza realizando os dela.
Parabéns a Laura, que é uma Menina com uma flor, toda as alegrias e felicidades que uma vida possa ter, saúde, amor de montão, sonhos realizados e filhos muito filhos(hahahahahahah)de todos os jeitos.

Beijins nas duas:**

Sandra disse...

Nina,

Que linda declaracao de amor. Parabens para as duas.

Beijos

Sandra

Marsyah disse...

Parabéns, Laura! Que Deus te abençõe e que você continue sendo sempre essa menina linda e especial!

Parabéns, Nina! Quero ser uma mãe igual a você quando eu crescer...rs

Muitos bjux pras duas!

Elaine disse...

Olá!
Nina, quando eu leio declarações de amor assim como a sua pela Laura eu compreendo minha mãe um pouco melhor pois acho que mãe não difere muito uma da outra, né? E às vezes uma pessoa tão longe quanto você está, alguém que eu nunca vi, me diz coisas que minha mãe não diria...
Parabéns para a sua menina tão linda!
Beijos.

Carlinha disse...

Eu escrevi pra Laura lá no "Crônicas", e a coincidência é que essa foto é exatamente como a vejo...Feliz,livre e com uma porção de magia.

LInda.

Feliz aniversario Laura!

Ter 15 anos é maravilhoso.

Clara disse...

Nina que linda menina a sua !!
Que Deus a abençoe com todas as suas maravilhas...
E PARABÉNS PRA LAURA !!
Beijo grande !!


obs: tem uma pequena hoemnagem pra laura lá no "janelas" com muito carinho.

Estela disse...

Nina, sabia que Laura era um dos nomes da minha lista para minha filha?
Tinha Dora, Alice, Laura e Flora.

Associo esse nome, Laura, a mulheres fortes, de personalidade marcante, mas ao mesmo tempo doces, inteligentes e apaixonantes...

Assim é sua filha pelo que conheço através de seu blog.

Feliz aniversário, Laura, que Deus continue te abençoando sempre!!!

Parabéns pelo seu dia e pela mãe maravilhosa que vc tem...


Beijos nas duas, fiquem com Deus!!!

Cacá disse...

Nina, tô toda arrepiada! Que lindo relato do nascimento da Laura!
Claro que me lembrei na hora do nascimento da Mariana.
Parabéns para ela, pelos 15 anos!! Que ela seja muito feliz, sempre!
Parabéns à vc, por ser essa mãe dedicada e amorosa.
Tô muito emocionada...
Beijos.

Anônimo disse...

Quanto Amor!Que lindo!

Parabéns Laura!

Muita saúde,alegrias,sonhos ralizados e idealizados!

Beijinhos!
Thaís M M

Marisa Pimenta disse...

Nina q maravilha podermos elogiar tanto nossas filhas, principalmente nos dias de hoje!!!! Parabéns p essa boneca e q ela consiga ter tudo q deseja e nunca deixe de ser a filha amada.
Parabéns p vc também q soube educar e, por isso está colhendo o q plantou. Mil bjks p as duas

Márcia disse...

Ai Nina... Se eu pudesse eu tava junto da molecada correndo atrás da kombi, fazendo barulho e vendo corações saindo pelo escapamento...
Que benção a chegada da sua filha na sua vida, na vida de Ruy, na família inteira...
E sua mãezinha alí, presente... Estas histórias me emocionam muito (tô chorando, aff...)
E olha Laura hoje, tão linda, tão mulher...
Vcs duas são lindas!
Super bejio!
Márcia

Amynon disse...

Parabéns seu blog é muito bonito e as postagens também .
Boa Semana pra vc !

Laura disse...

Manhêêêêê!!! Obrigada mesmo pela homenagem! Tô sem palavras! E obrigada pelo comentário também gente! Poxa, o melhor de um aniversário não são os presentes,e sim saber que tem gente que se lemra e festeja junto. Nya, amo todos vocês! *.*

SandraM disse...

Nina, que relato mais gostoso de ler! E super emocionante. Parabéns a voces duas - mulheres guerreiras - por esse dia especial.

p.s.: adorei o header do seu blog.

bjs

Nina disse...

meninas e menino :)

Obrigada pelos gostosos comentários, me fizeram chorar...
A minha pequena acabou de burlar a lei de nao usar o pc sem supervisao nossa (tá na escola usando a net, ne bonitinha?? olha a professora vai te pegar!!) mas como é a semana dela, ta perdoada...

Obrigada pelo carinho, gente, essa menina linda merece mesmo, todos os bons desejos de feliz aniversario. e eu sou corujona mesmo,nao to nem ai, a filha é minha (como diz soninha) e eu corujo horrores!!!! tem que ser assim, certo?!
Um beijao com carinho em cada um

Ciça Donner disse...

Eu tenho de me acostumar a ter sempre um lencinho de papel por perto toda vez que vier aqui. Que lindo Nina! Quanta emocao!

Parabéns Laura. 15 anos é uma idade tao linda... tao gostosa. Curta minha flor... curta bastante!

P.S: Nina nessa primeira foto ela ta a tua cara!!!

Joaninha Bacana disse...

Oi Nina,
Eu sei, tô atrasada, mas mesmo assim queria desejar muitas, muitas felicidades para a Laura (que, aliás, pelas fotos, é Nina versao II, hehehe. Como vocês sao parecidas!!!).
Beijo grande pra voces, Angie

K disse...

Feliz Aniversário, Laura linda !

Nina disse...

Nina!!
Que filha linda!!
Parabéns às duas, sempre!

beijo da xará!

K disse...

Nina, só um aparte.Quando você me conhecer pessoalmente, e isso vai acontecer sim,você vai ver que falo feito pobre na chuva, ou como uma doida.Falo pelos cotovelos, joelhos e pelos poros também.Aliás, segundo minha mãe comecei a falar com 5 meses.
Pois bem, depois da cesárea da valon ,batia papos e mais papos com todos que me visitavam ainda no hospital.E não tive gases !

rocosta disse...

Cheguei de Minas hoje e sei estou atrasada para o niver... mas assim mesmo deixo meu desejo de muitos sorrisos largos à sua linda filha.
Beijos muitos... nas duas!

P.s.: Ela está muito parecida contido :-)