15/07/2009

Back to Black

Ando notando umas coisas que antes ainda não havia realmente percebido. Eu estou morando num país onde a população é branca, branca mesmo, não o branco encardido que muitos de nós somos nos Brasil, no bom sentido, viu? Se bem que, alguma coisa pode ser encardida com boa intenção?? Bem eu me refiro a mistura que a esmagadora maioria de brasileiros é. Mas enfim, aqui a população é branca, apesar de desde a abertura do país aos estrangeiros, esteja começando uma nova fase, um novo país multi-culti anda surgindo, mas isso é outra história e que deve estar fazendo com que Hitler se revire no túmulo. O fato é que o povo originalmente é esse que falei.
Mas aqui tem muito estrangeiro, muito mesmo! Tem dias, andando por Freiburg, que a gente ouve tudo, menos alemão, todos falam ao mesmo tempo seus próprios idiomas e parecemos estar em todo lugar, menos na Alemanha. Principalmente aqui mais pro sul do país, onde as portas são mais abertas ao estrangeiro, por vários motivos, ligados a história do país e suas divisões, a maior oferta de trabalho, o sol ser mais frequente pra essas bandas e até mesmo a maior disponibilidade de aceitação do estrangeiro por parte da cultura alemã. Muitos dos estrangeiros são negros, vindos da África. Tem muito, muito muito africano aqui.
Aí eu fico olhando o movimento deles pela cidade. Vocês sabem como é africando né? É um povo alegre por natureza. Ainda não conheci um que fosse chato ou rabugento, tenhos duas amigas muito bacanas vinda do Kênia e de Camerões, gente muito boa! Eles são alegres, falam alto, riem o tempo todo, são engraçados, e tem um colorido impressionante! As mulheres são coloridíssimas e tem um sorriso pra lá de encantador, e os cabelos podem mudar todo dia. Minha filha tinha uma amiguinha na escola que toda semana chegava com um cabelo diferente... e sua melhor amiga é uma africana super gracinha, mais fofa que já vi!

Mas enfim, eles são isso, simplesmente diferentes nos costumes e na alegria que demonstram, mas eu noto que por exemplo, ao entraram nos ônibus ou trens, eles quando estão sozinhos, são muito acanhados. Algumas vezes, só tem uma pessoa negra no transporte e aí eu me coloco no lugar dela sempre e fico olhando as expressões em volta. Nunca vi ninguém destratar ninguém aqui, mas sinto nos olhos do negro que ele se sente deslocado. Mas desolocado, quase todo estrangeiro se sente, isso tá na nossa condição de estrangeiro mesmo, não tem como sair dela. Mas o deslocado a que me refiro, eu sinto que vem da diferença da cor da pele.
Talvez seja porque o medo do preconceito ainda seja grande, ou o preconceito esteja dentro dele mesmo, o fato é que eu vejo que alguns se sentem de algumas forma, diminuídos.

Eu sou índia, uma mistura complexa vinda do Amazonas. Entendo de preconceitos. Já fui várias vezes chamada de índia num sentido pejorativo, quando estava em alguns lugares no meu país, mas ainda penso que o que um índio passa está muito longe do que um negro tem que passar. Já me senti superior por ser índia e não negra, num instante da minha vida, porque eu imaginava o quanto era duro ser negra.

E de onde vem esse sentido de superioridade? E quem disse que eu valho mais do que um negro??? De onde vem isso afinal?

No momento que esse pensamento veio à minha cabeça, eu estava do lado de uma mulher negra, ela carregava alguma coisa e estava de cabeça abaixada. Deixava passar todo mundo que estava no ônibus, e ficou quase por última na hora de sair. E eu tive que lutar contra a minha suposta superioridade com relação a ela.
Depois de lutar internamente contra esse sentimento e lutar contra minha própria vaidade, me vi menor que seus chinelos. Sabe quando você se sente tão pequeno, indecente e imoral? Assim eu me senti. A grande Nina, aquela que prega aos seus filhos que todos são iguais, esteve por segundos se sentindo melhor que alguém... bosta, mil vezes, bosta de Nina!!

Uma vez eu vi uma série de tv onde um anjo precisava se transformar de branca a negra, no Estados Unidos e ela era ofendida e agredida somente pela sua cor e ali ela notou o quanto poderia ser duro ser negra naquele momento. Essa imagem do filme, me veio à cabeça no ônibus, e vi o quanto somos todos hipócritas. Falamos aos quatro ventos que não somos preconceituosos, mas carregamos esses estigmas pela vida, sim senhora! A gente se acha melhor que alguém só pela aparência. Que coisa mais perturbadora pensar nisso.

Eu me senti tão pequena e suja... vergonha!

* * *
ps.: gente, eu estou muito sem tempo, ainda não pude organizar meu tempo com o curso, as coisas da casa, os filhos (os meninos estão em fim de período letivo e eu estou ajudando o pequeno homem da casa com as licões e testes), e os blogs, então, ainda não posso visitar vocês, mas assim que sobrar tempo, eu volto às minhas visitinhas que me fazem tão bem, ok?!

16 comentários:

  1. Eu acho que quanto mais colorido e diversificado o mundo é, mais divertido fica :-) Porque ter um monte de Barbies e Kens por aí, todos iguaizinhos, ia ser muito, muito chato! E xô ao preconceito :-)
    Beijocas, Angie

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Angie!! :)
    Beijocas, Nina!!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Nina, eu tive um grande amigo que certa feita me disse que os louros de olhos claros, como eu, já nascem superiores. Ele era negro, mulato na verdade, e carregou um grande sofrimento a vida toda por conta do preconceito que estava sobretudo nele. Claro que as pessoas são bestas, e têm essas bobagens, e eu vejo isso todo dia nos meus sobrinhos mestiços, mas acho que a mudança começa em mim primeiro. Post muito bom, como sempre.
    Quanto à falta de tempo, aida agora eu estava pensando nisso, em como ando sem tempo para nada.
    Então é isso.
    Fica com Deus. meNina.

    ResponderExcluir
  4. Nossa maninha quanta filosofia. Olha se a gente for esmiucar ponto por ponto desse teu post vamos criar outros tantos, e sem contar as replicas e as treplicas!

    Acredito que todo ser (dito humano ou nao) é unico e deve ser melhor do que o outro dentro de seu mundo. Essa é a dose exata de autoconfiança que o cara precisa para levantar, lutar e vencer na vida. Dentro do meu mundo, eu sou, me faco, luto e padeco para ser a melhor, para quando sair para os outros mundos encontrar sempre algo bom de se ver e compartilhar

    ResponderExcluir
  5. Eu sou bem encardidinha Nina, por conta de todas as misturas possíveis, de negro a alemão, passando por índio, nordestino, bugres e sei lá mais o que, mas que dá um orgulho danado!

    Eu me senti bem triste ao saber que mesmo na sua terra, uma terra de ninguém, porque aqui somos de todos, você sofreu preconceito, mas esse lance de sentir vergonha por um sentimento deve ser de lascar, eu sou bem preconceituosa com pessoa burra e não tenho a menos paciência e nem consigo disfarçar,e Nina, apesar de não ser um preconceito de pele ou condição fisica, não deixa de ser um preconceito e é fodis, porque tenho dois meninos(exatamente como no seu caso) e eles se espelham no que a gente faz né?

    Eu ando sem tempo por conta das férias dos meninos:)

    Beijins:*

    ResponderExcluir
  6. Ok...
    Estamos te esperando e com saudades....
    Acabo de ir no google Earth para ver qual é a distancia entre Freiburg e Langenzenn.... Mais ou menos 270 kilômetros...Queria que fosse no mínimo uns 40 minutos.....
    Assim quando eu estiver na Alemanha poderíamos nos conhecer....

    É tao engraçado conhecer as pessoas pela internet e acabar criando um carinho grande...

    Tenho algumas amigas pela inter...
    Tenho um amigo que nos tratamos como irmãos....no meu casamento ele e sua esposa assistiram tudo pelo yahoo messenger...
    E agora vou ser madrinha do seu filho...Antonio Guilherme....Nasce agora dia 24...Estou super emocionada....

    Coloquei a história de Um dia no Club no meu blog com seus desenhos encantadores....

    Se achar que ñ devo me avisa...sem problemas...!!!!

    Besitos.

    ResponderExcluir
  7. Nina essa historia de "preconceitos"
    é muito complexa porque como vc mesmo disse: as vezes o preconceito está dentro do proprio negro,mas talvez seja devido a tudo que já tiveram que suportar.
    E nos Nina todos somos passivos de erros até nos pensamentos...
    beijos grande Nina pq vc é GRANDE SIM!!
    te adoro!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Estou com saudades já! Sem você lá no meu cantinho, tudo fica tão vazio.

    Eu sei bem que sentimento é esse, mas o importante é que vocÊ se tocou do que vez, do que sentiu.

    Em casa, quando tinha alguma piadinha sobre negros, preconceito eu sempre ficava brava, porque eu sempre achei que o que mudava de um negro para mim era apenas a cor.

    Esses dias eu estava vendo um coemrcial que só tinha negros e aí eu pensei nos brancos...Cadê os brancos??? Aí eu me toquei como os negros se sentem o tempo inteiro sendo excluídos de uma sociedade que deveria ter sido feitas ainda mais pra eles que são a maioria.
    As novelas excluem os negros, a sociedade já dá cargos menores com raras exceções.

    Esse é um assunto que me interessa muito e poderia ficar horas debatendo sobre isso.

    Parabéns por assumir que você não é perfeita. Parabéns por assumir o que assumiu.

    ResponderExcluir
  9. Uma vez, Nina, quando trabalhava de camareira num hotel nos EUA, havia uma família negra num dos quartos que quando foi embora, me deixou 1 dólar de gorjeta.
    Lágrimas me escorreram dos olhos por me ver naquela posição.Mas entenda bem,foram lágrimas de alegria por perceber que as posições foram trocadas.Há alguns anos, eles estariam me servindo e não o contrário.

    ResponderExcluir
  10. Nina,
    Ser hipócrita, a contragosto mesmo, é parte inerente de ser humano. E travar uma batalha contra o ego é preciso, porque no frigir dos ovos... somos todos farinha do mesmo saco!
    Que maravilha seus filhos terem a oportunidade de conviver com tantas diversidade, isto trará uma riqueza enorme para a vida deles, e para a sua também Nina!
    Bjão!!!
    Márcia

    ResponderExcluir
  11. Nina, isso é dureza. Algumas vezes eu e João passamos por isso, já vi ele sendo desprezado em lojas, e isso dói, de doer muito mesmo.Quando eu tiver filhos quero muito que eles não sintam esse preconceito na pele.Acho que quando sentimos algo que não é legal e damos um jeito de exorcizar aquilo é um passo enorme para nos tornarmos pessoas integralmente boas, pq todos temos sentimentos ruins, mas acho que o que difere os bons dos maus é o que se faz com esses sentimentos.
    Ah, vou fazer coro com o primeiro comentário (joaninha bacana), colorido é mais divertido.
    Bjusss

    ResponderExcluir
  12. Oie :-)
    Se casou fora do Brasil, tem que ir pessoalmente no consulado (saco, saco, saco) para assinar o nome no livro de registro. Olha só:
    "Para registrar o casamento, um dos cônjuges brasileiros deverá comparecer ao Consulado-Geral para assinar o Livro de Registros. "
    Bem que eu queria fazer tudo era pel correio mesmo :-)
    Quanto a farinha... tô e nao largo com o teu marido: fa-ro-fa-fa-fa-fa!!! Aaaaaaaaamo :-D Tenho certeza que o Depeche nao ia se importar, hahaha :oD
    Beijocas pra voces, Angie

    ResponderExcluir
  13. Oi Nina, vc tem toda razão, o preconceito está muito enraizado nos "brancos" q sempre se acham melhores, mas um grande problema é q alguns negros se autodescriminam e aí o bicho pega, pois se eles se acham menores ou piores como serão vistos pelos outros? Complicado!!!!Qto a Roberto Carlos é como a Tânia disse, faz parte da nossa famíli, pq mesmo a Lu não sendo da época ela tb curte muto o rei. Espero q ele ainda faça mta coisa boa p ouvirmos. Sucesso no curso. Bjks saudosas

    ResponderExcluir
  14. Nina, amo todas as "cores". Que graça teria o mundo se fosse sem cores? Nenhuma.

    bjux querida!

    ResponderExcluir
  15. Penso que o preconceito está enraizado no ser... e são tantos não é? De gente gorda, da cor da pele, do grau de instrução, estrangeiro e por aí vai. Eu sempre tive preconceito de hippes, sabe aquelas pessoas que vendem artesanato em feira? Que besteira!
    Em contrapartida sou negra e mãe solteira e principalmente sou uma pessoa de hábitos simples então quando entro numa conversa profunda e me mostro por dentro a pessoa fica com cara de 'nossa, não esperava ouvir essas coisas de voce' hehehehe
    Beijos...

    ResponderExcluir
  16. NINA!!!!!!!!

    Que saudade de você e daqui!!!!

    Fiquei sumida, né? Menina, a advogada que trabalhava comigo aqui no meu escritório (espécie de braço direito, sabe??) há mais de 8 anos (começou como estagiária), preferiu montar uma coisa pra ela, e avisou uma semana antes de sair, sabe??? Imagine todos os prazos caindo por cima da nossa cabeça???? Em plenas férias escolares das meninas e do advogado que trabalha com a gente em Vitória...

    Ai, ai...Nem te conto...Precisei até fazer um MAPA de pressão arterial, pois quinta feira passada a minha querida pressãozinha chegou a 20, pode????????????

    Mas, está tudo bem agora, conseguimos reestruturar as coisas, por hora, e estamos indo bem.

    Fiquei com muitas saudades, sabe??? Lembrei tanto de você no fim de semana...

    Beijos, beijos e beijos.

    Aos poucos vou me colocando "em dia" com as novidades!

    Rê.

    ResponderExcluir