19/06/2009

Agressão à alma

Hoje o assunto é sério!
Ao ler o post da Elaine, essa blogueira linda e gentil que fala abertamente sobre coisas muito sérias em seu bonito blog, não resisti ao ler os comentários e chorei ao notar que tantas são as mulheres que passam por situacões parecidas, de agressão física e pscicológica dentro de casa. Mulheres que apanham daqueles que deveriam dar amor e deixar as mulheres tão bonitas e belas como quando as encontraram.

Covardia!
Tirar uma mulher de dentro da casa dos seus pais, pra ir acabando com sua vida assim, de mansinho e todo dia, usando e abusando de agressão. Covarde.

Quando vamos acabar com essa chaga na sociedade??

Meu Deus!

Onde estarão as meninas que essas mulheres foram? Escondidinhas dentro de uma escuridão sem fim, com medo, com muito medo dos seus próprios companheiros (??)

* * *

Canta menina, canta, canta com essa música, aprende a letra, decora e canta alto, pra nunca esquecer o valor que você tem, que sempre teve. Não permita que ele estrague seus sonhos de menina. Afinal, "toda menina é uma princesa!"

"Eu apenas queria que você soubesse
Que aquela alegria ainda está comigo
E que a minha ternura não ficou na estrada
Não ficou no tempo presa na poeira

Eu apenas queria que você soubesse
Que esta menina hoje é uma mulher
E que esta mulher é uma menina
Que colheu seu fruto flor do seu carinho

Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta
Que hoje eu me gosto muito mais
Porque me entendo muito mais também

E que a atitude de recomeçar é todo dia toda hora
É se respeitar na sua força e fé
E se olhar bem fundo até o dedão do pé

Eu apenas queira que você soubesse
Que essa criança brinca nesta roda
E não teme o corte de novas feridas
Pois tem a saúde que aprendeu com a vida

Eu apenas queria que você soubesse
Que aquela alegria ainda está comigo
E que a minha ternura não ficou na estrada
Não ficou no tempo presa na poeira

Eu apenas queria que você soubesse
Que esta menina hoje é uma mulher
E que esta mulher é uma menina
Que colheu seu fruto flor do seu carinho

Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta
Que hoje eu me gosto muito mais
Porque me entendo muito mais também"

Composicão: Gonzaguinha


Gonzaguinha - Eu apenas queria que você soubesse

11 comentários:

  1. Nina do céu !
    Vou ler com calma esta história...
    Estou lendo um livro lindo que comprei na estante virtual , chamado O VALOR DA MULHER....
    Vou colocar alguns trechos para compartilharmos como outras mulheres.....
    Já estou com vontade de chorar mesmo sem saber a história toda....

    ResponderExcluir
  2. Amiga, cheguei a me arrepiar quando comecei a ler seu post, que covardia sem fim...
    Triste demais!
    Querida, muito obrigada pelo seu votinho viu?
    Bjokas flor.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Nina, li seu post logo cedo. Mas só agora consegui ter coragem para comentar. Você captou bem o que mais me entristece: a perda dos sonhos de menina...
    Ontem eu fiquei olhando umas fotos antigas nossas e pensei exatamente isso: "Menina, onde foi parar você?"
    E pensar que minha própria mãe diz a ela que ela tem que aguentar, que homem é assim mesmo...
    Mas, graças a Deus a vida não é só dor, certo?
    Tenha um lindo final de semana, querida.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nina, fui lá na Elaine...
    dá uma sensação de impotencia tão grande na gente... e a pergunta que não se cala é: Porque esta mulher ainda se sujeita a tudo isto...
    Assisti no programa da Oprah Winfrey recentemente uma esposa que matou o esposo com um tiro quando não aguentava mais tanta violência. A filha presenciou tudo e está depondo a favor da mãe, que será julgada por homicídio...
    Elaine ressalta bem que a mulher sensata foge deste tipo de situação quando sente o cheiro do problema. Mas infelizmente o olfato das mulheres anda meio entupido...
    Tschüss Liebe Nina.

    ResponderExcluir
  5. Nina, que coincidencia. Ontem fiquei sabendo que uma amiga linda e muito querida é maltratada pelo marido que ameaça, em caso de separação, tomar a guarda da única filha.
    Ele sai com as colegas de trabalho pra jantar,montou sua equipe na empresa apenas com mulheres e essa semana, quando ela segurou uma torneira pra ele consertar e não conseguiu firmá-la o suficiente,ouviu dele que ela não presta pra nada.
    O que eu posso fazer sem parecer intometida?

    ResponderExcluir
  6. E uma outra coisa. Quando , no final de 2007, fui traída pelo meu francês, ouvi de várias amigas e da minha única cunhada, que elas nunca perdoariam uma traição.
    O que me levou a pensar, Nina, que a traição que elas sofrem é diária, e essa sim , não deveria ter perdão.Tirando esse incidente chamado Gilda, meu francês sempre me respeitou, é carinhoso e delicado.Não se esquece de me elogiar, dizer que estou bonita ou agradecer uma refeição que eu preparei.(Daí o susto).
    Meu irmão chama a mulher de burra, manda calar a boca, mesmo na frente de estranhos.E ela ainda comemora aniversários de casamento.Dá pra entender ?

    ResponderExcluir
  7. Fui lá. É lamentável, mas mais comum do que imaginamos! Ela prcisa de apoio pra recomeçar a vida. Não é fácil não. Pra não correr risco, sair fora sem deixar pista.bj

    ResponderExcluir
  8. este assunto é muito sério msm... até qdo teremos q nos sujeitar a isso??? temos q ter coragem e enfrentar de frente tal situação...

    tem selinho p vc no meu blog, dá uma olhadinha e passe para pegá-lo.

    bjocas

    ResponderExcluir
  9. Nina, isso é tão triste, relatei ficticiamente isso no diário e também contei a história da minha querida tia Maria que conseguiu com muita coragem largar o agressor.Esse é um assunto que me dá uma tristeza imensa, sofro por essas mulheres.
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Nininha, eu não estava conseguindo entrar no seu blog o fim de semana todo... Na sexta-feira li o texto, e como é um assunto que mexe demais com meus brios, nem comentei... Acho um absurdo isso tudo,ainda vou ser presidente do Brasil e vou atacar esse crime com mais vontade!

    Beijins:*

    ResponderExcluir
  11. Li toda a história Nina, só não entendo porque é que as restantes pessoas, que testemunham toda a agressão não a denunciam!

    No Brasil, violência doméstica não é um crime público?

    ResponderExcluir