09/03/2009

Blogagem Coletiva: Inclusão Social - Os Feios!


Este post faz parte da blogagem coletiva organizada pela Ester

* * *

Conceito de Inclusão Social no Wikipedia: "É uma ação que combate a exclusão social geralmente ligada a pessoas de classe social, nível educacional, portadoras de deficiência física, idosas ou minorias raciais entre outras que não têm acesso a várias oportunidades. Inclusão Social é oferecer aos mais necessitados oportunidades de participarem da distribuição de renda do País, dentro de um sistema que beneficie a todos e não somente uma camada da sociedade".
* * *

Não sou feia não sabe?! Mas sou muito baixinha. Aí você pode me perguntar: "Sim, Nina, e o que isso tem a ver com inclusão social?

Ora, quando a você é negado o direito de entrar em determinado lugar na sociedade baseado no que você estampa na sua cara, ou seja lá em que parte do corpo, você pode entender o que eu quero dizer...

Quer ver?
...

Eu recebo uma proposta de trabalho, vou lá. Sou estudante do segundo grau ainda, me preparando pro vestibular. O responsável pela entrevista gosta muito de mim, mas dá o trabalho pra minha irmã, e fala na minha cara a razão: "Porque ela é mais alta e tem mais presença!"

* * *
Trabalho numa empresa onde as chances de crescimento são até boas, sou esforçada e dedicada. Faço meu trabalho muito bem, mas perco o lugar que almejo pra uma outra colega, bem mais bonita, apesar de bem menos competente.
* * *
Uma amiga minha que é negra, trabalha há mais de 8 anos num lugar. Apesar de super competente no que faz e de ser extremamente inteligente, até hoje precisa ouvir piadinhas de extremo mau gosto, dos seus próprios colegas de trabalho, sobre sua aparência e cor da pele, até mesmo de macaco os seus colegas a chamam...
* * *
Uma conhecida, que não é lá de parar o trânsito, morre de medo de entrevistas de trabalho, porque sabe que dificilmente será julgada pelo que sabe, mas pela aparência que possui. Agora o pavor dela duplicou, uma vez que precisa colocar foto 3x4 no curriculum. Até hoje está desempregada.

* * *
Um amiga minha que é gorda, geralmente é colocada de lado nas sextas feiras pra sair com os amigos, porque não vai caber no carro. Além disso, depois de muito esforço, conseguiu um emprego. Ela o faz muito bem, é competente demais, faz o trabalho muito bem feito, é primorosa na sua atividade, mas precisa ser sempre a engraçadinha do escritório, tem que estar sempre com um sorriso no rosto e fazer piadas o tempo inteiro, até mesmo de si mesma, porque gordo tem que ser engraçado obrigatoriamente! já que "não tem muitas outras qualidades".
* * *
Um colega meu, que só tem uma perna, teve que esperar a única empresa na cidade que emprega deficientes físicos, porque a certificação exige (!!), pra conseguir o seu primeiro emprego, com quase 30 anos (!) porque em nenhum outro lugar era aceito. E ainda assim, ele precisa trabalhar dobrado pra mostrar que realmente é merecedor do lugar na empresa, além de ter que aceitar piadinhas sobre sua condição física diariamente.

* * *
Num dos meus últimos empregos, ao ser entrevistada por um homem, tudo rola muito tranquilamente, ele se surpreende com minha naturalidade numa entrevista e gosta muito do meu curriculum. Em comparação com os outros muito entrevistados, modéstia à parte, a baixinha aqui, parece mesmo uma boa candidata. Ao me despedir do entrevistado, fico extremamente incomodada com seu olhar pra minha bunda ao me virar. Ganho o emprego. Mas não sei se fico realmente contente, que bela merda! Me pergunto afinal qual foi o critério usado pelo entrevistador.

* * *
No nosso país, negros precisam de cotas pra terem o direito a cursar uma universidade! Porque o país não oferece boas condições de igualdade a todos os seus cidadãos...

* * *
E eu continuo a me perguntar, que país é esse afinal, extremamente hipócrita, em que nascemos???


Igualdade de direitos é coisa que não conhecemos no Brasil!

23 comentários:

  1. No meu trabalho de conclusao de curso, o tema era sobre a inclusao, mas num outro paradigma, e a frase que coloquei na apresentacao serve para qlq tipo de inclusao. E muito linda, e assim o:
    "Temos o direito a ser iguais quando a diferença nos inferioriza; temos o direito a sermos diferentes quando a igualdade nos descaracteriza"
    Boaventura de Souza Santos

    Acho essa frase perfeita!

    A inclusao seja ela qual for, ja mostra que algo nao esta igual, e infelismente o mundo sempre tera desigualdade. Os olhos das pessoas, das empresas, dos orgaos que precisam se abrir e ver que as diferencas sao bem vindas. Afinal temos leis e politicas( que no papel sao lindas, e da ate para chorar) hoje em dia que dao o direito a todas as racas, "deficientes", criancas...

    Quanto a aparencia, realmente e triste ver o quanto isso ainda tem peso. Eu tenho um bom curriculo, mas ja perdi vagas por ter a cara de crianca, e nao passar credibilidade. Fora que tbm sou baixinha! Vou te contar viu? So falta a gente ter que escolher a profissao agora nao por aptidao, mas onde que a aparencia se encaixa melhor!

    A musica Indios e linda!

    bjinhos!

    ResponderExcluir
  2. Ahh sim...esqueci de falar! Mas no brasil um dos que sao mais excluidos sao os pobres! Numa fila, muitas vezes um caixa se dirige se forma grosseira so por perceber que a pessoa e pobre. E tbm acontece no namoro, muitos percebem que vc nao tem grana e cai fora, isso tanto com mulher, quanto com homem.
    O que mais me irrita mesmo e ver um "rico" pagando uma conta com 50 reais e um pobre tbm pagando (com dificuldade) uma conta de 50 e a diferenca que um caixa faz diante dos dois. Em lojas de roupa isso e muito comum e me da odio!
    Quando eu ia no shopping mais baguncada, as atendendetes me expulsavam da loja com o olhar! E irritante!
    Por isso quegosto de lojas sema atendentes, so para pagar...que possamos circular e ver tudo sem alguem nos metralhando com os olhos!
    A exclusao tbm vem com esses signos e sinais subliminares. Que vc simplismente percebe.

    Falei demais ne? Mas e que isso da pano para manga!

    bjuuu bjuu

    ResponderExcluir
  3. É brabo, né? :o(
    Beijos, e boa semana pra voces!!!
    Angie

    ResponderExcluir
  4. Adorei essa postagem coletiva! sou nova nessas bandas de blog e ainda pouco sei. Esses escritos em uníssono apontando os estigmas e violações cotidianas dos direitos me trouxeram idéias. estou secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza e quero dar um tom mais inovador, trabalhar dimensões de natureza, também, político-subjetivas. e aqui tive alguns insights...Nina, fiquei feliz com tuas palavras no meu blog, por aqui tenho conhecido pessoas de uma extrema sensibilidade. Eu te encontrei, tenho bom faro. um grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Pois é Nina, infelizmente não acontece só no Brasil ,não. Esta história de exclusão acontece em todos os países do mundo, principalmente nos de "primeiro mundo".
    O que quer dizer que este tipo de preconceito não diminue com a educação e cultura que se tem. Aliás a educação e cultura também são mecanismos de discriminação: quem sabe muito discrimina os ignorantes e os ignorantes e vice-versa. Este tipo de comportamento parece ser inato ao bicho homem. Parece que vem de remotas eras onde a luta pela sobrevivência exigia a exclusão dos mais fracos.
    Esperemos que um dia o homem encontre um espelho onde possa se olhar e ver refletido tudo aquilo que o enfeia: atitudes, preconceitos... defeitos de alma, eu diria.
    Abraço
    Angel

    ResponderExcluir
  6. Ando tÃO indignada com essas coisas que se fosse comentar sobre isso ficaria horas e por isso prefiro só ler e absorver o que acho necessário.
    Acho incírvel como somos julgados por aparência física, mas a vida é assim e acho que por um bom tempo será, ainda mais para nós mulheres.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Entendo perfeitamente o que você diz; ser avaliado pela aperência e não pela competência é talvez o tipo mais terrível de exclusão pois tira da pessoa a possibilidade de se revelar.
    E quanto a ser negro e ouvir piadas de mal gosto, e ser gorda e ter que ser engraçada para ser menos perseguida... Não é incrível o que fazemos com nossos iguais?
    Tenha uma boa semana, Nina.

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente isso acontece bastante ainda,o que é uma pena.
    Passei por isso já com meu filho,quando o chefe dele disse que ele tinha um QI elevadissimo,e conhecimento como poucos sobre o trabalho..mas era baixo demais..
    (????)para um trabalho que altura nada tinha a ver a não ser pela presença mesmo.
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Menina, e eu que sempre fui alta , desde os 15 anos 1,80 ...
    Que complexo!
    Quase ninguém me chamava pra dançar nas festas, muito menos namorar.....

    Já chorei muito por isso....
    Coisas da vida, né ?

    Hoje até acho engraçado relembrar....Eu me sentia "a mosca do cocô do cavalo do bandido"

    ResponderExcluir
  10. Olá,querida!
    Vim agradecer sua visita e comentário,fiquei emocionada com o teu blog,volte quando quiser,
    teu texto está impar,parabéns!
    beijos na alma
    Mari

    ResponderExcluir
  11. Primeiro: Que post lindo sobre a Laura ali em baixo *--*

    Agora, esse assunto é muito delicado!
    Eu acho ridiculo pessoas que fazem isso! Como se fossem superiores! Mas acho que o pior de tudo, é que as pessoas sofrem caladas, como se estivessem convencidas que esse absurdo é verdade!

    Igual a frase que tem ali do lado mas que eu tambem ja vi em outro lugar: "O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silencio dos bons!"

    Beeijos*

    ResponderExcluir
  12. Nina
    Simplesmente A-M-E-I!!!
    Qtas vezes fui preterida por ser mulher, por ser mãe, por ser separada...afff
    Melhor nem comentar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. E não vai mudar tão cedo, e sabe pq?
    Eu tenho uma amiga negra que casou com um branco. Este homem bebia e batia na mulher e nos filhos.
    Depois de uma destas surras ela fugiu para minha casa e eu perguntei pq ela insistia neste casamento e ela me respondeu que preferia apanhar de um branco a ser casada com outro crioulo.
    Ela tinha preconceito da própria cor.
    Muito triste, mas esta é a realidade.
    bjks

    ResponderExcluir
  14. Oi Nina! Obrigada pela visita, pelo comentário forte!


    é preciso ter coragem pra assumir certo pesos na vida...


    Voce tem toda a razão, penso exatamente a mesma coisa!

    Gostei muito da sua postagem, de voce ter se colocado pessoalmente. Sempre faremos parte de pelo menos um dos grupos de excluidos, enquanto houver mentalidade exclusiva. Ou dos velhos, ou dos jovens, ou dos desempregados, ou dos baixinhos como voce disse. Caramba a injustiça da um nó na garganta da gente, e um nó no cérebro de quem exclui rs

    Abraços,

    ResponderExcluir
  15. Perfeito!
    Nina, nunca sei qual é o critério de avaliação, mas já perdi um emprego pra uma gostosona loira, 1 mês depois a mesma empresa me ligou oferecendo o mesmo cargo e um salário um pouquinho mais alto... A gostosona não deu certo.

    Perfeito o seu texto!

    Beijins:*

    ResponderExcluir
  16. Ahhhh...
    Essas coisas me deixam bastante inttrigada.

    Um certo dia uma prof nos disse que o ser humano é um bicho muito curioso. Assim como os irrácionais,nós ficamos em alerta quando algo diferente se aproxima.
    É estranho mas como eu sempre fui chamada de Preta, etc, já me "acostumei" mas ainda não me agrada muito mesmo que seja na brincadeira.

    Com certeza temos de respeitar a todos, não importa como seja,quem seja.
    Se houver algo que não estamos acostumados,não é pecado que estranhemos um bocado... Mas essa atitude de ignorar,falar mal,fazer piadinhas....Que coisa mais baixa! Pior até que um animal irracional!!

    Essas coisas são muito complicadas de se falar porque... Não é só no Brasil né! Acho até que o Brasil é menos preconceituoso do que muitos lugares por aí...

    Mas enfim... Façamos a nossa parte!!!

    Amo vocês ;**************~~

    Ps: Tá famoooso o blog neéé!!! xP
    Lindoooo!! Vocês merecem =D

    ResponderExcluir
  17. O preconceito é um dos males mais antigos do mundo e o principal fomentador da inclusão social.

    ResponderExcluir
  18. Nina,
    Obrigada pela visita ao meu espaço. A porta está sempre aberta e a chaleira ao lume para oferecer um chá e dois dedos de conversa.
    Depois do que leu no meu post, dizer-lhe o que penso sobre este texto, acho que nem é preciso, não é?
    Beijinhos e volte sempre!

    ResponderExcluir
  19. Oi querida, vim retribuir sua visita e dizer que adorei seu post. Penso que qq pessoa que saia dos padrões tidos como "normais" é exilado. Baixinho, gordinho, careca, sem dente, sem dinheiro... As pessoas ainda não perceberam que somos todos iguais!!! E enquanto esse pensamento pairar, o preconceiro e a exclusão permanecerá!
    Adorei seus cantinhos!
    Beijossssssss

    ResponderExcluir
  20. Olá! Obrigada pela visita! Muito bom o se texto! Parabéns!!!
    Um abraço enorme!
    Vá.

    ResponderExcluir
  21. Muito bacana o que foi tratado aqui na sua postagem, sobre "feios" e isso é algo muito pouco falado, mas existe inclusive leis sobre o assunto discriminatório no sentido de anúncios pra emprego ou coisa do tipo, não incluir pessoas sejam elas como forem, o que forem e o que venham a ser, independente, se são ou não bonitas, acaba acarretando uma exclusão, fazendo com que os mesmos, não tenham oportunidades na vida.

    Muito interessante tb os demais asssuntos ligados ao que falou, como obesidade.

    Muito legal seu blogue, um prazer estar aqui.

    Chris

    ResponderExcluir
  22. Nina!

    Estou encantada com a maneira natural e espontânea da sua composição,

    vc está coberta de razão sobre a hipocrisia, o caminho é árduo para chegarmos a uma justiça social,
    mas não podemos desistir,

    essa coletiva trouxe-me esperança, que não nos falte forças para lutarmos,

    caminhar é preciso..!

    ResponderExcluir
  23. realmemte nina a hipocrisia nos atraza dizendo que ñ a preconceito neste país ,da pra acredita?um bjo!

    ResponderExcluir