02/12/2008

Preconceituosa? Eu??

Ontem teve reunião de pais na escola da Laura. Durante a reunião algumas crianças permaneceram na sala, uma das meninas, de 17 anos, que é coreana, não parava quieta na cadeira. Ela se remexia, falava o tempo inteiro qualquer coisa, falava alto, ficava rindo sozinha, fechava os olhos em posição de meditação, olhava pras pessoas com um jeito estranho, não parava quieta um segundo da reunião.
Eu que estava com um enjôo do caramba sei lá porquê, estava ficando nervosa com a menina. Meu marido segurava na minha mão pra me acalmar. Notei que alguns professores olhavam pra ela meio impacientes, mas como sabem lidar com ela muito bem, não se deixavam levar pelo jeito inquieto da menina.

Da coreana, Laura já havia me falado que a menina, na viagem que fizeram em conjuto às montanhas, teve um ataque de nervosismo porque machucou o pé de uma amiguinha sem querer e depois mesmo sem ter culpa, ficou se sentindo culpada, chorava nervosa, mais do que a amiguinha machucada, e queria morrer por isso. falou também que ela tem paranóia em estudar, que quer sempre ser a melhor da sala de aula e que dorme pouquíssimas horas por dia.

A reunião acabou. Fomos pra casa. Ao chegar, desabei com o marido, fiquei falando mal da menina, achando que ou ela quer aparecer ou tem algum problema sério de comportamento. E ele falou: "Nina por favor, ela deve ser doente, existem pessoas assim, que não conseguem se conter por si mesmas".
Quando ele falou isso, caiu a ficha finalmente. Eu estava agindo de forma preconceituosa com uma criança!
Me senti tão, mas tão envergonhada, que até pedi desculpa a Laura por falar da coleguinha dela, e estou me sentindo mal até agora. Quem sou eu afinal pra falar de alguém? Meu filho também é inquieto demais, tem dificuldade em se concentrar nas coisas e está sempre se mexendo enquanto faz a lição de casa, por exemplo. Fiquei pensando em quantas vezes agimos com preconceito com as pessoas. Pessoas que nem conhecemos, não sabemos a vida que têm, que problemas que trazem pela vida, que vida que elas tiveram. Simplesmente, nos apetece falar por falar.
Lembro de um dia que falei sobre alguém aos meus filhos: - Aahh ele é bem legal, divertido, mas pois é né crianças, ele é gay.
Os dois, falaram em conjunto: -Mãe e daí? E daí que ele é gay?
De novo envergonhada.
Eu que sou contra todo tipo de preconceito, faço uso dele também de vez em quando, mesmo sem notar. Que bom que tenho meus fihos pra me fazerem despertar. Eu os vejo não rir de piadas sobre negros, sobre pobres, sobre gays, sobre louras, sobre mulheres, eles não riem, eles nunca fizeram parte dessas turminhas de colegas que fazem brincadeiras de mau gosto com outros, eles não riem de piadas que para eles não fazem sentido algum. Eles não fazem parte disso e eu há muito tempo, percebi que não tem graça nenhuma repassar piadas que têm o preconceito embutido.
Mas e as pequenas coisas que ainda não percebi? Como ontem, me senti mal, me senti mais uma hipócrita no mundo.

Talvez escrevendo sobre isso me limpe um pouco a alma que hoje está se sentindo um tanto suja.



E pra ser ainda mais franca, assim como a Shakira: Eu tenho horror a gente que faz brincadeira o tempo todo das outras pessoas, e são incapazes de rirem de si mesmas. Passam o dia inteiro falando bobagem, fofocando da vida dos outros, tenho horror a gente que faz piada o tempo inteiro! Tenho horror de gente que ri da cara de outras. Criei verdadeira ojeriza de gente assim. Esse tipo de gente me cansa, por isso mesmo, criei aversão a piadas. Não gosto, acho tudo muito desrespeitoso. Tenho amigos que dizem que sou séria demais, que deveria levar a vida mais leve, mas como posso fazer parte de um grupo de gente que só sabe rir dos outros, e nunca de si mesmas? Que levam a outra a se envergonhar e acham isso engraçado? Que pra ser o mais engraçadinho da turma envergonham os outros e passam adiante piadas preconceituosas? Prefiro continuar com minha seriedade então. Que me perdoem os brincalhões, mas tenho horror a eles. E já não sei se isso faz parte do post, me perdi totalmente hoje...

20 comentários:

  1. Nina, esse foi um dos seus melhores posts.
    Eu entendo completamente sua tristeza por ter feito isso e é mesmo angustiante quando fazemos algo que julgamos errado, mas você teve a nobre atitude de perceber seu erro e voltar atrás, de entender que essa menina pode ter muitos problemas em casa e que com certeza ela não é assim por vontade própria e é assim para os gays,para os gordos e para todas as pessoas que sofrem o preconceito.
    Também gostei muito quando você diz que as pessoas que fazem piadinhas com outras não riem de si mesmas. É exatamente isso que acotnece aqui no meu trabalho e fico extremamente mal!
    Olha, parabéns pelo lindo post de hoje, por ter reconhecido que errou e por tentar todo momento ser uma pessoa melhor e sei que se isso acontecer novamente, você agirá de outra forma.
    Sinta-se melhor, pois há milhares de pessoas que morrem com o preconceito na alma e você não tem nada a ver com elas.
    Amo-te

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que levar a vida mais leve nao e necessariamente ser bricalhao, muitos desses escondem verdadeiras feridas. E realmente piada com a caracteristica do outro nao e nada legal, acho desrespeituoso e de muito mal gosto, as vezes e falta de educacao mesmo. Concordo contigo mais uma vez maninha!

    Mas qto a menina realmente as vezes nos julgamos pelo impulso, como acao e reacao mesmo. Ela faz algo e a gente interpreta... Mas tbm acho que cada um tem seus problemas, as vezes os pais podem ate corrigir ela, claro que nao em publico, e ela se martiriza assim, nao se sabe ne? Mas realmente ela deve ter os problemas la!

    As vezes temos atitudes de recriminacao mesmo, todo mundo tem. E eu tbm nao gosto de pessoas cheias de piadinhas, que carregam discurso de levar a vida na esportiva, mas que na verdade sao arrogantes. Eu me deparo com pessoas assim as vezes, e sinceramente tbm nao suporto! Vejo isso tbm muitas vezes pelo olhar.
    E pior ainda e aquelas que pregam sermao, sao de igreja e falam mal dos outros ateeeeee! Estudei com uma menina assim que qdo ela falava eu ate me sentia mal. Falava de igreja, de grupo da igreja, do que e certo e errado, chamava as pessoas para tirar satisfacao. Eu nao suportava tanto falso moralismo! Eu nao nao sigo mais religiao e me sinto bem, tenho minha fe.

    E seus filhos tem essa cabeca assim pq vc tbm pasa isso ne Nina! Isso e um tesouro, tenho muita esperanca de vida ao ver pessoas assim, como vc e seus filhotes.

    Infelismente ha disversas pessoas no mundo e eu ainda estou me adaptando em saber que enm todo mundo e bom!

    Bjo no coracao!!

    ResponderExcluir
  3. Amore mio!
    primeiro: não se sinta tão culpada por ter julgado a menina, tu é gente, tu é humana! Isto é perfeitamente normal!! Acontece e não é preconceito, tu apenas fez uma imagem do que tu estava vendo, talvez até tu estivesse certa porque existem sim crianças chatas, mas a maioria das pessoas acha um sacrilégio dizer que uma criança é chata! Por quê? Se podemos chamar um adulto de chato, podemos achar uma criança chata também! Só é claro que tu jamais vai poder dizer isso pra ela.
    E quanto aos brincalhões, talvez, eu disse TALVEZ aí tu esteja sendo preconceituosa.Por que, tem gente que gosta de levar a vida mais leve, e por isso brinca.
    Mas concordo que ficar fazendo piada em cima dos outros não é legal.Eu, por exemplo, sou uma brincalhona, mas que só faço piada de mim mesma! Vivo tirando sarro da minha cara. E assim fico feliz, rindo de mim mesma, dos meus problemas.
    Relaxa! Não se culpe tanto! Não queira ser sempre um modelo de perfeição! Às vezes um defeitinho é bom e faz parte. Como disse Jesus, quem não tem seus pecados que atire a primeira pedra.
    Quanto ao maridones, ele ficou super feliz com a surpresa e pediu pra te agradecer os parabéns! Que vídeo fofo, né?!
    Um lindo dia e sempre vou te adorar, mesmo se tiver defeitos!
    Bjuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

    ResponderExcluir
  4. Passando pra te dar o abraço mais apertado de todos...

    ResponderExcluir
  5. Que bom que vc gostou das ideias Maninha!! hehehe
    Olha eu tbm vou tirar um foto daqui de casa. Mas como o ruben e apaixonado por computador, o quarto aqui fica praticamente a funcao disso. Na verdade aqui em casa sao dois computadores, um para mim, um para ele, fora a impressora monstra que tem aqui e mais uma CPU extra com uns 20 hd's ....serio ele tem uns 550 quintrabites aqui... e muita coisa! Antes eram dois trambolhos (CPU extras), mas ele reduziu para um. Depois mostro, e meio baguncado, mas eu nao mexo, pq tenho medo! hahahahaha
    E se precisar, po falar!

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Ahh Bina, nao é preconceito nao, é apenas trauma com certo tipo de brincalhao, com aquele que nao se toca e fica tirando sarro da cara das pessoas. Tenho trauma mesmo de gente assim.
    Nao tenho problema algum em gente que ri de si mesmo, eu sou bem assim mesmo, fico todo tempo tirando sarro de mim mesma, e fui bem clara nesse ponto. o engracado é que tenho uma amiga, a juli que de vez em qd aparece por aqui, que fala que eu sou mt engracada, meus filhos morrem de rir de mim, meu marido, basta eu falar uma palavra, que se acaba na risada e eu fico sem entender o porquê: eles falam que eu sou mt engracada. logo eu que me acho seríssima :)
    mas é tudo questao de ponto de vista diferente, né?

    ResponderExcluir
  7. Hm...

    Ela pode até ser meio maluca, mas quem não é? =D

    Ó mãe, não fica assim, o importante é que você reconheceu seu erro! Ah, sobre brincadeiras e piadas de mau gosto...bom, deixem que falem o quanto quiserem, mais saibam que no final eu vou disparar a falar, defendendo tudo o que foi motivo de gozacão! (contanto que mereca, claro ^^)

    ResponderExcluir
  8. Nina,

    Que linda é você...Mesmo quando é humana ( e não fada como diz a Soninha), mostra os seus defeitos de um jeito tão sincero e poético que eles se tornam ensinamentos...

    Quero saber educar minhas filhas assim. Você me ensina????? Deixa a Laura vir fazer um estágio aqui em casa????rssssss....

    Quanto a rirmos de nós mesmos, acho que aí, sim, temos uma piada que possa valer a pena...

    Um beijo ENORME.

    Rê.

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina! Que bom que gostou :)

    E agora que vi que o nome da personagem que inventei é o mesmo que o seu!
    Eu estava pensando em começar a escrever daquele jeito no blog, criando uma família com personagens e através deles fazer meus posts.
    O que acha?

    Seu post sobre preconceito é muito pertinente. Nesse mundo que se diz livre de preconceito, às vezes também me pego fazendo julgamentos. Mas, temos que aprender que as pessoas são diferentes e livres para agir como quiser. O mínimo a fazer é respeitá-las e aceitar então, esse mundo "multi"!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  10. Nina, você já recebeu o livro da Cris? O para Francisco???????

    Beijo,

    Rê.

    ResponderExcluir
  11. Olha só Nina, minha visão é assim:
    os outros incomodam.
    Incomodam quando são mais lindos, quando são mais inteligentes, quando dançam melhor, quando falam melhor ou quando escrevem melhor e por aí vai.
    Imagina só você se uma criança inquieta não nos deixa louca? Fala sério né? Não acredito que isso seja um erro, a gente tem idéias pré-concebidas de tudo, e acaba sendo normal a gente fazer um julgamento antes de conhecer, anormal é fazer um julgamento e não conhecer e pior não voltar atrás.
    Vamos rir e mexer as cabeleiras com a Shakira:)

    Beijins com felicidades:*

    ResponderExcluir
  12. Nina,

    Sim! O meu chegou hoje. Comprei pelo site da Saraiva mesmo, sou professora cadastrada e nunca tive problema...Mas para você fica um absurdo o frete, não tem como. Por isso perguntei...

    Eu comprei um pela Internet e aqui na minha cidade chegou na livraria, então, eu pensei que poderia te mandar...(presentinho para minha primeira amiga de blog...rssss...) Aí, junto , eu mandaria o desenho do Vestido de Laura que ela fez para você...

    Me fale se não receber, queria muito te fazer esse carinho, viu??

    Beijo!

    Rê.

    ResponderExcluir
  13. ahh Rê, meu Deus, que coisa linda! Obrigada pelo carinho. Fiquei boba agora :)
    Mas por favor, manda o desenho da Laura, please!!! Esse seria meu melhor presente!

    ResponderExcluir
  14. Nina, todos erram, mas poucos reconhecem e acho que só isso já é suficiente!
    Quantos as pessoas que enchem o saco: na minha sala tem um monte desses, infelizmente. Mas eles amadureceram um pouco, acho que o nome disso é isso mesmo: falta de amadurecimento!

    E Shakira!!A quanto tempo eu não escuto ela, amo a voz dela!

    Beijos*

    ResponderExcluir
  15. Oi, vc está sabendo dessa blogagem? Fiz um convite no meu blog, mas vc poderá confirmar se deseja participar no link abaixo.

    Blogagem Coletiva Direitos Humanos 2008 II (Aval das Nações Unidas)

    Maiores informacoes aqui:

    http://fenixadeternum.blogspot.com/2008/11/direitos-humanos.html

    Um abraco e boa noite

    ResponderExcluir
  16. Nina...
    Nessa bolinha de gude que é o mundo ainda me espanto quando encontro pessoas que pensam como eu: não suporto piadas, acho que provocam um riso barato e reproduzem preconceitos.
    Escrever alivia mesmo, Nina. Purifica a alma e tua coragem de se expor tão honestamente é inspiradora.
    Fique bem ... um beijo,

    P.s: A Renata é uma querida mesmo, hein? Tão delicada e doce.
    Beijo, Renata.
    Bel.

    ResponderExcluir
  17. acho que nao foi uma questao de preconceito, e sim uma critica que vc fez a uma crianca que fazendo danacao.. normal Nina, nao sinta-se culpada por isso!!

    ResponderExcluir
  18. Nina de Deus!!! Isso é TPM? rsrs
    Não se torture tanto, menina. Todo mundo dá um "fora" de vez em quando. O importante é que você reconheceu a tempo, ok?

    Agora... "Eu que estava com um enjôo do caramba sei lá porquê..." ?? Como assim??? A última vez que tive um enjôo-sei-lá-porquê era a Larinha que estava chegando. rsrs

    Bjux querida!

    ResponderExcluir
  19. Oi Nina,
    Qdo morava em Bruxelas, eu fiz trabalho voluntário. E um deles era fazer atividades (ir no cinema, jogar boliche, etc) com uma garota de 17 anos que tinha idade mental de 6. Quando fomos no cinema a primeira vez, ela comecou a rir muito, muito alto das cenas engracadas do filme. E eu notei que quem estava sentado ao nosso redor se incomodou com isso. E eu fiquei com vergonha de mim mesma, porque se eu nao soubesse que ela tinha problemas, também teria ficado bem irritada com a guria. A questao é saber quando o comportamento é gerado por problemas, ou por má-eduacao. Porque com má-educacao, só lamento, mas eu nao tenho paciencia nenhuma. Nem com os filhos, mas principalmente, nem com os pais :o)))
    Beijos,
    Angie
    P.S. Adorei a sua ideia de calendário de Natal!!! Ano passado eu fiz um na mao também, com presentinhos diferentes para cada dia. Mas, eu confesso, Nina: vou precisar estar muito inspirada pra fazer de novo, porque dá um trabalhaaaaaao! :o)))

    ResponderExcluir
  20. Oi Nina, também ja me peguei falando alguma besteira pre-conceituosa, ja cheguei a tapar a boca uma vez quando percebi que tinha dito "ah mais ele é gay neh", quando vi um homem que tinha habitos mais narcisista. Fiquei chocada comigo mesma, foi horrivel, foi decepcionante. Mas acho que talvez isso seja culpa da nossa cultura, a qual nos impulseram desde bebes. Mas vou lutar contra ela, eu não sou assim e nem quero ser. Sou a primeira a reclamar quando alguem fala alguma besteira e não quero nem vou ser hipocrita e fazer o mesmo. Também não gosto dos ingraçadinhos que precisam diminuir alguem para parecerem engraçados ou algo assim.
    Bjãoo

    ResponderExcluir