17/12/2008

Pra que tanta coisa??

Eu não fui uma criança muito curiosa, acho que no fundo eu tinha medo das respostas que me seriam dadas. Na verdade eu acho que eu pensava saber tudo. Eu acreditava que não precisava de mais nada, que tudo que estava na minha cabeça era exatamente o que eu precisava. Que aquele tudo ou nada que eu sabia me bastava.

E no fundo, o mundo pode girar, girar, o tempo passar, passar e a gente descobre que é exatamente isso. Que a gente não precisa saber tantas coisas que parecem ser tão fundamentais e também nem ter tantas coisas. Elas nem são tão fundamentais assim.
Como criança me bastava ter meus amigos na vila, saúde não me importava, eu tinha pouca, mas nunca me impedia de sair pra rua, de reunir com a molecada - mas acho que pra minha mãe saúde era muito importante, porque ela vivia em médico comigo! Comida tinha suficiente e se faltasse, tinha sempre um pé de mangueira por perto. Escola eu só fui frequentar com 8 anos, e não sei porque de tanto atraso, mas já cheguei lá sabendo ler, e também não sei como aprendi, não lembro de ninguém ter me ensinado, não fiz jardim, alfabetização, essas coisas, acho que isso era coisa de gente rica. Família eu tinha sempre por perto. E era uma família bem grande! E tinha uma super avó e incríveis irmãs.
De que mais eu precisava?
Pra que ter tantas dúvidas? Pra que tantas perguntas se aquilo me bastava?

E hoje eu vejo o tempo passando como areia fina pelos dedos e vejo como criança continua a mesma coisa.
Continua precisando de poucas coisas: basta ter uma família que a proteja, uma avó por perto lhe dando carinhos e sorrisos, amigos pra brincar à vontade, irmãos pra se divertir e brigar na hora que for preciso, amigos em que se pode confiar e acreditar em bons momentos pro resto de suas vidas, uma rua livre de perigos, de preferência sem asfalto e com pouco carro e uma pracinha com balanço. Uma comidinha quentinha e um abraço de mamãe e de papai, um leitinho morno quando estiver frio e um beijinho no dodói quando cair. Precisa de uma musiquinha infantil pra dançar e refinar os gostos quando crescer, precisa de uma roupinha de criança e de uma melissinha ou um chinelinho havaina, um lacinho no cabelo. De um espaço pra aprender que pode ser até na cozinha de casa, precisa de lápis de cor, pincel e tinta pra colorir a vida, precisa de uma super pessoa ao lado pra lhe proteger de pessoas não muito boas. Precisa pelo menos antes de dormir, lembrar que Papai do céu a escuta. Precisa de um pouco de pirulito, jujuba, algodão doce de vez em quando, precisa pelo menos uma vez ir ao circo, ao parque de diversões, ao cinema, mesmo que esses lugares sejam bem simplezinhos. Ou melhor, melhor ainda se forem bem simplezinhos...
Mas precisa também ir muitas vezes ao teatro, ver a arte viva, ao vivo e a cores. Precisa de um lápis, um apontador, uma borracha e um livro na mão, precisa de carinho, amor, atenção. Precisa de um quintal, um gramado, precisa de pé no chão. Precisa de um pé de árvore de qualquer coisa pra crescer junto com ela. Precisa de sim e de não. De um rio onde possa nadar, de peixinhos pra pescar. Precisa tomar banho de chuva algumas vezes, e ver o sol secar a roupa no varal. De um cachorro ou de um gato pra alimentar, brincar junto, dar banho e limpar o cocô.
Precisa muito de asas pra voar e raízes pra se sentir parte de alguma coisa mais firme.
Criança não precisa de muita coisa. Não precisa de coisa cara. Não precisa de pagamento.
Ela só precisa de amor na medida certa, alguns castigos, algumas recompensas, algumas coisas simples e mais nada!
E tenho dito!


12 comentários:

  1. Adoro quando vocês escreve sobre sua infancia, adoro ler seu outro blog e viajo nos seus desenhos.
    Na verdade a criança só precisa mesmo e ser criança,com a simplicidade e inocência que toda ela tem...parabens pelo delicioso post....um cheiro pra tu

    ResponderExcluir
  2. ... tantas essências reveladas por ti, pela tua história vivida! De tudo ... a arte viva do teatro e em cores me tocaram profundamente. Quase nunca fui ao teatro quando pequena. E, hoje, vivo, um tanto, dentro dele. E a caixa preta é fascinante, é fonte de vida e luz.
    Que nossas crianças internas nos façam sair do nosso lugar, que nos levem em vôos aventureiros para as terras da emoção e nos façam retornar cada vez mais pra dentro de nós mesmos.
    Adorei o texto ...
    Um beijo, Bel.

    ResponderExcluir
  3. Que lindo isso Nina! Mas é uma pena que nem todas as crianças tenham isso, né? E é tão pouco, tão fácil de se dar que eu Não entendo como há adultos tão malévicos ao ponto de destruir uma infância.
    Espero pelo dia que todas as crianças tenham tudo isso que você disse e quando isso acontecer tenho a absoluta certeza que o mundo será milhões de evzes melhor.
    Ah! A Carol me ensinou o que fazer com o blog, fiquei super feliz!
    Obrigada pelo e-mail e pode invadir o blog, afinal, aquele espaço é nosso!
    Amo-te

    ResponderExcluir
  4. Nina esse seu texto deveria ser entregue a cada um que tem um filho, como se fosse um 'manual'. Os pais de hoje vivem preocupados com o material, com preço da felicidade de seus filhos, mas eles esquecem que a felicidade não tem preço e nem pode ser comprada numa loja bonita. Eu não cresci com muitos luxos, sempre tive o que precisava, e na maioria das vezes as minhas necessiades eram supridas com uma abraço, uma brincadeira na rua com outras crianças que assim como eu não queriam nada alem de brincar até cansar.
    Eu adorei seu texto, ficou lindo, singelo e lindo!
    Adorei também o post do Conicas de uma menina feliz! Os desenhos estão cada vez mais fofos!!

    Bjãoo

    ResponderExcluir
  5. E viva a infância feliz, Nina!!! A minha foi brincando muito no pátio, tomando banho de rio com os amigos, pescando, subindo em árvore, jogando vôlei, lendo embalada na rede, brincando de esconde-esconde, criando jogos com regras super complexas onde o tesouro era um punhado de coquinhos :o) Oh delícia de tempo que nao volta mais...
    Beijos mil, Angie

    ResponderExcluir
  6. Irmazinha querida!! To passando aqui pulando, de galinho em galinho, para deixar beijos e dizer que lembro sempre de voces... Vc vai viajar ne? Pois e fim de ano sempre fica mesmo dificil! O que fiz agora foi escapar da minha sogra que ta me chamando para fazer o jantar! hahaha
    Descascar as batatas!! huahauhauahuahauahu
    Pois e... mas vou passar aqui depois para ler tudinho! Mesmo vc viajando... vou fazer isso qdo estiver com tempo! Mas entao Boa viajem!! Curta sua sogra tbm! hahahaha
    Bjaoo para ti e todaa familia linda que vc tem!
    bju bju

    ResponderExcluir
  7. Nina, no fundo toda criança quer atenção, claro que ter brinquedos da moda, roupas bonitas e sapatos descolados é algo maneiro, mas eu acho que tudo se reflete da pouca atenção que a maioria recebe hoje.

    Meus filhos querem brinquedos, assim como a mãe, fazem listas, mas na hora do aperto, só querem a mamãe e o papai por perto.

    Beijins Fada Nina:*

    ResponderExcluir
  8. Nina,não me esqueci de você.Você tem toda razão.Por que criança precisa de tanto?A lista de Natal da Valon tinha 10 ítens.Tudo bem que no final ela colocou que se o Papai Noel achasse muito, poderia excluir alguns.
    Feliz Natal pra você !

    ResponderExcluir
  9. Tbm não fui uma menina curiosa, álias tinha muita curiosidade, mas era só quase nunca perguntava nada.
    Um feliz Ano Todo, cheinho de natais pra vc. bj

    ResponderExcluir
  10. Foi exatamente isto que eu vi lá na creche que eu fui!
    Mais do que brinquedos, as crianças querem brincar, alguém com quem brincar.
    Querem carinho, proteção.
    Um abraço que diga, vc está protegida.
    É uma pena, mas muitas não tem nada disso.
    Lindo o texto!
    ah, te mandei um email!
    Bjim!

    ResponderExcluir
  11. Nina as crianças está mudando, sabe? Porque as família também. Elas já não querem mais Melissinha (que vem com um reloginho) e as mães compram aquelas poooooor-carias de sandálias com salto que o fabricante põe nas lojas de tamanho 30 ou 31, acredita? Tá tudo doido e eu não caio nessa.

    Menina tem que ter fita no cabelo e não ir maquiada pra escola.
    Menino tem que ter a cara do Snoop estampado na camiseta em vez de uma caveira.

    Infãncia é muito bom e deve durar o quanto baste!

    E tenho dito, Nina. Vamos fazer uma passeata!
    Abaixo os cabelos pintados de rosa da Hanna Montana.

    ResponderExcluir
  12. Essa é a minha primeira visitinha ao seu blog, muito legal!

    Roberto Sena
    www.blogdosirmaos.com
    www.sampameulugar.wordpress.com

    ResponderExcluir