28/08/2008

Alegria de viver!

Laura tinha 4 anos quando começou a ir ao jardim da infância. Fui levá-la nos primeiros dias de aulinha e num desses dias, conheci uma figura na escola. Joseane era o nome dela, vinda de Mossoró-RN. Ela era a assistente social da escola que ia do jardim a alfabetização.

Aquela mulher eletrizante era a assistente social da escola! cheia de energia, falando alto, rindo alto, com um brilho no olhar como nunca havia visto, cabelos cheios, roupas coloridas. Em uma palavra: exuberante!

Ela falava na reunião dos pais, com uma convicção e força que não condiziam com o que soube depois: recém formada, primeiro trabalho depois da faculdade, nova na cidade.

Eu ali, de boca aberta pra ela. Como poderia alguém ser tão cheio de vida naquele fim de mundo? desejei no mesmo momento me aproximar dela, porque alguém assim só podia ter muito o que me alegrar. Eu estava numa fase difícil de adaptação a nova cidade, sem ainda nenhum amigo, tinha dado um tempo na minha faculdade em Manaus, estava meio frustrada. E ela ali, saída há pouco tempo de Mossoró, tudo pra ela também era novo, mas ela era tão diferente de mim...

Passaram-se alguns meses. E ela lá, firme e forte, sendo uma super assistente social. Minha filha admirava a Josi, ela era mesmo uma artista. Fazia ótimas palastras sobre educação, filhos, sobre mulheres e seus direitos, sobre ter menos filhos, sobre saúde. A mulher fazia de tudo um pouco e ainda dançava quadrilha e ensaiva peças de teatro com as crianças.

Tínhamos pouco contato, ela somente como assistente social e eu como mãe de aluno. Um dia ela foi lá em casa, pra saber porque Laura andava com dor de barriga. Ela viu uma casa organizada, no quarto das crianças mil livrinhos e brinquedos organizados. Viu um pouco de mim e nossos cuidados com saúde das crianças. Deve ter percebido que não estava falando com uma mãe descuidada (modéstia à parte, eu era bem esforçada).

Passaram-se meses.

Aquela assistente, como ela mesmo dizia brincando, antisocial, foi aparecendo mais e mais pra mim. E eu pra ela. Nas saídas à noite na cidade pequena era fatal a gente se encontrar, onde quer que eu fosse, ouvia uma risada alta, gostosa de se ouvir, contagiante. Não precisava nem olhar pra ver quem era, lá estava ela. A Joseane! aquela que todos conheciam na cidade, que poucos conheciam de verdade, que muitos falavam mal, que muitos admiravam.

Começamos a nos aproximar, ela falava de coisas que eu não vivia. Solteira, alegre, inteligente, de astral mais que alto, eu a admirava. Eu adorava encontrar com ela porque a noite era sempre mais alegre que de costume.

Certa vez, no meio da noite, passei por uma situação dificil em casa, e uma outra amiga me levou até ela e dormimos lá. Josi me acolheu como se acolhe uma criança que está com dor de barriga na escola.

Nunca mais nos separamos. A assistente social virou melhor amiga e nunca mais me desamparou.

Em todos os momentos, ela esteve comigo. Nos bons momentos, nos não tão bons, nos alegres, nos tristes. Eu, ela, Keury, Mere, Antônia. Juntas, saindo à noite, conversando, tomando cerveja, comendo pizza, passeando de moto pela cidade, fazendo nossas festas que eram as mais legais da cidade. Começamos pequenos e quando vimos, lá estava a boa gente da cidade.

Tudo era motivo pra festa, aniversários, alguém que arrumou finalmente um trabalho, a inauguração da minha casa (casinha de boneca, de tão pequena que era), depois da separação, natal, a minha vinda pra Alemanha (essa foi a mais chorosa de todas as festas...).

Ao sair da minha casinha depois de me assustar com um ladrão que queria levar minha motinha velhinha e adorada com ele, ela ofereceu a sua pra dividir comigo. Moramos juntas, dividi a mesma casa com ela, casa que ela comprou com a sua luta diária de ir trabalhar de dia e de noite, na escola e num hospital, como assistente, a mais social de todas!

Viajamos juntas, nos divertimos juntas, firmamos nossa amizade, nos admiramos, nos apoiamos, conversamos, mantivemos nossas outras amizades em conjunto, apesar das dificuldades da distância e nos amamos como irmãs.

A minha querida, espevitada, lutadora, linda, alegre e pra sempre amiga Josi.
Feliz aniversário minha doce. Obrigada por me apresentar uma vida mais alegre, por estar comigo quando precisei, por ter me apresentado tantas pessoas lindas como o sr Moisés Israel, por ter dividido momentos tão mágicos com nossas amigas Keury, Mere, Antônia, por ser admirada pela minha filha, por ser quem você é. Apesar de todas as dificuldades de sermos quem somos num lugar onde é mais fácil ser quem não somos. Você Josi, é super do jeitinho que é!




­

16 comentários:

  1. Nina,
    estou escrevendo aqui ao som desse som mais gostoso.
    O Caio tem todas essas músicas no PC dele, tudo cantado pelo Trem da Alegria. Que alegria que me dá.

    Muitos Parabéns pra Josi. Já gostei dela!

    Parabéns pra você também que teve e tem uma amiga assim né?

    Beijins pras duas:)

    ResponderExcluir
  2. Que linda sua amiga Nina! Tão bom termos uma amiga-irmã, né? Eu sem a minha não vivo!
    Parabéns para a Josi, pelo visto ela merece toda felicidade do mundo. Também, você só poderia atrair pessoas como você!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Primeiro parabéns pra sua amiga Josi!!Muitas felicidades!!!
    Que amizade linda de conhecer!!Adoro ouvir história de como as pessoas se conheceram,se tornaram amigas e depois de anos e de muitas coisas continuam assim.É muito bonito de ver!!Amigos sao muito importantes,muitas vezes são o nosso chão!Parabéns pelas suas amizades!!!!

    Bjuss

    ResponderExcluir
  4. Tenho uma amiga desse jeito, sabe Nina? E ela é especial assim como a tua amiga Josi. Parabéns Josi, muitas alegrias pra você.

    ResponderExcluir
  5. Olá, nina,
    Passando para dar um alô e dizer que quem vai vir te visitar sempre sou eu...Depois vou tentar ler bastante coisa.
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. '... amigo é coisa pra se guardar/no lado esquerdo do peito/junto do coração... MN'

    Adorei o post abaixo... muito criativo.
    Forte abraço sempre.

    ResponderExcluir
  7. Que linda a amizade de vocês! E a Josi certamente despertou a simpatia de pessoas que estão muito longe!

    Feliz aniversario, Josi! (mais uma leonina, hein?)

    :)

    ResponderExcluir
  8. Parabéns à Josi.
    Uma amiga assim, vale mais que tudo na vida. Às vezes é a única coisa que temos mesmo.
    Linda homenagem! Você também merece amigas destas, porque você é um doce de pessoa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Amigos assim são brilho para os nossos dias...Muito obrigada pela visita, pelos elogios...Obrigada tbm pelo blog, que é uma delícia.vou te linkar, ok?
    Bjus.
    p.s.:Obrigada pela força no processo de emagrecimento(tô precisando de muita)rs
    Bjus de novo

    ResponderExcluir
  10. Olá Nina, encontrei você por acaso. Também moro na Alemanha e já fiz essa viagem de vocês a França, mas não viajei tanto como você e sua família, é lindo não é mesmo? Mas eu só passei aqui pra parabenizar sua linda amiga e também para te parabenizar pelo seu outro blog, da menina feliz. É um lugar lindo e que nos leva a nossa própria infância.
    Um abraço da Milene

    ResponderExcluir
  11. Háhá, nina, eu fazia pipi na cama, mas fiquei com vergonha de contar isso, kkkkk.Meu pai faz cada coisa que vc nem imagina, ele é terrível, mas um amor...
    Bjus.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pra ela! \ô/
    E nossa, como vocês estão diferentes naquela foto da moto!!

    Beijos*

    ResponderExcluir
  13. Você tem umas amigas batalhadoras como você,não é?Isso é tão legal!Gostei muito da sua amiga,parece aquele tipo de pessoa que deixa quem está à volta muito feliz.Há um certo tipo de pessoa que acho incrível:é aquela que você olha e confia.A Josi parece ser assim.

    Li os posts de baixo.Seu post sobre Paris me lembrou muito da minha fixação por Londres,tenho certeza de que um dia,irei lá.É meu sonho há alguns anos.Antes,era a Holanda.Mas de um dia para o outro,cismei com Londres,sei lá.Fico feliz só de pensar nisso!

    Sobre a história dos vestidos,é simples:minha mãe havia comprado três vestidos para mim.Eles eram muito lindos,não sei explicar muito bem como são...acho que lembram as Chiquititas hahahhahahaha.Enfim,eram doces vestidos,deixam a pessoa com cara de criança.Eu não conseguia usá-los de maneira alguma,não tinha coragem!Por sempre anda de jeans e All star,desacostumei com vestidos ou coisas do gênero,só que queria muito usá-los.Fiz o blog,fui ficando mais corajosa com você a Laura e no meu primeiro dia de pré-vestibular,usei um deles.Depois,o outro.Agora,só falta o terceiro(ele não é muito legal em dias quentes)!Depois disso,uso qualquer coisa que tenha vontade!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Ai que Lindo!!
    Viva a Jose!!
    Parabéns para ela!!
    Que amizade bonita heim? O nosso coração sabe quando seremos amigos...sabe quando alguém tem algo de 'maravilhoso' que nos encanta.
    Amigas, irmãs, que todo esse amor dure até o final! Se as pessoas se amassem mais, assim como vocês o mundo seria muuuito melhor.
    Tem Premio Luz para o "entre mãe e filha"...lá no Planetinha!!
    Espero que goste!!
    Eu tenho que ser mais organizada. Ando sem tempo para nada. Tem um selinho de vocês que ainda nem levei para o Planetinha! E a ausência então!! tô sentindo falta de ler aqui diariamente.
    Eita vida! vamu trabaiá...e vive devagar!
    Bom domingo!!
    Bjim

    ResponderExcluir
  15. Linda historia e linda amizade, Nina!!
    Tem mais um presentinho pra vc no BLOGando ARTE!!
    Beijins

    ResponderExcluir