A super exposicao tá ficando chata

Conhecia pessoas que morriam de medo de mostrar sua felicidade. Tinha amigas que guardavam segredo quando estavam apaixonadas, quando recebiam uma promocao no trabalho, quando viajavam, quando engravidavam. Conhecia gente que nem abracava o companheiro quando algum encalhado estava por perto, para não provocar inveja ou ciúme no coitadinho solitário.
Pois é. Eu conhecia! Tudo no passado.
Hoje nem sei se ainda existem pessoas assim. Conheço gente que, ao contrário dessas introvertidas e medrosas do meu passado, expoe sua vida e seus projetos totalmente sem receio, aos quatro cantos do mundo. E espera que todos olhem para sua vida interessantíssima e cheia de coisas belas, postando textos, fotos e videos com detalhes "pessoais", que ninguém mais aguenta ver/ouvir/falar.
Como diz uma amiga: "aquela ali, quando dá um pum, posta!"

Mas isso é normal, não é?!
Os dois extremos sao complicados, como afinal, todo extremo o é! 

Quem expoe demais, tem normalmente, de menos. E quem esconde, tem medo de perder o que tem. Mas esse extremo da exposicao tem me incomodado nesses tempos de youtubers e facebooks... Excesso de vaidade, fofoquinhas e paranóias, além de tomar muito do nossso tempo. Porque, mesmo que prometamos que seremos cuidadosos e regrados no uso, a verdade é que nos tornamos viciados e aprisionados àquilo.
Sem falar do celular, o atual e devastador vício. Eu fico observando as pessoas nas ruas. Estou sempre olhando a paisagem e observando as pessoas na cidade, mas elas, TODAS, só olham pros celulares. Ao atravessarem a rua, no trem, no ônibus, em frente ao companheiro, dirigindo, com bebês no carrinho. Uma loucura!
Ainda tenho este blog, que uso esporadicamente, para escrever o que vem à cabeca, sem esperar sincera e absolutamente, nada em troca. Se alguém escreve um comentário, tá bom, e se ninguém escreve, tá bom também. Como nao tenho interesse em propaganda do que escrevo aqui, nao preciso compartilhar posts em todo lugar. Fico na minha, escrevo quando quero, pulico, e vou trocar fralda de filho. Esta é a minha pobre vidinha marromeno

Algum tempo atrás, estava pensando em publicar um dos meus livros, mas só de pensar que tenho que sair pra todo lado "propagandeando", desisti da ideia.  

Sei que soo antiquada, mas de verdade, me vejo tao melhor sem esse monte de artifícios! É como voltar a viver como antes... tendo certamente, a internet a meu dispor, mas ainda tendo um pezinho no aconchego do passado.

Outro dia percebi, ouvindo algumas pessoas no youtube, que todo mundo tem o que eu nunca havia notado que todo mundo tem: um canal! A plataforma é boa para quem tem e para quem nao tem o que dizer. Achei curioso notar que TODOS tem um canal. Minha gente! Que coisa maluca! O artista (claro que o brasileiro, principalmente) tem que ter, quase que obrigatoriamente, porque senao ele tá morto. Sem influência alguma. Alguém disse: " ah fulana, você nao tem um canal? Mas você é uma influenciadora de moda para as mamaes, crie um canal e poste todo dia os seus loooks".  E a tal fulana é hiper conhecida, nao precisa de mais ostentacao.
Gente! To achando isso tudo tao estranho, doentio mesmo...
Quando foi que comecamos a ser reféns de tudo isso??? E quando e como, isso tudo vai parar? 
No youtube, por ex., existe video PRA TUDO! Todos os assuntos, qualquer um que você imagine, já existe. O que será que tem de novo? Imagino que já deve existir algo pra superar aquilo, porque suponho que nao tenha mais como crescer... sei lá, só acho.
Sei obviamente, que há o lado positivo disso. Fica tudo mais democrático, né? Surgem pessoas novas no cenário artístico por exemplo, que nao teriam outra oportunidade sem essa livre e gratuita fonte, mas... porém, todavia... nem tudo é bom num ambiente democrático. Estamos vendo surgir tantas, mas tantas coisas negativas, que dá medo...

É isso. Me dá medo isso tudo aí.

Comentários

  1. Olha se isso tudo que você escreveu é ser antiquado, é ter uma vidinha marromeno, então estamos juntas, pois penso igualzinho . Além de me dar medo me dá enjoo.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto! Adorei o marromeno! 😍

    ResponderExcluir

Postar um comentário