03/03/2016

Meus filhos

Estou em casa passando o aspirador no chao da entrada. A porta se abre num rompante e entra um filho: "lembrei muito de você hoje, mae" e completa dizendo que quer cantar uma música pra mim mas que esqueceu a letra, me dá em vez disso, um abraco, um beijo, e minutos depois, já está a discutir comigo, querendo testar minha fé e paciência. Duas horas atrás, fui acordar a filha, que ainda  está dormindo, porque pegou no sono ontem muito tarde, lendo, lendo, lendo. Ela levanta com a maior boa vontade, alegremente, me abraça, se joga em cima de mim, me derrubando no chao, num golpe quase mortal, me chamando de "minha véia", e rindo de mim tentando recolocar meus ossos no lugar. Vejo a menina ligar música alta, dançando tao linda e sorridente. Ela me lembra seu pai...
Logo depois, chega a sobrinha da covinha na bochecha, que está fazendo curso de alemao e  morando comigo por um tempo. Ela chega com fome, "frio dá fome, tia" e durante o almoço, diz que a comida está quentinha, como minha filha sempre diz. Reclama um pouco do frio do qual nao está acostumada, do idioma que nao faz o menor sentido "o que é afinal esse tal de Akkusativ?" e se junta aos primos pra rir e tagarelar. Saio para buscar meu pequeno de cinco anos. Ele me vê e vem correndo me abraçar. Todo dia me pede pra comer o pão que esqueceu de comer, e que ainda está na mochila, "- nao comi porque nao queria parar de brincar com o Noah, nao temos tempo de comer, entende, Mama?"! - Me diz ele, todo compenetrado. Caminha conversando alegre comigo e com seus dinos invisíveis, e nos conta sobre as traquinagens do dia.  Chegamos em casa, ainda tem gente conversando. Uma outra amiga da filha pode chegar, e fica todo mundo falando português, alemão, inglês. E eu gosto desse barulho! Dessa gente.

Sento no meu quarto pra escrever um email a uma amiga e me pego falando dos filhos. Eles sao tudo pra mim, meus amores, meu tesouro! Ouço a voz deles fora do quarto. Uma grita, o outro gargalha,  outra bate na porta do toilette reclamando que o menino demora demais,  uma quer entrar no banheiro pra tomar banho mas outra canta alto do chuveiro, o menininho pula enquanto assiste um filminho de dinossauros na sala e vem toda hora me perguntar se pode comer algo, a sobrinha diz que ele tem um buraco negro no estômago. Lá fora chove e eu... bem, eu só quero dizer que amo meus meninos. Amo de doer o peito. 
Nunca tive a infeliz ideia de colocar culpa por algo que nao deu certo na minha vida, em meus filhos, como vejo muitas mães fazer. Já ralei muito com eles, sim, já passamos apertos, sim, já choramos juntos. Mas se precisasse, faria tudo de novo! Bem, talvez corrigisse algumas coisinhas... mas eles eu teria! Iguaizinhos como eles sao, sem tirar nem por. Porque nao sei quem eu seria se nao fosse mae deles.  Cada dia, tenho mais e mais certeza, que ter meus meninos, foi a melhor coisa que me aconteceu. Ser mae deles, me faz feliz. E se isso fosse tudo, eu seria completa só com eles. 

Ter a casa cheia me deixa feliz. Sou o tipo mae-galinha, gosto de ter minha "ninhada" por perto. Sei que eles vao um dia morar fora de mim, mas enquanto eles estao aqui, eu aproveito, assim como aproveitei sua infância e cada fase de suas vidas. Eles alegram a casa, me deixam contente, mesmo quando me irritam. Sem eles, tudo seria um tédio! Eles fazem da nossa casa, o que nós fizemos na casa da minha mae, quando criancas. Uma casa legal! É isso o que os amigos deles dizem, era isso o que eu ouvia dos meus amigos, quando menina, sobre a casa da minha mae...

Sei que nasci pra isso, pra ser mae. Teria mais filhos, se pudesse. Sei que nao sou tao boa quanto gostaria, mas também isso é legal, porque quando falho, aprendo com eles. Eles me ensinam, na maior parte das vezes (!!), gentilmente. São lindos, carinhosos, inteligentes. Os amo! Muito, muito! E sou grata a Deus por saber dizer isso a eles, todo dia.

13 comentários:

  1. Parabéns Nina , por vc ser esta mãe maravilhosa pra seus filhos, nem todas as mães pensam e tratam os filhos desta forma , aproveita mesmo enquanto são pequenos e estão com vc , pois depois q crescem e principalmente quando se casam é mais difícil tê - los por perto , assim como os meus , mas tbm fui muito coruja , carinhosa e amorosa com meus filhos e é isso q importa , bjs fik com Deus

    ResponderExcluir
  2. Lindeza de mae, consigo imaginar todas essas cenas e tudo isso me entanta. Conforta o coracao, sabe? Mae e isso, conforto, afago, ohh coisa boa! Que bacana essa meninada toda na sua casa, esse movimento de todas as idades :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To curtindo, maezinha linda da Elise e Juju ;-)

      Excluir
  3. Boa noite, querida Nina!
    Também amo os meus! Que Deus nos abençoe e cuide deles por nós quando não estivermos por perto!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, adoro sua maneira de colocar as palavras, tão sinceras e verdadeiras!

    ResponderExcluir
  5. Ah que texto mais lindo do mundo! tão seu, Nina! Tão você!
    Enquanto lia que sua sobrinha estava com fome, me perguntei se a parede da cozinha ainda estaria verde, ou se ela amadureceu e ficou vermelha... Assim... Como mágica. Será?
    Daqui, a vontade de ter a casa cheia de molequinhos é enorme. A nossa parte estamos fazendo. E temos a certeza de que Deus vai nos mandar esses presentes quando for a hora certa :)
    Beijos amiga!
    Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ma, a cozinha ainda está na mesma, de um lado turqueza do outro, verde ;-)
      E vc, vai treinando, quero mt ser titia de novo ;-)

      Excluir
  6. Seu post complementa o outro. E confirma o que lhe disse, de vc ser abençoada!
    Beijo, Nina.

    ResponderExcluir