24/08/2015

Das coisas que nao entendemos

Nas últimas semanas tenho vivido experiências bem distintas umas das outras, num verdadeiro turbilhao de diferentes emocoes. Uma delas, tenho vontade de compartilhar com você hoje.

Engravidei. Estava decidida a nao ter mais filhos, desde meu terceiro parto, pensei que era melhor parar por aí. Entao, um ano e meio atrás, veio em mim, assim do nada, um grande desejo de engravidar novamente. A verdade é que eu amo ser mae! Mas em um ano de tentativas nao engravidei nenhuma vez (nao que eu tenha tido conhecimento, você sabe, muitas gravidezes sao interrompidas naturalmente e bem no comeco, sem que saibamos). Desistimos entao de tentar.
Foi nesse tempo também, ou seja, há seis meses, que comecei a sentir os primeiros sintomas do início de uma menopausa relativamente precoce.

Entao, algumas semanas atrás, comecei a me sentir extremamente cansada e sonolenta, além da menstruacao estar atrasada. Pensei que fossem sintomas da menopausa e antes de ir ao médico e pedir algum socorro, resolvi fazer o teste da gravidez. Deu positivo. Nao acreditei. Olhei pro resultado do teste dezenas de vezes, duvidando dele, mas estava no comeco da sétima semana. 
Nao queria mais filhos, mas na mesma hora, aceitei de bom grado, mesmo um tanto confusa. De uma hora pra outra, lá estava eu toda feliz e fazendo mil planos para o bebezinho que carregava em mim. Mas, como disse, vivi emocoes diferentes e no meio de uma curta viagem de férias, que ganhei do marido no meu aniversário de 44 anos, semana passada, vi o sonho de ser mae pela quarta vez, se desvanecer. Estava tendo um início de aborto, que durou uns quatro dias. Perdi meu nenenzinho...

Nesses dias, em vez de ir passear pelos caminhos ensolarados da Toscana, fiquei enfiada num quarto de hotel, descansando o máximo que podia. Mas nada segurou aquele sangue... Um dia antes, estava num hospital de emergência, sendo tratada por um médico que apesar de simpático, parecia ter maos de ferro e que nao tinha a menor delicadeza, me amassando a barriga como um trator. Algumas horas depois da consulta, senti por horas, fortíssimas cólicas, como as de contracoes no parto e depois, bem, o sangue jorrou. O aborto foi confirmado hoje.

Nesse tempo, entre um nervoso descanso, tristeza e medo, tive tempo de pensar sobre tudo isso. O turbilhao que vivi também aconteceu durante esse pensar. Você sabe, eu sou cristã, e nao há nada para nós que nao tenha o dedo de Deus. Para um cristao nao existem coincidências, sorte ou azar. É o nosso Pai, quem cuida de tudo, e nao cai um cabelo de nossas cabecas sem que Ele tenha conhecimento. Isso me fez pensar.  Isso mostra para mim, muito claramente, o grandioso Deus que creio e sirvo de todo meu coracao.
Sei que mesmo que nao entendamos os porquês de Deus, aceitamos o que Ele nos dá, sejam coisas boas ou nao. Passamos pela tribulacao que nos advém, mas nao vivemos nela, mesmo que nossas vidas aos olhos do outros, parecam imersas em tribulacoes, nós nao vivemos nela!

O interessante é ver como somos fracos. Eu estava pensando na situacao em um dia, e Deus falou claramente ao meu coracao: "confie em mim!" E mesmo tendo certeza do Seu falar, ainda me vi triste, pensando na perda de um pedacinho de mim. 

Depois de um tempo, enxerguei meu infinito egoísmo. Como eu posso ficar triste se sei que há tantas mulheres que nunca tiveram um filho sequer? Me senti algumas vezes, enojada de mim mesma. Sei que a tristeza faz parte desse processo e posso e tenho o direiro de ficar triste sim, afinal, todo filho é uma bencao e todo aborto, uma perda... mas poxa, eu tenho três filhos maravilhosos! Já fui e sou tao abencoada!

Mas entendo, como filha de Deus, que existe um propósito para tudo. 
Existe uma razao para as mulheres que nunca tiveram filhos! Existe uma razao para a perda de um filho vivo. Existe uma razao para um aborto. Para a morte de alguém. Existe uma razao para tudo. Eu nao sei ainda qual a intencao do meu Senhor, com esta situacao que vivi, dessa mistura de emocoes (nao querer/querer engravidar-menopausa-engravidar-alegrar-sangrar-abortar-entristecer-alegrar no Senhor...) mas Ele sabe! Ele sabe de tudo!  E é Ele quem me levanta a cabeca, quem me faz seguir em frente... Tendo a certeza de "...que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito". Mesmo que essas coisas aparentemente nao nos sejam  tao boas, a verdade é que todas, absolutamente todas as coisas cooperam para o bem. 

E estou aqui, viva e cheia de vida, apesar de algum baqueamento físico, alegrando-me no Senhor!"Afinal, o cristao nao tem alegria, é a Alegria quem tem o cristao" ;-)



25 comentários:

  1. Realmente a vida nos oferece turbilhões de emoções em pouco tempo,não? Pena pela perda, mas como bem disseste, ELE sabe das coisas e tudo tem um motivo! Fica bem, segue em frente e vai firme ,como sempre és! bjs, chica e tuuuuuuuuudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. No começo do Livro de Jó nós o vemos com 10 filhos: 7 filhos e 3 filhas. A tribulação causada por Satanás com autorização de Deus levou Jó a ficar sem os filhos, mas também sem os seus rebanhos e bens. No final do Livro de Jó vemos que Deus deu o dobro, numericamente, de rebanhos e bens. Mas só deu 10 filhos: 7 filhos e 3 filhas. Por que recebeu ele o dobro de ovelhas, mas o mesmo número de filhos? Porque aqueles dez primeiros ele nunca os perdeu. Estariam aguardando por Jó quando chegasse na glória, e lá ele poderia ver feliz seus vinte filhos. Nunca perdemos os filhos que Deus nos dá.

    https://youtu.be/RAt74KaiIyg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desde que comecou td essa fase turbulenta, so me dei conta de que ainda nao tinha chorado, qd li essa tua frase Mario, de que nunca perdemos os filhos que Deus nos dá... cai no choro, obrigada por compartilhar

      Excluir
    2. É isso mesmo, Nina. Sempre quis ter um filho chamado Marcelo. Depois do aborto, quando ainda nem sabia o sexo, "senti" que tinha sido ele, o Marcelo. eu o tive, mesmo que por tão poucos dias.

      Excluir
  3. (Provérbios 20.24) “Se é o Senhor quem dirige os nossos passos, como poderemos entender a nossa vida?” Abraços

    ResponderExcluir
  4. Nina....perdas doem muito, quando se trata de um filho, ela se torna imensa.Tive uma gravidez aos 43 anos e tb perdi com sete semana e meia.....nem sabia que estava grávida quando me ví com tanto sangue, pensava que estava morrendo....Senti a perda do meu filhinho, senti solidão por ele....estava lá e eu não sabia,não pude conversar com ele uma única vez......Depois de alguns anos, consegui entender tudo aquilo...A dor faz parte do nosso crescimento,vamos ficando mais fortes,com mais compaixão, e acabamos nos aproximando muito mais de DEUS......como vc já sabe e faz, confiar e Deus sem vacilar e sua mão nos guiará......beijokas e um forte abraço para vc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O teu caso, linda Evinha, entao foi quase igualzinho ao meu :-( mas sei que tuas dores foram bem maiores :-(
      Deus te dê sempre Seu consolo

      Excluir
  5. Eu sinto pela perda do bebezinho, mas creio na sua fé e no poder de Deus para te restabelecer o fisico e o emocional novamente. Força. Agora vc vai poder encorajar, orar e ministrar para mulheres que tb perderam o seu bebê, pois o Senhor te capacitou pra isso.

    ResponderExcluir
  6. É Nina a nossa mente humana é tão pequena, e embora não compreendendo tudo que acontece a nossa volta e conosco, podemos confiar que Deus é bom o tempo todo, e que não tem prazer em nosso sofrimento porque Ele nos ama. Um versículo que aplico sempre que acontece algo assim é esse que você postou Rm 8:28 2 o outro é Deuterônomio 29.29. tenho acompanhado seus posts desde sua conversão e fico feliz em vê o quanto você tem crescido . Deus te abençoe, essa é a nossa missão glorificar ao nosso Senhor em toda situação.Bjs

    ResponderExcluir
  7. Querida Nina,
    Que surpresa, heim! Imagino o quanto de emoções passou nestes últimos dias e, pra ser sincera, já te achava um pouco sumida, mas pensei que estivesse viajando mais por esta linda Europa.
    Ainda bem que você entende que estes mistérios são para nosso crescimento espiritual e que Deus está acima de tudo e sabe o que é melhor pra nós.
    Espero que se restabeleça totalmente fisicamente, pois já acho que no espiritual você está cada dia mais forte.
    um grande abraço carioca


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bethinha, tenho estado mesmo sumida, um pouco cansada de net :-(
      mas estamos aí, devagar e sempre

      Excluir
  8. Dont worry about things
    Cause everything this could be all right

    Eu não queria ter filhos agora, parece irônico e hipócrita, mas é a verdade, e mesmo assim, recebi a missão de cuidar desta menininha que chuta horrores e acabou com minha linda cintura nº 36. E em meio a depressão, abandono do pai da minha filha e crises no trabalho ela permaneceu firme e forte, mais até do que eu, a cada dia, mesmo que eu de início achasse que ela não iria aguentar a pressão, assim como eu. E depois de um tempo eu entendi, que a missão a mim foi confiada, e que não adiantava relutar, muita coisa viria pela frente e para o bem ou o mal, eu tinha que estar ali presente. Nada se move ou passa despercebido aos olhos de Deus, tudo sempre será da forma que ele achar que tem que ser, para nossa evolução espiritual.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Helena te traga mts alegrias e que o Senhor te guarde, Juli

      Excluir
  9. Olá, querida Nina
    Uno-me a vc pela sua dor e no acolhimento da Vontade Divina cheia de sabedoria ainda que, em princípio, não entendamos os seus Planos de Amor por cada um de nós...
    Post muito cheio de vida e emoção mas de grande sensibilidade ao Acolhimento da Palavra que se fez Carne e habitou entre nós..
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Roselia, sempre tao gentil

      Excluir
  10. Nina, sinto muito, muitíssimo. Passei por isso na minha primeira gravidez. Depois tive meus 3 filhos, sem sustos. Entendo sua dor, sua estupefação, sua conformidade. Muitas coisas nos passam pela cabeça, mas quando temos Deus no coração, tudo fica mais fácil.
    Até hoje, quando de uma consulta médica, se perguntam quantos filhos tenho e se tive abortos, colocam na ficha: 4 gravidezes. Sim, eles vieram, nós os tivemos e um dia os veremos. Todo o meu carinho para você.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só quem passou por isso entende a dor :-(
      Obrigada Lu

      Excluir
  11. Como vc disse...tudo coopera para o bem. Suas palavras transmitem paz...resultado da fé que temos qndo entregamos tudo nas mãos de Deus. Te amo
    Lidianne 😘

    ResponderExcluir
  12. Oi Nina, td bem?
    Queria te agradecer pelo lindo texto. Sei que não foi escrito pra mim, mas senti como se tivesse sido.
    Neste mesmo dia eu estava fazendo uma curetagem, de uma gravidez que, segundo os médicos, nem poderia acontecer de forma natural. Enfim, tenho aprendido tanto e confiado ainda mais em Deus! Ele sabe de todas as coisas, né?
    Que Deus te abençoe, um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que o Senhor cuide de ti com carinho, Débora.
      A nossa dor é igual, querida, quando o assunto é este :-(
      Mas o consolo vem do Senhor. Confie nEle.
      E tenha certeza, seu nenenzinho está nos bracos de nosso Pai, e vc um dia o verá novamente ;-)

      Excluir
  13. Sinto muito Nina! Que Deus te conforte minha querida!

    ResponderExcluir