20/05/2014

Sozinha?

Entao ela coloca o vestido florido, os óculos escuros e sai. Esqueceu de passar um creme nos pés. Depois de meses só usando sapatos fechados e pesados, a primavera florida e quente a faz arriscar sair de sandalinhas. O cabelo foi lavado anteontem, ainda está com um balanco bonito. Mas comeca a pensar que precisa lavá-lo hoje de novo. Alguma coisa estranha tem na água desse país que deixa seus cabelos alisados demais! Mas parece que na verdade, alguma coisa tem ela hoje! Está todo mundo olhando. Volta a observar seus pés. Pensa que eles estao ressecados e fica disfarcando, olhando para as nuvens a fim de fazer os outros na rua também olharem pro alto e esquecerem seus pés. Mas entao ela passa por uma senhora subindo as escadas que também está de chinelos e vê umas rachaduras nao muito bonitas. E assim nao liga mais que esqueceu do creme. Sai cantando meio alto com seu mp3 player. Lembra de quando usava um walkman emprestado de um colega da faculdade. Eles trocavam as fitas cassetes e dividiam o fone de ouvido. Mas a música a traz de volta e hoje é outra. Seu amigo certamente nao gostaria de dividir o fone com ela. - Ah, nao ligo, acho isso aqui mais bonito! pensa.  Passa por uma árvore carregada de flores cor de rosa. Por todo lado há flores. Olha pra cima e percebe que tem vontade de cantar mais alto. Mas sabe que nao pode. Nao tem voz pra isso e as pessoas iriam estranhar aquela doida florida ali na rua. Entao ela entende que está simplesmente muito feliz e quer conversar. Mas nao tem com quem falar agora. Dá vontade de pegar o celular na bolsa e fingir que está conversando. Falar português num país estrangeiro é legal,  mas sempre corre-se o risco de encontrar alguém que entenda. O que a pessoa vai pensar se notar que ela está falando com ninguém? E se o celular tocar na hora que ela estiver falando? Que vergonha. Além disso, seria uma mentira. E ela nao mente. Entao tem uma brilhante ideia: "vem cá Deus, me dá a sua mao". Ela fecha os olhos e a mao apertado, levanta o rosto em direcao ao céu, dá uma piscadinha pra Ele e sente seu peito expandir. Algumas pessoas passam por ela, sorriem. Ela já está sorrindo há alguns minutos, sozinha de maos dadas. A música diz que Ele é simples e belo como a flor. Ela concorda. Passa por um jardim e toca em algumas pétalas. Percebe a delicadeza daquele tecido. Deixa seus dedos levarem o amarelado do pólen para outra flor, lembrando das aulas de botânica na faculdade. Ouve o zumbido de uma abelha... sai. Deixa que ela polinize o que tem que polinizar. Volta a pegar na mao dEle e pensa, olhando para os seus olhos: ahhh, se eles soubessem quem está do meu lado agora.
 
E eles vao juntos por todo o caminho florido de maos dadas e sorrindo... 


7 comentários:

  1. Que bonito... Essa compania traz muita paz ao coracao, da uma leveza na alma e nos deixa mais radiantes!

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo! Inspiração para buscarmos sempre Ele em qualquer tempo ou lugar!

    ResponderExcluir
  3. Muito bonito e comfortante Nina!

    ResponderExcluir
  4. Lindeza!
    Nunca estamos sós!
    beijo, Nina.

    ResponderExcluir
  5. Amiga eu senti a leveza aqui... Que texto mais lindo do mundo!!!
    Tá me fazendo refletir muito!
    Beijo

    ResponderExcluir