08/05/2014

Cozinhar é legal!

Amo cozinhar, mas nao me considero muito boa cozinheira nao. Sei que tenho melhorado muito em comparacao ao que eu era antes. Nunca vou esquecer a cara de susto que minha mae fez quando meu primeiro marido, na época, namorado, disse a ela que iríamos nos casar. Mamae exclamou: "meu filho você tem certeza que quer casar com a Nina Rosa? Ela só sabe ler!" Nessa época eu nao entendia nada de cozinha, só sabia fazer arroz! Detestava arrumar casa e passava o dia inteiro com um livro na mao. Meu primeiro marido, pai dos meus dois primeiros filhos, entendeu na prática que minha mae tinha razao e junto com seu jeito ranzinza de ser, foi fácil pra ele xingar de gororoba quase tudo o que eu fazia... algumas vezes, reconheco, ele tinha razao, noutras nao! Poxa, eu era esforcada! 
É duro acordar de manha e já ouvir, num tom ríspido e mal humorado, na hora do café a famigerada pergunta: o que vai ser o almoco hoje? 

Eu me virava como podia. Pegava minha bicicletinha e corria pra feira. Fazia minha lista de compras e trazia a cesta cheia de coisas. Usava um livro maravilhoso de receitas, da revista Cláudia e devagar, fazia uns pratos que até que ficavam bonzinhos. Mas parecia nunca agradar o marido. As criancas sempre elogiavam  e era isso que me deixava feliz e com vontade de continuar tentando. Uma vez, uma amiga da faculdade, chegou na hora que eu estava cozinhando e disse que eu parecia uma bruxa colocando os temperos dentro do calderao, com meu livrao de receitas ao lado. Eu já tinha ali, prazer na cozinha. Quando estive uma semana a trabalho, na companhia de cinco alemaes, na casa de um carioca que morava na beira do rio, no interior do Amazonas, aprendi ainda mais a ter interesse pela cozinha. Eles cozinhavam muito bem, e um deles me ensinou algumas técnicas legais de como preparar o macarrao, por exemplo. Mas meu esforco nunca foi reconhecido. Até nossa empregada, a minha querida Lene, sabia que os pratos que inventava eram sim bacanas, mas que nem todos tinham a capacidade de admirar. Certa vez, ela fez umas tortas e umas saladas que aprendera comigo, e convidou uns amigos e familiares para seu aniversário. Fui dar um abraco nela no dia, e vi que as pessoas nao tinham comido nada do que ela preparou, o povo só gosta de churrasco com maionese e farinha dona Nina, falou num tom decepcionado a bonita aniversariante, indígena e melhor zagueira do time feminino da cidadezinha.

Mas foi morando na Alemanha que aprendi na marra a cozinhar. Quando você nao tem uma Lene pra te ajudar, o jeito é se virar sozinha. Cheguei traumatizada do primeiro casamento no segundo,  e passei um mês cozinhando só pra mim na hora do almoco, quando o marido estava no trabalho, morrendo de medo que este reclamasse como aquele. Era ele quem fazia o jantar pra nós, até o dia que ele pediu para mostrar o que eu tinha cozinhado. Pronto, desde lá nao saio mais da cozinha. O que um bom e sincero elogio nao é capaz de fazer, nao é mesmo? Portanto querido leitor, quando a mulherzinha ou a mamae fizer um prato que ela se esforcou, nao esqueca de elogiar, tá beleza?

Cozinhar é legal, muito fácil e prazeroso! Se você nao gosta, pense se há coisa melhor que reunir pessoas que amamos à mesa enquanto saboreamos uma comida preparada com amor? É claro que corremos o risco de encontrarmos pessoas como os convidados da Lene. Eu mesma, quando estou na casa da mamae, sempre ouco de dois sobrinhos enjoadinhos: ah vó, se a tia Nina cozinhar, eu nao quero comer nao! Oh gentinha ingrata! Bando de moleque que deveria estar morando na oca do indio comendo macaxeira e buriti! :-)

***
Quando você tem que cozinhar obrigatoriamente, e nao curte muito a atividade, faca com que seja algo um pouco mais divertido. Coloque uma musiquinha, vista-se apropriadamente, tome um vinho enquanto cozinha...  sei lá, minha filha, inventa!

ps. a foto é na casa da minha mae, fazendo um risotto que nao deu muito certo :-( mas que todos gostaram, inclusive o curimim e a cunhantan que reclamam da tia. O avental que minha irma me deu diz: "Perua na cozinha, faco uma água quente como ninguém". Minha irma tinha que fazer a foto, porque ela riu muito quando eu disse que só vou pra cozinha com um sapato alto. Emprestei o saltao de uma das minhas sobrinhas e lá fui, cozinhar pra família... fica tudo mais legal assim!

9 comentários:

  1. Nina se você não é uma boa cozinheira, o que sou eu então???
    Preciso me inspirar! Acho que vou começar pelo salto, que charme hein?!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Tu e uma comedia mesmo dona Nina!! =D Adorei o avental e o salto! hahaha E bom que fica em uma altura boa em relacao a bancada da pia. Agora fiquei mesmo e curiosa de provar sua comida ;)
    Eu tambem aprendi a cozinhar quando passei a morar a dois...nao tem jeito, tem que se virar mesmo! As vezes e legal tambem quando voce nao sabe o que vai cozinhar e sai inventando na cozinha, muitas vezes da certo, noutras... 0=)

    ResponderExcluir
  3. Ai que cozinha mais charmosa!
    Desse jeito o maridex adora, eles gostam de boa comida, mas também de uma cozinha boa. kkkkk
    Ficou um charme só com este saltão, a cervejinha na mão e o avental.
    A comida deve ter ficado boa sim, você manja de temperinhos que eu sei.
    Cozinhar é um ato de amor para aqueles que a gente ama, eu não sou muito chegada à cozinha, mas quando vou faço com o máximo carinho.
    Ontem mesmo, fiz à noite, um bolo de limão gostoso pro filho levar pro trabalho para comer no café da manhã com os colegas, eles fazem isso sempre e eu, como boa mãe, dei minha colaboraçãozinha.
    beijos cariocas


    ResponderExcluir
  4. Nina, a foto está linda. Um charme total cozinhar com esses saltos altos, Deus me ajude! rs Já usei muito mas agora não mais, por causa dos joelhos.
    Sei cozinhar, cozinho bem o trivial, temperinho na medida, mas definitivamente não gosto. Cozinho porque é necessário. Se pudesse, vivia de brisa...e sanduíches. rs
    Minha irmã, a Mônica, do Cozinha Consciente, está me dando uma estimulada, vamos até participar de um "cursinho" rápido com ela. Queria ter prazer em cozinhar, inventar, dar vontade, no meio do dia, de comer alguma coisa e "correr" pra cozinha e preparar. Vamos ver se um dia consigo. rs
    Marido como até chumbo derretido, desde que esteja bem cozido e pouco salgado. rs
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Ela só sabe ler! Ri alto Nina.
    E eu quero um avental como o seu, eu quero, eu queroooo!!!!

    Beijossss.....

    ResponderExcluir
  6. Eu nao gosto muito de cozinhar, mas desde que estou na Alemanha, casei, tive filhos etc cozinho todo dia!!!
    Eta vida dura!!!!
    O mais chato mesmo é a obrigaçao e muitas vezes falta de tempo!
    Fora isso as vezes me divirto cozinhando sozinha ou com amigos e experimentando coisas novas, e outras vezes fico sem vontade de cozinhar - mas cozinho assim mesmo!!!!
    Tenho que experimentar um dia cozinhar de salto alto!!! Só nao sei se vou conseguir andar direito na cozinha sem torcer o pé; já que nunca uso sapato de salto!!!!
    Fico super feliz em saber que você se achou na cozinha! Curta bastante!!!
    Bjs,

    ResponderExcluir
  7. hahah ri da frase "churrasco com maionese e farinha"... Às vezes também tenho a impressão que tem gente que só se agrada do que já conhece. Vivem me perguntando como é que eu conseguia cozinhar na Alemanha, já que (na visao deles) não tem carne e nem feijão... hehehhe... aí preciso lembrar o pessoal que minha família é alemã e comedora de batatas, feijão é que é coisa que quase não sei fazer direito, aprendi com o marido. Ando um pouco afastada da cozinha, com mudanca e bebê pequeno nao tive mais muito pique, mas assim que tiver minha cozinha de novo hei de me aventurar de novo e matar as saudades!

    beijokas pra você

    ResponderExcluir
  8. Oi Nina!
    Estou simplesmente apaixonada pelo seu cantinho, que blog maravilhoso... E vc cozinha de salto, mulher! Personagem das fantasias masculinas rsrsrs. Amando tudo aqui! Retorne a visita se puder. Beijinhos!
    http://mundofeminissimo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir