01/11/2013

De malas prontas

Às vezes, a pessoa desorganizada que sou resolve arrumar a bagunca da casa. E às vezes comeco pelo meu guarda roupa. E nao há uma única vez, nesse arrumar de roupas,  em que nao me lembre do meu primeiro casamento. Fui muito infeliz naquela relacao. Culpa de ninguém, hoje entendo. Cansei de culpar os outros...

Sabe quando você tira os cabides com roupa e tudo do guarda roupa e vai jogando em cima da cama? É essa a situacao que me faz lembrar sempre, das muitas vezes em que, depois de uma discussao, ia decidida para o quarto, abria o guarda roupa chorando muito, e ia colocando as roupas ainda nos cabides, dentro de uma mala, me sentindo uma verdadeira estrela de Hollywood, como num filme dramático, sem as câmaras e a platéia, obviamente. Caia aos prantos, no chao, implorando que Deus me tirasse dali, que me desse forca. Nao via futuro, nao via esperanca, só desilusao.  Estava presa àquela relacao, estava cansada. Me sentia pesada e mais velha do que aparentava, naquela época.  
Depois de botar pra fora toda a dor, deitada sobre as roupas, enxergava que nao era tempo ainda, que ali, ainda nao havia saída. Ia resignada entao, recolocar os cabides todos no lugar, tirando um a um da mala e pendurando no cabo de volta. Era dolorido aceitar que nao tinha o que fazer. Ainda nao estava preparada pra aquilo. Havia duas criancas, havia muito ainda o que fazer, por mim, pelos filhos. Precisava terminar a faculdade, precisava de um emprego. Ficava chateada. Tinha tantos sonhos... e tudo tinha que esperar o que parecia, uma eternidade.
 
Eu nao compreendia, mas Deus tinha o seu próprio tempo e os seus planos que eu nunca poderia entender. Nao foram poucas as vezes em que me desesperei, em que clamei, em que chorei. Sei que havia alguém cuidando de mim. Eu sabia disso. Talvez essa crenca me fizesse levantar e me fazer recolocar as roupas e a minha alma no lugar. Tinha que enxugar as lágrimas, tinha que fazer isso. Era a minha obrigacao.
 
Hoje eu arrumo as roupas, pretendendo só isso mesmo, arrumá-las. Olho pras coisas, em como elas se transformaram. Olho ao redor, escuto as vozes da casa, já sao outras e sao as mesmas. E já nao olho mais pra dentro de mim mesma, procurando respostas, porque as minhas respostas serao sempre enganosas. Eu já nao existo mais como você me vê. Sou outra. E estou de malas prontas todos os dias. Renasci. 


*** 
 
o quero dizer com esse texto meio sem pé nem cabeca, é que Deus sabe das tuas dores, que te ama muito e que pode enxugar tuas lágrimas, assim como enxugou as minhas.
Mesmo que você nao acredite ;-)
 
Bom fim de semana!
 

14 comentários:

  1. Ninoca...
    Deus sabe mesmo o que faz. Tem um ditado que diz: "Nós fazemos planos. Deus ri.".
    Quando li isso pela primeira vez, achei um tanto quanto debochado. Mas depois de umas cabeçadas eu entendi que realmente a gente traça algumas decisões mas Deus está lá de cima (e cá dentro de nós), sorrindo e mexendo os palitos para que tudo, tudo aconteça da melhor forma. Mas isso a gente leva um tempão pra entender.
    Pelo que você relata, havia tanta infelicidade naquela relação, tanta incompreensão... Mas você foi sábia em esperar o momento certo. Ou o momento em que não aguentava mais... E hoje colhe frutos de uma relação harmoniosa e pacífica.
    Um beijo querida.
    Márcia

    ResponderExcluir
  2. Nina, que linda a sua reflexão!!
    A gente passa por coisas que tem que passar... ok, as vezes a gente não precisa mesmo passar por certas coisas, rs... mas sem dúvida, todas elas nos servem para algum ensinamento. Estar de malas prontas é libertador, é estar preparada para o que der e vier :-). Eu acredito mesmo que Deus escreve certo por linhas tortas. Bjão!!!

    ResponderExcluir
  3. Ah, que linda, você. Renovada, sempre!

    Essa confiança e essa fé são realmente o segredo da felicidade.

    Beijo!

    Rê.

    ResponderExcluir
  4. Acho que você nem imagina como seu texto me deu esperança e que o tempo de Deus nao falhe, seja breve e enxugue mnhas lágrimas.Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  5. Nina,
    os gestos são os mesmos, mas a situação completamente diferente de tempos atrás, ainda bem, pois vc soube ponderar sobre o melhor que a hora exigia e teu equilíbrio te levou de encontro aos sonhos, hoje realidades.
    Bom final de semana.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  6. Que relato maravilhoso de fé e esperança !!!
    É sempre bom lembrar, que nossas vidas são regidas por um Grande Deus, que nos ama acima de tudo.Com o tempo percebemos a fragilidade das coisas que não são escolhidas por "Ele"e que no tempo certo tudo se acomoda e acerta.
    Estar de malas prontas para a Felicidade é perfeito.
    Beijukas e agradecida pela lição de fé e esperança !!!
    www.sorrisodemulher.blogspot.com
    Su

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do seu texto! Tudo acontece na hora certa e tem um propósito para acontecer. Que bom que você está bem agora!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Terrível a sensação de estar sem saída. E você foi porreta. Admiro-te pacas!

    ResponderExcluir
  9. E quando voltar ao Brasil faça as malas e visite Ouro Preto... nega é deslumbrante!

    ResponderExcluir
  10. Estou vivendo esta situação no momento,tô sofrendo , me sinto aprisionada em um relação doentia em que eu sinto o desprezo dele por mim,porém se falo em separação ele não concorda.

    ResponderExcluir
  11. Assim é a vida, Nina.
    Cada coisa a seu tempo.
    Mas só depois que amadurecemos compreendemos com clareza. Na hora do furacão, não sabemos sequer pensar.
    Muitas vezes a vida é feita de renúncias apenas. Ainda bem que chegou seu tempo de libertação e a vida se encaminhou para onde você decidiu.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Eu amei o texto...e posso ter perdido muito, mas a fé ainda me resta. I believe, for without faith, what will be? :)

    ResponderExcluir
  13. Eita Ninoca...!!!
    Sábias palavras!!!!!!!!
    ;)

    ResponderExcluir
  14. Realmente, Deus sabe de todas as coisas... e isso é o nosso conforto...
    bjsss

    ResponderExcluir