11/09/2013

Coisas a confessar

Certa vez, e nunca esqueco essa vez, numa discussao com uma das minhas  irmas, ela falou que eu a estava julgando. Claro que me virei do avesso ao ouvir isso e me defendi o quanto pude. Para com o passar do tempo, notar envergonhada, que minha irma tinha razao. Eu, a sempre bondosa Nininha, aquela que estava sempre disposta a sorrir e aceitar ser a bobinha da família e entre os amigos, tinha sim  meus grandes defeitos. Tenho meus preconceitos, faco mau juizo dos outros, já me fiz muito de vítima,  julgo quem eu acho ser inferior a mim. Confesso. Estou sempre me achando alguém superior. 

Mas agora preciso também confessar o porquê. Por toda minha vida, fui criticada por mil coisinhas e coisonas. As pessoas foram meio malvadas comigo desde a tenra idade. E como eu sempre fui extremamente sensível, uma leve cara feia me fazia ficar muito mal e negativamente pensativa. Tinha toda a tendência do mundo a virar uma pessoa com autoestima muito baixa (e até já fui assim por um período), mas eu escondidinha, quietinha, sempre acreditava que eu nao era tao ruim assim como as pessoas falavam. Um exemplo era o fato de eu ter sido sempre, a feinha da família. Lembro com muita clareza quando eu me olhava no espelho e nao entendia porque as pessoas me chamavam de feia. Eu me achava bem bonita, e sempre gostei do que via  refletido. Eu me perguntava: mas onde as pessoas vem feiura em mim? que coisa estranha isso, eu me acho bonita e consultava o espelho a procura da coisa feia que as pessoas viam... ao mesmo tempo que aceitava o que elas pensavam. Mesmo que eu mesma, duvidasse delas, deu pra entender?

Entao, essa característica eu fui trazendo comigo no desenrolar da minha vida. Mesmo que estivesse sempre atrás de todo mundo na "corrida da vida" e esse todo mundo parecendo querer me esmagar, eu estava sempre me tratando bem. Mesmo sem perceber, eu tinha esse carinho por mim mesma. E automaticamente, fui desenvolvendo esse diferencial entre mim e os outros. Me achando melhor que a maioria. Era a minha arma, afinal.

Isso nao pode ser algo completamente bom, sabe?! Porque é que que eu acho que sou melhor que alguém? É claro que tenho minhas razoes, é claro que aprendi na marra e na porrada a me colocar pelo menos interiormente e muito silenciosamente, num nível um pouco elevado em relacao a outras pessoas. Mas isso nao  me dá o direito de me achar melhor que ninguém.

Faz muito pouco tempo que descobri que minha irma tinha razao. Eu nao somente a julguei como aceitei por muito tempo que outros a julgassem e calada aceitei que a criticassem. Porque isso de alguma maneira, faz bem ao meu ego de menina feinha e sofrida que "fui": ahh, se ela é tao chatinha, eu sou a boazinha! e me calo. E sorrio por dentro.

E vou diminuindo meus pontos com a vida... naturalmente.

Sabe como descobri isso? Quando dei ouvido a Deus. Quando O deixei entrar de vez na minha vida. Ele bateu outras vezes na minha porta, sabe? E sim,  eu abri. Mas era meio que sorrindo, meio que fazendo cara de tédio, abri  meio que fechando, empurrando a porta levemente com o pé, disfarcando, colocando a vassoura atrás da porta pra visita nao se prolongar. Sem que Ele visse (coitada de mim!). Entao, há pouquíssimo tempo, desisti. Resolvi escancarar a porta e disse já sem forcas:  - "Venha, Senhor, entre, fique à vontade, nao quero mais mandar em mim mesma... cansei! Toma as rédeas por favor!" Entao Ele entrou educadamente, sem estrondo, sem fogos de artifícios,  e me fez ver muitas coisas que antes eu acobertava. 

Eu me achava alguém muito bom, alguém bem legal, alguém especial. Eu me achava superior a muita gente. Quando nao sou.

Uma coisa que mexeu muito comigo foi o que uma pessoa que muito admiro falou: "nascemos tão ímpios quanto o mais vil assassino que exista na penitenciária"...
 
Olha, talvez seja correto eu pensar que acho meu gosto musical melhor do que aquele cara que ouve funk, ou que me vista melhor que a menina que anda de salto alto e roupa de ginástica pela rua, pelo menos essa é a minha opiniao pessoal. Mas nao é justo eu me achar um ser humano melhor que ele ou ela, ou que Deus tem mais carinho por mim porque sou boazinha. Isso nao é verdade! Já que perante Deus, somos iguais... e Ele conhece o que temos no coracao. Além disso, o amor que Ele tem pra dar é o mesmo, seja pra mim, pra o funkeiro, pra menina que passa rebolando. 

E só vai entender isso aquele que "realmente" abrir a porta...

***

Este  post é principalmente direcionado  a minha forte e amada irma: 
perdoa mana, minha nojenta falsa modéstia!

***

Em algumas postagens, prefiro retirar os comentários. Essa é uma delas. Obrigada pela compreensao. Se desejar falar diretamente comigo, escreva através do formulário de contato, acima, no blog.