04/03/2013

As brasileiras que me dao orgulho

Outro dia reencontrei uma querida amiga aqui. Claudinha. 51 anos ao que parece tao bem vividos, que me vejo na "obrigacao" de escrever sobre ela. Garota carioca, no sotaque e na maneira alegre de ver a vida, a Claudinha é mais um dos meus amores na Alemanha. Nao consigo vê-la sem lhe dar uns bons apertos.  Moramos na mesma cidade e a conheci há pouco mais de um ano. Sempre alegre, de bom astral e sorridente, a Claudinha me conquistou desde o primeiro dia que a conheci. Mae de dois filhos já adultos, casada há muitos anos com um simpatícissimo alemao, ela vive feliz neste país há muitos anos. Nunca a vejo reclamar de nada e pelo contrário, está sempre tentando animar as conversas quando essas tendem a entrar no negativismo, trazendo mesmo sem querer, sabedoria aos papos informais. Dona de uma sensibilidade enorme para com o outro, Claudinha é também uma apaixonada pelo esporte: corre todos os dias no quarterao, participa de toda maratona  que aparece, adora dancar e trabalha há anos numa biblioteca. Domina o idioma com perfeicao - é a estrangeira que conheco, que melhor fala o alemao - ela é tao boa, que o marido quando precisa de uma ajudinha na gramática, recorre a ela. E além de tudo isso, ainda arruma tempo pra participar de um lindo coral brasileiro (que de tao lindo e emocionante, até mesmo eu, que nao tenho voz alguma, ando tentada a participar). 

Porém, mais do que falar da Claudinha, eu queria falar sobre como me sinto orgulhosa das amigas brasileiras que tenho aqui. Outro dia, conversando com minha melhor amiga no Brasil, ela pediu pra eu entrar em contato com uma outra brasileira que ela conhece e disse que era importante pra eu falar  português. Quando eu disse pra ela que tinha amigas brasileiras aqui, ela toda preocupada comigo,  perguntou: mas que tipo de brasileiras, heim amiga? Tivemos que rir ao telefone, porque sei que a imagem de brasileiras no exterior pode ser bem negativa. Mas o fato é que, eu nao vou fazer amizades com pessoas que nao curtiria no meu país, só porque moro no exterior, só porque poderia estar me sentindo sozinha (o que nao é o meu caso, gracas a Deus!).

Meu círculo de amizades aqui pode até ser bem estreito, mas nao é diferente de quando eu vivia no Brasil. E as garotas que eu mantenho contato, me deixam tao orgulhosa, que cada uma delas, merecia, nao somente um post, mas um livro e flores. 

Admiro a Claudinha, que veio na fé e na coragem, que encarou estudar a sério esse idioma que até hoje  bate na minha cara sem  vergonha, todo dia, e que trabalha feliz como bibliotecária; a Adriane, que incentivou o marido a mudar de sua cidade fria em todos os sentidos, no norte da Alemanha e trouxe  sol às suas vidas, que trabalha numa importadora e tem grandes projetos para o futuro; a talentosa Maria, mae de dois lindos garotos, que trabalha numa creche e oferece o curso de babymassage e é a única a oferecer esse curso que está sempre cheio,  em toda a regiao; a Suzana, que é médica psiquiatra de idosos, chefe de sua sessao e que adora um tango; a Gislene, professora de português para alemaes e que voltou aos bancos escolares para atuar numa nova e difícil área; a Hilda que cuida de criancas, que mantém uma linda família e que mora no alto das montanhas suicas, tomando banho na água fria do lago sempre que pode; a Eliane, que trabalha na maior loja de departamentos do país há dezesseis anos e que é certamente, uma das mais famosas e respeitadas funcionárias da empresa... e isso só sao as meninas que me sao mais próximas. Tem tantos exemplos bons de brasileiras que elas nao caberiam numa postagem.  

Entao é isso. 
Este é apenas um simples post de uma amiga que sente muito orgulho das amigas lutadoras, corajosas e que  inspiram todos os dias ;-)

***

E você, que chegou a um país estrangeiro e nao arrumou nada pra fazer ainda, calma. Tenha paciência e nao desista. Todas as meninas citadas aqui tiveram também muitas dificuldades no início, mas venceram. Seja persistente e mantenha a fé. Tudo vai melhorar, você vai ver.

15 comentários:

  1. Ai meu Deus, agora eu quero conhecer a Claudinha....rs!!!

    ResponderExcluir
  2. Até fiquei emocionada, porque eu procuro emprego e até agora nada, nesse fim de semana decidi voltar a estudar alemao, já tinha me acomodado novamente. Suas amigas me inspiraram também a nao desistir......

    ResponderExcluir
  3. Adoreeeeeeeeeei essas amigas inspiradoras! Eu sou mais uma que está na luta. Beijos, Keila

    ResponderExcluir
  4. Ah Nina, que homenagem linda às suas amigas!
    Cada uma especial à sua maneira e todas com um denominador em comum contigo: brasileiras corajosas que buscaram a felicidade fora do Brasil. E conseguiram encontrar!!!
    Beijos a todas!

    ResponderExcluir
  5. Que bonita reflexão Nina. Unânimidade é sim o perfeito alemão da Claudinha (meu marido também comenta), engraçado e confortante é sermos chamadas de "garotas" ou "meninas", já que (quase) todas já ultrapassaram há tempos os 40 aninhos :-) Mas muito interessante é mesmo a sua simplicidade e modestia, Nina - segredo na verdade de todo bom escritor! Você que migrou para a Alemanha depois de madura e com experiência profissional do seu país de origem, arriscando a nova vida não apenas sozinha, mas com dois filhos adolescentes. Isso admiro muito e tiro o chapéu com grande respeito. Um beijo pra você e viva a primavera!!!!

    ResponderExcluir
  6. É Nina de adimirar essas suas amigas hem...
    Homenagem bacana que você fez e com todo o mérito. Nas férias no Brasil eu sempre dizia as pessoas que a visão que eu tinha das mulheres que foram morar fora (no nosso caso Alemanha) é de tirar o chapéu, pois a distância da família é tão sofrido, o idioma é tão dificil, ficar tempo sem trabalho é tão agostiante... quando vejo uma mulher falando a língua fluentemente (que acho isso uma conquista ENORME!!) e ainda trabalhando, feliz... poxa só quem esta aqui sabe o tamanho do "buraco"a ser vencido...
    Parabéns a suas amigas e a a elas por ter voc6e tão perto, podia morar pertinho aí.... : )
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Nina, já adorei sua amiga Claudinha só pela sua descriçao :-) Beijo grande nas duas, e um lindo dia de sol pra vocês (hoje esse tempo primaveril tá poderoso, nao?)

    ResponderExcluir
  8. Sempre achei todas as mulheres que vivem fora, incríveis, pela coragem. E admiro muito a Claudinha,e todas as meninas que falei aqui, porque elas tem bom astral sempre e isso é fundamental, principalmente no inverno, concordo com a Ana Gaspar, nao é nada fácil encarar o que a gente encara fora da nossa terra, só entende quem passa pela experiência.

    Angie, vc é outra admirável! só que nao mora perto de mim :-)

    ResponderExcluir
  9. Parabéns a todas essas mulheres lutadoras, batalhadoras, incluindo você!
    Muito legal ver pelos seus olhos as dificuldades, as afinidades.
    Ah! não comentei lá, mas eu adorei a postagem sobre os quilos a menos, a dor de barriga. Desculpe, mas eu ri muito!
    Bj

    ResponderExcluir
  10. Linda essa amizade que mereceu esse post tão legal. Saber reconhecer o valor das amigas aqui e lá é muito bom! E encontrá-las por lá, vê-las s virando, fazendo suas vidas é um belo exemplo e serve de ânimo para muitas! beijos,para todas!chica

    ResponderExcluir
  11. Ninoca,
    Esta tua postagem em homenagem às amigas brasucas tem tudo a ver quando Rita Lee diz "Nem toda brasileira é bunda..."
    Como tem gente boa vivendo aí fora, ou porque casou e encontrou seu cara metade, ou porque achou um bom trabalho na época em que isso aqui não tinha nada, ou porque foram estudar e resolveram ficar e se adaptaram de coração aberto a uma nova cultura. Acho isso tão bonito e eu, sinceramente, faria o mesmo, sou daquelas que me adapto bem quando o lugar tem educação, cultura e bom trabalho.
    ]Amigos a gente faz com o tempo e conquistando, seja aí ou aqui.
    beijos cariocas


    (quero só ver qual é o seu lugar inesquecível, tô esperando)



    ResponderExcluir
  12. Ah que lindo!! minha amiga querida!! vc que é um presente da minha vida. :)
    beijo grande
    Drica

    ResponderExcluir
  13. Nina, quer post lindo! Eu iria amar ter uma Claudia e uma Nina por perto;)

    Eu tb apanho amiga com essa gramática. O caso e´que sou desmemoriada e ai esqueco tudo o que aprendi, é sério. Estou fazendo novamente um curso de alemao este semestre. É mais gramática que qqr outra coisa e o grupo é bem legal. Nao tem nenhuma brasileira.

    Nao te achei no FB;(

    BJos

    ResponderExcluir

  14. Nina, amiga, fico feliz em saber que tens tantas mulheres maravilhosas ao seu redor. Acredito que atraímos pessoas que temos afinidade, logo seria impossível você não encontrar gente assim...

    Um grande beijo, Deus nos abençoe!

    Juli

    ResponderExcluir
  15. Oi Nina, conheci algumas delas q assino embaixo....beijokas a todas...
    mas sabe Nina nós que temos sorte q termos vc como amiga....beijokas apertadíssimas....saudades...me liga qdo tiver um tempinho ;)

    ResponderExcluir