24/01/2013

Quando eu tinha 16

Hoje meu filho completa 16 anos e eu fico pensando se algum dia ele vai ser adulto, responsável e consciente de seu futuro e de sua vida. Acordei pensando nisso, nos meus 16 anos e descobri perplexa usando de muita verdade comigo mesma, que eu nao era assim, taaaao diferente dele como eu gosto de dizer.

Os meus 16 anos foram muito importantes pra mim. Foi o ano que comecei a levar a escola realmente a sério. Nao que nao o fizesse antes, mas agora, já era o 1° ano do 2° grau (nem sei como se diz isso hoje em dia) numa nova escola e pela primeira vez, particular! Tinha por obrigacao ser uma boa aluna, já que minha mae passou um dia inteirinho numa fila debaixo de chuva, pra conseguir uma bolsa que me garantiria passar os três anos seguintes nessa escola pagando só a metade da mensalidade. Ela sabia que minha irma e eu queríamos fazer vestibular e aquela escola era o melhor caminho pra nós. O Colégio Objetivo era famoso por ter os alunos mais bagunceiros da cidade, mas também era famoso por fazer seus alunos entrarem na universidade. O colégio era novidade pra mim, cheio de garotas lindas, bem vestidas, filhinhos de papai, gente de fora de Manaus e metidinhos. Minha irma logo se adaptou, mas eu...

Iamos pra escola de manha, e assim como meu filho hoje, acordava cedo pra me arrumar e chegar bonita na escola. Foi também nessa fase que comecei a usar lápis pretos nos olhos, usar roupas longas tipo indiana e carregar minhas apostilas nos bracos, como todo mundo fazia, sem mochila. Me enchia de penduricalhos e usava os cabelos longos e batom cintilante.  Era meados dos anos 80, a época dos caras maneiros e das garotas que adoravam a Blitz e eu queria ser diferente daquela garotada toda tao bonita e arrumadinha do colégio. Era a primeira vez que frequentava uma escola que nao cobrava uniforme, entao, tinha que estar interessante todos os dias, assim como meu filho faz hoje. Com 16, sonhava usar camisetas regatas sem soutien, odiava as meninas que tinham peito pequeno!!! Nunca pude realizar esse sonho... Ainda com 16, meu apelido entre minhas irmas era Vaquinha Mococa :-( 


 
Essa era eu!
Eu era motivo de piada entre minhas irmas quando passava esse comercial na TV

Foi também com 16 anos que resolvi finalmente terminar um namoro de um ano com o garoto que roubou minha virgindade e que eu até hoje me arrependo de ter dado "meu bem mais precioso" (assim dizia uma tia minha) pra ele. Aquele colecionador miserável de virgenzinhas pela cidade nao me merecia mesmo!! Mas qual? Tarde demais pra entender aquilo... lembro dele ir a minha escola  me entregar revistas Capricho. Eu as pegava e dizia: nem adianta querer me comprar. Acabou mesmo! E entrava pra escola toda feliz com minhas revistas... com 16 anos eu queria era ser forte e corajosa, mas era uma bela cagona, queria ser diferente e seguir os conselhos da minha revista preferida, ser descolada e esperta, mas do "meu" jeito. Nao pintava as unhas como minhas duas irmas peruas faziam e queria namorar um hippie, o que fiz no ano seguinte, pra horror da minha mae. Com 16 eu era ótima aluna. Nao melhor que a Zoe, uma paulistinha que era a garota mais inteligente mas também a mais insuportavelmente chata da escola toda. Com 16 eu era tímida, mas encarava corajosa as pessoas bonitas da minha escola mesmo que por dentro, morresse de medo delas. Com 16, comecei a ajudar minha mae na loja em que ela trabalhava nos horários que nao estava na escola e comecei a dar valor a ganhar meu próprio dineirinho. 

Aí um dia, cansei daquela gente toda metidinha e que imaginava chegarem no colégio vindas de suas mansoes em carroes com motoristas depois de tomar banho em suas banheiras de luxo e  tirar férias em Miami. Cansei de ser a pobre e mais feia da escola e que só podia frequentar por que tinha bolsa parcial e morria de vergonha por isso ao pagar o carnê. Entao mudei de horário. Fui pra tarde. Tinha menos gentinha rica. Mas o melhor do colégio mesmo, foi quando estudei a noite e tive os melhores anos da minha fase como estudante e amigos que assim como eu, tinham bolsa escolar. E sabe? Foi gracas a esse colégio que passei no vestilbular na Universidade Federal na minha primeira tentativa! 

Entao quando cansei de ser a pior daquele lugar floreado de riquinhos lindos e brilhantes do turno da manha, e tomei a decisao de mudar e que me fez muito bem, afinal, eles estavam acabando comigo, mesmo que eu estivesse aprendendo com eles a lutar em me ver melhor: me vi bem!  O engracado dessa história é que um tempo depois disso, encontrei uma amiga da escola que fazia parte do grupinho das lindas e populares e ela me contou  como todas as bonitas garotas da sala comentavam entre si, como me achavam bonita, diferente, ousada e estilosa. Olha só!!!

E eu me achando a mosca do cocô do... Entao os meus 16 anos foram o ano da descoberta. Foi quando comecei a tomar minhas decisoes. Quando realmente comecei a crescer. E esse é meu desejo para meu filho hoje, que ele entenda que muita gente já teve os mesmos medos que ele tem, os mesmos receios, a mesma sensacao de ser o pior em tudo, mas que todos passam por isso, com menos ou mais dor, mas que passam simplesmente. E que a gente nunca sabe o que os outros pensam da gente e que na verdade, isso nem importa. Que o que interessa mesmo é a gente ser a gente. Assim, do jeitinho que a gente é. Sem medo de ser quem somos.   

*** 
E você heim? Quer me dizer como era você aos 16?

21 comentários:

  1. Um dia seu filho vai ser responsável sim e se bobear, vai te dar conselhos e tudo mais... rs.

    Aos 16 anos minha vida era uma turbulência só. Não tenho saudade nenhuma dessa época, um horror... rs.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Nininha!
    Belo texto, quanta espontaneidade. Nosso lobo cerebral frontal só termina de se formar lá pelos 22 anos.
    A partir daí começamos a ter mais juízo (por isso os dentes do siso têm este mome - quer dizer juízo).
    Muito juízo para você, abraços.

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina

    Suas experiências são tesouros e que vc possa compartilhá- las com seus filhos. Cada um vive a própria experiência e tem seu próprio tempo.
    Meu texto do blog fala justamente sobre histórias e memórias.
    Minha adolescência foi uma boa experiência e dela até hoje colho frutos.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Parabéns ao filhote!
    Ele tem o seu exemplo de determinação. Talvez os garotos demorem um pouquinho mais a amadurecer.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Nos últimos anos aconteceram várias coisas que motivaram a introdução do tema espiritualidade nas organizações.
    Tudo está em constante transformação e evolução: tecnologia, moda, modelos de gestão... Em que confiar? Onde depositar minha confiança e esperança?
    As principais características de uma pessoa espiritualizada: Valores éticos; intuição; criatividade; religião; fé; visão holística; respeito com o meio ambiente, responsabilidade social; compaixão, justiça.
    A espiritualidade “hoje se insere como uma dimensão estratégica, na medida em que dá mais significado à missão da empresa e ao trabalho das pessoas”
    Qualidades comuns dos líderes empresariais espiritualmente inteligentes: 1) Praticam e estimulam o autoconhecimento. 2) São guiados por valores e ideais. 3) Convivem com a adversidade. 4) Possuem visão holística. 5) São interessados. 6) Colocam as coisas num contexto mais amplo. 7) Sabem ouvir. 8) São espontâneos. 9) Tem compaixão.
    ruy

    ResponderExcluir
  6. Faça o seu dia mais feliz.
    Único, exclusivo, especialmente pra você.
    Hoje é o seu dia.
    Tenha momentos de glória e satisfação.
    Mantenha um sorriso estampado no rosto, pode ser aquele, o que te deixa mais especial.
    Que esta data possa trazer-lhe boas recordações.
    Feliz aniversário!
    ruy

    ResponderExcluir
  7. Faça o seu dia mais feliz.
    Único, exclusivo, especialmente pra você.
    Hoje é o seu dia.
    Tenha momentos de glória e satisfação.
    Mantenha um sorriso estampado no rosto, pode ser aquele, o que te deixa mais especial.
    Que esta data possa trazer-lhe boas recordações.
    Feliz aniversário!
    ruy

    ResponderExcluir
  8. Que lindo Texto! Parabéns para o João :)


    Meus 16 anos...Acho que comecei a me entender por gente nessa idade que foi de descoberta. Conheci um cara que fui perdidamente apaixonada. Quando penso nos meus 16 eu lembro dele. Ótima época apesar de dolorosa.

    ResponderExcluir
  9. Adorei teu texto,te ler e é bem assim aos 16. Parabéns pra ele! beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  10. Ahhhh que legal, sempre aprendemos com as experiências e assim como você o seu filho também irá crescer :). Os meus 16 anos foram ótimos, me diverti muito, fiz bons amigos (que cultivo até hoje) e eu também fui para uma escola nova, tive meu primeiro namorado, nossa, muita coisa aconteceu. Boas lembranças. Beijos!!

    ResponderExcluir
  11. Ninoca,
    Primeiramente, parabéns ao seu filho querido, muitos anos de vida e cheio de coisas boas é o que lhe desejo!
    E você hein, começou cedo fazendo traquinagens!
    Se a gente começar a relembrar, percebe que os filhos são quase a mesma coisa, rebeldes, cheios de ideias novas e curiosidade de enfrentar o mundo.
    Por coincidência, meu post de hoje, fala justamente da menina de 15 anos que fui. é só conferir.
    beijinhos cariocas



    ResponderExcluir
  12. Oi Nina!
    Quando eu tinha 16 era a Zoe - mas sem o brilho das verdinhas porque meu pai é pedreiro. Eu era a garota mais inteligente da turma e isso não me fazia popular - nem com os garotos e nem com as garotas. Eu não podia ler Capricho e nem sair para baladas porque... minha irmã mais velha tinha engravidado sem casar, daí meus pais pegaram a gente (eu e minha irmã mais nova) com pulso de ferro: nada de bailes, nada de ficar fora depois das 10h da noite, nada de revistas que ensinam como usar camisinha e que discutem se tá na hora de você dar ou não... Não foi bem minha idade favorita, lembro apenas que nessa época eu queria muito mesmo era ter nascido um menino! Hahahaha...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Nina, que tetxto lindo e verdadeiro este o teu.

    Quem nao fez traquinagens nao viveu uma das melhores fases da vida.

    Meu marido nao viveu por isso ele assim como muitos alemaes nao sabem entender essa fase dos nossos filhos...

    Parabéns ao meninao e que ele amadureca a medida do seu entendimento. Há tempo pra tudo...


    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Nina,

    Parabéns ao seu filhote!

    Ai, eu sempre me delicio com seus posts quando fala de você, pois em partes me identifico muito.

    Aos 16 anos eu estava me descobrindo...foi um período excelente. Me achava bonita e parecia ter a força no olhar. Já estava aprendendo a não baixar a cabeça para tudo que me diziam, começava a me reconhecer, a identificar quem eu era, como queria. Foi aos 16 que fiz minha primeira viagem sozinha (20 dias pelos interiores de Minas Gerais), foi quando tive certeza que não ficaria com nenhum babaca só porque era a unica da turma que não tinha namorado (meu primeiro beijo foi aos 14 e depois disso, mais nada até os 16.)
    Aos 16 eu beijei muito. Aos 16 eu queria ir para BH cursar uma Universidade Federal (mas no meio do caminho apareceu o Marcelo, meu marido e tudo mudou), kkkk.
    Não me arrependo de muita coisa.
    Acho que faltou um pouco de foco, e sobrou um tanto de medo, mas quem nao os tem nesta idade, como comentou?
    Muito do nosso futuro se define nesta idade (15 a 18 anos). Ao menos para mim foi assim. Excelentes lembranças.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  15. Sabe porque eu gosto de vc?
    Meu reflexo, meu espelho, tb era diferentona.
    Meu sonho era ter uma Melissa, queria ter a boca delas, os meninos diziam que eu tinha beiço (imagina minha boca tá na moda).
    Somo tão iguais ... nem sei o que escrever.

    ResponderExcluir
  16. lindo relato....tantas lembrancas dos 16....calma amiga ele chega lá tb....mas todos nós temos q aprender por vezes da maneira mais difícil...me liga qdo der tá!? beijokas

    ResponderExcluir
  17. Sabe Nina, infelizmente existem coisas que estão fora do nosso controle, uma delas é o futuro dos nossos filhos, pois tudo dependerá das escolhas que ele fizer, eu acho que os 16 anos são realmente uma idade em que somos muito cobrados, por todos os lados e quanto mais somos, mais confusos ficamos e meio que desesperados por ainda não termos nos firmado, entende? Eu penso assim: Você como mãe cuidou, ensinou, educou, corrigiu, enfim, deu o seu melhor, e por mais que pareça que eles não aprenderam nada, só vão realmente colocar muitas das coisas que aprenderam em prática quando se pegarem sozinhos, quando realmente a vida exigir responsabilidade da parte deles, agora, ele está protegido e amparado debaixo das asas da "mãe galinha" mas, um dia ele vai ter de seguir seu caminho e daí é que ele vai lembrar das suas palavras sábias e cheias de amor que vão soar como eco no momento certo. Você está dando o seu melhor, com certeza vai colher frutos sim, beijos aos dois. Bom fim-de-semana!!!

    ResponderExcluir
  18. Oi Nina!
    Parabéns ao filhote!!!!
    Adorooooo ler suas histórias, tão francas, bem escritas... sabe que seu blog as vezes me engana e parece que você é um personagem de um livro que sigo.... rsrsrsr
    Sempre me vejo em um detalhe que você conta de você! Adorei ler sobre seus 16 anos.
    E viva o filhão!!!!
    beijinhossss

    ResponderExcluir
  19. Em primeiro lugar, parabéns ao seu Filho!!!
    Seus 16 foram mesmo marcantes Nina. No finalzinho do texto você revelou uma coisa interessante... A imagem que as meninas da escola tinham de você era bem diferente da imagem que você tinha de si própria. E até mesmo da imagem que você pensava que os outros tinham de você...
    Quanto aos meus 16, eu era gordinha e passava o dia inteiro estudando inglês.
    Depois emagreci, mas continuei fluente!
    Saldo positivo ;)
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  20. Nina, parabéns para o filhote, é uma idade ainda de indecisões, pior para os meninos, que custam mais a amadurecer. Seu filho é um bom garoto, ainda vai lhe dar muitas alegrias.
    Não me lembro dos meus 16 anos, não me lembro de fase nenhuma da minha vida, não com riqueza de detalhes, como você. Só tenho flashes. rs
    Ainda se diz 1º ano do segundo grau, ou do ensino médio. rs Da 1ª à 8ª é ensino fundamental. Muda a nomenclatura mas continua a mesma m..., em geral. rs
    Fique ciente de que está dando uma ótima educação a seus filhos e só terá respostas boas deles, no futuro.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  21. Nina,
    Que bom saber sobre os seus 16 anos!
    16 anos pra mim foi ano de renovação!Tive depressão e me redescobri!foi uma época difícil,mas hoje sei que foi essencial para meu amadurecimento.
    Pra mim foi como a transformação da lagarta em borboleta!

    Beijos!
    Thaís

    ResponderExcluir