29/11/2012

Da dificuldade em presentear alguém

Estava esses dias na cidade e na volta pra casa, esperando o bonde, sentei num banco onde já estava lá uma senhora sorridente e de aparência bem simpática. Era a velhinha mais bonita que já vi até hoje, de cabelos brancos meio longos, presos numa tranca, olhos azuis muito brilhantes, um semblante contente, uma capa de chuva colorida e trazendo uma cesta com algumas coisas frescas da feira. Tao bonita era sua serenidade que me lembrou um anjo. Ela logo olhou pra mim e fez um movimento pra que eu olhasse em sua sacola - as pessoas sempre falam comigo, parece que tenho um cartaz na testa escrito: Olá, estou aqui pra lhe ouvir! Como isso é bom pra meu aperfeicoamento dessa língua difícil eu aproveito pra bater papo mesmo, além disso eu sinto que as pessoas precisam conversar com alguém, é como se elas estivessem sempre sozinhas :-(

Mas enfim. Olhei a sacola e dentro havia uma cabeca cor de rosa de um porco sorridente (alemao adora porco, nunca vi coisa igual!). Nao, nao era de verdade, o porquinho era de pelúcia, uma gracinha de fantoche. Entao ela comecou a falar da dificuldade que a cada novo ano encontra em presentear seus netos. Nunca sabe o que dar já que eles parecem  ter tudo e ela, assim como eu,  acha isso um horror. Entao ela falou uma palavra que eu nao conhecia e me explicou tao bem que nunca vou esquecer: Nas pessoas de hoje em dia, falta Bescheidenheit! Se quer aprender: a pronúncia é  bechaidenrrait... Que significa algo como satisfacao com o que se tem. 
Isso nao é mesmo impressionante? Como se tem tudo e nunca se está satisfeito? Parecemos loucos consumidores, eternamente insatisfeitos, só acumulando, acumulando e acumulando mais e mais lixo. Sim, porque nada mais se conserta hoje em dia.  Lembramos, a velhinha e eu, como era diferente quando éramos criancas. Quando ganhávamos uma boneca apenas, ou no caso dela, que lembra ter ganho certo natal apenas a roupa da boneca e se diz incapaz de esquecer como aquilo a deixou feliz, afinal ela tinha espaco pra sonhar...
Nao é assustador isso nos tempos modernos, gente? Eu fico horrorizada e confesso que todo natal é complicado pra mim. Agora dou às criancas o dinheiro na mao e vamos fazer "juntos" as compras, nao tem mais surpresa, elas nao gostam de nada do que a gente compra!

A velhinha?? Vai dar o porco como presente a toda família: filho, nora, netos. Foi a única coisa que ela achou que talvez eles ainda nao tenham e que pode ser capaz de reunir todos na sala pra pelo menos um dia brincarem juntos. No fim da conversa ela deu a melhor dica de presente: o que os pais podem dar aos filhos é um bocadinho do seu tempo, sentar e brincar com eles, dar atencao, isso sim, fica para sempre.

Nao disse que essa velhinha parecia um anjo?

14 comentários:

  1. Que fofa essa velhinha!!!

    Mas é a mais pura verdade isso de presentear...Eu não dou mais nada pra ninguém, doi dinheiro, pois tudo que eu dava não gostava ( mania de tia achar que sobrinho é sempre bebê..rs)e tudo o que eles querem titia não pode dar, tipo: Celular, roupa de marca, tennis de marca...Vai sonhando...rs!

    Infelizmente muitas coisas perderam-se no ar....

    O conselho da velhinha também vou pegar pra mim, sempre é bom aprender com os mais velhos e eu sou uma pessoa em constante aprendizagem na vida!

    Bjos gata!

    ResponderExcluir
  2. Interessante a história! E eu adoro porcos, já tive um de verdade quando criança, acho o bicho mais fofo do mundo e as pessoas por saberem que gostam tb me dão porcos de pelúcia... rs.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Que lindo!!E realmente as pessoas não se satisfazem mais..Incrível isso! Uma pena! perdem tanto de vida... beijos,adorei! chica

    ResponderExcluir
  4. Que ótimo que as pessoas adoram conversar com você. A gente já gosta pelo blog, imagine pessoalmente e falando português!!!
    Eu tenho uma palavra que transmite um valor que prezamos muito aqui em casa: contentamento.
    Quando començam "ah, mas não tem nada pra fazer, para comer, para brincar", alguém pergunta cadê o contentamento? Mas realmente é difícil neste tempos de descartáveis e coisas instantâneas.
    Por falar em velhinha, eu encontrei aquele filme que você postou o trailler. Falta o tempo para assistí-lo. Vou conseguir e te conto!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Acho isso tbm Dani, as criancas ja desde pequenas tem desejos absurdos! Uma das minhas sobrinhas pediu ano passado dos pais, um Tablet, nem eu sabia o que era isso ano passado, e sabe qual a idade dela? 6 anos! Conheco criancas (aqui e no Brasil)tao cheias de exigencias, só usam coisas mt mt mt caras, que eu sou incapaz de comprar ate mesmo pra mim.
    Imagina um celular que custa 500 euros? menina, que mundo é esse em que vivemos?? Que gente mais louca nos transformamos? Dar dinheiro tbm é complicado,né? se vc dá pouco é pouco demais... aqui em casa a gente fazia listas de desejos, continuamos fazendo mas pros dois adolecentes, nao há mais listas, Joao so quer roupa e Laura quer juntar dinheiro pra viagem que vai fazer por um ano (travel work) depois da escola. Entao é so graninha de presente, mas o valor é estipulado antes.

    Cara, acho que a velhinha é que tá certa, dar um presente que todos vao usar pelo menos em um momento em conjunto, mesmo que na hora todo facam cara feia.

    Dama, ja tinha lido esse teu carinho por porquinhos :-)

    Nao é Chica? Nao é uma gracinha a minha velhinha-anjo?

    Adorei Ana, contentamento é mesmo uma palavra linda. Tem umas palavras tao bacanas nao tem? Acho bem legal isso que vc falou, é uma coisa que tira vcs da mesmice, da reclamacao, e vai ficar sempre na memoria da familia.

    Bjs queridas

    ResponderExcluir
  6. Nina!
    que sábia este velhinha hem?? é isso mesmo, hoje as pessoas "comram, compram"e quando vamos dar uma lembrança, fica até constrangedor, ficamos numa situação "será que vai achar legal, será que ela já tem, será que vai achar pouco,,,"
    Não compro presentes pra Valentina fora de época, acho um desperdicio, pois os que ela ganha de Natal e aniversario já fazem uma pilha aqui em casa, parce até que brinquedos procriam...ave!
    Adorei essa história, quem sabe não era um anjo mesmo???
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Que velhinha mais sábia, Nina!
    Um presente que eu adoro dar e receber sao livros - nao vou nunca enjoar deles, e na minha família todo mundo adora também (inclusive minha sobrinha de 6 anos :-) ).
    Beijocas mil, Angie

    ResponderExcluir
  8. Nina,
    Tô até imaginando a velhinha com cara de Dona Benta, anjinha, fofolete, com um porco cor de rosa na sacola. A cena é linda, mais linda ainda é a reflexão dela.
    A Danuza Leão diz uma coisa interessante no seu último livro: "a gente passa a metade da vida acumulando coisas e outra metade se livrando do que acumulou".
    Não é verdade?
    Eu tô que separo roupas para doar no Natal... E já estou de olho nas vitrines. Tô doida amiga.
    Beijo
    Márcia

    ResponderExcluir
  9. Não sou "velhinha" (ainda chego lá ahahah) mas penso assim também como ela. Quando éramos crianças tudo era tão diferente!
    Concordo com as meninas que comentaram aqui, as crianças de 6 anos querem tablet sem nem saberem direito para que serve e, pior, os pais dão.
    Que mundo doido é esse?
    Beijos.
    Vou compartilhar sua postagem no Face, tá?

    ResponderExcluir
  10. Que historia gostosa!
    Onde compra mais um avó dessas? haha
    esse tipo de coisa é inspiração ou não? A vida se constroi de momentos singulares. Tais fatos que nos tiram da rota são saborosos. E lê-lo no teu blog foi muito bom ^^


    Hey aguardo uma nova visita quando puder ^^
    diademegalomania.blogspot.com

    Dá uma lida pra comentar ><

    Abraço do Clive

    ResponderExcluir
  11. Que encontro insólito menina!
    E o porco cor de rosa, que coisa incrível!
    Pois é isso aí, todo mundo já disse o que eu diria, mas complementando, digo que temos muito, já demos muito também aos filhos, mas o que de melhor e mais importante temos a dar a eles é o nosso amor incondicional e a educação, ficarão para o resto da vida com eles, isso ninguém tira e nem acaba.
    beijos cariocas


    ResponderExcluir
  12. Crônica muito boa paraa ser lida em um gupo de mães e se trabalhar alguns conceitos tão esquecidos nesta nossa era, não é mesmo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Menina... o pior é que é isso mesmo. Tem tantas opções de coisas, mas tão poucas necessidades. Eu particularmente adoro presentear com coisas feitas à mão (por mim). Assim, duvido que tenham algo igual... srsrsrs. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Todo dia qd passo pelo mesmo ponto fico procurando esse anjinho lindo ;-)

    ResponderExcluir