30/10/2012

Das coisas que realmente me interessam

Às vezes, melhor dizendo, muitas vezes, eu tenho a impressao de que nao sou normal...

Eu nao me interesso por questoes práticas do cotidiano, nao quero saber de notícias, nao quero ser super informada com o que está acontecendo com a política do país, nem estou preocupadíssima diretamente com as previsoes terríveis sobre aquecimento global, nem quais sao as matérias que meus filhos tem na escola. O que me interessa sao as coisas simples da vida.

Me interesso pelas coisas bonitas que vejo, que já vi e que quero ver, me interesso por lojinhas bonitas de flores, e aquelas de papéis delicados, por ruas arborizadas, por criancas. Eu procuro os olhares delas onde quer que eu esteja e até hoje me sinto mal num ambiente que só haja adultos. O que me interessa é mesa cheia de amigos ou filhos, comendo o que acabei de cozinhar, sem me preocupar em me exibir com meus recém adquiridos "dotes culinários" mas pelo simples prazer de ver pessoas queridas saboreando algo que fiz com amor! Nao tenho o menor interesse em fofoca, nem gosto de ouvir gente falando mal de outras.  Me interesso nao pelo futuro, mas pelo hoje e pelo ontem. Nao faco questao de ver meus filhos seguindo carreira que lhes garantirá bons rendimentos, mas gostaria apenas que eles tivessem a sabedoria de permitir que o coracao fizesse a escolha da sua profissao. Nao me interessa vê-los andando de carros novos e usando marcas caras, queria, do fundo do coracao, ver meus filhos andando de bicicleta com flores na cestinha e com um sorriso pregado no rosto. Nao os quero tirando notas altas na escola, na verdade, notas nao me interessam muito, prefiro que eles me expliquem direitinho e à maneira deles, me fazendo lembrar o que já estudei, ou o que nunca ouvi na escola, o que aprenderam aquele dia com o professor. Me interesso por músicas de quando eu era menina, ou moca. Do tempo em que eu pulava fogueira esperando um namorado, ou quando já grandinha, esperava meu namorado chegar pra gente ir a praia de rio no seu fusquinha bege ou tomar cerveja ohando as estrelas no telhado da república em que morei, já com o outro namorado, aquele que virou marido e depois ex. Me interesso pelo céu à noite, é isso! Adoro ficar tentando ouvir as estrelas ou tentando achar essa ou aquela outra num céu escuro, gosto de curtir quando o sol vem num dia de chuva, me interesso pela areia no mar, aquela em que fiz um castelinho e filho desabou rindo de mim. Nao vejo diferenca nenhuma entre pessoas, se bonitas, feias, ricas, pobres, importantes, relegadas a quinta categoria, me interesso pelo que elas tem dentro daquela capa externa, que pode ser branca, preta, amarela... Me interesso pelas pessoas. Me interesso sinceramente pela pessoas. Gosto delas, quero ouví-las, gosto de tocar na mao, abracá-las em vez de dar dois ou três beijinhos falsos na bochecha, e olhar nos seus olhos, gosto especialmente de ouvir suas histórias de vida, como foi sua infância, como é sua mae, sua avó, porque ela anda tao distante do seu pai... quais sao seus sonhos, o que elas estao aprendendo com o passar dos anos.  

Coroa de palha e flores, feita por alguém de Zanzibar, perfeita pra minha cabeca de vento


eu sei que nao sou normal. noto isso muito claramente agora que moro aqui. tudo isso é doidice, eu sei. ninguém me entenderia se eu falasse a verdade que passa pela minha cabeca, eu nao sou normal, eu vejo, eu noto, quando eu me comparo com outras mulheres. porque isso nao é normal vindo de uma mae de três filhos, que deve ser dura o tempo todo pra educá-los e mulher de um homem duro como o meu alemao é. o mais maluco disso tudo é que eu acho que hoje, eu pareco muito mais com meu ex marido...




será que tem mais alguém aí como eu?? Aparece se for capaz! :-)

15 comentários:

  1. Nina , lindo texto! Adorei, mas percebo que vc fala pouco do seu marido alemão.

    ResponderExcluir
  2. Oi Hellen,
    se falar vou falar mal :-) ahahaha

    prefiro nao escrever sobre coisas tao pessoais,ahahahahahhaa

    como se este blog é um livro aberto ne?

    Bom, é assim,ele é normal demais, gosta de futebol e trabalha demais, é um bom pai mas é durao como todo bom alemao acha que deve ser,obrigatoriamente...

    mas nao gosto de falar dele aqui. existem coisas que devem ser mantidas na privacidade, e casamento pra mim é assim

    Bjs Hellen

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina!!!!

    Flor, admiro seu desabafo. E simplicidade é coisa boa, né?

    O importante é ser feliz!!!! É ter paz!!!!

    Beijos!

    Selma

    ResponderExcluir
  4. Ei Selminha!!

    olha, a pessoa precisa passar por varias situacoes na vida pra um dia chegar a conclusao de que na vida o que importa é a simplicidade. e ser simples pode ter diveeeeersas variacoes ne?

    ResponderExcluir
  5. Nina... Eu simplesmente adoro este jeito rasgado que vc usa pra debulhar seus pensamentos. Sua sinceridade me toca, a maneira que vc vê o mundo me inspira. Você é uma maluquete minha amiga. Todas somos. Algumas mais, outras menos. E há um lado maravilhoso na suave loucura que compartilhamos.
    Du bist Nina. A Nina que me recebeu com um abraço bem apertado lá em Freiburg. A Nina que gargalhou com meu sotaque caipira, que fez um bolo dona Benta comigo aí nas terrinhas da Alemanha. A Nina que me dizia pra não ficar pilhada com as grosserias do meu ex alemão. A Nina que vê flores em todos os lugares.
    Eu adoro vc, meine Liebe.
    Bjim
    Márcia
    p.s.: que linda a coroa de flores...

    ResponderExcluir
  6. Po Marcinha, sacanagem, quer me fazer chorar, é??

    Minha linda, gostar de ti é mt facil!

    ResponderExcluir
  7. Oi Nina! Minha filhotinha é minha cachorrinha... =) Ela não vai morar comigo por enquanto, mas assim que der eu levo ela! =)
    Bjus

    ResponderExcluir
  8. Ninoca, você é uma maluca beleza então!
    Eu acho isso super positivo, você não vai envelhecer tão cedo, e às vezes é muito melhor mesmo só olhar o lado bom e belo da vida, afinal pra que a gente se envolver tanto com tantas coisinhas que não podemos resolver no todo? Cê tá certa, quer saber!
    Agora acho que isso também é o lado índio que você tem nos genes, essa coisa de olhar a natureza, viver bem e tranquila, relacionar-se com todos de um modo simples e generoso.
    um beijo grande, carioca

    (e vê se manda o endereço, rá!)


    ResponderExcluir
  9. Queria ser como você. Sou tão ligada, achando que posso resolver todos os problemas do mundo, que acabo esquecendo das coisas simples.

    ResponderExcluir
  10. ahh meninas, obrigada!

    Oh Beth, tu é um doce mesmo!

    Cristina, o que exatamente vc quer dizer?

    Lili, nominho fofo, tenta ser mais lesinha, ai vc chega aos meus pés :-) Amor, a gente nao é responsavel por quase nada, a gente so pensa que é. no fim, é a vida quem se encarrega de tudo, vc so tem que fazer o bem!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Nina, eu quero dizer que aqui no interior, somos meio assim como ti! Abrasileiradamente simples.
    Isso não tem nada de anormal. É saudável.
    Um beijão.

    ResponderExcluir
  12. aahhh ta Cris, mas ai tenho que discordar de ti, quero dizer, nao discordar, mas... só se esses brasileiros que tu se refere estiverem de fato, no interior, bem no interior do Brasil mesmo, porque minha amiga, é serio, eu acho que brasileiro é tudo, menos, simples :-(

    mas entendo o que tu quer dizer.
    obrigada por me responder :-)

    Beijao!

    ResponderExcluir
  13. Nina, eu não cresci! Tenho quase meio século mas meu coração e alma é de uma criança de dez.
    Falo pelos cotovelos até mesmo com estranhos, corro com o cachorro na rua, passeio na chuva com o guarda-chuva e isso é so um exemplo.
    AH! Não tomo banho todo dia e não escondo isso.Tudo isso so me causa um problema:a Valon morre de vergonha da mãe!

    ResponderExcluir
  14. Acho que quase todas as pessoas são assim mas por conta do que "os outros vão pensar" e instigados pela "mídia" vão se deixando levar e moldar por algo que não são. É muito mais fácil ser simples, gostar do que realmente importa, aprender com os outros, ter crianças por perto, rir e dançar e se divertir sem querer dar conta do mundo. Penso que somos normais, e os outros, lá no fundo também são assim, só tem muito entulho tirando a beleza se ser simples deles ;)
    bj no seu grande coração!
    quanto ao ex e o atual, realmente seu silêncio sobre o alemão e seu saudosismo do ex, dizem mais do que se pode pensar ;) Faz parte...longe dos olhos tudo é mais lindo e lembramos mais das coisas boas..perto da gente, a convivência rotineira cria às vezes sem querer e às vezes querendo, certos desencontros que são maiores pela proximidade...só quem convive muito perto tem o poder de nos magoar de verdade..mas ninguém é perfeito, nem de longe nem de perto ;) bjuuuu

    ResponderExcluir