26/09/2012

Quando a crianca abusada sexualmente cresce...

Nao vou dizer que todo dia até porque nao conheco tanta gente assim, mas com relativa frequência, acabo descobrindo que uma ou outra pessoa sofreu abuso sexual na infância. Muitas dessas pessoas, é bem verdade,  sofrem de depressao, muitas carregam essa tristeza sempre presente no seu dia a dia como se fosse parte dela própria e nao conseguem superar facilmente (quem consegue, meu Deus?) o que viveram, mas a grande maioria, é de pessoas alegres, boas e felizes e que sempre procuram fazer o bem ao outro. Claro, nao esquecem o que sofreram, mas nao vivem lembrando, sofrendo, chorando e que nao saem por aí fazendo maldade só porque fizeram maldade com elas. Comecei há algum tempo a observar essas pessoas, que foram vítimas um dia ou muitos dias desses bandidos nojentos que sao capazes de tamanha maldade com uma crianca, e tenho notado que é como se houvesse uma mudanca na trajetória das pessoas, sabe?! É como se antes, lá, naqueles quartos escuros com monstros por perto, quando elas eram pequenas, estivesse sendo escrito na linha de sua vida, que elas seriam eternamente marcadas, mas aí, nesse momento da mudanca de trajetória, era como se acontecesse uma mágica e a pessoa se desvencilhava desse "destino maldito". Será que você consegue me entender?
Eu quero dizer que a pessoa vítima de abuso sexual muda sua própria trajetória, seu destino. Explicando melhor: é como se ela com sua decisao interna de nao aceitar ser uma eterna vítima deixasse o diabo muto p da vida, ao notar que ela nao virou o que ele programou pra ela naqueles tempos de crianca abusada... a pessoa consegue dar essa virada, toma essa decisao de ser alguém bom, que nao sai em busca de fazer mais vítimas. Elas se tornam bons pais, protetores e cuidadosos, se tornam pessoas de bem, honestas,sensíveis,  fiéis, ajudam as outras, sao boas amigas, sao alegres e gostam de ver os outros bem.

Tenho visto muito gente assim. E isso alegra meu coracao. Porque é sempre bom ver pessoas se tornando seres melhores.

* * *
Sei, claro, nao sou tao bobinha, que isso que to falando pode ser o contrário do que muitas estatísticas apontam (mas vc acha mesmo que as estatísticas sao reais?? Você acha mesmo que p ex, o número de vítimas de abuso é real?

Sei que há muita tristeza e dor escondidas lá no cantinho da memória dessas eternas criancas vitimadas, mas a maioria supera de forma muito bonita essa grande maldade que sofreram...acho isso comovente.
* * *

E nunca é demais alertar: maes e pais, todo cuidado é pouco contra o abuso sexual. Cuide dos seus filhos  e acredite sempre nos que eles falam. Observe o comportamento deles e tente confiar mais neles do que em qualquer outro adulto. Por favor.

9 comentários:

  1. Oi Nina!!!
    não sei viu... acho que toda estatistica tem um fundo de verdade sim... deve ter um numero de pessoas ainda que não falam por vergonha e sofrem calada, acho que esse número é grande... pois existe abusos de várias forma, não preicsa do "ato"em si... mas outras coisas...
    é um assunto forte e triste...
    E essas pessoas que você cita acima que conseguem levar a vida feliz, estão certíssimas... pois há tantas outras coisas também que outras pessoas passaram e seguem em frente, não?!
    Eu me comovo muito por exemplo quando vejo uma mãe que perdeu um filho muito jovem e consegue ser muito amavel com outras crianças, não fica amarga e fazem planos para outros filhos...
    Se olharmos em volta são tantos problemas...
    Mas a vida tem que seguir...
    beijos flor

    ResponderExcluir
  2. É difícil acreditar que existe um ser humano capaz de fazer maldade contra uma criança, seja ela qualquer tipo de maldade! Eu acredito que as estatísticas sejam bem maiores do que é divulgado. E admiro pessoas que conseguem dar a volta por cima depois de sofrer qualquer tipo de abuso. bjos

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina
    São muitos os casos e ,infelizmente, são as pessoas mais próximas que praticam o abuso, até porque a criança ela confia e não sab que há maldade do outro.Por outro lado, o adulto não acredita quanto a criança mostra o que está acontecendo,pois é dificil de se encarar.
    Não é fácil se liberar deste trauma, mas é possível se libertar e seguir enfrente construir sua própria felicidade.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Eu sei que as estatisticas nesses casos (e claro,nao somente nesses casos) sao infinitamente maiores do que elas mostram. Afinal, dá pra imaginar a quantidade de gente que sofreu isso (e sofre) e que morre de vergonha de falar pra uma pessoa mais próxima... imagina ir numa delegacia. Vixi, o buraco é mais embaixo, bem mais embaixo...

    ResponderExcluir
  5. Nina, esse assunto é tão sensível, eu até me arrepio quando leio. Fico triste só de pensar.
    Não só o abuso infantil, mas qualquer tipo de abuso sexual é um divisor de águas na vida de uma pessoa.
    Eu tinha uma funcionária no Rio que era a alegria em pessoa. Uma fofa. Um dia fomos ao supermercado e vi um fusca dos mais invocados. Comentei com ela: - Olha que fusca bonitinho!
    Quando ela viu o carro seu semblhante fechou, era como se uma nuvem preta estivesse estacionado sobre sua cabeça.
    Num outro dia ela me disse que foi violentada no banco traseiro de um fusca quando era adolescente.
    Isso me marcou só de ouvir, imagina como não marcou ela?
    Ela era uma pessoa alegre, mas acho que a nuvem escura volta sempre que ela vê um fusca.
    Triste demais minha amiga.
    Acho que o pirulito desses malditos deveria ser cortado.
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  6. Eu sou da parte dos abusados que seguiram em frente.

    Sofri abuso sexual do meu irmão durante um período quando tinha lá meus 8 anos de idade. Não sabia ao certo o que estava acontecendo, porque na época que era criança estávamos em plena ditadura militar e não se tinha acesso as informações que uma criança de 8 anos tem hoje. Eu ouvia falar de sexo vagamente. Sabia que o que meu irmão estava fazendo comigo era algo errado, até porque ele sempre fazia quando escondido.

    No entanto estranhamente isso não me afetou tanto. O que me incomodou mais tarde, foi que eu passei a ser uma lembrança ruim para meu irmão e ela fez de tudo para me colocar longe da família, e conseguiu. Hoje eu sou uma exilada, mas até prefiro, porque minha família nunca me valorizou mesmo, então nem faz tanta falta assim.

    Acho que nesse quesito eu dei a volta por cima.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  7. querida Nina...virar a mesa não é para todos mesmo, mas só prova o quão valente e cheio de fé é aquele que decide se livrar do casaco de ferro e seguir em frente espalhando amor.Parabéns para os que assim o fazem,acredito que Deus os recompesarão aqui e na vida vindoura.Que Deus nos ajude a vigiar porque orar já fazemos e muito....beijokas

    ResponderExcluir
  8. Lindo seu texto... é a primeira vez que venho a seu blog e me deparo com um texto leve sobre um assunto horrendo...
    Eu sofri abuso sexual por um tio do meu pai. Todos os finais de semana dos meus 8 aos 12 anos, até que ele morreu. Sim, os abusos só cessaram porque ele morreu, pois ninguém nunca se deu conta do que acontecia. E eu sou uma vítima fora das estatisiticas, porque ninguém sabe até hoje, somente meu marido.
    Passei inúmeros problemas, tive depressão a adolecência inteira, mas eu era vista como a mal humorada e excluida, casei cedo e tive filho aos 21 anos, e depressão pós-parto, só não tirei a vida do meu filho e a minha porque Deus me sustentou e não deixou, aos 23 engravidei novamente e a depressão voltou mais forte! Só Deus sabe tudo o que passei e graças a Ele tudo passou. Hoje sou mãe de 2 garotos lindos com 6 e 4 anos. Tento melhorar a cada dia, tento ser mais amável e confiar mais nas pessoas. Tenho um radar ligado 24 horas por dia, tanto com meus filhos quantos outras crianças que conheço... Sei que dei a volta por cima... sou feliz e esse assunto não me encomoda mais, mas a confiança nas pessoas... acho que nunca mais terei!!!
    Muito obrigada por melhorar meu dia! Seu texto foi lindamente escrito!

    ResponderExcluir
  9. O Brasil, com certeza, não tem nenhuma estrutura para lidar com o ABUSO SEXUAL... Tenho um filho de 7anos, que aos 3 anos foi abusado pelo primo de 12 anos... O pai se virou contra mim, dizendo que eu estava inventando,para prejudicá-lo,ficou do lado do sobrinho, disse ao meu filho que eu inventei tudo,entrou na Justiça para ter a guarda, com acusações absurdas a meu respeito,calunias e mentiras absurdas...
    A Juíza até que ia brecar as visitas, mas ele chorou, convenceu a Promotora e a Promotora convenceu a Juíza. Só agora a verdade apareceu, e eu não sei o fim de tudo isso.
    Leio muito sobre estes assuntos, e definitivamente estamos no tempo das cavernas quando se trata de abuso sexual. Só me resta acreditar no versículo Bíblico : " Não fará DEUS justiça aos seus escolhidos que a ele clamam dia e noite;embora pareça demorado em defendê-los?

    ResponderExcluir