22/05/2012

A castanheira é a rainha da floresta

Eu sou do Amazonas, nascida e criada em Manaus e por 8 anos vivi numa cidadezinha do interior do estado. Na beira do rio Amazonas. De tardinha, nos dias de sexta feira, ou nos fins de semana, levávamos as criancas pra tomar sorvete e olhar os botos pulularem ao por do sol. As criancas chegavam perto do rio e ficavam gritando: boto boto boto boto, e acreditavam que assim, os botos (para quem nao sabe: o primo de água doce do golfinho) apareceriam na superfície d´água. E eles vinham. Com suas bocas escancaradas e caras risonhas. Mas nunca tao perto... Quando os barcos atracavam no porto, os botos também apareciam querendo fazer bagunca e pedindo comida. Quando eu ia trabalhar no rio, e precisava pegar aquelas voadeiras (pequenas embarcacoes) a mulher do nosso colega que morava num flutuante (casa sobre a água) me dava um dente de alho. "agarra na mao e nao solta, é pra afastar os botos, já que tu tá nos teus dias..." E lá ia eu, pro rio, apertando feito louca o alho na mao, encantada com a profunda beleza do lugar. Os botos quase nao apareciam, mas os jacarés sim, centenas deles, saindo do seu banho de sol em direcao ao nosso barquinho que corria sobre o rio caudaloso... nessa cidade também há muitas matas. 

Ontem choveu aqui. Fui dormir com a janela do quarto aberta pra poder dormir igual fazia quando menina. O barulho da chuva no telhado de zinco é maravilhosamente inesquecível e pouco barulhos podem me trazer tantas boas recordacoes de mim tao pequena. Mas aqui em casa, claro nao temos zinco. Mas tinha chuva forte, com relâmpagos e trovoes! Mas que nao chega aos pés das tempestades que temos no norte. E foi aí que, ao deitar ouvindo o doce barulho da chuva, lembrei de pedir a Deus pelos meus conterrâneos que estao perdendo seus lares com as enchentes por lá, atualmente :-(

E é nas matas que a chuva torrencial ganha poder e forca. Trabalhava com comunidades que moravam dentro da floresta, e algumas vezes, pra chegar até elas, precisava ir de caminhoes que carregam toras de madeira, por entre estradinhas de terra e mata relativamente fechada. Quando havia temporais, a gente ouvia os estrondos que a tempestada causava, árvores caiam, barrancos eram arrancados, dava um medo danado. Mas era nesse caminho de terra batida que eu as via! As lindas castanheiras!!!
Certa vez, minha filha tinha que apresentar um trabalho sobre plantas amazônicas na escola. Ela tinha uns 8 anos. Entao ela estava preocupada se iria se sair bem e me pediu ajuda. Juntamos vários dados sobre a planta, e partes dela: folhas, frutos, madeira,  tudo o que podíamos e ela fez um lindo cartaz. No dia da apresentacao cheguei toda nervosa do trabalho pra ir buscá-la e ela estava lá, na frente da classe me esperando com um sorriso maravilhoso. Eu a abracei e a professora veio logo me contar como foi: olha a Laura se saiu super bem, viu mamae? Apresentou perfeitamente a árvore e no fim da apresentacao disse: "entao esta é a Castanheira do Brasil! Ela é, como minha mae que é engenheira florestal, sempre diz: a rainha da floresta!"


Preciso dizer que fiquei com os olhos cheios de lágrima? Juntei forcas pra nao me derreter em frente a professora, sabe?! Tanto orgulho senti da minha pequena que tinha tanto orgulho da mae e agora, da rainha da floresta.

E porque to contando isso? 
É que hoje o carteiro chegou aqui com uma caixinha vinda do Brasil. Enderecada pela minha amiga Juli, que viveu tudo isso aí que escrevi acima, já que ela trabalhou também como engenheira florestal nessa empresa e encarou muito mais coisas que eu na floresta. Com certeza a Juli também adorava ouvir chuva no teto de zinco e ficava brincando de fazer formas com a luz da vela em casa com os irmaos sempre que em dias de chuva a luz "ia embora". E a Juli também via encantada as castanheiras na mata e na cartinha lembrou desse fato da minha filha na escola... e eu me emocionei com isso, de novo...

Juli minha amiga. Obrigada! Canso de falar neste blog, que sao pequenas coisas que nos fazem felizes. Tu é pequenininha né?? tá bom, eu sei, 6 centímetros maior que eu... grande menina! Obrigada de coracao, pela lembranca :-)

10 comentários:

  1. Oh Nina, me emocionei lendo este post... isso não é novidade, né? (vc me emocionar) olha fiquei muito feliz em saber que você gostou da lembrancinha... quanto a história da Laurinha, eu jamais esquecerei... por isso relatei na carta.

    Quero te agradecer por tudo: pela sua tão sincera e generosa amizade, pelo carinho, amor, por vc ser minha amiga, muiittto obrogada!

    Que Deus abençoe a tod@s nós!

    Grande beijo!!!

    ResponderExcluir
  2. Ahh, já ia esquecendo... Sim, a castanheira (Bertholletia excelsa Kunth)é sim a Rainha da Floresta. Viva a castanheira!!!

    ResponderExcluir
  3. Imagina Ju, eu que agradeco do fundo do coracao. Por tudo!

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito o que você escreveu, realmente ouvir o barulho da chuva é muito gostoso, pena que as chuvas andam tão fortes e fazendo tantos estragos. Muito fofa sua filha e sua amiga que tem bom gosto, Natura é tão maravilhosa!!!!! A considero o melhor produto brasileiro.

    Bjssssss

    ResponderExcluir
  5. Ai que delícia Nina, que texto lindo!
    Beijinhos

    Thais

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina...
    amo seus textos...me embarco nas histórias...
    Que amizade linda!
    e me lembro também deste barulho de chuva e cheirooo...
    alias gosto de dormir com chuva, e ontem eu e Ivan estavamos acordado quando choveu aqui, abrimos as janelas também...e choreiiii de saudades dos dias de chuva de lá!
    beijos flor

    ResponderExcluir
  7. Mais um texto delicioso de ler, de fazer arrepiar... lembrei também do som da chuva batendo no telhado, e como isso faz falta por aqui... sempre que chove mais forte eu também abro a janela só pra escutar e sentir aquele cheiro gostoso de terra molhada. Acho que nunca vi uma castanheira ao vivo, agora fiquei com vontade... e esses produtinhos aí, são meus favoritos, sempre na listinhas quando alguém vem do Brasil nos visitar!

    beijo

    ResponderExcluir
  8. Oiiim que pessoa linda a Juli!!! E esse presente? Super emotivo!
    Tem certos cheiros, barulho e formas que nos trazem lembranças ótimas e o bom é que podemos reviver de vez em quando!

    ResponderExcluir
  9. Ninoca eu viagei lonnnnge nesse post ôoooo como é bom ter lembrancas boas..... meu Deuscomo é bom!!
    Eu nunca vi um boto acredita? Mas morria de medo de ser levada por um kkkkkk mesmo nao tendo muitos onde eu morava(acho que na verdade nao tem nenhum)
    Sua amiga ai foi profunnnnnnda, no presente, na aitutude e no carinho vindo do nosso Norte.
    Vc é um ser muiiito especial Nina, no mais amplo sentido da palavra, como diz minha mae, Benza-Deus rss.
    Um grande abraco minha linda.

    ResponderExcluir
  10. Nina,

    Saudade de vir aqui, de ler seus contos, suas lembranças, tão ricas e, detalhes que faz com eu me sinta la no meio da floresta também.
    E esta linha da Natura, sem propaganda, mas é tãaaaaaaaao boa! Adoro!
    Um beijo

    ResponderExcluir