09/09/2011

Um pouco sobre prostituicao

Eu amo um certo estado do nordeste (prefiro evitar falar o nome pra nao ofender a boa gente de lá) acho um dos estados mais lindos do Brasil, mas nao gosto de sua capital. Ou do que fizeram com ela. Acho uma cidade nao muito bonita e um tanto estressante, e foi lá a primeira vez que vi um assalto - um homem caminhando calmamente na praia teve sua pequena mochila com uma máquina fotográfica levada por um grupo de meninos muito pequenos em frente a um policial. O pobre do rapaz teve que sair correndo atrás dos garotos (claro, sem sucesso) e o policial só ficou olhando... além disso acho que a prostituicao na cidade é muito grande, muito visível, muito a céu aberto, sei lá. Acho uma pena. As mulheres sao tao lindinhas, se arrumam pra sair à noite como se estivessem indo pra festas incríveis, mas acho muito confuso tentar decifrar quem é quem naquelas noites animadas. Claro que isso nao é exclusividade dessa cidade, falo dela, porque é lá que vi certas coisas acontecerem... Mas tenho um certo receio do que vai virar aquela cidade se ninguém tomar alguma providência. Nao quero ser puritana,  mas já sendo, me sinto  incomodada ao notar o quanto as mulheres podem ser oferecidas.  

Nessa cidade,  há uns restaurantes bem bacanas, numa área bem bonita e arejada, perto da praia. No caminho para os restaurantes, as mulheres que trabalham neles,  literalmente se jogam em cima dos homens que estao  à procura de um lugar pra jantar, é uma cena horrorosa e nao recomendada para pessoas de estômago fraco. Certa vez estava lá, jantando num restaurante  e conversando com a garconete, que achei muito simpática e estava me dando dicas de como chegar a  uma praia mais distante, isso há 6 anos, quando resolvi viajar sozinha pelo nordeste. Ela, a garconete, uma moca muito bonita, mae de uma menininha, me perguntou se eu nao queria me prostituir, assim na cara dura. Alegou que eu era "tao bonitinha" e que ela recomendava, uma vez  que ali no restaurante que trabalhava, ela sempre ganhava uma graninha boa servindo alguns clientes, se é  que você me entende... 
Fiquei pasma com o convite, paguei minha conta e saí de fininho...
Sabe, estou lendo atualmente um livro um tanto forte, que meu marido recomendou e me  deu de presente todo empolgado dizendo que eu  iria adorar. Obs. nao estou curtindo muito, estou lendo muito devagar, mas livro quando comeco, tenho que ir até o fim... minha filha e eu chegamos a uma conclusao: livros que homens gostam, nao sao necessariamente, livros que mulheres gostarao! Chama-se A Plataforma, de Michel Houellebecq. No livro, ele apresenta de forma bem sarcástica o que ele chama de a decadência da cultura ocidental, faz comentários super maldosos e fortes sobre vários temas atuais e complicados, mexe com  todas as crencas e  entre outras coisas, defende o turismo sexual. Diz que é isso que movimenta a entrada de estrangeiros nos paises que nao tem muito o que oferecer. É assim que ele por exemplo, explica o que faria Cuba ganhar mais turistas, na visao do personagem do livro, as mulheres ali já nao tem mais nada a oferecer com excessao de seus próprios corpos. 
Acho duro aceitar tal observacao... além disso, o Brasil nao deveria se enquadrar aí, certo? Uma vez que sim, temos muito a oferecer além de nossos voluptuosos corpos, já tao cantados em verso e prosa.
Voltando a essa cidade. Foi lá também dessa vez, que uma uma moca após jogar charme pra um amigo nosso que nos acompanhou na viagem ao Brasil pediu 300 reais pra prolongar  a noite. Ele  nao acreditou quando ouviu... ergueu o queixo, deve ter engolido a seco o orgulho ao perceber que nao fora seus belos olhos azuis que atrairam a moca, e saiu de perto o mais rápido que pode da mocinha bonita e perigosa... 
A verdade é que nao sei bem o que falar dessas situacoes. Me sinto um pouco sem acao, sabe?
Essas coisas mexem comigo, me deixam pra baixo mesmo. Você pode imaginar a minha cara quando soube desse acontecido com nosso companheiro de viagem? Ou quando ouvi dessa garconete esse convite? Caramba, é como levar uma porrada na cara. A gente tenta, se estrepa, estuda, trabalha duro, tenta dar os melhores exemplos aos nosso filhos, faz de tudo pra ser uma boa pessoa, aí de repente vê que o mundo continua  a girar num outro nível, de um jeito que você nem faz  a menor ideia de como funciona. 

Sim, sim, sou boba, infantil, ingênua, cega, burra. Mas ver essas meninas tão bonitas, se vendendo assim... a troco de nada, ganhando dinheiro "fácil", puxa cara, isso me tira as forcas e me deixa ainda mais triste, porque entre outras coisas, elas só fazem confirmar o que os estrangeiros pensam a nosso respeito.
E acho isso tudo uma merda!

Se você tem algo a  acrescentar sobre esse tema, fique à vontade pra comentar, porque eu já me sinto até com o coracao triste, sem acao e palavras :-(

14 comentários:

  1. Nina
    Eu acho que somos as duas unicas bobas nesta face da Terra. Todo mundo acha normal acontecer isto.
    Eu fico com o coração na mão .
    Mas já ouvi algumas coisas. Moças que utilizam de artimanhas para casar de qualquer maneira também me dá arrepios. E isto acontece corriqueiramente no interior.
    Mas eu sou boba muito boba e já estou ultrapassada nestes assuntos.
    Vamos ver mais adiante o que vai acontecer.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  2. Querida Nina,

    Primeiro gostaria de te dizer que você não é "boba, infantil, ingênua, cega e burra", nada disso, você simplesmente não concorda com isso tudo que está acontecendo no nosso lindo nordeste, aliás não somente lá, mas no Brasil inteiro...
    Sei qual a cidade que vc se referiu, pois já conversamos sobre isso e como te disse, também não gostei nem um pouco do que vi... no primeiro dia (ou melhor, noite) em que cheguei lá, tive uma impressão horrível daquele local, pensei "meu Deus isso aqui que é ... (a cidade tal)", o bom foi que depois conheci um outro lado da cidade onde as famílias "podiam" frequentar, também haviam bons restaurantes e gente "normal", famílias inteiras, crianças... saí correndo da capital e aí conheci lugares lindos, bem diferentes daquilo tudo.
    É triste pensar que "todo mundo lá fora" acha que as brasileiras são fáceis ou prostitutas, que o Brasil é o país do "samba"... o Brasil tem muito mais a oferecer, o que falta é investir na educação. Um país não consegue se desenvolver como um todo sem educação, isso é fundamental!

    Um grande beijo, fiquem com Deus!

    p.s.: desculpe-me pelo longo comentário, foi quase um post...rs

    ResponderExcluir
  3. Acho complicado. O Brasil tem muito mais a oferecer do que simplesmente mulheres. Não que me incomode como te incomoda, nunca sequer me incomodou, mas não acho bonito a exploração dessa forma... Conheço algumas garotas de programa, não tenho absolutamente nada contra, não julgo, não ignoro, mas concordar é demais. Complicadíssimo.

    ResponderExcluir
  4. Você não é nada disso que falaste...a realidade toma conta, o pior é quando são menores...Aqui no sul também tem, não aparece porque alguém está ganhando com isso.Sabe quando a coisa se torna normal, está indo para um lugar que não tem volta.Nada está perdido, mas elas estão perdidas.É uma facilidade ganhar dinheiro assim.
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Nina, se vc viu e vivenciou isso em Alagoas, ou nao, nao se temq ue aceitar, concordar.

    Isso é uma realidade triste de um Brasil que nao valoriza suas criancas. A maioria dessas mulherees foram criancas rejeitadas.

    MAS NEM TODAS. MUITAS OOPTARAM POR ISSO...

    Eu estava planejando, desenvolver a minha tese de Mestrado sobre as criancas em Alagoas e mostrar a face triste da vida vivida no meu Estado.
    Infelizmente, as coisas nao sairiam ou nao estao saidno como previ...Mas, enfim, nao tem que ter receios em falar do Estado que vc vivenciou isso.

    Temos que expor as feridas de um Brasil que tem tudo para dar certo.


    Mas, deixa eu te contar...eu vivenciei isso na BULGARIA, ROMENIA, MACEDONIA, KOSOVO,E Alemanha, a parte pobre da Alemanha, em direcao à Rep. Tcheca, foi o que mais vi isso, MÊS PASSADO.MULHERES VENDENDO O CORPO.
    Eu estive pesquisando sobre a vida pós guerra dos Balkans e é isso que a gente ver.
    Se vc sair na noite de Budapeste, em plena Europa, vc dar de cara com isso, Nina.
    Um amigo, irlandês, ficou pasmo, semana retrasada quando, fomos ao banheiro e ele ficou na mesa...Uma moca ofereceu uma hora de sexo por 200 euros...

    Enfim, o mundo está bichado, perdido. Quer seja Brasil, Europa, Central América, Ásia...

    felizes sao os que conseguem viver sem se submeter a isso.
    bjs e dias felizes

    ResponderExcluir
  6. Nina, eu compartilho da sua indignação, da sua vergonha. E até da sua raiva, porque os comportamentos destas moças reverberam além do Atlântico, endossando impressões "distorcidas" que mutios homens tem das brasileiras. Vc sabia que o Brasil é o terceiro maior roteiro de turismo sexual, atrás somente da Tailândia e Costa Rica? Isto é podre, nojento, mas é a realidade. Agora como é que a gente, que não optou por este caminho, lida com esta realidade que bate à mesa quando visitamos estes Estados?
    A gente ignora, fingindo que não existe? Não dá pra ignorar... isto machuca mesmo.
    Mas a vida continua...
    Bjs
    Márcia

    ResponderExcluir
  7. Eu não tenho muito o que acrescentar. Não conheço o Nordeste e nem sinto muito vontade, porque me parece que o atrativo de lá são as praias e como não curto praia, não me sinto atraída para conhecer. Mas um dia quem sabe vou.

    Quanto a esse tipo de prostituição escancarada, já foi até reportagem do Fantástico. As mulheres se oferecendo nas praias do Nordeste.

    Assim, não acho realmente que prostituição seja um bom caminho, mas também não me choco tanto com isso porque já passei por submundos, talvez piores que esse. Então pouca coisa me choca hoje em dia. Apesar de ter a minha opinião bem formada sobre o que acho que é legal e o que não é. E prostituição definitivamente não é.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Olá Nina
    O fato de não concordar com determinada forma de vida das pessoas não significa que se dê tantos adjetivos negativos. Todos somos sujeitos da história e como tal temos nossas escolhas de pensar e agir.
    Eu também considero degradante a prostituiçao, que hoje não é só realizada pelo gênero feminino.
    Não sei como reagiria a uma proposta como a que vc recebeu, tamanha seria a minha indignação e não falo de hoje com a idade que tenho, refiro-me a minha juventude, na qual certos tipos de ações eram totalmente repudiadas por mim.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Nina, querida!
    Todo mundo já disse tudo e eu fico aqui pensando com meus botões:
    Acho que sou ainda uma bobona também, me surpreendo quando vejo uma coisa desse tipo!
    Uma droga tudo isso, deixa a nossa imagem queimada aí fora, mas gostei muito do que a amiga Grace colocou, pois quem viaja como ela, diz a mesma coisa, ou seja, o mundo tá doido, virado, podre.
    um grande abraço carioca

    ResponderExcluir
  10. Nina, minha querida, ainda estou sem internet, vao instalar daqui 10 dias ainda, mas comprei um aparelhinho que voce poe creditos e pode usar a internet, porem e mais para enviar emails, pois assistir a videos e sites com muitas fotos comem todo o credito. Conversando com minha mae ela ja falou e elogiou varias vezes seus ultimos posts, e dizendo que eu tinha que vir aqui..hehehe.. Ela adora seus posts e diz que e tudo verdade! hahaha
    Eu vou ler tudinho desde o post "Voando da Alemanha...", mas hoje estou sem tempo, so li esse ultimo, que sim, e uma dura, vergonhosa e massacrada realidade, tbm nao concordo que nao temos nada a oferecer, o Brasil possui uma cultura super rica, em comida, povo, belezas naturais, musica, eventos/festas tipicas e em historia! O Brasil tinha que explorar mais do turismo, porque ainda acho fraco, nao e so ter belza natural que se tem turismo, tem que haver suporte, transporte, pessoas que falem uma outra lingua senao o Portugues. Aqui na Holanda por exemplo, nao e um lugar riquissimo de coisas, como praia, montanhas e vistas belissimas, e um lugar plano, com grama, vacas e agua, ou seja, teoricamente, seria uma grande fazenda, mas o turismo e vasto, e um terrinha em que cada casinha poe flores, se enfeita, tem passeio de baloes, de bicicleta, de barco, indicacoes para ir aos lugares, zoo, tem muitos mercados nos fim de semana... bem e tem Amsterdam com a luz vermelha. Mas elas pagam impostos! Nao sao criancas!
    Ontem mesmo estava conversando com o ruben exatamente sobre esse tema. Prostituicao. E horrivel pensar que ha garotas de 12/13 anos oferecendo seus corpos enquanto voce toma chope numa praia do nordeste, e vergonhoso e nao tem como argumentar de forma que isso e positivo de alguma forma, Nao E! E decadente! nenhum pais, por menor e sem nada que seja merece isso tbm. Acho que essa e uma profissao que sempre existiu, mas isso nao justifica. Principalmente com o grande numero, e boa parte dessa com menores, e e utrajante ver que elas se oferecem onde ha familias e pessoas que estao ali so para curtir o lugar. E triste mesmo.
    Um beijo grande para voce.

    ResponderExcluir
  11. Obrigada meninas, por me ajudarem a entender que nao sou uma completa idiota e ingênua:-)

    Nao foi em Maceió, Grace, aliás, Maceió foi pra mim uma agradável surpresa! Nao falo o nome da cidade porque nao quero atrair gente ofendida e raivosa que vai chegar aqui e me xingar gratuitamente.

    Sim, sim, é claro que nao sou boba de pensar que isso é um problema exclusivo do Brasil,claro que nao! Pelo contrário! Estive há pouco na Espanha e sei que lá tem mt prostituicao (inclusive de brasileiras que vao pra lá, conscientes ou nao, de sua futura profissao). Tbm vi mt prostituicao em Budapeste, aquela linda cidade!! Mts das pessoas que perguntava algo nas ruas à noite, de Budapeste, eram prostitutas. Tbm conheco a Rep. Checa, e sei como tem mt prostituicao ali.
    Enfim! Isso nao é exclusivo do Brasil, a questao é que, como brasileira, é normal que eu fale sobre o que conheco e sobre o que me ofende, nao é? Se eu vir uma holandesa se prostituir. p ex., vou ficar triste, mas aquilo nao vai me ofender tanto qt ver uma brasileira atacando homens na rua, entende?? Ou ainda pior, mt pior, meninas menores de idade!!! É isso a que me refiro. O fato de ver minhas conterrâneas vendendo seus corpos, e o que mais me desagrada, nao é nem a prostituicao como profissao, mas o fato de as mocas de vida relativamente boas, meninas universitárias, que ganham mesadinha dos pais, meninas de "boas famílias", tendo essa dupla vida, vida que mts vezes os pais nem desconfiam. Mocas que já nao procuram prazer no sexo ,mas somente o que podem ganhar financeiramente com isso.

    Sei lá, é isso, sao essas coisas que me entristecem, entende? Creio verdadeiramente, que os nossos valores estao invertidos. Que se dá mt mais valor a coisas que na verdade, nao valem nada...

    Sao essas observacoes que me abalam. É ver pra onde estamos caminhando :-(

    ResponderExcluir
  12. Nina querida....a mulher submissa ao homem durante séculos,lutou tanto para chegar a ser respeitada como um ser humano de direitos iguais,e se perdeu sem saber fazer uso desse dom preciosos que nossas ancestrais nos deram.A falta de condição de trabalho e estudo,fazem dessas meninas escravas,exatamente como no passado,só que agora do sexo sujo.Por que sujo?porque sexo por dinheiro é sujo.Vc dar seu corpo sem ter vontade ou desejo para satisfazer os caprichos de um outro ser é repugnante,porque o único interesse é o financeiro,e muitas vezes a fome está por tras de tudo.meninas que crescem sem esperança e ninguém dá a chance de um novo horizonte.É a miséria da ignorância que se alastra por regiões brasileiras onde o único desejo político são os votos.Uma forma de encarcerar o povo.Um lugar onde mães que deveriam proteger,iniciam suas pequenas nesse ofício desastroso e sem futuro.Um amontoado de falta de deus ,fé e esperança.
    Infelizes o que praticam e muitíssimo mais os que buscam.Acredito sim que terão que apresentar conta para um criador que em veemente frase alertou:AI DE QUEM FERIR UM DESSES PEQUENINOS.
    por mais que os homens ignorem,ou tentam ignorar,essa verdade não morrerá e terão que responder por isso.Somos responsáveis por tudo isso, porque não saímos´`as ruas,não brigamos e nos conformamos com tudo o que acontece de ruím no páis....ionfelizmente.
    Nina querida...obrigada pela notinha no meu blog,é bom ser lembrada por vc.Estou trabalhando (que alegria) e o tempo precisa ser remanejado...um grande beijo para vc e até a proxima....

    ResponderExcluir
  13. Foi nao! nao foi em Natal, Universitária!

    ResponderExcluir