28/09/2011

Há amor em mim?

Apesar de o título ter uma interrogacao, esta é sim a minha participacao na Blogagem Coletiva que a Elaine Gaspareto organizou pela comemoracao do aniversário do seu querido blog. 


Há amor em mim?? 
Quero dizer, há realmente amor em mim assim como eu penso, ou assim como o mundo me cobra? Algumas vezes me pergunto isso, sabe? Nos momentos complicados, onde me vejo sem chao, aqueles em que me vejo perdida. Quando olho pro lado e quase que clamando por ajuda, tenho a impressao de que nao há ninguém ali por mim, a nao ser, eu mesma.  Quando passo por determinadas situacoes que nao sei como resolver. Sao aqueles poucos segundos que parecem uma eternidade, você conhece? Pode ser depois de passar por um estresse qualquer com meu filho adolescente que quase me enlouquece com suas exigências, ou quando vejo meu marido  ter somente interesses, hobbies e assuntos que nao sao os mesmos que os meus, ou quando o vejo nao fazer absolutamente nada em casa, só acumular bagunca: papéis, mochilas, roupas no chao;  quando vejo que minha irma fica chateada por notar que eu nao tenho as mesmas opinioes que ela, a mais velha e ao ver que cresci e tenho opiniao própria me desconhece totalmente e diz que prefere ficar distante por um tempo;  quando preciso acordar várias vezes à noite pra cuidar do bebê que nao para de chorar, e me vejo cansada como uma velhota de 80 anos; quando vejo minha amiga falar sem parar sobre si mesma e nem perguntar como estou; quando vivia uma vida totalmente infeliz por 10 anos, com um marido que me tratava muito mal e que nao lembro de um só completo dia na nossa vida em conjunto, sem brigas, sem intrigas, sem cara feia, sem jogar coisas na cara... 

Em todos esses momentos, me senti e me sinto sozinha. Sem chao, sem teto, sem amor.
E duvido, duvido mesmo da existência desse amor que sempre acreditei ter em mim.  

...
...

Me pergunto aonde encontro forcas pra me manter segura, de pé durante a avalanche que vem sobre mim em alguns momentos.
Penso muito onde afinal estao as barras invisíveis que me seguram, que me seguraram. Ao pensar sobre minha vida, e ao olhar pra trás, sao as dúvidas que caem sobre a terra. É como num poema antigo que se lia muito em postais baratos pendurados nas casas de gente humilde, as tais Pegadas na Areia, lembra?

Uma noite eu tive um sonho...
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e através  do céu, passavam cenas da minha vida.
Para cada cena que passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia: um era meu e o outro era do Senhor.
Quando a última cena passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia e notei que muitas vezes, no caminho da minha vida, havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso me aborreceu deveras  e perguntei então ao Senhor:
- Senhor, Tu me disseste que, uma vez que resolvi te seguir, Tu andarias sempre comigo, em todo o caminho. Contudo, notei que durante as maiores atribulações do meu viver, havia apenas um par de pegadas na areia. Não compreendo porque nas horas em que eu mais necessitava de Ti, Tu me deixaste sozinho.
O Senhor me respondeu:
- Meu querido filho. Jamais eu te deixaria nas horas de provas e de sofrimento. Quando viste, na areia, apenas um par de pegadas, eram as minhas. Foi exatamente aí que eu te carreguei nos braços.

Se existe amor em mim, e sei que existe, existe um Deus por trás disso. Um Deus que é a forca que me mantém de pé, que me faz acreditar, lutar por melhorias, me manter firme no caminho que me propus. Acreditar nisso, nesse amor divino, me faz forte, me faz valente, me faz amar cada vez mais. Quando eu menos acreditei que houvesse amor em mim, foi essa forca que me fez ver que havia sim e que nao era pouco nao! Que era só uma questao de tempo. 
Só pela minha existência, aqui, neste momento, neste lugar, já basta pra me certificar do amor que me envolve. Pelo amor que fui trazida a este mundo, através dos meus pais, pelo  amor que existe em mim, que dei à luz meus filhos.
E é esse amor que me faz me calar pra nao me estressar ainda mais com meu menino de 14 anos,  que me faz procurar sinais de igualdade entre meu marido e mim (e temos muitos!) ou de fechar os olhos pra sua bagunca eterna pelo chao da casa, é esse amor que me faz procurar a minha irma depois de dar o tempo que ela pediu e amenizar as dores das "minhas" verdades ditas em um momento talvez, errado; é esse amor que me faz acalentar meu bebezinho e notar que ainda sou uma boa mae, mesmo já tendo a idade de ser avó, o amor que me faz entender que cada amigo dá o que pode, o que tem;  foi esse amor que me fez forte, mesmo pensando ser fraca demais, ao procurar uma vida melhor pra mim me separando de quem já nao me fazia bem...  

Se há amor em mim?
Nossa e quanto!
Tanto que parece nao caber mais. 
E às vezes o vejo saindo, evaporando pelos poros, e pra isso basta alguns momentos alegres, uma risada com os filhos, um abraco, um email, uma música, uma viagem, um filme, um livro lindo que me faz chorar.
Até  a próxima dúvida surgir novamente... afinal somos todos passíveis delas, nao somos?!
Mas que só vai durar até o momento de eu olhar pra trás novamente e notar que a minha vida é um exemplo de todo o amor que me rodeia que me preenche, bastava eu olhar melhor pra trás e procurar entender as pegadas na areia.

 imagem, google

37 comentários:

  1. Nina, estou sem palavras... Lindo, lindo, lindo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina,obrigada pela visita..Nossa to aqui sem palavras pra dizer.ainda bem que so´ preciso escrever dai flui mais facil!!Lindo e concordo plenamente com vc..As vezes me sinto tb esgotada,parece que nada da certo mas na maioria das vezes basta apenas um gesto de alguem querido,uma palavra amiga me faz lembra do amor que existe em mim..Eu amei seu texto e claro seu blog tb..volto logo mais pra ler se blog de cima a baixo!!beijinhos e fica com meus aplausos por essa definicao muito linda e verdadeira..Clap,Clap,clap,Clap!!

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha.Abriste o coração de verdade...

    E que bom que chegaste a conclusão que HÁ AMOR EM TI, E COMO HÁ!!! Ainda bem...
    Que continues sempre ao lado do amor,como ele se manifestar...beijos,lindo dia,chica

    ResponderExcluir
  4. Oi minha querida e cheia de amor, Nina,

    Olha, não tenho dúvidas de que você é uma pessoa cheia de amor, quem te conhece não imagina tudo isso que vc relatou passar algumas vezes (me refiro aos problemas), problemas esses que todos temos, mas que nem sempre sabemos lidar, que bom que você sabe e muito bem...

    Olha a partir do momento que cremos que Deus é amor e que Ele nos ama, algumas coisinhas se tornam sem muita importância, pois o Nosso Senhor é Maravilhoso e nos ama, SEMPRE!!!!

    Um grande beijo e muito obrigada por ser essa linda pessoa! (tá bom, as lágrimas já estão rolando...)

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo e inspirador hein?
    E verdade que todos nos temos fraquezas e que por momentos parecem que sao eternos, mas o ser humano de essencia boa tem amor no coracao sim. Esse sentimento tao intenso e complexo.

    Que tu tenhas ai um dia cheio de amor, porque uma pessoa que escreve tao bem assim tem muito amor!! Vem da alma, vem de dentro.
    Um beijo grande minha querida maninha. :)

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina, é a Vi,gosto muito do poema pegadas na areia, quem já não viveu aquela situação?
    Com certeza Deus nos renova cada dia para vencermos o mundo.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  7. Lindo, lindo lindo...
    E vou me fazer valer de algumas poucas palavras sábias...
    "Sem amor, eu nada seria".
    Um bjo pra minha amiga cheia de amor!
    Márcia

    ResponderExcluir
  8. obrigada por compartilhar, um prazer conhecer seu blog,olha cada um tem sua história suas dores e alegrias, derrotas e vitórias, mas o importante mesmo acho que é realmente nos apegarmos a Deus, acho que fica mais fácil, vivenciar o amor, grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina, que lindo sua BC, adorei saber mais um pouco sobre vc, obrigada pela visita ...bjoca.

    ResponderExcluir
  10. Nina querida esse poema retrata um pouco de cada um de nós, mas o importante é que superemos essas fases, bjs

    ResponderExcluir
  11. Uau! Lindo demais... Fiquei até sem palavras tb! ;)
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  12. uau, que lindo!é estranho como às vezes nos esquecemos dessas pegadas, desse colo que temos! Ficou lindo o seu texto e mto realista!
    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Oi, menina!!!!
    Que coisa... Posso palpitar um pouco?
    Esse amor que lá comecinho vc tinha dúvidas e aqui embaixo fica claro pra vc... eu não creio muito.
    Sabe, às vezes nós nos acomodamos com situações que nos incomoda e muito, seja qual for. Mas vc precisa passar por tudo isso? Por que a bagunça de seu marido te incomoda? Vc realmente o aceita como ele é?
    Eu estou me sentindo te invadir um pouco, mas eu acho que vc deve se achar primeiro... primeiro se amar, se aceitar, se respeitar pra vc ver o mundo de uma outra forma. Mude vc primeiro, pra poder aceitar tudo à sua volta sem estresse. Ninguém é igual a ninguém, mas temos que aceitar todos como são...
    Nossa, nem sei se vc vai aprovar...
    Mas fiquei com o coração na mão de ler seu post. Me doeu... Eu sei o que vc sente e o vazio que às vezes vc tem... Eu sei!!!

    Beijossssss
    Vou te seguir, tá?

    ResponderExcluir
  14. Sabe como eu ja disse,o amor é o que nos dá força quando o resto desaba.E o amor próprio é o alicerce para isso.
    Bjo

    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Obrigada pela visita e pelo comentario.
    Posso arriscar a dizer que entendo o que vc quis dizer no seu texto, mesmo nao vivendo todas as situacoes, vivo algumas parecidas.
    E somente a certeza do Amor de Deus e' que me da forcas para seguir na caminhada!
    Pegadas na areia e' tao lindo, tao simples, pena que muitas vezes nos esquecemos desses ensinamentos.
    Abracos! E otima semana para voce.
    Graziela

    ResponderExcluir
  16. Comovente e profunda tua história...
    Lindo o sentimento do teu coração! Já estou seguindo teu blog!
    Conheça o meu:
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com
    Grande bjo no coração!
    Elaine Averbuch Neves

    ResponderExcluir
  17. Linda! Sempre linda, Nina! Sempre lindo o seu amor, perfeitamente traduzido nas suas palavras.

    Quanto amor há em você!!!!

    Um beijo, minha querida!

    (Estive um pouco sumidinha porque perdi a minha vozinha, aquela de quem eu já falei no blog, há dez dias atrás...Um pedacinho meu, certamente...Mas, o amor que havia nela faz a gente suportar a falta. Beijo!)

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    Belíssima participação... Sem palavras... Muito emocionante!!!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  19. E é esse intenso amor que nos faz alimentar de suas palavras e enriquecer ainda mais a alma...
    Que o amor te ilumine sempre!
    Eu também participei dessa maravilhosa Coletiva. Ver a Blogosfera colorida por tanto amor... É maravilhoso!
    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  20. Oi Nina! Que post intenso! Adorei suas palavras e a sinceridade em cada uma delas!

    Minha filha se chama Nina. Nem preciso dizer o quanto eu adoro esse nome...

    Obrigada pelo comentário! Adorei seu blog. Você escreve de uma maneira muito cativante.

    Bjs
    Ia

    ResponderExcluir
  21. Na verdade, podemos concluir que o amor é o combustível da vida, né?
    Linda postagem, colocando coração e alma para falar de amor.
    Bjks mil
    Renata http://cercaviva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. E seguindo suas pegadas...o amor de Deus é único e incomparável...Falaste com coração!!
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  23. Nina, que alegria te conhecer, as tuas palavras são amor!
    obrigada pela visita e também tenho amor por vós,engraçado você falar que brigava para dormir ao lado dela, eu e minha irmã também, no final dormíamos as três apertadas na cama, mas era tão bom! Que lindo texto e que coragem escrever o que não te agrada e se há amor em ti? Muito AMOR e você sabe dividir as doses para cada pessoa ao seu lado!
    AMEI sua casinha virtual, já sou hospede!
    Ah! Amei escutar Emiliana Torrini
    Beijocas
    Mari

    ResponderExcluir
  24. Oi, Nina!
    Tenho lido cada coisa mias linda que outra nessa blogagem coletiva. O seu texto não é diferente: lindo, sincero demais, humano demais, forte, assim como vc provavelmente é.
    Amei conhecer vc e seu blog
    Beijinhos, com carinho

    ResponderExcluir
  25. Pegadas na areia sempre chega num momento preciso. Algumas vezer o percebemos num momento preciso. E faz com que a gente tenha as esperanças renovadas. Fica em paz! BJis

    ResponderExcluir
  26. Minha flor
    O amor é extasiante... como vc disse: Nossa!!! Quanto!!!
    Há amor em mim
    Há amor em ti
    Há amor em nós
    Bjm de paz

    ResponderExcluir
  27. Nina,
    Será que existe nesse mundo alguém que nunca vacila? Eu vacilo e duvido o tempo todo. Eu passo mais tempo perguntando do que respondendo.
    Mas aí eu sempre penso que se estou aqui é porque há sim amor em mim.
    Tem dias que realmente ele parece sair pelos poros afora, né?
    Mas na verdade ele não sai; ele respira. Até o amor precisa respirar...

    Beijosss, e muito obrigada por participar. Especialmente assim, de modo absolutamente aberto e franco.

    ResponderExcluir
  28. Teu desabafo me deixou sem palavras, que bom que sabes que há amor em ti.
    Abraços

    ResponderExcluir
  29. Oi Nina! Vim lá da Elaine rsrs
    Sabe, nem conheço você, é a primeira vez que venho aqui. Mas, concordo com a Clara (aí em cima).
    Nós temos Deus ao nosso lado já constatamos, mas temos que depois Dele temos obrigação de gostar de nós mesmas.
    Tive duas amigas com histórias parecidas com a sua: uma viu a tempo que a vida dela era mais importante e a outra deixou passar muito tempo e se arrependeu de não ter tomado uma atitude antes.
    Temos que pensar que a vida é uma só e temos a obrigação de sermos felizes.
    Sorry, se fui muito invasiva, mas é só para tentar ajudar, dar uma força.
    Saúde e paz.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Meninas,mt obrigada pelas visitas e comentários,só estou meio preocupada agora com a mensagem que talvez tenha passado aqui nesta postagem, pelo amor de Deus, nao pensem que sou uma pessoa infeliz!!! Porque definitivamente, isso nao sou eu.

    O fato de aceitar a bagunca do meu marido, nao me faz me amar menos, é só um fato. É assim ó: ele nao vai mudar se eu ficar discutindo, brigando, esculhambando com seu jeito desorganizado, entao o que faco? Tento entender que cada um tem seu jeito, nao sou perfeita tbm, nao é? Quis dizer nesse post, que acredito no amor que vem de Deus e que vejo em mim ao aceitar as nossas diferencas. E isso nao quer dizer que fique calada pra tudo, mas aprendi a ter mais paciência com aqueles que sao tao diferentes de mim, só isso, ok?

    ResponderExcluir
  31. Oi, Nina. Td bem? Primeiramente agradeço a visita ao Apenas um Ponto e depois ao belíssimo texto, o amor está em nós mesmo quando esquecemos disso por algum motivo, não deveríamos, mas esquecemos, até que acontece alguma coisa que nos mostra tudo o que por algum motivo não estávamos conseguindo ver. Há Deus por trás de tudo mesmo.

    Um beijo e boa semana!
    Rafaela
    http://apenasumponto.blogspot.com
    http://apenasumpontoesportivo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  32. Nina,
    O amor é a maior força que existe em nós.
    É através do amor que conseguimos perdoar quem nos magoa, conseguimos entender quem pensa diferente de nós, conseguimos relevar a rebeldia dos filhos que as vezes são ingratos.
    Gostei de ver a força do amor viva dentro de você.
    O amor cura nossas feridas e renova nossas forças.
    Parabéns pela sua disposição em vencer as dificuldades nos relacionamentos, sejam com os filhos, com o marido, com os irmãos, ou com os amigos.
    Precisamos aprender a conviver com quem é diferente de nós, e com amor isto certamente é possível.
    Beijos,
    Dilti

    ResponderExcluir
  33. Oi Nina
    Tudo por aqui é encantador,seu outro blog também.
    Lindo seu post,confirma minha tese de que a mulher é a força do amor, ela desce do salto, sobe no salto, grita, chora, amamenta, acaricia, vira leoa, vira gatinha manhosa
    Vou me encostar aqui na sua casinha virtual para pegar um pouquinho deste amor que há em você
    Cut beijos

    ResponderExcluir
  34. Oi, o que seria de nós se não existisse o amor, não é mesmo? E,ainda bem que, com ele vem a santa paciência para mantermos o amor dentro de nós. Seu post está lindo. Parabéns!
    Bjs,
    Marlene Paz
    Flores e Framboesas

    ResponderExcluir
  35. Nina, estou aqui lendo TODOS os textos da coletiva e o seu me chamou a atenção pela diferente abordagem e pela sinceridade. Todos passamos por esses momentos de estresse do dia a dia sem que isso signifique que sejamos infelizes. São as partes menos doces do dia, né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  36. Nina! parabéns sortuda!!! beijos, Ro

    ResponderExcluir