24/08/2011

Voando da Alemanha pro Brasil e do Brasil pra Manaus...

Minha viagem comecou com a minha cidade natal, Manaus. E já comecou meio mal. Digamos, meio mau humorada. Depois de 10 horas de voo, direto, sem interrupcao, de Frankfurt para Salvador, sozinha, com um bebê de 1 ano, vendo o menino chorar pra ir pro chao, engatinhando todo o corredor pra lá e pra cá e se entupindo de leite o tempo inteiro, pousamos em solo brasileiro. Ahhhh que emocao. Os brasileiros aplaudem na aterrissagem! E Pedrinho todo animado, dando tchau pras aeromocas.  A alemazinha do meu lado, que me ajudou horrores com Pedrinho, aplaudia animada a chegada na Bahia: "oba, finalmente, Brasil! Eu quero é farra", dizia ela toda feliz num português corretinho. Dana estava indo pela segunda vez ao nosso país, ganhou de presente a viagem dos pais que já nao aguentavam mais a insistência da mocinha de 20 anos que só falava em farra e Brasil a cada frase, desde que esteve no Brasil há 3 anos. Na chegada ela foi esperar um ônibus até a cidade onde ia passar 3 semanas e ao  nos despedir pedi desculpas pelos incômodos com o Pedro e ela disse: "   ah que nada, sem ele esse voo seria um tédio"  . 

Tive que esperar 5 horas até o próximo voo pra Manaus.  Aquilo sim seria um tédio.
Paciência! Quem esperou 4 anos, o que sao 5 horas??

Enquanto esperávamos, Pedro fazia sua festa particular,  no aeroporto foi ele a sensacao. Engatinhava pra todo lado,  chamava todo mundo que passava. Nunca vi em toda minha vida uma crianca como meu filho: super simpático, sorridente, alegre, nao estranha absolutamente ninguém! O tempo inteiro no aeroporto ele estava rodeado de gente. Mas por rodeado, entenda rodeado mesmo! Tinha uma rodinha em volta do moleque que tentava falar com todos. E esssa rodinha nos acompanhou por onde íamos no Brasil.

Ao entrar no aviao, finalmente, louca pra ver minha terra lá de cima, brilhando com suas luzinhas amarelas, acordei do sonho da saudade, pois ainda nao havia mesmo sentido que havia pousado no meu país. Mas logo teria essa certeza... pra isso bastou perceber os sons e os aromas no voo. Ao pousar em Fortaleza, pra uma escala, entraram várias pessoas que iriam até Manaus e Maranhao. Um grupo de idosos sentou na frente comigo. Quando estávamos todos em silêncio ouve-se uma voz estrondosa, alta  mesmo falando exatamente assim: " - puta que pariu, filha de puta, tu nao tá vendo minha cabeca aqui nao, porra??? - Mas o que é isso, filho?? perguntava a mulher do homem bravo,  ambos sentados exatamente do meu lado  "ah tu nao tá vendo?? Essa porra aí atrás levanta e fica escorando na poltrona dos outros! essa porra!!!! - mas homem de Deus, nao fala assim, -  Tu é que nao fala nada, nao é a  tua cabeca, essa porra é cega, nao vê que tem gente na poltrona????????

A tal mulher atrás da criatura dona da cabeca mal educada, que também era meio idosa e nem devia saber o que tava acontecendo,  pois andou tateando pra ir ao toilete no escuro, ficou caladinha, coitada, ouvindo essas barbaridades,  calada como todos os passageiros ficaram. Eu boquiaberta com a grosseria só sabia falar baixinho! Meu Deus, que horror, que horror! Estou no Brasil, agora nao tenho mais dúvida!

Passada a constrangedora situacao, depois de todos terem comido o famigerado pao quente com queijo e presunto da TAM, desligadas as luzes para um merecido sossego, uma outra bendita velhinha que antes havia oferecido uma água de cheiro ao comissário:  quer mesmo nao, filho??? essa água aqui é muito cheirosa!  resolveu abrir  a tampa do frasco gigante que tinha pra chegar cheirosa na sua terra, e por mais de duas horas fomos obrigados a aguentar aquele fedor que virou o aviao... quase insuportável! Só nao foi pior do que os puns que um outro bando de gente soltava num  outro voo, dessa vez em direcao a Fortaleza. Mas esses ficariam  pra um outro post.
Sim, estávamos no Brasil.
E o que importava agora era que  minha mae estava no aeroporto nos aguardando.
Coisa raríssima! 
Todas as chateacoes foram esquecidas quando ela abriu os bracos e com os cabelinhos mais brancos do que da última vez, nos abracou e Pedro foi direto pra seus bracos. Sem chorar, sem estranhar....

Sim, estávamos nos Brasil. Que maravilha! 
Minha mae era meu Brasil educado e gentil, de bracos abertos e sorridente, naquele momento, ali só ela me interessava.

13 comentários:

  1. "Home is where your heart is".

    O coração sempre sabe. E ele pode ter muitas casas!

    Beijos, xará querida!

    ResponderExcluir
  2. Ai Nina, quantas horas de vôo... quanto cansaço vc devia carregar no finalzinho da viagem, além claro, do charmoso alemão-brazuquinha... Mas só de pensar na Mãezinha esperando, nem pum, nem palavrão, nem cheiro da terra dos outros incomoda!
    Querida, muitas vezes a ignorância do nosso povo assusta. Mas a simpatia compensa :)
    Beijos!
    Márcia

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina, que saudade!! Meu blog tá abandonadinho, viu né? Um preguiça do sem vim. Qualquer hora dessas te escrevo para contar as novidades do trabalho, mas posso adiantar que minha empolgação do emprego novo não durou 3 meses :( , fico até com vergonha de falar, porque me sinto mal agradecida, queria tanto um emprego, consegui e ainda não tô feliz. Mas por hora quero mesmo é saber dos teus causos no Brasil. Bjos!!

    ResponderExcluir
  4. Nina,
    Você já começa contando com os dois extremos, mas é isso aí que é este país atualmente - os dois extremos, só que agora convivendo juntos.
    E por esta razão muitos de nós reclama hoje em dia, mas fazer o quê, todo mundo tá com dinheiro para viajar de avião hoje em dia!
    E a recompensa depois de todo este cansaço só podia ser os braços da mãezinha. que delícia!
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  5. Nina, que coisa mais linda o final do seu post e as estórias do Pedrinho! Quando a Beth me falou que foi te encontrar fiquei com pena de não ter podido ir...era pertinho da minha casa...Agora, quanto à falta de educação do nosso povo..é desconcertante e vergonhoso...mas existe isso em todos os países. Quando voltei de Portugal um italiano fez a mesma coisa com uma moça portuguesa que deitou a cadeira pra dormir e quase saiu briga no avião como marido dela! E um italiano jovem ainda foi fumar escondido no banheiro e empesteou o voo de fumaça...depois fez cara de paisagem...sem educação tem em qq lugar, mas infelizmente nosso país tem uma percentagem maior devido à ignorância que só cresce, beijos,

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina,boa noite !!!
    Ahhhh pelo visto terás muitas aventuras para nos contar ...
    Estava morrendo de saudades de vc,seus posts...
    Não liga não Nina, tem certas pessoas q a educação passou bemmmm loooonngeeee...vc desacostumou c/tudo isso,infelizmente até os estrangeiros ficam c/ esta péssima impressão daqui do Brasil !
    Por isso q a fama do samba...suor...e oba-oba...,triste,mas a recompensa foi incrível mesmo,filhinho fazendo sucesso no aeroporto,reencontro emocionante c/ sua mãe...e depois toda a família...!
    Até mais,saúde e paz p/ vc e família !
    beijos.
    Vania.

    ResponderExcluir
  7. Bom de ler as histórias da viagem.. rs

    Sempre que leio posts de brasileiros que moram no exterior, fico com uma invejinha, porque não sou fã do Brasil, mas também nunca tive coragem ou oportunidade, ou seja lá o que for pra sair daqui. Não me identifico com a cultura brasileira em quase nada. Tinha vontade de buscar um país que se encaixasse mais com meu modo de ser, mas a coisa não é tão simples assim. Porque sair para ser imigrante não é uma questão simples.

    Agora também com minha vida profissional mais do que estabilizada no Brasil é que não vou mesmo para fora, mas vontade sempre vou ter.

    Um dia me conta como você foi morar fora do Brasil.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Eh Nina que estes voos "transatlânticos, e não só , são cansativos por demais! Ainda mais que eles, parecem, que encolheram o tamanho dos aviões. E depois há a "briga" com o fuso horário! O que vale é saber que tem alguém à nossa espera.

    Beijos pitangueiros

    ResponderExcluir
  9. Pois é, além das inúmeras horas de vôo entre a Alemanha e o Brasil ainda tem a bendita espera entre as conexões... pra mim sempre a pior parte mesmo... mas claro que tem a recompensa.. o abraco gostoso de quem está nos esperando do lado de fora...

    ResponderExcluir
  10. Nina querida, as vezes eu evito falar para não ser antipática, mas o fato é que sou antipática. Um avião é pequeno demais para nós brasileiros. Brasileiro em avião, grita, se mexe demais, faz xixi demais, pede pra trocar a comida, não deixa ninguém dormir chamando os comissários. Leva 67 malas de mão ocupando todo o pequeno espaço disponíveis a TODOS no guarda bagagem acima das poltronas, não volta a posição vertical o encosto da poltrona quando lhe é servido a comida, obrigando a pessoa que está atras comer com o prato atolado no peito, demora pra desligar o celular, fechar a janela, quando lhe é solicitado. Viajando com europeus fica obvio a diferença eles quase não respiram pra não incomodar a pessoa ao lado, é certo que eles viajam a muiiiito mais tempo que nós os brasileiros que começamos a viajar fazem uns quatro anos? mas um pouquinho de consideração com as outras pessoas ao redor ajudaria e muito vc não acha?
    Beijo dessa antipática aqui que tem uma simpatia enorme por vc.
    Bem falei um pouco disso em um post no meu blog http://baudalola.wordpress.com/2011/07/29/mulher-de-quarenta-querendo-ser-barbie/

    ResponderExcluir
  11. A todas vcs queridas, gentis e simpáticas meninas, que me entenderam e nao me xigaram de boca suja, meu mt obrigada :-)

    agora, Lola meu bem, vc falou TUDO o que o que tava engasgado, é assim ó, já tava pensando em escrever um post sobre isso, mas vc já o escreveu por mim.
    Valeu!!!!!!!!!
    tá certíssima! e entao somos duas antipáticas...

    um bj em cada uma

    ResponderExcluir
  12. Que lindo esse final Nina.
    E m o c i o n a n t e.
    E sim nao tenho duvidas como Pedro deve atrair essa multidao! Ele e charmoso demais! Voce vai ter que segurar o menino! ;)
    Oh bem que ouvi falar que os aeroportos brasileiros e a nova versao da rodoviaria..kkkk acho que essas situacoes de varios odores no aviao e bem constante, viu? Peido, cc, perfume vencido, comida velha, indo nesse caminho.

    E bem, adorei todos os posts, como sempre, me identifico muito, rio, choro, dou leves sorrisos, enfim.. E um blog de amor e vida, e o bloguito do meu coracao!

    bjins

    ResponderExcluir