23/08/2011

De volta pra casa, vindo de casa

Ahhhh férias, acabaram... depois de 6 semanas longe, chegamos ontem e a primeira coisa que falei ao ver minha casinha foi: aaahhh a melhor coisa das férias, é mesmo voltar pra casa. 
É ou nao é?
Mas te confesso que fiquei meio perdida nessa volta pra casa, do alto do aviao, estava me sentindo estranha, nao sabia onde era minha casa. 
Explico.
Passamos essas férias no Brasil. 3 semanas fiquei em Manaus, na casa da minha mae junto com toda a família, o resto, demos umas voltinhas pelo país. Foi maravilhoso! Apesar de que a gente, quando acostuma com coisa boa, desacostuma das ruins, nao é? Por isso, no segundo dia de Brasil, queria voltar pra casa... ai, quero voltar!!!!! 

Tudo é meio chocante quando se está 4 anos longe da confusao brasileira, e de repente ter que encarar tudo de uma vez só, putz, é no mínimo, desconcertante. Mas com o tempo, é claro que a caboquinha aqui foi se readaptando, nao sem antes ouvir muito das irmas: mas essa caboca tá é muito metida!!!

Daí fiquei confusa ontem, sabe?
Me senti perdida, nao sabendo o que pensar. Tava voltando pra Alemanha, saindo do Brasil. Mas nao tava me sentindo nem brasileira nem alema. Nem de lá, nem de cá. Uma sensacao muito estranha essa, a de nao saber a que lugar você pertence.
Difícil dizer que minha casa é aqui se ainda no aviao eu fechava os olhos e ainda via o sorriso dos meus sobrinhos e ouvia a sua gritaria pela casa da minha mae, via o sorriso sempre gostoso e simpático da minha mae e suas recomendacoes de como cortar os legumes pra salada, sentia ainda o calor amazônico e o suor descendo da testa, ouvia ainda os alemaes tentando falar e entender o português, as risadas que Pedrinho causava em todos, via o brilho do sol e a beleza do mar no nordeste e o barulho das ondas que quebram na praia, naquele chuáá, chuáá  infinito. O mar!

Só me senti de fato no Brasil quando o vi.
É o mar que me faz sentir de fato no Brasil.
Manaus nao é Brasil, é um caso a parte, uma excessao, uma coisa separada.
Sei lá...
O mar ainda tá barulhando aqui, e olha, to com saudade.
Saudade de entender tudo, timtim por timtim o que povo tá falando...
Saudade das caras que conheco, da cor da pele, até do sorriso banguela de muitos.
Da bela simplicidade daquilo tudo.
Mas tenho muito pra falar, tá tudo ainda bem impregnado.
Vou usar o blog pra exaltar a beleza de tudo que vi, mas também,  reclamar de tanta coisa.
A gente se lê nos próximos dias?

Um beijo bom na bochecha de todos e obrigada pelos comentários no post anterior. Bom saber que fiz um bocadinho de falta...

12 comentários:

  1. Você fez uma falta gigante querida! Às vezes me sinto como você, perdida no meio do globo. Acho que vou fincar a identidade na Ilha da Madeira. Nem tanto pro Brasil, nem tanto pra Alemanha.
    Beijos Nina!
    Márcia

    ResponderExcluir
  2. 6 semanas é tudo de boooooom, Nina!!!! Mas depois de um período tao longo, entendo perfeitamente que dê saudades de casa. Eu adoro viajar, mas adooooooro voltar para o lar :-)
    Beijo grande,
    Angie

    ResponderExcluir
  3. Nina queridona!
    Até que enfim de volta à casinha!
    Imagino tudo isso que você falou, tens toda razão, pois se eu também morasse como você, tão distante, tivesse família toda aqui nesta loucura de país e viesse aqui de vez em quando, visse tudo isso e tentasse compreender o que acontece, acho que ficava pirada. Isso aqui é coisa de louco mesmo. haha
    Tô louca pra ver os seus comments sobre tudo isso que viu e sentiu.
    beijinhos cariocas pra você e o lindo Pedrinho.

    ResponderExcluir
  4. Que bom que voltou pra gente, hihihihi. Amo Nina, quando tu falas da tua vida em Manaus, me vejo em ti e sempre sei do que tu dizes, apesar d'eu morar em Belém. Mas Belém e Manaus são irmãs, não é mesmo? eu sempre achei isso. E amo pensar assim. É uma pena, que alguns acreditem no contrário. Beijos Nina.

    ResponderExcluir
  5. Casei com um italiano de Roma, morei em Pisa, em Murcia na Espanha e agora me preparo para um ano nos EU e me sinto uma cidadã sem pátria ou com todas as pátrias dentro de mim. O que antes era normal pra mim aqui no Brasil agora não é mais: Falta de educação, lei de Gerson, coitadez etc...

    ResponderExcluir
  6. Seja bem-vinda de volta a sua casa virtual, essa aqui não tem pátria... rs

    E dias desses tava me lembrando de você, pensando em como fazia tempo que não postava.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  7. Sim, Nina! Tá tudo bem comigo! Espero que esteja com as baterias recarregadas para voltar a postar... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Bem vinda de volta maninha! Pois e, essa situacao de nao se sentir nem brasileira nem europeia e verdade. A gente nao tem raizes aqui, e para construir e um longo processo, gostar da terra ja e um bom ponto para a adaptacao...mas mesmo assim... a gente sente que nossas raizes sao de la, mas essa terrinha aqui e adubada, confortavel e nos faz de certa forma se sentir bem aqui tbm. E complicado isso ai que voce disse sim. E imagina, estou amanha de mudanca total para a Holanda, a casa esta cheia de caixas para todos os lados. Eu nao me sinto muito bem com a mudanca em sim, mas fico motivada em ir para la. So mesmo esse processo de ver todas os seus moveis objetosem caixas que e chato, nao vejo a hora de ter metade das coisas arrumadas na nova casa. Ahh vou ficar 3 semanas sem internet... pois e, intalacao. Mais uma coisa irritante!!
    E o Brasil hein, to doida para ir tbm...imagino a festa que sua familia fez com Pedro!! Que delicia! E tao aconchegante estar com a familia, mesmo com o caos que existe em praticamente todas as familias brasileiras.
    Um beijao e ate daqui umas semanas :)

    ResponderExcluir
  9. Nina...que saudades de vc querida....cheguei a pensar que não voltaria para o blog rsrsrsr....Imagino quanta coisa nova para contar....sentia assim também,meia sem teto sem raiz.Saudades de falar e ser entendida,coisas de quem mora fora..Voltar para casa é sempre a melhor coisa,nosso coração sempre esta lá dentro nos esperando para voltar a bater.Vai contando tudinho..beijokas para vc e até breve....

    ResponderExcluir
  10. E eu que pensei que tivesse vindo a ranchada toda. Marido, Laura, o filho e o Pedro, é claro! Vieste sozinha, frô?

    ResponderExcluir
  11. Nao Pitanguinha, amor, fui primeiro, queria passar mais tempo com minha mae, a turma foi depois...
    Um bj!

    ResponderExcluir
  12. Oi querida!
    Somente agora vi seus novos posts, nossa, nem acreditei quando vi que você já havia postado um monte de coisas, pensei: que maravilha, o meu pedido foi atendido! (rs)
    Um grande beijo, adorei de rever!

    ResponderExcluir