05/04/2011

Nao fazer nada pra realizar os sonhos? A teoria da minha professora de francês

Tava hoje lembrando de uma professora minha. Ela era linda, se vestia diferente, com umas roupas largas, compridas, mas de forma muito harmoniosa e ela tinha uns cabelos longos, pretos e muito lisos. Olhando assim, nao parece alguém muito bonito, mas ela era muito bonita sim e elegante. Ficava mais elegante ainda quando falava francês. Explico: ela foi minha professora de francês por um curto período de tempo. Foi numa época que podia escolher matérias optativas, na universidade. Eu que sempre adorei o idioma, nao tive dúvida ao decidir por essa aula. Um colega resolveu fazer alemao e eu dizendo: nossa, que maluco,alemao?? pra que isso seu doido?? Ahh se eu soubesse que um dia alemao me seria útil, nao teria rido do meu colega...

Bom, lembrei da professora porque eu estava pensando nos sonhos que a gente tem. Nas aulas dela a gente discutia muitas coisas, vários assuntos, nunca era uma aula chata ou repetitiva. Nessa aula havia gente de vários cursos na universidade, na sua maioria, mulheres e as aulas eram sempre cheias. Minha área era exatas e sempre arrumava uma desculpa pra sair daquilo. Nao gostava do ambiente, nao gostava da "alienacao" que havia no ambiente que estava. Eu na verdade, adorava ir pra o outro lado do campus, onde havia debates, músicas, gente interessante, bibliotecas com livros ótimos que nao falavam apenas de fotossíntese ou química analítica! Foi entre as prateleiras dessa biblioteca universitária, entre os horários de pausa das minhas entediantes matérias, que conheci Hermann Hesse, por exemplo. Ficava horas entretida com aqueles livros antigos, li tudo de Hesse nessa época! E nao sei como nao percebi ali que estava fazendo o curso errado...

Para as aulas de francês, eu ia com a maior alegria, era um alívio no meu dia. Além de aprender um pouco do idioma, o mais legal era participar das aulas incríveis e das discussoes ótimas que travávamos. Foi essa professora que disse que nao acreditava que um casal poderia viver junto sem amor e que se o amor já nao existe a única coisa que se deve fazer, é separar. Sobre essa observacao dela tenho lá minhas dúvidas, nada é tao fácil assim... era fácil talvez pra ela, que era altamente independente, tinha boa autoestima e nenhum filho. Nessa época eu já tinha meus dois filhos e um casamento mais que desgastado e desrespeitoso e também nessa época nao enxergava nenhuma possiblidade de separacao. Ela nao gostava das antigas músicas francesas, que tanto insistíamos em ouvir nas aulas, pois dizia que aquele amor romântico nao existe! Mas o que ela disse certa vez, me marcou a memória. Ela comentou que nunca fez nada pra alcancar seus sonhos, já que tudo o que ela quis, veio às maos dela, sem nenhum esforco e na hora adequada. Ela sabe que as coisas vem simplesmente, quando tem que vir, e que nao adianta nada você se estressar, ficar loucamente atrás de realizar as coisas, porque há o tempo certo pra tudo. Ela dizia  nunca ter feito nada pra realizar o que ela desejava, que tudo veio até ela e ela só tinha que tomar a atitude de aceitar e decidir se queria ou nao aquilo que lhe estava sendo imposto pela vida. 

Eu admirava essa mulher mas ficava pensando que na verdade ela era meio louca. Como assim você nao precisa fazer nada? Como assim nao ficar chateada, triste, decepcionada com a nao realizacao das coisas que se deseja?

Nao concordo até hoje, totalmente com as palavras dela, mas acho que ela tem razao em alguns pontos. Se estressar com aquilo que ainda nao se tem é caso perdido, é sofrer por antecipacao. Mas discordo com o lance de nao fazer nada pra realizar seus sonhos. Alguma coisa a gente deve fazer, é claro, pra chegar aonde queremos, nao é mesmo?



O que você acha da teoria da minha chique professora?



* * *
Já colocou seu nome pra concorrer ao brinde surpresa de aniversário do blog? Clique aqui e participe!

14 comentários:

  1. Também sou como você, concordo em partes. Mas é interessante como o universo nos retribui o que enviamos a ele, tanto em termos de ações como de pensamentos. Se mantemos a fé que as coisas irão dar certo, elas darão; se fazemos o bem, recebemos o bem das pessoas ou da vida, quando menos esperamos. Talvez tenha sido isso que ela aprendeu e quis passar a seus alunos. Eu gostaria muito de tê-la conhecido!
    Beijo
    Adri

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que nao tem receita, as coisas funcionam para cada um de forma diferente, alguns tem sorte, outros precisam lutar, outros precisam esperar, mas concordo que se voce quer algo, se quer realizar seus sonhos e planos e preciso ter meta e fazer por onde, esse e um caminho logico. Acao = reacao. Se voce fica parado, nada acontece. Agora de certa forma, acho que talvez as coisas sejam assim como ela falou para certas pessoas, como ela mesma, ou as vezes ela nem percebeu se deu conta do caminho que ela tracou, acho que ela batalhou, mas nao viu o percuso como uma batalha...eu tambem gosto disso... ter uma visao simples da vida e nao fazer tanto melodrama.

    bjinhos

    ResponderExcluir
  3. Se eu lesse isso há uns dez anos atrás, diria que sua professora é louca. Mas hoje em dia quase que concordo com ela.

    Corri desepseradamente atrás de alguns sonhos e pela pressa eles aconteceram todos invertidos, algo assim como se tirar uma criança do ventre da mãe, quando não está pronta pra nascer.

    Acho que hoje estou mais no aguardo, porque realmente o que é seu vem e o que não é não vem. Claro, espera com ação, não com passividade... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Oi Nina, tudo bem?

    Então...eu concordo mais do que discordo.
    Explico: já dei muita cabeçada querendo isso ou aquilo, lutando para ter / ser tal coisa.
    Hoje entendo que cada coisa tem seu momento - e quando acontece "antes" que tenhamos o amadurecimento certo para ter aquilo na nossa vida, as coisas nao funcionam bem. Por vezes o que sempre sonhamos chega a nós e nem nos damos conta, ou nao conseguimos decidir.Neste aspecto concordo com ela.
    Quanto a ficar parado, bom, nem tanto assim né?Querendo ou não estamos sempre em movimento, sempre sonhando / buscando, nem que seja mentalmente.
    Para alguns a realização dos sonhos parece mais fácil, digo parece porque desconhecemos o que se passa verdadeiramente com cada um.

    Talvez o modo dela encarar a vida era tão leve que nem se percebia lutando por algum sonho...simplismente acontecia.

    Adorei a música. Também sempre fui fascinada pelo francês, mas nunca fiz nada para realizar meu sonho de aprender (e por isso ainda nao aprendi), ahahaha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. concordo e discordo tbem... a gente não pode ficar acomodada simplesmente esperando as coisas acontecerem na nossa vida! alguma coisa ela fez para chegar onde ela estava... a vida não nos leva simplesmente ao sabor do vento... mas eu acho que cada um 'luta' por aquilo que deseja da maneira que o convém. bjos

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina, como diz a oracao: 'Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras.' Quem sabe eh por ai, ne? Obrigada pela mensagem deixada la no FB. Diga pra Laura que ela pode esperar a inspiracao baixar, nao tem pressa. Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com ela em algumas coisas, é claro, mais tem tbm algumas coisas que não... mas amei o texto... ela deveria ser bonita e chic mesmo^^
    beijos.

    ResponderExcluir
  8. Concordo com ela em algumas coisas, é claro, mais tem tbm algumas coisas que não... mas amei o texto... ela deveria ser bonita e chic mesmo^^
    beijos.

    ResponderExcluir
  9. Menina, eu concordo em parte.
    mas, veja bem, tem gente que nao recebe nada nessa vida se nao for fruto de muita luta.

    Se eu nao luto, nao consigo.

    Nina, pode acreditar que TUDO O QUANTO EU CONQUISTEI NA VIDA FOI RESULTADO DE BATALHAS ÁRDUAS TRAVADAS. Muitas dessas batalhas, de ficar noites insones.Nunca tive nada de mao beijada. E nao creio que a teoria deva se encaixar na vida dela mas nao na de todo mundo.
    Quanto ao estresse, eu sou estressada, nao convém nos estressar,e xacerbadamente.

    Eu estudei Francês, durante dois anos, no Segundo Grau e tanto que, na primeira vez em que prestei Vestibular o idiioma foi o Francês. Já o Sueco, nunca foi caso de se pensar que , um dia, viria a falar.
    bjs e dias felizes.

    ResponderExcluir
  10. Eu só estou na Suécia, Nina, por que um dia, eu disse á minha mae: EU VOU ENCARAR A CIDADE GRANDE.
    Eu tinha, apenas, 14 anos. Entrei noS egundo Grau. Morando numa pensao, Nina, caindo aos pedacos. Me sentia um peixe fora dágua, sabe?Sozinha, sem ninguém..:Eu vivia com meus 11 irmaos.
    Hoje, exatos 30 anos depois de entrar na faculdade, pela primeira vez, Nina, estou encarando a mesma coisa.Deixando a familia e recomecando do zero.::sozinha...Numa cidade que nunca vivi, num curso que achava ter morrido, esquecido, etc. dai vem a parte dela dizer que TEM COISAS QUE NAO LUTAMOS...E NAO BUSCAMOS.
    Mas, se pensar bem, no meu inconsciente, eu sempre soube que nao estudara 5 anos do curso de Direito em vao...
    Tem coisas que nao temos como explicar...

    ResponderExcluir
  11. Nina,
    Eu acho que a sua professora chiquetosa era adepta aos meandros da física quântica. Porque somos campos magnéticos, e nossos pensamentos emitem vibrações. Acho que estas vibrações variam de intensidade de acordo com a intensidade das coisas que almejamos. Bem, uma vez que o pensamento foi enviado ao universo, o universo responde. Com um sim ou um não.
    Às vezes eu penso que é assim que funciona mesmo sabe...
    Voilá!
    Bjs
    Márcia

    ResponderExcluir
  12. Olá querida amiga!
    Primeiramente quero te dizer que adorei a nova "cara" do blog, tah muito legal!
    Quanto ao texto... acho que devemos sim lutar por nossos objetivos e sonhos, mas concordo qdo sua professora diz que não vale a pena se estressar por algo que não se conquistou... sei que essa última parte é difícil de controlar ( o "ñ se estressar")...
    Um bjo Nina, fiquem com Deus!
    Juli

    ResponderExcluir
  13. Oi Nina,boa tarde !!!
    Perdi as contas de qtas vezes li e reli este post e até mesmo os comentários.É...gosto de ler os comentários para ver se não estou meia fora de foco,de órbita...sei lá...rs.
    Pelo meu entender,esta professora não teve lá grandes sonhos e até mesmo algum tipo de ambição,posso estar enganada,mas pelo momento é assim q penso !!
    Qdo os nossos sonhos se realizam...automaticamente outros são almejados,pq é assim sempre...qdo acomodamos esperando acontecer algo...o que ficamos fazendo? Nada? Claro q não,de alguma forma estamos colaborando para q algo aconteça...e isso é correr atrás dos sonhos.
    E qdo da errado? Ah...aí é q está o X da questão...derrepente não é que deu errado,é porque o resto ainda está por vir e continuaremos a colocar mais ingredientes incrementando o resultado q queremos !!
    "quando deixamos de sonhar é porque já morremos e não estamos sabendo".
    Nossa...desculpa,quase dei um nó na minha cabeça agora !!!
    Linda quarta-feira para vc e família.
    beijo.
    O "próprio tempo se encumbe de nos cobrar o que deixamos de fazer por acomodação e pelos "achismos".

    ResponderExcluir
  14. Hummmmm, Nina, não sei se comento ou fico aqui na linda música da Françoise Hardy que eu adoooooooro!
    Já ouvi duas vezes. hehe
    Olha, acho que vou concordar com o que nossa amiga Marcia Cobar, a gente emite pensamentos ositivos e o universo capta.
    Mas, devemos fazer uma certa forcinha para realizar os sonhos sim.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir