09/12/2010

Um bebê me trouxe de volta

  • Outro dia, tinha colocado Pedrinho na cozinha enquanto trabalhava em alguma coisa, e ele sem a atencao que gosta de ter, comecou o chororô. Eu que tava no embalo da cozinha (é o lugar que mais gosto na casa, sério!!) comecei a fazer umas piruetas pra ele, tipo  polichinelo, corridinhas, pulinhos, bater palmas, etc. O bebezinho ria tanto que gargalhava; 

  • Toda manha, ele acorda com uma carinha inchada de tanto dormir, aí abre o olho me procurando pelo quarto, quando eu chego pra trocar a fralda e dar um BOM DIA!! bem alegre, ele abre o sorriso mais lindo que há no mundo e fica lá, meio enfeiticado com a mama dele;

  • Ainda agorinha, ele fez uma gracinha qualquer (tá ficando craque nelas, quando dá um arrotinho e todo mundo ri, por ex., ele faz outro, só pra gente rir de novo e aí ele também ri junto, muito engracado -  por enquanto, afinal  arroto nao é nada engracado). Entao eu fiquei rindo à toa com ele por longos minutos, nós dois, rindo um pro outro, tao gostoso!!!

Aí eu fiquei pensando como eu estava séria demais antes dele chegar, sabe?
A gente vai acostumando de tal forma às coisas da vidinha de sempre, que nem nota muito o quanto estamos meio rabugentos. Já notou isso?
Eu sou uma pessoa que gosta muito de sorrir, mas sou normalmente muito séria. É que tenho um pouco de trauma com gente que faz palhacada demais e por isso, desenvolvi ao longo da vida, uma certa aversao a gente muito palhaca. Sabe aquele povo que ri dos outros? Que faz graca com a cara dos outros e faz isso de uma forma que só é engracado pra ele?? Que se acha tao engracado que é meio paranóico com isso e acha que vai morrer se nao fizer uma piada sobre alguém? Ou ainda pior, que até humilha as pessoas pra encontrar uma coisa engracada pra falar??  Pois é, é desse tipo de gente que to falando. 

Minhas irmas dizem, contrariando a ideia que tenho de mim mesma, que sou muito engracada, minha irma mais velha fala:  Pingo, cara, tu é muito engracada, olha!! Minha  amiga Juli também diz o mesmo. Meu marido ri de mim o tempo todo. Mas eu nao concordo com eles, nao vejo graca em mim,  mas até meu filho diz: Mae, tu é muito engracada! (os amigos dele vem aqui e estao sempre rindo de mim, nao sei porque...). 

Mas aí, com Pedro, eu to me vendo voltar, entende?
Voltar a ser eu de novo.

Eu pensava mesmo (!!!) que iria, com o terceiro filho, estar muito cansada. Mas ocorre o contrário, me sinto tao bem! E o bom é se ver rindo tanto.
Você pode estar podre de cansada com a rotina do teu dia, exausta, aí você olha pra aquela criaturinha ali e nao tem como evitar de abrir um sorrisao. Você se pega pulando pela casa, fazendo caras e bocas pra ganhar um sorriso do seu pequeno. Nada vale tanto à pena do que virar um palhaco pro teu filho.
Vejo meu marido aqui, bom, meu marido é muito envergonhado, sabe? Tudo o envergonha. Isso antes do Pedrinho chegar, agora ele faz umas coisas engracadas que nunca se imaginou fazendo. E quando ele ganha o riso do Pedro, é como se a crianca que vive no homem desse a mao pra ele de novo. 

Meu marido teve uma infância muito dura, por causa da rigidez dos seus pais. Ele nao tem boas lembrancas de sua infância e eu acho isso taaaaaaao triste. Ele diz que os pais eram rígidos demais e por isso ele nao tem a menor saudade da infância, onde tudo era proibido a ele e eu que sou a maior apaixonada por essa época da gente, sinto tanta peninha dele... mas ele nao liga, nao se sente mal com isso. Os alemaes sao às vezes, bem estranhos... 

Sabe o que aconteceu um certo dia?? Nós conversamos muito com os pais dele. Sao sogros maravilhosos. E eles adoram meus filhos como se fossem seus netos e tem o Pedrinho, né?? Que é neto deles... entao nesse dia, enquanto o pai falava de como a gente deveria agir quando Joao, meu filho adolescente, fizesse isso ou aquilo, ele tinha lágrimas nos olhos, e aproveitou pra se desculpar com o filho (meu marido) dizendo que foi muito duro com ele e tal. Olha!! Eu fiquei com tanta vontade de abracar meu sogrinho...  mas isso era funcao do seu filho. Fiquei cutucando o marido pelo pé, acenando com a cabeca  pra ele ir lá dar um abraco no velho, mas meu marido ainda nao tinha o Pedro, quer dizer, o coracao duro e envergonhado ainda o impedia. Mas creio que esse dia ainda vai chegar...

Minha esperanca é acreditar que meu marido fará tudo pra alegrar a infância do filho. Exatamente por isso. Para ter o que ele nao acredita ter  tido... 

E eu rio. 
Porque ainda nao inventaram remédio melhor pra encarar a vida. 
Pra perdoar os erros do passado.
Pra construir um amanha melhor.

13 comentários:

  1. Eu adorei te ver de novo!
    E continua desenhando lindamente.

    Porque ainda nao inventaram remédio melhor pra encarar a vida.
    Pra perdoar os erros do passado.
    Pra construir um amanha melhor.
    Voce estábem certa!
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  2. Nina é incrivel como os bebês tem esse maravilhoso poder de mudar as pessoas. Aqui também tenho vivido algo parecido, fico boba em ver o Patrick fazer voz de criança para falar com o Felipe, principalmente quando ele esta de farda. Nossa com bom ter um bebê em casa. E quanto não ser engraçada, não sei de onde vc tirou essa ideia. Eu sei que és seria, mas daí dizer q não és engraçada, por favor amiga Nina Rosa, ao teu lado eu sempre riiiiiiii muitoooo. Gente essa mulher tem um senso de humor maravilhoso que contagia a todos ao seu redor. Bjos mana, to com muita saudades de ti.

    ResponderExcluir
  3. Uma criança alegra qualquer ambiente. Não há quem resista a uma criança. Aquelas coisinhas pequenas que acham interessante ou acham graça em qualquer coisa que façamos. Maravilhoso! Um bebê/criança muda todo o ambiente da casa. E para o bem!

    Beijos, palhacinha!!

    ResponderExcluir
  4. hhehe imagino voce com ele, deve ser uma fofura mesmo! Eu curto demais so de pensar! Tudo vale a pena quando a alma nao e pequena, a gente tem mesmo e que rir das coisas boas da vida e compartilhar com quem amamos. E quer coisa melhor do que uma crianca para alegrar a familia? =)

    bjuss

    ResponderExcluir
  5. Essas crianças já nascem tão poderosas... não é mesmo?

    Que bom saber de tanta coisa boa.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo este texto Nina...
    Eu que já sou uma palhaça do bem vou virar uma artista circense quando meus pequenos nascerem...
    Um bjão querida! E continue sorrindo!
    Márcia

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Vim retribuir a visita, muito obrigada!
    Eu tenho dois filhos mas ,como já tenho 40 anos, penso duas vezes em ter o terceiro por isso e pelo trabalho. Ao ler posts como o seu me animo, apesar da crise econômica por aqui, a tentar um terceiro. Quem sabe?
    Seja muito bem vinda e volte sempre!
    Boa semana e um beijo,
    Adri

    ResponderExcluir
  8. Nina maninha vou passar um semaninha na Holanda ou um pouquinho mais. Entao nao vou aparecer por aqui esses dias, mas desejo-te uma otima semana!

    bjinhos

    ResponderExcluir
  9. Ei Nina!
    Venho sempre por aqui e só agora resolvi comentar. Seu blog é uma delicia e em cada linha que tenho lido tenho visto o quanto voce está plena, feliz com a chegada do seu caculinha. Como voce tambem sou muito alegre e brincalhona, mas acabei criando uma certa "casca dura" que me deixou mais séria e tbm um pouco rabugenta. E como voce também descubro com o meu filho o quanto rir faz bem e cura todos os males. Agora com a chegada do meu proximo, tenho certeza que a alegria e as risadas serao ainda maiores.
    Parabéns pelo blog!
    Liza

    ResponderExcluir
  10. seu blog é muito fofo........entrei

    ResponderExcluir
  11. Ai, Nina, como você escreve linda e simplesmente, eu adoro te ler!
    Imagino a engraçadinha que és.
    um super beijo carioca

    ResponderExcluir
  12. Ai minha Nina, linda, das palavras doces e histórias encantadas! Eu bem sei o que é não ter assim lembranças tão boas da infância... Mas a gente supera e segue em frente. Nada de vitimizar!
    Seu texto me fez emocionar.
    Imagina o dia em que teu marido der este abraço no pai... Tomara que não demore muito pra este dia feliz chegar.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. intiresno muito, obrigado

    ResponderExcluir