14/12/2010

Permanecer ou nao num país longe do seu??

Fiquei sabendo que uma brasileira que mora fora do Brasil tá pensando em voltar... ela anda meio adoentada, triste, somatizando coisas e problemas que nunca teve antes. Engordou demais, já nao se sente bem...
Bom, ela é só um exemplo de pessoas que já vi querendo voltar.
Tem aquelas que insistem em permanecer, mesmo que todo o corpo e a mente estejam evidenciando o lógico: - "volta pra casa meu, senao tu vai ficar cada vez pior"... o corpo parece falar.

Lembro de uma crônica que li um dia, infelizmente nao lembro a autora, a personagem estava encantada por um homem  simples do interior, e a amiga que morava nos Estados Unidos era contra esse relacionamento, ficava sempre a colocar pra baixo a amiga apaixonada e falando mal da sua nova paixao. Mas a amiga resistiu a tudo e acabou feliz com seu amor, lá no interior, naquela vidinha boa, foram viver juntos e felizes ... a amiga voltou pros Estados Unidos e se viu sozinha, lavando louca num restaurante, totalmente infeliz e suspirando querendo poder ter também um amor simples pra chamar de seu. 

É o que muito se vê por aí, por aqui.

Tem gente (eu nao vou ficar discutindo os porquês disso ou daquilo, afinal é cada qual no seu cada qual e cada um tem suas próprias razoes) que insiste em ficar. Muitos  ficam sem qualquer motivacao, só pra nao dar o braco a torcer à família e aos "amigos". O que eles dirao? Iiiiih ó lá, o coitado voltou, foi todo metido, e agora tá com uma  mao na frente outra atrás...  

É, tem gente má nesse mundo...

Com medo de voltar, de passar vergonha, a pessoa fica fora do seu país, infeliz. Sim, até pode ter um salariozinho mais alto, mas esse salário aqui, nao tem grande, enorme valor, sabe? Porque tudo é muito caro, a vida aqui é muito cara! Os impostos aqui, sao altíssimos e você é obrigado a pagar por tudo! E eu nao to falando só de Alemanha. 
Eu acho que é a droga do status que você passa a ter no Brasil, que parece ter mais valor pras pessoas que ficaram no Brasil! É a droga do status que agora, vale mais do que você é, e  isso é foda!! Com perdao da palavra. Você nao vale mais nada além desse status que viver no estrangeiro te proporciona. As pessoas pensam que você tem dinheiro de  sobra, nem sabem o quanto você dá duro pra receber essa grana, pode ser como a garconete da crônica acima ou outra atividade qualquer.  E às vezes, você até faz questao de mostrar isso mesmo... o dinheiro de fora vai valer um pouco mais do que o nosso real, e as pessoas passam a ver só os teus dólares, os teus euros ou seja lá que tipo de moeda você lida. A família pede emprestado uma graninha e nem paga de volta, porque afinal, eles sao família e você, ahh você pode dar dinheiro, tem de sobra! Quando você sai com os amigos pra tomar uns chopes, é você  quem tem que pagar todas as contas, porque agora você mora nos "isteitis".

E você fica achando que vale mais morando fora do que no Brasil. A tua família te aguarda ansiosa pra ver o que você trouxe na mala,  você gosta da sensacao que isso te proporciona. E aí você pensa: porque voltar?? To infeliz naquela merda de país, to gordo, to doente, choro constantemente, mas aqui , no meu país, eu nao valho nada... porque voltar???

Tem gente que pensa assim. Eu conheco gente que pensa assim.

Aí é claro que tem todas as diferencas entre os países. Tem a questao do juntar uma graninha pra comprar aquela casinha lá no nordeste, tem a questao de poder agora ajudar a tua mae, tem a questao séria  da seguranca nas ruas, que no Brasil a gente nao tem mais, da qualidade de vida. Sim, ela é maior aqui. Sim sim, isso nao há dúvida. Mas será mesmo que compensa você ficar infeliz, se sentindo sempre um famigerado e fodido estrangeiro, onde você nao entende a língua perfeitamente, onde é frio pra cacete, onde você nao fez amizade alguma, onde você mais chora  e morre de saudade do que faz outra coisa no teu dia a dia?  Onde a cultura é totalmente diferente da tua, onde todo mundo pode pensar diferente de ti, onde você vive contrariado? Somatizando problemas de saúde, se sentindo deprimido, doente, tudo por vaidade de se dizer morando na Europa, ou na América...? Será que isso vale mesmo à pena?

Um dia ao descer do trem uma moca me interpelou em português: ei, você é brasileira? (a gente se reconhece como povo, é incrível!) ao afirmar que sim, ela me perguntou se eu gostava daqui, entao ela comecou a falar o quanto estava infeliz, em depressao mesmo, que chora todo dia... 
Mas porque gente??? Porque permanecer se teu coracao pede o contrário??


Eu tenho em mente uma coisa muito clara e peco a Deus continuar pensando assim, peco a Deus que nada aconteca que me faca desistir de pensar assim:  se um dia eu me vir triste desse jeito, eu volto!! Levo comigo minha malinha, assim com cheguei aqui, levo  meus filhos se eles quiserem ir, levo marido se ele quiser, mas eu volto. Volto como vim, com meus sonhos em mente, porque sonhos nos acompanham sempre.  Com meu coracao limpo, com minha dignidade intacta. Sem pestanejar. Volto! Porque eu sei onde o calo aperta. Sei o que me faz feliz e sei que nao quero mais viver infeliz pra ver os outros felizes.
Eu volto e vou provavelmente morar na beira do rio lá na minha terra, no Amazonas! E nao vou ter vergonha de voltar... porque quem tem vergonha, como dizia minha mae, morre de fome...

e de frio...
e de tristeza...
e de chorar...
e de saudade...
e de ressentimentos...
e disso e daquilo...

15 comentários:

  1. Oi Nina.
    olha, tenho um amigo que mora na Espanha e vez ou outra ele diz que vem embora, as vezes eu digo que ele não sabe o que fala, que morar fora do Brasil é a melhor coisa(digo isso por questões de segurança,principalmente). Mas a verdade é que se fosse eu, eu não saberia como ficaria, não sei se teria condições de suportar a saudade dos familiares e o modo de vida que nos acostumamos em nossa terra natal. São coisas em que somente vivendo na pele é que podemos falar com clareza.Que bom que tu tens essa paz no teu espírito, ao tornar a Alemanha o teu segundo país do coração, a tua segunda casa(ou será primeira?)e viver feliz assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nina...
    Há uma frase bonita, que diz: "casa é onde o coração está". Mas às vezes o coração se perde nas esquinas dos continentes, e não sabe que rumo tomar... Porque, como dissestes, às vezes a saudade aperta, a comida amarga, as pessoas azedam... e só vêm na lembrança aquelas coisas lindas que o Brasil oferece...
    Mas não há perfeição em lugar algum do mundo. Há paciência, plenitude, perseverança... até mesmo se o Voltar for o resultado.
    Lindo seu texto querida.
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  3. Nina
    Eua acho voce muito corajosa e todas que moram fora do Brasil.
    Eu não ficaria de jeito nenhum. Só se for pra morrer.
    Mas tem pessoas que sentem bem morando lá fora por varios motivos e eu fico daqui torcendo para que estejam sempre bem emocionalmente.
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o comentário da Mônica, eu acho você corajosa por falar o que pensa dessa maneira aberta. Nem todos tem essa coragem Nina. Gosto muito dos seus blogs por isso mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Sim, Nina, você é corajosa e soube se ajeitar, soube se moldar, soube se adaptar, entender e se fazer entender.
    Eu acho que isso é porque você tem o amor. Quando a gente se sente amado e protegido, vamos e ficamos em qualquer lugar.
    Também acho inválido permanecer num lugar e ficar só reclamando, eu iria à luta e pronto!
    beijos cariocas, muitos.

    ResponderExcluir
  6. Nina, que engracado; passei a manha toda pensando nisso e querendo escrever um post sobre esse assunto. Sabe, tenho pensado muito nisso; no que me trouxe pra cá e no porque ainda estou aqui. Tenho pensado se vale a pena e comecado a pesar as coisas. Já tive momentos de querer voltar, momentos de ter certeza que quero viver aqui pra sempre e agora a balanca está no meio. Sei que nao estou no momento certo para decidir o futuro, afinal meus hormonios estao baguncados por causa da gravidez, mas quero pensar e repensar bastante e escolher o que for me fazer feliz. Afinal esse é o objetivo de todos nós.
    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  7. PÁRA TUUUDO! HÁ QUANTO TEMPO EU NÃO VENHO AQUI????? NINA, É VOCÊ MESMO?? DE BEBÊ NOVO? ONDE EU TAVA QUE NEM VI ISSO ACONTECER? OLHA A MINHA CARA DE "QUEM SOU EU? ONDE ESTÁ WALLY"?

    NINAAAAAAAAAA DO CÉU! ISTO É TUDO DE BOM! E A REAÇÃO DOS MENINOS FOI LEGAL? FALA "MUIÉ"!

    ResponderExcluir
  8. Oi Nina tudo bem ?
    Tenho uma amiga q morou anos na Itália e um belo dia ela decidiu vir embora,largou marido e emprego.
    O marido não quis vir por motivos esquisitíssimos tipo: o Brasil é um país sujo, de lixo mesmo q ele falou,muita violência,as pessoas são feias,horrorosas e desfiou um rosário enorme contra.
    Aí virou baixaria das brabas,pq ele acabou q ofendeu "a mulher amada".Conclusão: ela já está aqui de volta há 5 anos,recomeçou do zero mesmo,porém está feliz !!!
    Pensa o que? Ela ama a Itália (dupla cidadania), mas não volta !!
    Gostei do seu post de hj.
    beijo.

    ResponderExcluir
  9. oi flor... eu fui uma dessas pessoas que naum teve vergonha de voltar... morei nos EUA e qdo naum deu mais, voltei para meu país, minha família, meu namorado (hoje marido), amigos... voltei para o que realmente importa na vida: estar com quem a gente ama! bjs

    ResponderExcluir
  10. Nina..amei seu texto e ele me fez recordar o tempo que morei nos EUA.A saudades era tanta, que quando ia a uma loja TJMAX lá no Alabama,de longe escutei umas vozes com sons familiares.Estavam falando o portugues.Não tive dúvida, não pensei duas vezez,corri na direção das vozes e ao chegar fui falando:vcs são do Brasil!!!!ninguém falou nada,nos abraçamos como amigas de anos e começamos um papo de até hoje é dificil entender.Depois de um tempão falando sobre o Brasil e nossa cultura linda,nos despedimos com endereços trocados.Chorava de saudades,em todas as cenas imaginava os brasileiros.Aquele vazio nas ruas,o silêncio dos povos anglos...Não foi a razão da minha volta, mas ela aconteceria de qualquer forma.Os que ficaram,precisavam manter o padrão de comodidade que alcançaram; carro,boa comida,roupa e boa escola,mas o coração era do Brasil sem dúvida alguma
    bom dia pra vc Nina

    ResponderExcluir
  11. Pois é Mi, a gente que mora no Brasil nem consegue considerar isso, né? porque voltar??? mas o coracao qd fala mais alto nao pode ser desconsiderado...

    Márcia, pensei nessa frase antes de comecar o post e acabei esquecendo de encaixá-la no texto, porque é isso mesmo, o lar da gente é onde tá o coracao da gente. Tava pensando assim, é onde a gente tá feliz, sabe?

    Moniquinha, minha irma diz o mesmo, ela nem cogita a ideia de morar longe do Brasil...diz que morreria.

    Drica, sou corajosa nada, é que eu falo o q penso e às vezes, posso me dar mal por isso, mas como diz um manifesto da luma, eu nao sou blogueira de aluguel :)

    Sem dúvida Beth, sem amor ou sem se sentir amada seria difícil em qq lugar...

    E sim Lisa, vc tem toda razao, nada de tomar decisoes sérias agora, espera o bebe nascer e mais uns bons meses, senao quem responde por ti sao os hormônios e esses vao sempre te trair :)

    Sim Pitanguinha, su eu mesma, com um bebe de 5 meses depois de uma reversao de laqueadura, milagres acontecem todos os dias :)

    Vania, oi querida! sua amiga fez mt bem, inclusive em deixar esse marido furreca, que cara de pau heim?

    Hausfrau, tu ta cobertinha de razao, é isso o q de fato interessa e o q no fim de tudo, conta.

    Eva linda, entendo TUDO o q vc falou, eu tbm qd ouco português soa como se fosse música nos ouvidos e foi aqui que notei o qt nosso idioma é LIIIIIINDOOOOOOOOOOOO!

    um beijo querido e carinhoso em todas vcs

    ResponderExcluir
  12. Nina, em tudo há os seus prós e contra.

    Eu vivo há 17 anos na Alemanha e vou dizer que muitas das vezes pnsei em voltar, pois falara a nossa lingua, as nossas piadas, daar as nossas risadas, essas coisas que estrangeiro nao sabe fazer faz muita falta.

    Mas qdo estou no Brasil vejo que há um abismo que nao me deixa voltar. Eu já mudei demais e nao me adaptaria mais a viver com a mentalidade do brasileiro que tudo deixa pra depois, que nada muda, essas coisas que batemso há anos na mesma tecla.

    Agora mesmo que vejo a neve caindo lá fora, mesmo que eu seja doida pelo sol e praia e digo amim mesma que nao posso mais viver sem a neve.

    Depressao por viver no estrangeiro? Muita gente tem mesmo vivendo no Brasil. É uma questao de procurar o seu caminho estejamos aonde estivermos...

    E..., mesmo com tanta neve pelo caminho, fiz um cartao de natal para os amigos. Venha pegar o seu na Saia Justa.

    Bjao

    ResponderExcluir
  13. Cinco meses? OH! Os primeiros sorrisos, as gracinhas, os dentinhos e depois senta, não senta e pumba! Ai que delicia!!!!!

    Que lindo Natal, Nina! Um beijo cheio de carinho da Pitanga.

    PS: Não some não, viu? Que eu também não sumo, não!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Nina comecei a seguir o seu blog há alguns dias e to adorando os textos. Tudo que vc escreveu nesse post eu já senti e muitas vezes sinto. Vc tem razao, as pessoas viajam na maionese qdo imaginam a gente fora e acho que sao mesmo muitas coisas envolvidas. Cada um tem os seus motivos e só a pessoa tem como avaliar o que é melhor pra vida dela. Já morei em Portugal uns meses, na Espanha 4 anos, há 7 meses estou nos USA pq me casei de novo e ele é americano. A vida fora é dura e cara, as culturas sao diferentes e o brasileiro sente pq somos muito expansivos. Qdo a gente passa muito tempo fora e volta, nem que seja de visita, estranha muito pq as coisas nao mudam no nosso país. É complicado demais lidar com esses sentimentos contraditórios, ficar sem participar das coisas em família. No meu caso, perdi o nascimento dos dois netos, o 3º tá vindo aí e espero poder estar com a minha filha o ano que vem.
    Falo por experiência própria: é preciso coragem sim pq imigrar nao é para qualquer um, muitos nao se adaptam. Qdo eu me aventurei quis tentar, nao me arrepender depois e dizer: poxa, tive uma chance e nao fui. Deu certo! Mas corri atrás do meu objetivo, nada caiu do céu nao.

    Um super bj!

    www.trocandodepele.com

    ResponderExcluir
  15. Sim Geórgia, eu sinto o mesmo e acho que isso acontece com mt gente que nao consegue se imaginar de volta ao Brasil. É difícil, às vezes, se readaptar.

    É isso mesmo Pitanguinha, tudo isso que vc falou ele comeca a fazer, um barato, to amando tudo.
    Nao vou sumir nao, pode deixar :)

    Paulette,seja bem vinda, amei seu comment, entao experiência vc tem, sabe como é. E morou em lugares diferentes, ne?? Mas isso que vc comentou de nao estar perto do desenvolvimento dos parentes mais próximos e queridos me dói tbm, vc é vó?? uau!
    Morro de saudade dos meus sobrinhos, p. ex. Nao vê-los crescer, nao ajudar na educacao deles (eu me meto nisso lá em casa, porque sou uma mae meio metida a saber tudo, ai ai) me faz falta :(
    Mas fazer o que né? A gente que escolheu viver longe...

    Bjs meninas!

    ResponderExcluir