27/06/2008

Não é lá tão ruim, né?

Oi gente!

Não sei porque, mas, dia desses, botei na cabeça que o blog "Entre Mães e Filhas" é só pra falar da família, já que eu tenho um outro também.

Então, se me permitem, eu gostaria de falar sobre uma criaturinha irritante e indispensável da minha vida.
Às vezes eu não entendo o meu irmão.

Sabe, já perdi a conta de quantas vezes desejei ser filha única. Aposto que ele também.
Mas também sei que a nossa vontade de dizer "sabia que eu descobri que você foi adotado (a), seu (sua) besta?!" não passaria de uma noite de sono sem sonhos. No outro dia lá estaríamos nós, brincando e brigando juntos.

Acho interessante, essa coisa de ter um irmão. Ainda mais quando ele é mais novo.
Uma amiga minha, outro dia, me perguntou se eu não queria dar meu irmão pra ela.
"Você pode ficar com toda a minha coleção de papéis de carta, incluindo os perfumados."

Não pude negar, a oferta era tentadora. Eu sou apaixonada por papéis de carta - os perfumados então, nem se fala - e essa amiga tinha uma vasta coleção.
Olhei bem pra ela. Era filha única. Morava somente com seus pais. Era um amor de menina, e adorava ir às compras, falar de garotos, e tinha mais de oito diários, todos eles sem cadeado.
"Hm...até que seria uma boa idéia", falei, "mas eu acho melhor não".

Ela fez uma cara tristinha, mas no fundo sabia que eu nunca lhe daria meu irmãozinho. Voltamos a andar, já ao encontro de outras amigas que nos esperavam.

A pergunta é: por que?
Porque eu nunca daria o meu irmão?

Será por quê a minha mãe não é doida de me deixar fazer uma coisa dessas?
Ou porque eu o amava?
Ou quem sabe porque eu tinha visto uma loja com papel de carta com desconto?
Não.

De qualquer forma, todos os motivos pesariam, mas não foi por isso que eu tomei essa decisão.
Foi pela responsabilidade.

Sei lá se você, leitor ou leitora tem um irmão. Também não sei se são muito ou só um. Se você é o mais velho ou não.
Mas aposto que os mais velhos me entendem.

Pensei naquela minha amiga. Na vida que ela levava.
Ganhava muito mais presentes do que eu. Sua mesada era quase o triplo da minha. Ela não tinha nenhum primo ou prima menor que a ensinasse a dividir as coisas. Era tudo dela, dela, dela. E acabou.

-Pra ter um irmão - falei bem baixinho, antes de dormir naquele dia - você precisa abrir mão de muitas coisas que gosta. Tem que aprender a dividir e entender coisas que estão além do seu alcance. Tem que colocá-lo sempre em primeiro lugar. Mesmo que às vezes, não pareça que você age assim.
Seria, sem dúvida, uma tarefa difícil pra ela. E entregando ou não o meu brother, eu sei que ela ia acabar me devolvendo. Ora, cada um que cuide do que é seu, não é?

Virei para o outro lado da cama e fiquei pensando sobre isso. Ah, quantas vezes eu já tive vontade de ficar com o último biscoito do pacote! Mas não, era tudo sempre para o menor.
Quantas vezes eu quis passear sozinha. Mas tinha que levá-lo junto.
Quantas vezes eu já quis ser a única dona do controle remoto, que o acordar fosse mais calmo, ao invés de ter alguém pulando no meu estômago. Que eu pudesse pegar a última fatia de pizza sem remorço. Que meu diário pudesse ficar esquecido em cima da cama. Que meus pais tivessem mais dinheiro pra comprar o que eu queria. Que tivessem mais tempo pra ouvir o que eu dizia antes de dar toda a atenção para o joelho ralado do outro filho.
Ah.
Seria muito bom. Admito.
Eu nasci primeiro. E foi divertido enquanto durou. Mas aí eu tive que aprender a dividir tudo o que tinha, inclusive o amor dos meus pais com aquele moleque barulhento que não parava de rir de mim. Tenha eu contado algo engraçado ou não.

-Quer saber? - falei, voltando para a posição em que estava antes, mas falando bem mais baixo, quase inaudível: - Gosto disso. Gosto disso mesmo.
E dormi.



*Sango e Konhako quando eram pequenos, dois personagens de animes que são irmãos e vivem protegendo um ao outro*

10 comentários:

  1. Acho que ando muito sensível ultimamente! Ontem chorei com o post da Carol e hj quase chorei com o seu.
    Minha relação com meu irmão não é nada boa, só era quando éramos crianças e isso passou! Queria muito ter uma realção como a sua e a da João...Quando ele crescer vai ser melhor ainda!
    Beijos Laura e aproveita muito seu irmão, afinal, ele é a única pessoa com o mesmo sangue que o seu...Seus laços serão eternos e profundos.

    ResponderExcluir
  2. Ahhh, mas que coisa bonitinha. é por isso que eu choro, por causa de tanta sensibilidade vinda dessa menina.

    Vou já ali buscar o João pra ele ler. Snif snif snif

    é isso filha, como disse a Carlinha, aproveitar bem o seu irmãozinho, é tão bom termos irmãos e esse é muito fofo da mamãe, coisinhas lindas

    ResponderExcluir
  3. Hoje eu escrevo pra filha, certo?
    Ei! A sua mãe é uma fofa, e agora descubro que você também.
    Sua mãe tem acompanhado minha história...
    Sou a caçula, tenho duas irmãs mais velhas. A Paty e a Cris. A Paty é uma guerreira que tá enfrentando um câncer. Ela que sempre cuidou de mim e, até hoje, fica preocupada se eu tô comendo direitinho. Acho que ela também não me trocaria nem por uma coleção inteira de papéis de carta.
    Agora, se a Cris trocaria eu não sei. Eu não a troco por nada, embora nossa relação não é como a de Paty comigo ou a dela com a Paty. De qualquer forma amor é isso, né?! É aprender com as diferenças, é respeitar o silêncio ou o cuidado do outro. Cada um tem um jeito e a gente tem que aprender a amar.

    Beijo pra vocês, mãe e filha!

    ResponderExcluir
  4. Todo o mundo sabe que você é louca pelo seu irmão ^^
    Eu sou filha única.Mesmo quando meu pai ainda era vivo,eu sempre tive mais ligação com minha mãe,por morar com ela.Toda a família morava junta:minha mãe,minha tia,minha avó,meu avô,meu tio,Camile(minha prima) e eu.E,durante os anos em que moramos na mesma casa,a Camile foi meio que sendo a tal da irmã mais nova que nunca tive.É engraçado ser filha única e ter uma irmã ao mesmo tempo.
    Às vezes,eu tinha vontade de ter um irmão mais velho.Então,ela era TUDO que eu não queria:menina e mais nova!Só que como você disse,tem a tal da responsabilidade que a gente sente.Eu não cuidava dela,nós brigávamos a cada segundo(a coisa era pesada!),mas sempre senti que ela me tomava como exemplo.Hoje,acho isso muito legal,porque até hoje não sei como aprendi as coisas que sei,já que minha mãe é muuuuito diferente de mim e não tive irmãos.Para Camile,poderia ter sido mais fácil,só que quando nos mudamos,ela ficou beeem enjoadinha!Virou uma pessoa tão,mas tão chata!Mas tem um bom coração,só está com a mente um pouco,digamos assim,corrompida.
    Isso é pra você ter mais certeza ainda da sua importância na formação do João.Você é o exemplo dele na idade que ele tem!
    Ainda bem que você não quis trocar seu irmão.Eu arrancaria sua cabeça(O__O)!
    É tão legal quando você escreve!! *.*
    Kissus ;***
    Ps:sempre que vou ler os comentários de vocês,eu fico com uma cara bem "dããã" ~.~.Fico sem-graça,nem reconheço a tal pessoa de quem vocês estão falando xDD
    Ps2:graças a Deus que Camile não lê blogs...
    Ps3:Yeah!Sarcásticos dominando o mundooo!! ¬¬"

    ResponderExcluir
  5. Oi Laura !
    Nossa tentadora a oferta...mas acho que eu tambem não trocaria meus irmãos por nada [tenho 3, mas só 2 moram comigo]
    As vezes acho eles tããão chatos, irritantes e tal, mas quando saio sinto uma falta de não ter ninguem pra atazanar a vida...
    Apesar de tudo, sei que amo eles e não viveria sem....
    Beeijos'
    Ps: Mas como seria bom não tem ninguem pra dividir o pc...

    ResponderExcluir
  6. Gostei do seu blog. Tá bem legal, o meu o blig excluiu e nem era tão ruim... Abs.

    ResponderExcluir
  7. Laura, acabei de perguntar pra Valon se ela trocaria seu irmão mais novo por uma coleção de papéis de carta e ela balançou a cabeça que sim.
    E outro dia, num acidente durante uma brincadeira, a Valon bateu fortemente a cabeça quando o irmão empurrou o colchão onde ela estava.
    Conversei com ele e disse que a irmã poderia ter morrido e que a vida seria muito triste e sem graça sem ela.No início ele concordou mas depois, pensando melhor, ele disse que seria bom poder escolher os canais da TV todos os dias.
    Então, pergunte sua amiga se ela paga o frete.

    ResponderExcluir
  8. Em tempo : a Valon tem 8 anos e o Jujuba faz 6 no próximo domingo.
    Se quiser conhecê-los vá lá no fotolog:
    http://www.kathiaecia.nafoto.net

    ResponderExcluir
  9. Sim, irmão é tudo de bom. Mas meu comentario, é um pequeno parênteses, que você vai entender quando for mãe. Não, você não teve que aprender a dividir o amor da sua mãe. Pode ter certeza: ele se multiplicou. E multiplicou muito, como eu percebi pelo outro post dela! Um bzu grande. Ethel SC

    ResponderExcluir
  10. Começando a comentar pelo fim: Adoro Inuyasha!!!

    Voltando ao começo: Tenho dois irmãos mais novos um menino e uma menina, são barulhentos, me dão trabalho, Rafael pertuba, Rafaela é bem mais mimada que eu jamais sonhei ser. Eles querem atenção, querem afeto, querem que eu olhe eles, Rafael me acordava no meio da noite para que eu acendesse a luz e levasse ele para a cama de mainha, só depois de grande ele descobriu que eu tinha medo do escuro tanto quanto ele, Rafaela dormiu comigo muitos anos... Rafael leu meu diario em tempo real e me constrangeo a beça, Rafaela ler eles agora e redescobre na poderosa irmã mais velha a fragil adolescente que eu fui e me lembra que um dia eu rabisquei poesias... Meus irmãos são pertubadores, tiram meu sono, me dão trabalho e gostam de me irritar, mas não sei o que seria da minha vida sem eles \o/

    São meus entende? Responsabilidade minha, sempre poderão contar comigo e eu sei que posso contar com eles...

    Ser a mais velha é dificil, mas também é bom!!!

    ResponderExcluir