14/05/08

Comer, comer é o melhor pra poder crescer

Ontem fomos a casa de um amigo comer um churrasquinho.
Churrasquinho??

Tipicamente alemão, o churrasquinho estava uma delícia. Com salsicha, carne de porco, carne bovina, de frango, e de carneiro, com churrasqueira elétrica (incomoda menos os vizinhos) pequena. Acompanhamento: cerveja, cerveja, cerveja, pão, salada de batata com maionese. Manteiga com ervas, ketchup e mostarda, e mais algumas coisinhas. Éramos somente nós três, e tinha carne pra toda a familia por uma semana!!
No meio da conversa, eu satisfeita da vida, me deliciando com o baquete quentinho na manteiga, eles começam a falar das crianças: os meninos precisam comer menos doces; precisam comer mais pão preto, precisam levar frutas pra escola em vez de pães brancos e guloseimas, precisam fazer mais esporte, precisam isso, precisam aquilo.

Eu que já começava a me irritar com aquela conversa, falei: "putz, vocês me convidam pra comer esse monte de coisa aqui e depois que enchi a pança vocês vêm com esse papo! querem me fazer me sentir mal é?"

Os dois em coro trataram de se explicar dizendo que isso não era comigo, já que sou magra, e tenho noção (mais ou menos) do que como, mas que o tema era com relação ao que as crianças estavam consumindo ultimamente.

Caramba, mas eu faço isso, eu observo o que eles comem. Só não acho que tenho que mudar toda a rotina dos meus filhos assim, de um dia pro outro. Aqui, eles comem, mais muito mais do que no Brasil por causa do clima, eu acho. Muito mais mesmo! Mas na verdade, o problema pra os alemães não é a comida normal, mas o bendito doce e pão branco.

Esse povo me faz rir. São eles que dão doces pras crianças em toda e qualquer data comemorativa. São eles que enchem as crianças desde muito pequenas de suas linguiças, pretzels, tortas e mais tortas. São eles que fazem os mais gostosos chocolates que já vi (depois dos suiços).

O povo aqui tem paranóia de comer tanto. É fato que eles comem pra burro.

O alemão é o povo mais gordo da europa, segundo pesquisa recente que li.

Só na regiao da Baviera, ouvi falar que tem famílias que comem todo santo dia, porco nas refeiçoes. Tem até gente que fala que alguns gordinhos de lá já têm até a carinha como a de um porquinho... mas maldades à parte, o alemão quer mudar isso.

É por isso que eles se movimentam tanto.

Nunca vi um povo pra ser tão ativo como eles.
É tanta gente nas academias, nas ruas, caminhando, correndo, pedalando.
Encontramos gente indo e voltando pelos caminhos de florestas. Todo dia, a qualquer hora dia, em qualquer estação do ano. Gente nova, gente velha.

Todo mundo faz algum tipo de esporte. Todo mundo mesmo!!!!
Vôlei, tênis, natação, futebol, dança, etc.

Os velhinhos nem parecem ter 80 anos. Todos moram sozinhos. Sem filhos, sem netos, sem ajudantes. Cuidam de suas casinhas e de seus jardins, fazem compras sozinhos. É um mundo que não poderia imaginar quando ainda estava no Amazonas.

Quando pergunto se eles moram mesmo sozinhos, eles me olham com uma cara!! precisa ver. Ficam ofendidos. "Claro que moro só! meu marido morreu, e não tenho outro jeito a não ser ficar só". E aí começam as histórias da vida, que eu adoro ouvir. Mas pensa que é velhinho reclamando da vida? nada! é só pra contar as suas histórias mesmo, ou ainda sobre atualidades, falar do preço das coisas, ou daquela loja que abriu na esquina, ou o futebol na TV, ou um vinho branco delicioso que um sobrinho trouxe do sul, ou uma futura viagem a cidade do neto, ou isso, ou aquilo.

Mas é sempre igual, as velhinhas estão sozinhas porque os maridos morreram, os filhos, quando elas têm, moram perto, dão assistência, mas elas moram sempre sozinhas.

E não ficam paradas em casa.
Jamais!
Estão sempre fazendo alguma coisa, seja no jardim, ou simplesmente caminhando pelas ruas da cidade, ou pedalando! Incrível.

Outro dia conheci uma velhinha de 89 anos que o marido morreu há dois anos e ela, que foi professora por longos anos, tem um jardim gigantesco, cuida dele super bem até hoje, tem uma estufa linda cheia de cactos e muitas diferentes espécies de plantas no jardim. Olhou pra mim e feliz da vida falou que uma certa planta que ela tinha com flores vermelhas, que não lembro o nome agora, era da América do Sul.

Até hoje a doce velhinha, que mora sozinha com seu gato Charlie, um gato gigante, preto, que olha pra gente pedindo colo, mas de tão gordo e alemão que é, só pode andar meio devagarinho. Essa mesma velhinha super legal, tia-avó do meu marido, dirige um Audi, chiquerrérrimo. O carrão tá lá na garagem dela, e quando chegamos meu marido comentou: "ohh ela não vendeu o carro do marido". Então ao perguntar sobre o carro, ela falou: "se eu tivesse vendido esse carrão lindo aí eu seria uma velha muito tola! eu viajo com ele para lugares perto, e vou até mesmo à autoestrada, sem medo algum e todo mundo me olha na ruas."

Na mesa que ela preparou pra nós, um lanche rápido, o de sempre, salsichas, batatas e o bendito pão preto.

ODEIO!!!!! PAO PRETO!!!!! ODEIO MINHA GENTE!!!!!!!!!


Mas aqui eles dizem que a gente precisa comer esse pão horrível, porque ele tem mais substância e é menos calórico que o branco.

Mas mesmo assim,eu odeio com todas as minhas forças aquele pão fedorento!!

Taí algo, finalmente, que não gosto na Alemanha, o pão!
Odeio!!!

Mas no fundo esse povo que passou a valorizar o ato de comer melhor, depois da guerra, tem razão. A gente precisa realmente vigiar o que colocamos na boca.

Até eu, que sempre fui magrinha, estou mais gordinha que o normal.

Comer mais produtos de qualidade, e fazer algum esporte, diminuir nos doces, é fundamental pra saúde das crianças.

e das mamães da crianças =)

7 comentários:

Patti disse...

Até se costuma agora dizer: diz-me o que comes, dirte-ei quem és!

Há dias que sou muito correcta: pão preto (o de Portugal é bom, é de centeio escuro), chás, saladas, carnes brancas, cereias sem gordura, queijos magros; esses são os dias se semana.

Há outros dias, os meus preferidos: carnes vermelhas, queijos gordos, chocolates, pão com pão, bolachas, gelados e casamentos. Ui o que eu adoro casamentos!

Bjs***

P.S.: mas temos de ter juízo com a comida, lá isso concordo.

Pitanga Doce disse...

A Patti tem razão. O pão preto em Portugal é muito gostoso e há também o de "mistura". São broinhas feitas de trigo e centeio que são uma delícia e que não encontro aqui no Brasil.

beijos doces (ih, doces não podem!)hehe

Carlinha disse...

Ai ai...Não posso ir a Alemanha nunca! Imagine só! Se sou gorda num país tropical,imagine aí??? Deus me livre...rs!
Gosto tanto quando você conta as coisas daí, os costumes das pessoas, como elas viem, do que gostam, é maravilhoso! Adoro saber sobre outras culturas, já que não posso estar efetivamente nelas.
Quanto ao meu post de ontem...É nina, vc tem toda razão. Eu gostaria mesmo de fazer um trabalho voluntário,mas tinha que ser perto de casa para eu não gastar o que não tenho :S
Vou ver sobre isso! Obrigada pelas palavras!
Beijos!
Ah! Acho que agora eue stou fazendo certo no nome/url...tinha que colocar o http:// e eu só colocava o www.

Carol disse...

Nina,que texto gostoso de se ler!!Eu estava aqui,lendo em voz alta e achei tudo muito legal e divertido!
Eu sempre fui gordinha e sempre tento mudar meus hábitos,mas confesso que não consigo.Posso estar errada,mas sempre conferi uma grande parcela de culpa à minha família.Desde que me entendo por gente,eles me davam o que eu queria comer na mesma hora e sempre me acostumaram a comer muito.Quando passei a ter noções de alimentação e percebi que precisava me reeducar e comer coisas saudáveis,vi que não havia jeito...eles sempre me alimentariam mal,trazendo doces para casa.Sabe qual é o pior?Me chamam de gorda todo o tempo!Como se fosse algo recente!
Adorei essa velhinha da qual você falou.Às vezes,quando assistimos a um filme estrangeiro e vemos aqueles velhinhos super saudáveis,falamos "Ah,tá.Até parece!".Porém,pelo seu relato,percebi que é exatamente dessa maneira,até melhor!Eu gostaria de passar minha vida na Europa,para experimentar como é ter uma boa qualidade de vida.Como é ver a natureza,andar de bicicleta em lugares belos...sonho!
Abaixo o pão preto!Nem de pão sou muito fã...muito menos desse aí,que,ainda por cima,fede!!!!!!
Beijoooooos!!!!!!!!!!!
x**********************

Marsyah disse...

Olá Nina!

Vc é minha guia turística...
Estou conhecendo a alemanha através dos seus olhos (e agora através do seu paladar).

Que bom q vc existe!
Bjux querida!

SGI disse...

Nina,
Adoro comer, amo comer.
Viagem boa pra mim é aquela que junta paisagem, cultura e comida.
Mas é linda a maneira como você escreve, tem que ir juntando tudo isso e pensando num livro...

Beijins

Nina disse...

Patti e Pitanguinha, aqui eles tem centenas (de verdade)de diferentes tipos de pão. Eu ainda não dei sorte com o preto, mas tenho esperança de encontrar um mais saboroso.

Carlinha VC NAO É GORDA!!!!!

Tava sentindo sua falta Carolzinha. Depois li o porquê, força ai viu pequena! E sim, vc tem razão, as velhinhas são demais. Ô povo forte esse, menina.

Marcinha, só vc mesmo. Olha, eu sou uma péssima guia, não tenho a menor noção de localização geográfica.. eu sou capaz de me perder dentro de casa.

Ai Sonia, eu tbm adoro comer. Mas resolvi, nesse dia do churrasco, começar a dar mais atenção a esse ato.
Bjs meninas